Sigamos - 4 anos de Letras in.verso e re.verso


Não. Não passou despercebido. É verdade que tenho andado, ultimamente, às voltas com o tempo. Conduzindo dois cursos na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, à frente de um evento nacional, orientando alguns trabalhos e tentando me equilibrar numa corda bamba à cata de uma sustança maior e segura, as coisas por aqui têm andado a passos de tartaruga. Mas passar despercebido um instante como este, isso não, não é permitido.

É que hoje, 27 de novembro, fecham-se 4 anos do blogue Letras in.verso e re.verso e entramos, logo, com uma sede lenta, para o 5º ano de web. Não há necessidade de repetir aqui – pela milésima vez – do sucesso que tem sido essa empreitada surgido como quem não quer nada naqueles fins de novembro de 2007 com a pretensa ideia de ser um espaço para divulgação e agregar materiais de um curso sobre a obra da poeta potiguar Auta de Souza. Não há necessidade de repetir porque as obras estão aí nos quatro cantos do blogue – é uma revista de poesia, um selo para edições eletrônicas, um espaço para sarau virtual, entre outros.

O fato é que nada foi feito para comemorar esses 4 anos. Não elaborei promoções, nem trouxe nada de novo. Até o layout já é carimbado desde meados do ano. Mas, não fiquemos com a falsa ideia de que nadica de nada mesmo poderá aparecer. Afinal, da última vez que pensaram nisso, eis que apareço sob forma de e-book e fundando o Selo Letras in.verso...

Sigamos, portanto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

Água viva, de Clarice Lispector

Pablo Neruda: o que não dá mais para ocultar

Apontamentos sobre alguns textos curtos de Tolstói

Boletim Letras 360º #231

Salinger, um grupo de psicopatas e os do MKUltra

Quando Borges era Giorgie

A filha perdida, de Elena Ferrante

Gostamos de causar danos (com o grande romance estadunidense)

Jane Austen: casamento e dinheiro