E o seu nível de leitura, como está?





No dia em que se abre a 8ª Feira do Livro de Mossoró, evento que também abre o Circuito Potiguar do Livro, que finda com uma edição semelhante para Caicó e Natal, associaremos o anúncio dado pela Maria Popova, no Braing Pickings, pegando carona em The top ten: writers pick their favorite books (ainda sem tradução do Brasil), para perguntar, e o seu nível de leitura, como está?

As listas, sabemos todos, são falhas. Deixará de fora sempre alguma coisa que um ou outro acrescentaria como importante ou deslocaria de uma posição a outra no ranking. Mas também as listas podem representar um caminho ou possibilidades de respostas para determinadas questões. Suponho, que também todos hão de concordar.

Feiras de livro, festas literárias e outros acontecimentos ao redor dessa instituição onde cabe toda a existência humana e para além da humana, são termômetros para avaliar, por exemplo, em que pé anda o consumo de letras. Daí toda proximidade com o ranking do The top ten. O consumo do tipo de leitura é também medidor para o nível de formação. E o livro editado pelo J. Peder Zane vai à cata de grandes escritores contemporâneos nas terras da rainha e em alguns dos Estados Unidos, como Jonathan Franzen e Joyce Carol Oates, para saber quais os seus escritores e livros “preferidos”; a bem da verdade, não foi apenas dizer preferências, cada escritor forneceu uma lista, classificando na ordem o que eles consideram as dez maiores obras de ficção de todos os tempos, dentre romances, contos, peças de teatro ou poemas.

O resultado na dança de números, numa matemática complexa eleita por David Orr visa fornecer uma representação mais próximo do que significa o termo “grande obra”, afinal uma “grande obra” pode ter um valor individual, um valor considerado pela maioria das pessoas ao longo do tempo, não ter nada a ver com um individual e o que é considerado pela maioria das pessoas e sim algo que transcende, ou ainda, “grande obra” pode dizer sobre uma preferência que está acima de outras.

O Braing Pickings dispôs alguns dos resultados para:

1 – As maiores obras do século XX: Lolita, de Vladimir Nabokov; O grande Gatsby; de F. Scott Fitzgerald; Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust; Ulysses, de James Joyce; Dubliness, de James Joyce; Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez; O som e a fúria, de William Faulkner; Rumo ao farol, de Virginia Woolf; Histórias completas, Flannery O’Connor; e Fogo pálido, de Vladimir Nabokov.

2 – As maiores obras do século XIX: Anna Karênina, de Tólstoi; Madame Bovary, de Gustave Flaubert; Guerra e paz, de Tólstoi; As aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain; As histórias, de Anton Chekov; Middlemarch, de George Eliot; Moby Dick, de Herman Melville; Grandes expectativas, de Charles Daickens; Crime e castigo, de Fiódor Dostoievski; Emma, de Jane Austen.

e

3 – Os autores com maior número de livros selecionados: William Shakespeare (11); William Faulkiner (11); Henry James (6); Jane Austen (5); Charles Dickens, Dostoievski, Ernest Hemingway e Franz Kafka (5); James Joyce, Thomas Mann, Vladimir Nabokov, Mark Twain, Viriginia Woolf (4).

Evidente que não há na lista nomes brasileiros; talvez pela distância que ainda ocupamos na língua dos entrevistados, já que são poucos os autores traduzidos e lidos fora do Brasil, situação contrária para os nomes aí listados (ao menos que me engane, todos têm por aqui suas traduções) e talvez porque alguns nomes estrangeiros já se tornaram quase lugar-comum quando se busca por referências que transcendam os lugares de escrita e, enfim, não podemos negar, os que estão aí citados são clássicos indispensáveis à formação leitora de qualquer um.

Digo que só necessito urgente de uma nova estante para livros. E se for medir meu nível por esses listados aí, estou numa condição desagradável; é triste admitir, mas é necessário.

Bem, deixo a pergunta aos leitores que por aqui passarem, quais os seus dez maiores livros de todos os tempos, na lista dos que você já leu? Depois, vou responder esta postagem com um comentário dizendo isso, porque isso carece de pensar um pouco mais.

Fica também aqui a dica para uma visita ao infográfico elaborado pelo Flavorwire para as listinhas postadas no Braing Pickings (por aqui)

Ah! E vá por aqui para saber da 8ª Feira do Livro de Mossoró, que neste ano traz Lira Neto, o autor da trilogia Getúlio, Márcia Tiburi, entre outros. Devo voltar por lá e acompanhar a movimentação do evento, além de compor uma mesa-redonda sobre poesia.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Essa estranha instituição chamada literatura: uma conversa com Jacques Derrida

Os melhores diários de escritores

Lolita, amor e perversão

O conto da aia, o pesadelo de ser mulher numa teocracia

Os ventos (e outros contos), de Eudora Welty

O primeiro conto de Ernest Hemingway

Há muitos Faulkner

Kazuo Ishiguro, Prêmio Nobel de Literatura 2017

Boletim Letras 360º #239