Boletim Letras 360 #31


O amor de Nabokov pelas borboletas. Série de desenhos
do escritor revelam mais sobre esse hobbie.

E já sopram os ventos do fim de setembro. Não dá para deixar de repetir o que tantas vezes dissemos nesses boletins: como o tempo tem estado a galope. Anuncia-se hoje também mais o fim de uma promoção. E já temos outra na agulha para breve. O negócio é não nos esquecer. Estamos aqui. Até novembro – mês de aniversário do Letras – estaremos contabilizando o quanto que demos de livros aos nossos leitores só nesse ano de 2013.  O fato é que já temos formada uma estante de coisas boas. Essa contabilidade terá seus propósitos e eles estarão ao alcance dos leitores até lá. O negócio (repetimos) é não nos esquecer. Enquanto tudo não vem, fiquemos com o que foi matéria na nossa página do Facebook durante esta semana.

Segunda-feira, 16/09

>>> Brasil: Obra de Daniil Kharms chega às livrarias

O russo Daniil Kharms viveu apenas 37 anos antes de, perseguido pela justiça soviética, morrer – ao que tudo indica, de fome – em uma cela psiquiátrica de uma prisão de Leningrado. O pouco tempo de vida, no entanto, não impediu o escritor de deixar obra que fez dele um dos principais nomes da arte russa nas primeiras décadas do século 20.  Autor de contos, uma novela, teatro, e poesia que, durante muitas décadas, circularam apenas em edições clandestinas, ele passou por um processo recente de reabilitação em seu país – e, nos últimos anos, também fora dele.  No Brasil, a editora Kalinka lançou recentemente, o volume Os sonhos teus vão acabar contigo. O livro faz parte da coleção “Contos russos modernos”, que privilegia textos de autores que sofreram com a censura stalinista. Nele, há momentos da prosa, do teatro e da poesia de Kharms, em tradução de Daniela Mountian, Moissei Mountian e Aurora Bernardini.

>>> Estados Unidos: Três ensaios de Karl Krauss por Jonathan Franzen

Em outubro chega às livrarias estadunidenses The Project Krauss, um conjunto de três ensaios traduzidos por Franzen. O fato é que não esta uma tradução comum: o tradutor aproveita-se do texto para intercalar com notas de rodapé toda a sorte de reflexões sobre a literatura e a contemporaneidade, compondo assim uma espécie de livro à parte e ao mesmo tempo um diálogo ou leitura muito própria do texto de Krauss. Para que os leitores saibam o que os espera, The Paris Review adiantou algumas das notas.

>>> Brasil: Antologia da literatura fantástica por Adolfo Bioy Casares, Jorge Luis Borges e Silvina Ocampo

Era uma noite de 1937 e Bioy, Borges e Ocampo conversavam sobre ficções fantásticas; e os três amigos resolveram então criar uma antologia com seus autores preferidos. Três anos depois, foi lançada a Antologia da literatura fantástica, consolidada em sua edição definitiva 25 anos depois, obtendo enorme sucesso não só de estima como de público. Do filósofo Martin Buber ao explorador Richard Burton, passando pela tradição dos contos orientais, além de Cortázar, Kafka, Cocteau, Joyce, Wells e Rabelais, são 75 histórias – não só contos, como fragmentos de romance e peças de teatro – que nos apresentam uma literatura marcada pelo imaginário e por um modo diferente de representar a realidade. Com tradução de Josely Vianna Baptista, a edição é da Cosac Naify e já está nas livrarias.

>>> Brasil: Revista de poesia está com chamada aberta até o dia 30 de outubro

É para compor a 8ª edição do caderno-revista 7faces. Recebem-se materiais de poetas e artistas plásticos; basta, para isso, seguir as normas disponíveis na página do periódico. O caderno-revista 7faces é uma publicação eletrônica, semestral e sem quaisquer vínculos políticos e/ou comerciais.  A edição n. 7 foi publicada em meados de agosto com homenagem ao trabalho de Lúcio Cardoso e uma leva de trabalhos de 12 poetas nacionais e estrangeiros. A recepção de trabalhos segue até o dia 30 de outubro; o regulamento está aqui.


