Oscar 2009



As premiações do Oscar 2009 parecem inaugurar novos rumos para as produções cinematográficas em Hollywood. O favoritismo da mega produção de O curioso caso de Benjamin Button desbancado pela simplicidade da produção de Quem quer ser um milionário reflete várias questões na indústria do cinema. Uma, parece ser a respeito do modo de fazer cinema, apesar de que essa questão que vou apontar já ser tônica noutras premiações da Academia: não é necessário ser dono de uma pompa gorda conta para se produzir bons filmes. E, outra, que está para além da forma de fazer cinema, que é o reconhecimento, enfim, da Academia da real maior indústria do cinematográfica do mundo - a indiana. Reconhecimento ou provocação. Fica a critério de quem julgar. E, em linhas gerais, e talvez seja este o fator verdadeiro, a expansão do olhar hollywoodiano para além das fronteiras a que este sempre esteve preso. Afinal de contas, o Oscar 2009 agraciou mais aos que de fora vieram para compor a colcha de retalhos da indústria do cinema que é Hollywood.

Veja a lista dos ganhadores.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Essa estranha instituição chamada literatura: uma conversa com Jacques Derrida

Os melhores diários de escritores

Lolita, amor e perversão

O conto da aia, o pesadelo de ser mulher numa teocracia

Os ventos (e outros contos), de Eudora Welty

A ignorância, de Milan Kundera

Há muitos Faulkner

Boletim Letras 360º #239

Kazuo Ishiguro, Prêmio Nobel de Literatura 2017