Boletim Letras 360º #36


Esboços de Leonardo Da Vinci para o painel da ´"Última ceia". Pela primeira vez em trinta anos desenhos como estes estarão ao alcance dos olhos dos expectadores numa exposição em Veneza. Saiba mais no nosso Boletim.

Na semana em que comemoraremos o Dia Nacional do Livro e entramos no mês de aniversário do blog – estamos chegando a seis anos on-line – teremos para os leitores boas surpresas; por isso a recomendação aos leitores para estarem à espreita aqui e em nossas redes sociais. E, ao falar em redes sociais, aproveitemos para saber o que foi notícia em nossa página no Facebook na semana:

Segunda-feira, 21/10

>>> Portugal: Inéditos de Agustina Bessa-Luís 

Publica-se Caderno de significados com textos selecionados e organizados por Alberto Luís e Lourença Baldaque. São em parte papéis dispersos da escritora que exprimem as pequenas dimensões da vida criadora. Os escritos, muitos sem data, são compilações feitas de folhas soltas, cadernos de notas, espaços brancos de impressos, margens de livros, dispersos em pastas de congressos, em gavetas de móveis. Tal como se disse dos papéis de Proust (Essais et Articles), os de Agustina provam que "nunca deixou de escrever, nunca deixou de experimentar, de inventar, de procurar, de encontrar. Sempre escreveu mesmo em férias, em viagem, durante debates – sempre em busca de atingir o mistério das coisas", cita Alberto Luís no prefácio do livro.

>>> Brasil: Contos da nova cartilha – segundo livro de leitura, de Liev Tolstói

Traduzido por Aurora F. Bernardini e Belkiss Rabello, e ilustrado pelas crianças da Escola Infantil de Artes n. 9, da cidade de Ijevsk, na Rússia, o livro recém-publicado no Brasil traz 38 narrativas baseadas em fábulas, histórias reais, contos folclóricos e outros textos que eram usados em sala de aula na escola rural criada pelo escritor russo. Preocupado com a educação das crianças e dos pequenos camponeses, Tolstói produziu muitos livros de histórias para crianças e cartilhas. Segundo Alcides Villaça "nestes (livros de história e cartilhas), postulava como essencial uma pedagogia nascida da experiência da liberdade, incorporada como prática cotidiana e caminho para o conhecimento das várias ciências do mundo, a pardas atividades da imaginação e da fantasia." O livro sai pela Ateliê Editorial que já havia publicado o primeiro volume; esta edição de agora sairá em dois volumes, lançados separadamente. Organizada por Belkiss Rabello e com prefácio de Alcides Villaça, esta edição é colorida e traz uma novidade: com o apoio de Nádia Wolkonsky, Lev Rodnov e Elena Vássina, o Segundo Livro de Leitura conseguiu juntar algumas crianças de uma escola russa, que leram os textos originais, conversaram e depois fizeram as ilustrações. Cada história tem uma ou mais ilustrações, com o nome e a idade do autor. Um ex-aluno de Tolstói, Vassíli Marózov, que se tornou escritor, narra como ele e seus companheiros ficavam acordados até altas horas para ouvirem os contos, que mais tarde eles mesmos recontavam à sua maneira e Tolstói anotava em suas versões. A tarefa principal do pedagogo, dizia Tolstói, é “conduzir a mente dos alunos através daqueles detalhes que tornam mais fácil a assimilação do saber”.

>>> Itália: Da Vinci em cartaz em Veneza

Semana dessas anunciamos por aqui da exposição em cartaz na Academia de Veneza: são 52 desenhos do multiartista, feitos no período entre 1478 e 1516. As imagens foram cedidas por importantes museus italianos e por prestigiosas coleções privadas, entre elas a da família real britânica Windsor, do Ashmolean Museum, do British Museum e do Louvre de Paris. Uma série de desenhos vem a público pela primeira vez em 30 anos, como “Homem Vitruviano”, e os esboços para "A última ceia". Tal como a imagem que abre este boletim, no nosso Tumblr reunimos algumas dessas imagens em exposição.