Terça-feira, 17/09

>>> Espanha: A biblioteca de Mario Benedetti está ao alcance de leitores e visitantes na Universidade de Alicante

O acontecimento chega com a inauguração da nova sede do Centro de Estudos Ibero-americanos Mario Benedetti. Ao todo são 6 mil exemplares que eram de sua biblioteca pessoal em Madri. São os livros marcados com sublinhados e notas do poeta, livros marcados com dedicatórias, constituindo, neste último caso, uma radiografia dos afetos.  O centro de estudos foi criado em 1999, a biblioteca doada em 2006 e a catalogação findada há pouco tempo. Foi durante esse processo que foram encontrados dois manuscritos inéditos do poeta.  Um fac-símile dos poemas está em nosso Tumblr, aqui.

>>> Brasil: Compilação reúne o melhor da contística de Mia Couto

Vencedor do prêmio Camões em 2013, a produção literária de Mia Couto de maior expressão está no conto. A Companhia das Letras prepara uma edição que privilegia os contos que têm como tema as histórias da infância. São textos como "O embondeiro que sonhava pássaros", que conta a história de um vendedor de pássaros rechaçado pela vizinhança por ser negro, e "A Rosa Caramela", que descreve a surpresa de um filho ao descobrir que o pai foi protagonista de uma história de amor.  As histórias selecionadas mostram a complexidade que move as relações familiares, a orfandade em um país que viveu por anos em guerra, a realidade das crianças submetidas ao trabalho infantil e os resquícios da luta pela independência.

>>> Estados Unidos: Nova polêmica envolvendo O olho mais azul, de Toni Morrison

Desta vez, a secretaria de educação do estado natal da escritora faz duras críticas a inclusão do livro à lista de leituras recomendadas a partir do 11º ano escolar. O romance foi taxado como pornográfico e deve ser banido da sala de aula. Quem não viu com bons olhos a polêmica foi a própria romancista que, num programa para TV nesta semana, relembra as várias intervenções que o livro sofreu ao longo das suas edições, e diz está ressentida com essa polêmica vazia sobre um livro que, sobretudo, sobre Ohio. A American Civil Liberties Union, redigiu uma carta em que sugere que em vez de proibir o livro, as escolas de Ohio usem o romance como uma oportunidade para ampliar as habilidades críticas dos alunos sobre os temas então considerados “pornográficos”. Já em agosto, um senador do Alabama, teria se pronunciado a favor da proibição do livro para os alunos daquele estado.

>>> Bélgica: Magritte antes de Magritte

O pintor belga René Magritte criou algumas das mais enigmáticas e obras icônicas da arte surrealista. Mas, antes de se mudar para Paris em 1927 e começar a forjar relações com André Breton e os surrealistas, ele, em Bruxelas, trabalhava como um artista comercial freelance, criando propagandas no estilo Art déco. Em 1924, Magritte começou a desenhar cartazes e anúncios para a Honorine "Norine" Deschrijver e Paul-Gustave Van Hecke, proprietários da empresa de moda belga Norine. Van Hecke também possuía galerias de arte, e chegou a pagar a Magritte pelo direito de comercializar suas obras surrealistas.  No nosso Tumblr outras imagens dessa faseinicial do artista.

>>> Brasil: Sai, enfim, a lista dos finalistas do Jabuti 2013

No dia 17 de outubro serão revelados os vencedores. Entre os romances estão títulos como Barba ensopada de sangue, de Daniel Galera; Sagrada família, de Zuenir Ventura, O céu dos suicidas, de Ricardo Lísias, e Era meu esse rosto,de Marcia Tiburi. Na categoria narrativa curta, Diálogos impossíveis, de Luis Fernando Verissimo, Páginas sem glória, de Sérgio Sant’Anna, Aquela água toda, de João Anzanello Carrascoza, Garranchos, de Graciliano Ramos, A verdadeira história do alfabeto, de Noemi Jaffe, Réveillon e outros dias, de Rafael Gallo. Já em poesia estão títulos como Porventura, de Antonio Cicero, Formas do nada, de Paulo Henriques Britto, Um Útero é do tamanho de um punho, de Angélica Freitas entre outros. Veja a lista completa aqui.


Quarta-feira, 18/09

>>> Brasil: Haroldo de Campos no metrô

Dez anos após sua morte, o poeta Haroldo de Campos é lembrado com uma exposição em duas estações do Metrô. Com curadoria de Julio Mendonça, as instalações mostram o itinerário do poeta por meio de 24 poemas: há trechos de obras consagradas, como ‘Galáxias’. O espetáculo ‘Galáxia Haroldo’ – realizado em 2003 no Tuca e gravado pela TV Cultura, com participações de artistas como Caetano Veloso e Arnaldo Antunes – é exibido na íntegra, em espaços multimídia. Também estão expostos seis retratos do poeta, assinados pelo fotógrafo German Lorca.

