Postagens

Mostrando postagens de Agosto 14, 2008

Poema em processo

como gotas d’água
que caem do teto de uma caverna
meio que, por acaso, no papel

na figura do poeta
prefiro fecundar-me e parir
em palavras, poemas

afinal poema é sentir
ainda por definir-se
e ser e causa

poema ainda traz a missão secreta
sei lá, discreta, até
de novas ordens de vida
mesmo que carregado de talvez

mesmo que despido de palavras
diz tudo
porque em sendo tudo não é nada
e sendo nada diz tudo.


* Acesse o e-book Palavras de pedra e cal e leia outros poemas de Pedro Fernandes.