Terça-feira, 22/10

>>> Portugal: Está on-line a 17ª edição da revista Blimunda

A Blimunda de outubro viajou até ao México para acompanhar o Hay Festival de Xalapa e aí entrevistar o fotógrafo dos escritores, Daniel Mordzinski, e Juan Gabriel Vásquez. Destes dias cheios, com furacões pelo meio, chega-nos agora o relato de Ricardo Viel, acompanhado por imagens inéditas captadas pela lente de Daniel Mordzinski. No infantil e juvenil destaque para o trabalho editorial da APCC - Associação para a Promoção Cultural da Criança que, desde há alguns anos, a par da sua atividade regular, desenvolve uma intensa programação editorial, pautada por edições com textos dos melhores autores para a infância e juventude. Também com presença nesta seção deste número da Blimunda, os dois novos volumes da coleção que a Kalandraka tem vindo a construir com obras que abordam o sexismo e os direitos das mulheres. A fechar, a Saramaguiana traz-nos um ensaio de Miguel Koleff, professor na Universidade de Córdoba (Argentina), sobre o mito da caverna no romance homônimo de José Saramago. A acompanhar este ensaio, a Saramaguiana publica cinco fotografias inéditas de João Francisco Vilhena, realizadas em Lanzarote neste mês de outubro. Vá aqui para o download.

>>> Estados Unidos: Emily Dickinson on-line

Para quem sempre relutou em publicar seu trabalho talvez não se contentasse com o que visse, agora que jogaram na web esse rico acervo: “Dickinson Eletronic Archive” é um projeto digital que reúne, pela primeira vez, num só espaço, todos os documentos da poeta – manuscritos autografados, cartas e transcrições de seus poemas. O projeto teve início há quase dois anos, quando outra universidade, a Amherst College, também grande depositária dos manuscritos de Dickinson, se aproximou de Harvard. Depois de um prolongado vai-e-vem, durante o qual Harvard iniciou o planejamento do projeto digital, Amherst concordou em compartilhar sua coleção no site que, segundo ela defende, abrange 40% do Dickinson Eletronic Archive. Disputas à parte, deliciem-se, aqui.

>>> Brasil: Os preparativos para homenagens a Hilda Hilst

Agora, em 2014, cumpre-se 10 anos da morte da poeta. A Revista da Biblioteca Mário de Andrade sai na frente na lembrança da data. Repaginada e aproveitando o sugestivo número 69 (a edição a sair) presta homenagem a Hilda Hilst. Para o evento de lançamento, um show com poemas de Hilda musicados por Zeca Baleiro.

>>> Estados Unidos: Filme que volta à biografia de Allen Ginsberg já tem data de estreia no Brasil

Kill your darlings, com Daniel Radcliffe no papel de Allen Ginsberg - e sobre o qual tivemos a oportunidade de comentar ainda quando em progress – já estreou em circuito comercial nos Estados Unidos. O filme se desenvolve em torno de um episódio conturbado da vida de três autores do movimento beat: em 1944, Allen Ginsberg, Jack Kerouac e Lucien Carr foram acusados de matar David Kammerer, um professor apaixonado por Carr. A estreia no Brasil está prevista para o dia 14 de fevereiro de 2014. Assista ao trailer aqui.


Quarta-feira, 23/10

>>> Brasil: Vinicius de Moraes sem fronteiras

O grupo canadense Arcade Fire lançou um lyric video da música "Afterlife". O clipe tem chamado a atenção por mostrar apenas imagens do filme Orfeu Negro, adaptação cinematográfica francesa dirigida por Marcel Camus em 1959 da peça Orfeu da Conceição, escrita por Vinícius de Moraes. "Afterlife" vai entrar no novo disco da banda, Reflektor, com previsão de lançamento para 29 de outubro. A capa do disco, por sinal, é a estátua do casal que protagoniza a história de Vinícius, Orfeu e Eurídice, feita por Rodin. Veja o clipe aqui.

>>> Brasil: Raul Pompeia e Aluísio Azevedo no teleférico do Alemão

É uma mostra em homenagem aos escritores aberta esta semana e que segue até 10 de dezembro. Dois temas de interesse popular, educação e moradia, são os motivadores da exposição preparada pela Academia Brasileira de Letras. A homenagem aos escritores é justa: Raul Pompeia, o autor de O Ateneu, faz 150 anos de nascimento, e Aluísio Azevedo, o autor de O cortiço, cem anos de morte. Num instante em que tudo parece estar ofuscado por outras efemeridades a exposição é um fio de lembrança de dois importantes escritores da cena literária brasileira. A mostra é produto de um projeto conjunto entre ABL e a Feira Literária das UPPs (Flupp) e recebeu o nome de “Raul Pompeia e Aluísio Azevedo, Educação e Moradia na Literatura Nacional”. A exposição está na Estação do Teleférico do Alemão/Estação Bonsucesso (Praça das Nações, s/n, Bonsucesso, Rio de Janeiro). A entrada é franca.