>>> Inglaterra: Leitura constante melhora desempenho entre crianças

A conclusão vem da primeira divulgação dos dados de um estudo promissor que acompanha 17 mil pessoas nascidas numa única semana de 1970 na Inglaterra, Escócia e País de Gales. A leitura tem contribuído para o aumento das taxas de aprendizagem entre crianças, inclusive, para habilidades com cálculos. O estudo acompanha diferentes aspectos da vida dos pesquisados, desde a educação ao desempenho profissional e saúde física e mental. Em todos os aspectos o estudo apresenta evoluções quatro vezes maiores entre os indivíduos que leem mais de uma vez por semana sobre os que leem menos. Esses dados correspondem ao intervalo de idades entre 10 e 16 anos.  Ano passado os pesquisadores findaram o acompanhamento realizado com esses mesmos indivíduos, então com 42 anos, a título de reverem os dados; e os resultados devem sair em breve. A pesquisa continua com os sujeitos na medida em que envelhecem, a fim de examinar se a leitura protege contra o declínio cognitivo.

>>> Brasil: Chega às livrarias Romeu e Julieta na aldeia, de Gottfried Keller

Inspirado em um acontecimento verídico ocorrido em 1847 no interior da Alemanha, o escritor suíço Gottfried Keller escreveu, sete anos depois, este romance agora publicado pela Editora 34. Romeu e Julieta na aldeia (que por aqui sai com tradução de Marcus Vinicius Mazzari) foi incluído originalmente no ciclo de contos "A gente de Seldvila", publicado pela primeira vez em 1856. Ao atualizar a tragédia de Shakespeare e enraizá-la numa aldeia suíça, Keller descreve todas as etapas do envolvimento amoroso – a graça lúdica inicial, o reconhecimento mútuo dos afetos, a entrega simultaneamente lírica e sensual, até o arrebatamento dos sentidos e o pacto de honra que, neste livro, sela o destino dos dois jovens. O livro tem ilustrações de Karl Walser e um texto inédito no Brasil do escritor Robert Walser.

>>> Inglaterra: Man Booker Prize para todos (que escrevem em inglês)

Os rumores começaram há semanas e no domingo o jornal britânico Sunday Times garantia que um dos mais conceituados prêmios literários do mundo ia abrir-se aos romancistas estadunidenses, mas só esta quarta-feira a organização esclareceu: já a partir de 2014, o Man Booker Prize vai passar a abranger escritores de todas as nacionalidades, desde que tenham publicado originalmente a sua obra em inglês e que tenham edição no Reino Unido. Atribuído anualmente desde 1969, o prêmio é o mais importante da língua inglesa – mas até 2013 só premiou escritores do Reino Unido, irlandeses ou de países da Commonwealth. “Paradoxalmente”, lê-se no comunicado dos membros da Fundação Booker Prize, o prêmio “não tem permitido a participação total de todos os que escrevem ficção literária em inglês”.


Quinta-feira, 19/09

>>> Estados Unidos: As borboletas de Nabokov

Não é novidade que o grande hobbie do autor de Lolita estava nas borboletas. Para além da leva de fotografias que o mostram encantado a correr em busca dos bichos, Nabokov também buscou inspiração na sua companheira, Vera, para a arte de desenhar borboletas. Sempre no Natal, no aniversário ou datas especiais do casal, aparecia os desenhos super delicados para ela.  No Tumblr do Letras reunimos uma mostra com 10 desenhos com este que ilustra este boletim.

>>> Escócia: Uma coleção de livros em miniatura é o mote para uma exposição na Biblioteca Nacional em Edimburgo

Mas são livros que só podem ser lidos com auxílio de uma lupa: na exposição, o menor dos livros tem apenas 0,9 milímetros de altura. Trata-se do Old King Cole, em uma edição de poesia infantil que foi criado por Gleniffer Press, na cidade de Paisley, em 1985, e manteve o recorde mundial por ser o menor livro do mundo durante 20 anos, perdida para a recente edição japonesa (até comentamos aqui) Flowers of seasons, que tem apenas 0,75 milímetros de altura e letras com 0,01 milímetros de largura. E há aí raridades: com a descoberta, no passado, de um livro de 3,5 cm, publicado em 1922.

