Os escribas cresceram

Por Pedro Fernandes

Thiago de Goes, Carlos Fialho, Daniel Minchoni e Patrício Jr. retomam os trabalhos dos Jovens Escribas.
Foto: Tribuna do Norte

Com este título a repórter Maria Betânia Monteiro, caderno Viver, jornal Tribuna do Norte faz uma matéria acerca dos avanços da força literária independente no Rio Grande do Norte.

A literatura independente no estado não está morta, está vivíssima, crescente e atuante. Fiquei muito entusiasmado com a notícia e por isso o motivo de divulgá-la aqui neste espaço. Isso porque é já a concretização de um passo para furar as paredes do castelo de louça que se tem forjado nas letras potiguares. Novos movimentos, independentes de grupinhos privilegiados, são bem-vindos para a oxigenação das atmosferas bolorentas como as que sempre andamos a respirar por aqui.

Pois, "Jovens escribas" era já o nome de um selo criado pelos escritores Patrício Júnior, Daniel Minchoni, Thiago de Góes e Carlos Fialho e desse selo surgem novos projetos, entre eles, novos títulos acrescido à dezena dos publicados. Uma editora e uma distribuidora de livros. Força ao grupo! E que venham novos grupos para revitalizar a cena literária do nosso estado.

Leia matéria completa aqui.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Os melhores diários de escritores

Essa estranha instituição chamada literatura: uma conversa com Jacques Derrida

Lolita, amor e perversão

O conto da aia, o pesadelo de ser mulher numa teocracia

Os ventos (e outros contos), de Eudora Welty

O primeiro conto de Ernest Hemingway

Há muitos Faulkner

Kazuo Ishiguro, Prêmio Nobel de Literatura 2017

Boletim Letras 360º #239