>>> Portugal: Reedição do livro de José Santa-Bárbara

Vontades é uma das criações plásticas mais expressivas a partir da obra de José Saramago. Tornada exposição em 19 de agosto de 2001, na Biblioteca Nacional, em Lisboa, o artista plástico José Santa-Bárbara, faz uma leitura muito acurada do Memorial do convento. Trata-se de 35 telas, compreendendo 11 estudos, com recurso a diferentes técnicas.  Transposto, mais tarde para um catálogo e já a algum tempo fora de circulação, a Editorial Caminho reedita a obra por ocasião da passagem dos 15 anos de atribuição do Prêmio Nobel ao escrito português.


Quinta-feira, 24/10

>>> Brasil: Encenar todo Shakespeare em 10 anos

A proposta já é comum entre os britânicos, mas ganhará uma réplica, pela primeira vez, no Brasil. Às vésperas dos 450 anos de nascimento do escritor – comemorados em 2014 – o ambicioso Projeto 39 já começou a ganhar corpo com a estreia de Ricardo III. Na sequência, já estão acertadas as produções de Romeu e Julieta, As alegres comadres de Windsor, Timão de Atenas e Tróilo e Cressida. Coordenado por Alexandre Brazil, o produtor e idealizador do projeto, a ideia também conta com consultoria da crítica Barbara Heliodora, uma as maiores especialistas na obra do dramaturgo inglês. A proposta, explica Brazil, é conseguir encenar ao menos três obras por ano. E alcançar a marca das 39 peças em uma década. Além das estreias em São Paulo, os espetáculos devem percorrer outros estados do país. Sem seguir a ordem cronológica em que foram escritos ou qualquer outro ditame, a escolha dos textos a serem encenados coube exclusivamente aos diretores convidados. A única exceção, explica o produtor, deve acontecer em 2015. Para o ano que marca o aniversário de 400 anos de morte do escritor, já está prevista uma versão de Hamlet – seu texto mais festejado e conhecido.

>>> Portugal: Fernando Pessoa em Espanha

“A presença de Fernando Pessoa em Espanha tem qualquer coisa de velho fantasma familiar. Nunca se interessou demasiado pela cultura espanhola, mas entrou em contacto com alguns dos escritores andaluzes do seu tempo. Nunca viajou ao país vizinho, mas escreveu sobre a estrutura de Espanha e sobre o seu papel no contexto da Ibéria. Nunca chegou a conhecer nem a dialogar por escrito com Miguel de Unamuno, mas escreveu textos em que polemiza com o autor de Por tierras de Portugal y de España. Mas, apesar disto, os curadores da exposição "Fernando Pessoa em Espanha", Antonio Sáez Delgado e Jerónimo Pizarro, querem ver a situação por outra perspectiva. No ano começa a lenta mas sólida recepção do poeta no país de Cervantes, consolidada após à sua morte graças ao esforço de escritores e críticos dos anos quarenta e cinquenta e, sobretudo, graças à antologia da sua poesia que publica em 1962 o poeta mexicano Octavio Paz, o nome de Pessoa que já é referência inquestionável entre os escritores espanhóis e a presença constante no meio literário espanhol terá mais um motivo para ampliar-se aí. A exposição pretende percorrer este caminho e mostrar quem foi e quem é Fernando Pessoa no âmbito da cultura espanhola, através de cartas, textos e livros. Um Pessoa, sem dúvida, menos conhecido, menos visto, que documenta a dimensão ibérica do seu trabalho. Patente na Biblioteca Nacional de Portugal até o final de 2013.

>>> Portugal: Manuscritos de Amor de salvação, de Camilo Castelo Branco vão a leilão

No próximo mês de novembro em Lisboa. Trata-se do manuscrito final da novela; o material aparece referido numa carta anexa, datada de 1917, em que Camilo "depois de entregar o manuscrito de mais nada queria saber, nem mesmo da revisão das provas". Por isso, ficou com o editor que depois legou à sua filha. Vai agora a leilão e com lance inicial de 8 mil euros a estimativa é de lances até 12 mil euros.

