Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 18, 2012

José Régio

Imagem
Por Pedro Fernandes



Já um tempo ouvi  "Cântico negro" pela voz de Maria Betânia. O poema é de José Régio. Escritor co-fundador de uma revista batizada de presença, ainda em 1927. O periódico acabou por ser, não apenas o nome de uma revista, mas de uma fase do período modernista português que havia brotado com os seus precursores Álvaro de Campos (o poeta das Odes), Almada Negreiros e Mário de Sá-Carneiro, autores de Orpheu, outra revista literária de curta de vida e longa balbúrdia no meio intelectual lisboeta.
Nascido na Vila do Conde, distrito do Porto, José Régio, foi mais que poeta, de profissão regular, foi professor; ainda na escrita foi romancista, crítico literário, dramaturgo, ensaísta... e teve sua trajetória pelas artes plásticas... compondo-se "uma das mais lúcidas consciências literárias de seu tempo", definido por Isabel Cadete Novais, uma das coordenadoras do Centro de Estudos Regianos.
Indagado a definir seu estilo, o autor de Poemas de Deus e do Di…