terça-feira, 8 de maio de 2012

Caderneta de Campo, de Euclides da Cunha

Frontispicio da capa do caderno de notas de Euclides da Cunha. Acervo IHGB. Arquivo.


Mais um importante espaço foi inaugurado já a um certo tempo na blogosfera. A proliferação de blogs como complementos de leitura literária ganha a rica contribuição do Blog da Biblioteca Nacional. E, por lá, tem circulado as digitalizações que a equipe tem disponibilizado aos estudiosos, curiosos e leitores. Obras como a primeira edição de Os lusíadas, de Camões, datado de 1572 ou Dom Casmurro, centenário romance de Machado de Assis, entre outros, figuram como algumas das grandes novidades.

Recentemente o blog disponibilizou a digitalização da Caderneta de Campo, trabalho já em andamento desde 2009. O caderno de notas cobre a passagem de Euclides da Cunha por Canudos em 1897. Como é sabido de todos, essa passagem deu origem a escrita de Os sertões, obra-prima da literatura brasileira. As anotações dão contas dos conflitos naquele espaço quando uma força tarefa foi enviada para a dizimação do povoado fundado por Antônio Conselheiro. O ato entrou para a história brasileira como uma das maiores tragédias já registradas por aqui. Além dos dados, a edição contém ainda alguns rascunhos sobre a topografia da região de Canudos e que foram aproveitadas também na escrita de seu romance. Precede ainda um ensaio de apresentação redigido por Benicio Medeiros e fecha-se com o texto "Um caderno de bolso de Euclides em Canudos", de Olímpio de Souza Andrade.

A disponibilização de materiais dessa natureza na web é de extrema importância não apenas porque é mais uma forma de preservação da memória literária brasileira mas por colocar em face leitores que não têm acesso ao rico acervo da Biblioteca Nacional, cuja sede está no Rio de Janeiro.

________________
Fonte: Blog da Biblioteca Nacional