>>> Colômbia: Atenção, escritores, mais um prêmio literário 

A criação do Prêmio Bienal de romance Mario Vargas Llosa anunciado esta semana pela Cátedra Vargas Llosa quer ser como um Man Booker Prize, só que em espanhol. O prêmio é um dos mais bem remunerados da cena literária de língua espanhola. Pode participar qualquer autor de qualquer nacionalidade, desde que a publicação concorrente seja publicada em espanhol. E as inscrições já estão abertas e o finalista há de sair em 28 de março de 2014 de uma lista tríplice divulgada duas semanas anates; a data é coincidente com o aniversário do escritor. Integram o júri nomes como da escritora brasileira Nélida Piñon. Mais informações na página da Cátedra.

>>> Brasil: O que pensam os escritores

A Objetiva apresenta a tradução do livro de John Freeman. Como ler um escritor reúne 55 entrevistas que o crítico literário realizou com alguns dos nomes mais proeminentes da atualidade: dos estreantes aos consagrados; dos polêmicos aos mais reservados. Experiente no ofício e com acesso privilegiado a grandes autores contemporâneos, o resultado é um mosaico sobre as maneiras de pensar a literatura hoje. Estão aí conversas com nomes como Haruki Murakami, Mo Yan, Orhan Pamuk, Norman Mailer, Philip Roth, John Updike, Jonathan Franzen e David Foster Wallace.


Sexta-feira, 20/09

>>> Alemanha: A biblioteca de vidro de Munique

Quando a Universidade de Ciências Aplicadas de Munique, na Alemanha, quis dá um 'up' na sua arquitetura e foi conversar com alunos do Zauberscho, uma incubadora de design da própria instituição, o primeiro espaço a ser repensado foi o da biblioteca. Os alunos logo imaginaram o espaço como uma estrutura capaz de fundir-se ao ambiente ao seu redor. E aí surgiu a ideia de fazer da biblioteca, uma casa de vidro, com traços que fossem ao mesmo tempo simples e deslumbrante. E aí está o resultado: uma caixa de vidro a fim de não apenas produzir essa integração buscada como exibir aos transeuntes a prata da casa: a coleção de livros. A nova biblioteca de vidro está acoplada ao antigo prédio, que não foi descartado. Os designers também pensaram em ser esta uma estante ao ar livre: durante o dia o prédio se beneficia da luz solar e noite transforma-se num espaço que emana luz, jogo conceitual também pensado na elaboração do projeto.

>>> Brasil: Novo romance de Miguel de Sousa Tavares chega às livrarias na próxima semana

O título publicado em Portugal em maio deste ano já tem a marca de mais de 50 mil exemplares vendidos. Numa madrugada de 1988, três estudantes de Évora e uma jovem de dezesseis anos saem para uma farra regada a muito álcool que terminaria em tragédia. Um dos rapazes é Filipe, último descendente da aldeia alentejana de Medronhais da Serra, hoje habitada por um único homem, seu avô, Tomaz da Burra. Madrugada suja acompanha as vidas desta família desde a Revolução dos Cravos, que derrubou a ditadura de Salazar em abril de 1974, até os dias atuais.  Narrado em um ritmo vertiginoso, que faz o leitor agarrar-se ao livro até o fim, o romance alterna a voz de diferentes personagens a cada capítulo. Além de um retrato crítico e acurado sobre as mudanças em Portugal nos últimos quarenta anos, o escritor criou uma história fascinante sobre como os acasos da vida nos levam a situações-limite. Pela Companhia das Letras já foram editados três outros títulos de Miguel: Equador, Rio das flores e No teu deserto.

>>> Estados Unidos: Texto inédito de E. Hemingway sai em outubro

O conto escrito ainda na juventude de Hemingway fora rejeitado pela Vanity fair. Recentemente a revista entrou em contato com os familiares pedindo o direito de publicação e foi negado. Patrick Hemingway, vingou-se, por assim dizer, da possível decepção do pai. Para acentuar ainda mais a rivalidade com a revista, o texto sairá no próximo mês na revista literária Hors d'Ouevers, depois do próprio Patrick admitir que este era um texto não publicável. Nós contamos a história desse inédito num post este ano.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

L’amour, de Michael Haneke

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay

Clara dos Anjos: a chaga dos anos 20

O progresso do amor, de Alice Munro

Apontamentos sobre alguns textos curtos de Tolstói