>>> Brasil: Voltar a Paul Valéry 

Paul Valéry é um dos grandes nomes da literatura francesa; autor de poemas que estão entre os mais significativos que o século XX produziu, ao lado de obras como as de T. S. Eliot, Pound, Fernando Pessoa, Rilke.  Pela importância de sua obra, edita-se no Brasil uma antologia composta pela tradução de poemas extraídos dos dois principais conjuntos poéticos de Valéry, o Album de vers Anciens (1920) e Charmes (1922), de modo a mostrar diferentes momentos e centros de atenção de sua poesia.  Ao se adotar para este conjunto o título de um dos poemas, Fragmentos do Narciso, chama-se a atenção para a tensão entre realidade, imaginação e discurso que percorre toda a obra poética e crítica de Paul Valéry.


Sexta-feira, 25/10

>>> Rio de Janeiro: Divulgada a programação do Dia D 2013

A data de 31 de outubro foi instituída pelo Instituto Moreira Salles como o Dia D – Dia Drummond; é nesse dia o aniversário do poeta brasileiro. A novidade deste ano é o roteiro de leitura "Vida e verso de Carlos Drummond de Andrade", elaborado por Eucanaã Ferraz, consultor de Literatura do instituto. O roteiro pode ser lido e interpretado em qualquer lugar. Basta ter quatro leitores (um narrador e outros três que representarão diferentes fases na vida do poeta). No IMS do Rio de Janeiro, a leitura do roteiro será feita na noite do dia 31 de outubro por Afonso Henriques Neto, Alberto Martins, Antonio Cicero e Joca Reiners Terron. Além do Rio, tem programação em São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Fortaleza.  Esta e outras novidades estão aqui.

>>> Bélgica: Mas não deixeis cair em domínio público

A editora Casterman a sociedade Moulinsart, gestores dos direitos sobre a obra de Hergé, anunciarão a publicação de novas aventuras de Tin-Tin até 2052, para evitar que o célebre personagem passe a ser de domínio público ao cumprir-se os 70 anos da morte do desenhista. A atitude é uma contravenção ao gosto do autor e os responsáveis pela novidade sabem disso: "Hergé não queria que outros criassem novas histórias da personagem depois dele, mas lançaremos uma novidade um ano antes que a obra caia em domínio público", afirmou o diretor da sociedade criada para "proteger e promover" o legado de Hergé.

>>> Estados Unidos: Murakami inédito e on-line

Saiu esta semana nas páginas da revista New Yorker um conto chamado "Samsa in love"do escritor japonês autor da aclamada trilogia 1Q84. O conto retoma a personagem de A metamorfose, de Franz Kafka e promove uma espécie de sequência: certa manhã, ao despertar de sonhos intranquilos, uma criatura encontrou-se em sua cama metamorfoseado em Gregor Samsa. Como o título sugere, Samsa vai reaprender a usar seu corpo humano e cair de amores por uma misteriosa mulher que aparece em sua casa. "Samsa in love" foi publicado inicialmente numa coletânea de contos chamada Ten selected love stories publicada mês passado no Japão.  Para ler aqui.

>>> Alemanha: Cada palavra de “Ulysses” de James Joyce impressa num só cartaz.

A ideia é da Blotto Design, uma empresa com sede em Berlim. Tudo nasceu motivado por uma pergunta: o que aconteceria se você imprimisse um livro inteiro em uma única folha? Ainda podia ler? E como seria quando transformado em quadro? E assim, eles desenvolveram um protótipo, gostaram do que viram, e, desde então, virou-se 20 grandes livros em cartazes – aí estão títulos como a Ilíada, de Homero, Orgulho e preconceito, de Jane Austen, Moby Dick, de Melville e... Ulysses, de Joyce: todas as 265.222 palavras dele. Cada pôster custa até 20 euros. E pode ser adquirido aqui.

>>> Estados Unidos: Último poema de Seamus Heaney é publicado no The Guardian

Heaney fora convidado por Carol Ann Duffy a contribuir com uma antologia acerca do centenário da eclosão da primeira guerra mundial. Na ocasião, ele escolheu grande poema de Edward Thomas, "As The Team's Head Brass", escrito em 1916, como mote para o texto que foi concluído em junho, dois meses antes de sua morte e agora publicado pela primeira vez. Mais detalhes e o poema aqui.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pablo Neruda: o que não dá mais para ocultar

Água viva, de Clarice Lispector

Quando Borges era Giorgie

Boletim Letras 360º #231

Salinger, um grupo de psicopatas e os do MKUltra

A filha perdida, de Elena Ferrante

Gostamos de causar danos (com o grande romance estadunidense)

Jane Austen: casamento e dinheiro

Boletim Letras 360º #232

Instrumental, de James Rhodes