Postagens

Mostrando postagens de Novembro 16, 2012

Pelo Dia do Desassossego, reler este "Memorial"

Imagem
Ler o Memorial do convento, este monumento literário de José Saramago, escritor que chega aos 90 anos hoje, 16 de novembro, é ler a sua própria figura – assim me expressei hoje a tarde na minha página pessoal.
A afirmativa não é vazia. Enquanto ia fazendo minha releitura do romance que fecha exatos 30 anos agora em 2012, e um dos mais célebres do Prêmio Nobel de Literatura (deixem que eu faça este breve parêntesis para dizer por aqui o que disse numa fala minha noutra ocasião, era uma comunicação no II Seminário Internacional de Artes e Literatura Barrocas, que se fosse elencar os principais romances de José Saramago, colocaria este Memorial, O ano da morte de Ricardo Reis, O evangelho segundo Jesus Cristo e Ensaio sobre a cegueira como os quatro momentos epifânicos de sua obra) vi notando pelas frases colhidas, aquelas de maior impacto à sensibilidade leitora, aqueles em que ficamos algum tempo parados pensando em como isso é possível ser dito por uma pessoa comum, muito embora aind…

Meio século do Boom literário latino-americano que mudou os rumos da literatura de língua espanhola

Imagem
1962 foi um ano prodigioso para a literatura de língua espanhola. Naquele ano, no Chile, era realizado o Congresso de Intelectuais de Concepción e pela ocasião foram publicados oito livros que se tornariam elementares para a literatura contemporânea na América Latina. Dentre eles, O século das luzes, de Alejo Carpentier, A morte de Artemio Cruz, de Carlos Fuentes, A cidade e os cachorros,de Mario Vargas Llosa. Fiquemos apenas com estes três romances porque representam a gênese de três grandes escritores que se tornaram universais. Um deles, o Vargas Llosa, recebedor do mais importante prêmio literário, o Nobel.
É por essa ocasião, vista como o ponto de partida para se criar, no mundo, um olhar mais acurado com o produzido nas letras da América Latina ou mesmo revelar nomes e descobrir novos mestres da escrita que chegamos ao que ficou chamado de Boom latino-americano. Tudo pareceu obra de uma feliz coincidência de autores e obras díspares numa única década.
Basta que se acrescente a…