Declame para Drummond




Alguém pensou que um ano para Carlos Drummond de Andrade seria suficiente? Se pensou, pensou errado. O poeta que não se pretendeu (será?) ser eterno, recebe, pela passagem do seu aniversário, a ser celebrado no próximo dia 31 de outubro, mais uma ideia que, dentre os bons motivos que sustém ideias do tipo, tem outro maior: fazer conhecer, de verdade, o poeta pela voz de outros poetas. Só digo que a ideia, atinge duas margens, a em que está situado o poeta Drummond e a em que estão situados os outros poetas.

O projeto chama-se “Declame para Drummond”. Marina Mara, a mentora, iniciou tudo, em 2010. Na edição passada, o projeto recebeu cerca de mil poemas enviados de todo o Brasil e expostos em forma de painel junto à estátua do poeta, em Copacabana, no Rio de Janeiro. Para este ano, ela pensou na simples distribuição de 110 poemas pela cidade maravilhosa, mas o número de inscritos na primeira edição e o número de interessados em querer participar do projeto fez com que a coisa crescesse. E a ideia agora é nacional. Pois então, anote as coordenadas para saber como participar.

O número enigmático que deu norte ao desenvolvimento da ideia tem sua justificativa na passagem dos 110 anos de Carlos Drummond de Andrade. E quer receber poemas de qualquer parte do Brasil para serem cuidadosamente deixados nos mais inusitados lugares país afora. O intercâmbio poético prima por poemas com tema livre – autorais ou não – que serão colocados (e encontrados) no metrô, em meio às flores de alguma feira, emaranhados nos envelopes bancários, em um banheiro, embaixo da porta de alguém... A distribuição se dará durante o mês de outubro.

Amante que sou da poesia de Drummond, até fizemos um especial sobre o poeta este ano por aqui (lembram?) decidi, não apenas divulgar a ideia, mas participar desse intercâmbio. E então? Quem mais está a fim? A Marina recebe os poemas até o dia 10 de outubro de 2012 pelo correio eletrônico marinamara@gmail.com.br. O autor deve enviar o nome do poeta, o nome de quem enviou e a cidade de origem.

Agora, os quiserem fazer como fiz, além de participar, distribuir os poemas do projeto, deverão solicitar, no mínimo 10 e no máximo 110 poemas, pelo mesmo correio eletrônico (marinamara@gmail.com) informando qual cidade receberá os poemas. As pessoas que se dispuserem a distribuir poesia se responsabilizarão pela impressão (que pode ser feita de várias maneiras, ditalografando, manuscrevendo, imprimindo) e a distribuição (com tema livre, a gosto do freguês).

Caso a experiência seja registrada, em filme ou fotografia, não pode esquecer de compartilhar o material com a Marina para que ela se encarregue de fazer a divulgação nas mídias do projeto.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pablo Neruda: o que não dá mais para ocultar

Água viva, de Clarice Lispector

Quando Borges era Giorgie

Boletim Letras 360º #231

Onze filmes que tratam sobre a vida de pintores

Salinger, um grupo de psicopatas e os do MKUltra

A filha perdida, de Elena Ferrante

Gostamos de causar danos (com o grande romance estadunidense)

Jane Austen: casamento e dinheiro

Boletim Letras 360º #232