Postagens

Mostrando postagens de Junho 19, 2012

"Ulisses", de Joyce ilustrado por Henri Matisse

Já que o assunto por aqui hoje é ilustração, anotem aí mais essa. O Bloomsday, o feriado literário mais importante do mundo, já passou, mas continua rendendo. Insuperável esse Joyce. Agora, vem a lume um conjunto de desenhos feitos por Henri Matisse em 1930. Pela época, George Macey, o editor americano do Ulisses ofereceu a quantia de cinco mil dólares para que o artista plástico francês criasse gravuras para uma edição especial ilustrada do clássico de Joyce. Como Matisse admitiu nunca ter lido o livro, compôs alguns temas, mas com base no poema épico de Homero, a Odisseia, poema, aliás, admitido pelo próprio Joyce lhe serviu de matéria para composição do seu Ulisses. Em 1935, uma edição ilustrada do livro do escritor irlandês era impressa. Matisse assinou 1 500 cópias, Joyce apenas 250. E agora uma cópia assinada pelos artistas está sendo vendida pela bagatela de trinta mil dólares. 
Artistas importantes ilustrando grandes obras sempre houveram. Quem não lembra do trabalho de Salva…

O rico trabalho de Matt Kish

Imagem
Não é tarefa das mais fáceis. Gustave Doré, por exemplo, que começou a desenhar ainda aos treze anos e aos catorze publicou uma edição para Os trabalhos de Hércules, levou pelo menos sete anos para compor o primeiro conjunto de  ilustrações para A divina comédia, de Dante. Deverá ter levado tempo maior ou igual para fazer o mesmo com a Bíblia ou com Dom Quixote, de Cervantes, dois outros livros tão portentosos quando o de Dante.


Já muito distante de Doré em tempo e técnicas - o francês usava o desenho a lápis e viveu entre 1832 e 1883 - Matt Kish, um sujeito que não é artista plástico e é de 1969, deu-se ao desafio de ilustrar página a págia do Moby Dick . E tudo por paixão pelo romance de Herman Melville. O trabalho levou dois anos e foi publicado em livro impresso. Mas quem não tem acesso pode ir ao blog do Matt que terá lá todos os trabalhos. Foi de lá que saiu, por exemplo, a imagem que ilustra a abertura deste post, uma das páginas. A cada nova composição ele publicava por lá.