Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 16, 2009

A carroça, o bonde e o poeta modernista

Imagem
Por Pedro Fernandes



(Anotações sobre "A carroça, o bonde e o poeta modernista", de Roberto Schwarz)


1.No ensaio "A carroça, o bonde e o poeta modernista" Roberto Schwarz discute a partir da poética de Oswald de Andrade – mais especificamente o poema oswaldino "Pobre alimária"– acerca do poeta e da poesia modernista no Brasil. Alude o autor à conciliação de três elementos característicos na poesia de Oswald: uma fórmula fácil e eficaz para ver o Brasil pelas janelas do poema; o ser poeta sem o esteticismo apregoado pelos poetas doutras escolas literárias semelhante ao modo leninista de fazer política – “o Estado uma vez revolucionado, se poderia administrar com os conhecimentos de uma cozinheira”; o uso de um reduzido vocabulário – reduzido, no sentido de ser comum a todos – o qual Schwarz compara à poética de Bertolt Brecht que se dispunha a redução vocabular do Basic English

2. Para o autor, somam a isso na poesia de Oswald, uma fórmula de duas operações…