Postagens

Mostrando postagens de Setembro 18, 2008

A aventura, de Michelangelo Antonioni

Imagem
Crise do homem moderno é tema de obra feita de vazios e abre a trilogia da incomunicabilidade
Ao ser lançado no Festival de Cannes, em 1960, A aventura não foi recebido com unanimidade. A crítica se apaixonou pelo filme e se encontrou com o estilo do até então pouco conhecido Michelangelo Antonioni. O público, ou grande parte dele, por outro lado, detestou assistir aquela história, sem ação e cujo mistério principal (o desaparecimento de uma mulher) não é resolvido - pior, é abandonado ao longo da exibição. Mas a história comprovou que o diretor italiano acertara na abordagem da crise do indivíduo moderno, que prosseguiria na chamada Trilogia da incomunicabilidade, completada nos anos seguintes com A noite (1961) e O eclipse (1962).
Os temas que marcam esses trabalhos são: o vazio da burguesia e das classes abastadas (e a tomada de consciência de seus indivíduos sobre esse vazio); a alienação provocada pelos avanços industriais e o desenvolvimento urbano, que afastam o homem da nature…