I Simpósio de Letras do Vale do Açu (SIMLEVA)

Detalhe do livro de Marize Castro, Esperado ouro



O Departamento de Letras do Campus Avançado Prefeito Walter de Sá Leitão, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, em parceria com o Grupo de Pesquisa Práticas Discursivas, Linguagens e Ensino (PRADILE), realizará, no período de 15 a 17 de dezembro de 2010, em Açu/RN, o I Simpósio de Letras do Vale do Açu (I SIMLEVA). Por ocasião desse evento ofertarei juntamente com a Professora Dra. Maria Edileuza da Costa um Grupo de trabalho, cuja ementa segue logo abaixo. Será também nesse evento que ministrarei, pela primeira vez, um minicurso sobre José Saramago, sobre o qual falarei noutra ocasião.

O Grupo de Trabalho traduz-se mais um ramo de meu interesse de pesquisa. Intitulado Pensar a Literatura potiguar - linhas, trajetos, sentidos e diálogos, este grupo de trabalho é fruto - além de minhas inquietações em olhar a literatura do Rio Grande do Norte, já patentes desde minha graduação em Letras com artigos publicados em jornais e revistas sobre, com minicursos e palestras sobre - de uma disciplina a qual fui estagiário durante o meu mestrado.

Dos últimos anos podemos afirmar de uma literatura no Rio Grande do Norte, seja pelo reconhecimento de nomes do passado, seja pelo surgimento de outros na cena contemporânea. Prova disso é que as livrarias no Estado já dedicam espaços a autores que tinham pouca ou nenhuma divulgação no mercado editorial. Quando a questão sai das livrarias e vai para os cursos de Letras a situação é um pouco mais grave: além de se repetir certo desconhecimento de uma literatura potiguar por parte dos discentes, também há o desconhecimento do que anda a se passar contemporaneamente nesse cenário; as abordagens dificilmente ocorrem e, quando ocorrem, são colocadas como optativa num curso isolado da grade curricular – fato preocupante, decerto. Por tudo isso, a criação de estratégias, nos espaços acadêmicos dos cursos de Letras, que visem uma intervenção a título de remodelar esse quadro de indiferença para com uma literatura que muito contribuiu e certamente muito haverá de contribuir ao enriquecimento da literatura brasileira é importante. Este Grupo de Trabalho pode ser lido como uma dessas estratégias e visa ser um espaço que abrigará trabalhos que discorram sobre a produção literária no Estado – autores e obras, desde as primeiras manifestações literárias à produção contemporânea. O grupo contemplará trabalhos que discorram sobre as linhas, trajetos, sentidos, diálogos (interliterários e intertextuais), que integram o sistema literário potiguar, seja prosa (conto, crônica, romance), seja poesia, seja teatro, a fim de apontar encaminhamentos que venham configurar um panorama da literatura no Estado.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Essa estranha instituição chamada literatura: uma conversa com Jacques Derrida

Os melhores diários de escritores

Lolita, amor e perversão

O conto da aia, o pesadelo de ser mulher numa teocracia

Os ventos (e outros contos), de Eudora Welty

A ignorância, de Milan Kundera

Há muitos Faulkner

Boletim Letras 360º #239

Kazuo Ishiguro, Prêmio Nobel de Literatura 2017