Ler devia ser proibido

O vídeo a seguir foi fruto de um trabalho idealizado em 2003 pelos alunos do 2º ano do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Salvador (UNIFACS). Os alunos Igor Melo, Deborah Toniolo, Marina Xavier, Julia Brasileiro, Jader Félix, João Paulo Moura, Luciano Midlej, Marcos Diniz, Paulo Diniz, e Filipe Bezerra idealizaram uma propaganda de incentivo a leitura. Mas nada de darmos de cara com um texto convencional exaltando pela milésima vez a importância do ato de ler. O texto vai pela via contrária dos benefícios da leitura no intuito de causar um paradoxo na cabeça do telespectador. No fundo, prevalece, é claro, a ideia de que ler é importante e fundamental, mas o anticonvencionalismo trabalhado pelo texto - usando da máxima de que tudo que é proibido e tem malefícios próprios é melhor - me faz ver a grandeza do filme e compartilho com os leitores de Letras in.verso e re.verso





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

Água viva, de Clarice Lispector

Pablo Neruda: o que não dá mais para ocultar

Apontamentos sobre alguns textos curtos de Tolstói

Boletim Letras 360º #231

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

Salinger, um grupo de psicopatas e os do MKUltra

A filha perdida, de Elena Ferrante

Fama e preconceito

Quando Borges era Giorgie