Postagens

Mostrando postagens de Março 6, 2008

Porque T. S. Eliot é um dos maiores nomes da poesia moderna

Imagem
Thomas Stearns Eliot exerceu, como poeta, dramaturgo e crítico literário, uma grande influência no período de entre-guerras. Foi cabeça visível do movimento modernista e poemas seus como “A terra desolada” (1922) ou dramas poéticos como Assassinato na catedral (1935) e The cocktail party (1950) revitalizaram com seus exercícios de estilo a literatura inglesa.
O poeta nasceu no dia 26 de setembro de 1888 na cidade estadunidense de Saint Louis e morreu em Londres em 1965. A publicação de “Quatro quartetos” durante a II Guerra Mundial lhe valeu o reconhecimento, ainda vivo, como o maior poeta de língua inglesa e, em 1948, foi-lhe dado o Prêmio Nobel de Literatura.
Peter Ackroyd, escritor e crítico literário, é um dos maiores especialistas no estudo da vida e obra de T. S. Eliot. A biografia que publicou em meados da década de 1980 sobre o autor de “A terra desolada”, intitulada com o nome do poeta, é considerada um dos melhores documentos sobre sua vida. É a partir desse texto que const…

Ai, que saudades da palmatória!

Imagem
Por Pedro Fernandes


O caso se deu esta semana. Uma professora da rede estadual do Rio de Janeiro foi condenada a pagar uma multa de R$5 mil por ter dado um puxão de orelha num aluno.  O fato me chama atenção por dois motivos: a bancarrota de uma pedagogia do cetim fez do aluno uma figura intocável. Fato humano – quando não é oito é oitenta. Houve o tempo em que levar surra de palmatória era útil para a formação educacional. Era espécie de corretivo necessário à docilização dos corpos. Depois desse motivo primeiro, é fato que a pedagogia do cetim levou à desfiguração da imagem do professor. Professor é um-qualquer. Não tem autonomia. E nisso os alunos deitam e rolam.
Há uma coisa nos dois motivos que me faz perguntar qual tipo de educação, afinal, é a correta. Não há, na história da pedagogia, ninguém que tenha vindo padecer – pelo menos que eu saiba – de traumas por uma palmatória. Ouço muitas vezes os mais velhos recordarem do instrumento mesmo com certa nostalgia. E o fato é que eles,…