Mensagem de Natal?

Bom, às vesperas da data que instituimos para comemorar o nascimento daquele que foi o grande e o mais mal interpretado filósofo, assim posso dizer, só resta desejar a todos os meus amigos tudo de bom; que não nos preocupemos com presentes materiais como muitos fazem nessa época de capital desenfreado... Desejo esse feliz natal não apenas aos amigos, mas também àqueles que sem nada o que fazer na net esbarram por aqui e acabam de uma forma ou de outra fazendo com que este blog aqui permaneça. Não entro em recesso... só fico um pouco mais lento nas postagens, mas paciência; as coisas estão mesmo corridas e, por mais que tentemos não aderir a esse desenfreado mundo que vivemos ainda assim ele nos arrasta.
Negrito

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Água viva, de Clarice Lispector

Pablo Neruda: o que não dá mais para ocultar

Apontamentos sobre alguns textos curtos de Tolstói

Boletim Letras 360º #231

Quando Borges era Giorgie

Salinger, um grupo de psicopatas e os do MKUltra

A filha perdida, de Elena Ferrante

Gostamos de causar danos (com o grande romance estadunidense)

Jane Austen: casamento e dinheiro

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse