Boletim Letras 360º #37

Detalhe de uma pintura de Leonardo Da Vinci em descoberta recente em Milão nesta semana. Mais detalhes ao longo do boletim.


Falhamos. Como anunciamos num cabeçalho desses da última edição do Boletim Letras 360º devíamos agora está lembrando os nossos leitores de alguma promoção nova: tivemos datas oportunas e não nos faltou mesmo vontade de levarmos as ideias adiante. Mas, optamos por concentrar as novidades do gênero neste mês em que já estamos. O motivo, o mesmo boletim passado já enunciava: entramos no mês em que – para bem ou para mal – inteiramos seis anos on-line. Logo, as novidades esperadas até o dia 27, podem por fé num novo sorteio. Estamos ainda processando ideias para não repetir obviedades; diga-se ideias não nascem daqui para ali. Enquanto as tais não nos chegam, vamos ver o que foi de bom que circulou em nossa página no Facebook.

Segunda-feira, 28/10

>>> Brasil Lúcio Cardoso para estrangeiro ler

Crônica da Casa Assassinada, um dos títulos mais conhecidos de Lúcio Cardoso e editado em 1959, ganhará uma tradução em inglês com publicação nos Estados Unidos já em 2014. Os direitos foram adquiridos pela Open Letter Books. No Brasil, o título aparece esgotado, mas a editora Record promete para breve uma nova edição com novo projeto gráfico.

>>> Brasil: Em novo título Harold Bloom revisita Harold Bloom

Um dos veteranos da crítica literária contemporânea faz uma volta em torno de si. A anatomia da influência — Literatura como modo de vida, tradução que sai pela Editora Objetiva, anuncia o balançode uma existência em meio aos livros. Bloom revisita autores que marcaram sua trajetória de leitor, crítico e professor, da biblioteca do Bronx à Universidade de Yale, onde dá aulas há mais de 50 anos. Analisa textos de Hart Crane, Walt Whitman, Wallace Stevens, Yeats, Milton e, acima de todos, Shakespeare. Nesse percurso, revê também a própria obra, reconhecida pelos estudos sobre o autor de Rei Lear, pela ênfase em grandes nomes do cânone ocidental e por uma teoria original sobre a influência literária entre poetas.

>>> Estados Unidos: Literatura infanto-juvenil perseguida e censurada

Não faz muitos meses que comentamos aqui da censura ao Diário de Anne Frank. O site Humour contagious lista, além deste, uma lista de mais catorze títulos. Entre eles, Onde está Wally?, A árvore generosa, Winnie e Pooh, A menina e o porquinho, Alice no país das maravilhas, Onde vivem os monstros, O mágico de Oz, entre outros. As razões são várias: vão desde o fato de incluírem cenas como "pornográficas" (caso de Anne Frank e Martin Handford) até o triste argumento de que "animais falantes são insulto a Deus" (caso de A. A. Milne). A lista completa e os motivos estão aqui.

>>> Estados Unidos: Clarice Lispector

Depois da chegada aos Estados Unidos, em 2012, de cinco novas traduções da obra da romancista brasileira, é a vez de se apresentar uma distinção sobre ela. Água viva, A hora da estrela, A paixão segundo G. H., Perto do coração selvagem e Um sopro de vida serão motivos de discussão em um evento preparado pela Universidade de Columbia, o consulado do Brasil em Nova York, o Hunter College e a New York University.  ida pela crítica estadunidense com “brilhante e inclassificável, culta e temperamental, a artista de um século emblemático no mesmo panteão que Franz Kafka e James Joyce”, Clarice está em alta. A discussão reúne a assistente editorial Barbara Epler, Paulo Gurgel Valente (filho de Clarice), Johnny Lorenz (tradutor de Clarice), Idra Novey (tradutor de Clarice e autores como Manoel de Barros) e Gregory Rabassa (também tradutor de Clarice e outros nomes como Jorge Amado, Machado de Assis, Julio Cortázar, Gabriel García Márquez).  Mais detalhes sobre o evento aqui.


Terça-feira, 29/10

>>> Brasil: Edição comemorativa de Um copo de cólera, de Raduan Nassar

"Tenso, rude, poderoso e pungente", "Cada um dos capítulos foi construído na plenitude da linguagem" – assim definem dois importantes nomes, Marilena Chauí e Boris Schnaiderman, respectivamente, o romance Um copo de cólera de Raduan Nassar. A Companhia das Letras colocou nas livrarias uma rica edição comemorativa. O romance chega à maturidade de seus 35 anos de idade.  A narrativa de Um copo de cólera acontece numa manhã qualquer, depois de uma noite de amor, quando a aparente harmonia entre a personagem e sua parceira se rompe de repente. Por um motivo banal (aparentemente), os dois se atracam num rude bate-boca, as paixões afloram, um palco se ilumina, e aqueles personagens ressurgem de manhã fazendo o mesmo que fizeram à noite: voltam, de certo modo, a tirar a roupa do corpo. Uma edição, certamente, a não perder.

>>> Portugal: Mais um romance de António Lobo Antunes à vista

Já havíamos dito por aqui desse novo romance do escritor português, mas agora, chega-nos de Portugal, mais detalhes: trata-se de Caminha como numa casa em chamas e será publicado primeiro na Holanda e só depois em Portugal; isso em 2014. A passa-se em torno de um grupo de moradores de um prédio: todos solitários de si mesmos e incapazes de compreender e de ser compreendidos.  Os detalhes foram revelados durante uma celebração da obra de António Lobo Antunes realizada no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Recentemente publicou-se em Portugal O quinto livro de crónicas.

>>> Brasil: Mais uma para a pilha das revistas digitais sobre Arte e Literatura

Chama-se Cesárea e será lançada no dia 27 de novembro, apenas para quem tem iPad, pelo valor de US$ 1,29. Com tiragem trimestral, a ideia é do jornalista Schneider Carpeggiani e materializada pela sua parceria com a designer Jaine Cintra.  O nome é uma homenagem à personagem de Detetives Selvagens, de Roberto Bolaño. Nela, serão publicados textos sobre literatura, perfis e também ficções. Para o primeiro número, de mais de 100 páginas, Silviano Santiago faz ensaio sobre a saudade como elemento para pensarmos o momento atual do país; Ricardo Viel assina perfil do argentino Daniel Mordzinski, o fotógrafo dos escritores; e Fabiana Moraes escreve sobre pessoas que frequentam igrejas durante as tardes. Há, ainda, textos de José Castello, Ricardo Domeneck, entre outros.  A publicação funcionará como uma cooperativa. O valor arrecadado com a venda será distribuído igualmente entre os colaboradores.

>>> Brasil: Já nas livrarias Notas sobre uma possível A casa da farinha

Era para ser um auto. Durante muitos anos João Cabral de Melo Neto trabalhou no poema – pelo menos desde 1966 – e em 1980, com ele incompleto e incapaz de findá-lo devido a cegueira, o poeta repassou os manuscritos para a filha Inez Cabral. Como dissemos no início do ano por aqui, o que se publica agora são os recortes e as projeções do seria um texto original.  O livro acaba por revelar o processo de criação artística de João Cabral: o vocabulário, os hábitos, a prosódia... Um livro para os apaixonados pela obra do poeta. Editado pela Alfaguara. No nosso Tumblr estãoalguns dos recortes agora publicados.


Quarta-feira, 30/10

>>> Portugal: Para isto existem os livros

Simão Martins Barata matou um homem e encontrou Saramago na prisão: o jornal português Público apresentou a comovente história de um ex-presidiário que descobriu a leitura através dos livros de José Saramago, recomendados pela professora da escola do Estabelecimento Prisional de Castelo Branco onde passou quatro anos. Vale a pena ler esta história de vida e ficar à espera para saber o que vai Simão fazer com a mala bem pesada que levou da Fundação José Saramago.  A reportagem pode ser lida aqui.

>>> Livros da série Vaga-Lume vão para as telas

Não faz muito tempo que comentamos por aqui da reedição de uma das séries de livros de maior sucesso literário no Brasil; série que revelou nomes como Marçal Aquino, Marcos Rey e que colocou muitos no universo dos livros para sempre. A novidade agora é alguns dos livros da coleção estão já em fase de pré-produção para o cinema; são eles: O escaravelho do Diabo, de Lúcia Machado de Almeida, O mistério do cinco estrelas", O rapto do garoto de ouro e Um cadáver ouve rádio, todos de Marcos Rey. O primeiro já está em fase de pré-produção, os demais tiveram seus direitos adquiridos pela produtora RT Features, e começam a ser filmados no final deste ano. A previsão de estreia é a partir de julho de 2014.

>>> Estados Unidos: Os contos de Canterbury, de Geoffrey Chaucer agora estão em mãos da Universidade de Yale

Antes pertenciam a Toshiyuki Takamiya; o professor doou esta semana o que a universidade considera a maior coleção privada de textos ingleses medievais. Formada ao longo de 40 anos, a coleção inclui 51 textos medievais de importância literária, histórica, científica e cultural. Os Contos de Canterbury é uma coleção de relatos escritos por Chaucer no fim do século XIV sobre peregrinos que contam histórias durante uma viagem à catedral de Canterbury. Foram escritos antes da invenção da imprensa e os primeiros exemplares são manuscritos. Um dos livros, de grande formato, inclui uma imagem de Chaucer, enquanto outro, menor, contém histórias obcenas – gênero marcante do escritor.

>>> Brasil: O Festival Literário da Pipa vai acontecer

É o que garante matéria veiculada pelo portal de notícias No Ar. Aos que estavam ansiosos pelo maior evento literário do Rio Grande do Norte nos últimos anos, alguma coisa de novo nos chegou: o evento esteve ameaçado, mas a edição de 2013 já tem previsão - ao invés de ser no mês de novembro como as quatro edições anteriores, sairá na primeira semana de dezembro, permanecendo com três dias de evento.  Segundo o No Ar “a mudança de data e a ameaça de suspensão que ainda ronda o evento é decorrente do estado de saúde delicado do presidente da Fundação Hélio Galvão, José Arno Galvão, irmão de Dácio, mentor do evento. É pela Fundação onde passa toda a documentação necessária à realização do Flipipa e, consequentemente, pela chancela da assinatura de José Arno.” Alguns nomes já estão sinalizados: Nelson Motta, Dênis de Moraes (biógrafo de Graciliano Ramos), Marcelino Freire, Jorge Mautner, Pedro Bial.


Quinta-feira, 31/10

>>> Brasil: Dyonélio Machado novamente no cinema

Antes foi A última estrada da praia, filme de 2011, produzido por Fabiano de Souza como livre adaptação de O louco de Cati. Agora, estreia Dyonélio, de Jaime Lerner: um ensaio de formato inusitado, que mistura ficção e documentário para estabelecer duas pontes, entre a vida e a obra do escritor e entre o universo habitado pelos personagens de seus romances Os ratos e O Louco do Cati e o cenário contemporâneo.

>>> Brasil: Uma coleção de clássicos 

A ideia da coleção Reserva Literária, criada em parceria com a Edusp e a Com-Arte – a editora-laboratório da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo – é resgatar obras da literatura brasileira que se encontram esquecidas do meio ou fora de circulação. Os primeiros livros foram apresentados numa sessão na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin. São títulos como Contos cariocas, de Artur Azevedo, Marta, de Medeiros Albuquerque e Mau-olhado, de Veiga Miranda. Para 2014, estão previstos Navios iluminados, de Ranulfo Prata, e O Feiticeiro, de Xavier Marques.

>>> Itália: Por trás de uma parede, achado mais um Da Vinci 

Ano passado, os restauradores havia encontrado outro esboço do gênero no Palácio Vecchio, em Florença. Desta vez foi na parede do Castelo Sforzesco, construção de meados do século XV e que hoje é um centro histórico da cidade italiana de Milão. Durante a restauração de um dos cômodos do castelo, os trabalhadores encontraram na parte noroeste do primeiro piso um fragmento de mural feito com carbono vegetal. Chamado de “Monocromo” a imagem ilustra a raiz de uma árvore incrustada numa grande pedra.  Os pesquisadores atestam que Da Vinci teria trabalhado nesta sala de Sforzesco entre abril e setembro de 1498, quando integrava a corte de Ludovico Sforza. Era neste espaço, protegido da umidade por tábuas que o Ludovico recebia hóspedes e embaixadores e por isso encarregou Leonardo de cuidar da decoração. No ano seguinte, forças francesas invadiram o ducado de Milão. O lugar passou mais tarde a ser morada dos Habsburgos e o castelo foi transformado em forte e a Sala com a pintura de Da Vinci em estábulo. Em fins do século XIX ao remover algumas camadas de pintura se descobriu os traços de Leonardo – era uma imagem que reproduzia copas de árvores frutíferas. Depois disso, o mural permaneceu encobertado durante anos e agora é redescoberto por sobre sete camadas de cal. Suspeita-se que Da Vinci não tenha chegado a terminar essa obra que ora passará por um árduo e delicado trabalho de restauração.

>>> Brasil: Festival Literário de Natal

Já havíamos dado contas por aqui, mas vamos reprisar a novidade, que de lá para cá, houveram algumas alterações. O festival começa já no próximo dia 6 de novembro e estende-se até o dia 8. Integram o evento nomes como Milton Hatoum, Murilo Melo Filho, Ronaldo Correia de Brito, Rubens Figueiredo, Zuenir Ventura, Mauro Ventura, João Paulo Cuenca, Eucanã Ferraz, Antonio Cicero, Marina Lima, Tatiana Salem Levy, José Eduardo Agualusa e Caetano Veloso.  Integra a programação o IV Encontro de Escritores de Língua Portuguesa; este, nos dias 7 e 8 de novembro. Aqui, aparecerão os portugueses Afonso Cruz, João de Melo, Mário Zambujal, Nuno Camarneiro e Ricardo Araújo Pereira; e também Germano de Almeida (Cabo Verde), Luís Carlos Patraquim (Moçambique), Alice Goretti Pina (São Tomé e Príncipe), Celina Oliveira (Macau) e António Fonseca e John Bela (Angola). O evento tem entrada gratuita e ocorre no largo do Teatro Alberto Maranhão, na Ribeira. A programação completa pode ser vista aqui.


Sexta-feira, 01/11

>>> Estados Unidos: A Amazon não para de surpreender

Nos Estados Unidos a gigante lançou duas novas iniciativas para seus clientes: uma revista literária digital para a plataforma Kindle e uma maneira simples de doar para instituições de caridade quando de compras no site. Day One - a revista - é uma publicação semanal dedicada à curta ficção e à poesia; a ideia é apresentar um escritor e um poeta por semana e dele apresentar algum conteúdo inédito e bônus ocasionais de sua obra.  Sobre o primeiro número podem saber acessando aqui.

>>> Brasil: É publicada obra de Monteiro Lobato guardada por mais de 60 anos

Sai pelo selo Globinho, da Globo Livros. Após uma temporada morando na Argentina, onde seus livros infantis alcançaram grandes tiragens, Lobato escreveu, a pedido de seu editor, mais vinte obras com as personagens do Sítio do Picapau Amarelo, das quais 6 foram publicadas na Argentina e no Brasil. Mais tarde, quando organizou suas Obras Completas, o autor deixou de fora algumas das narrativas encomendadas pelo editor argentino. No tempo de Nero é uma dessas preciosidades que ficou 66 anos escondida. Agora, com a nova edição lançada pelo selo Globinho, os leitores têm acesso a uma história praticamente inédita. A história trata de uma viagem feita pelas personagens do Sítio do Picapau Amarelo para conhecer a Roma Antiga. Dona Benta concorda com a aventura com a condição de visitarem o período governado por Marco Aurélio, que, segundo ela, era um homem nobre e sábio. Mas Emília, que achava os imperadores estourados muito mais interessantes, dá um jeito de levar todo mundo para o tempo do terrível Nero. O livro traz ilustrações de Simone Matias.

>>> Portugal: Nos passos de José Saramago

Um dos primeiros títulos da extensa bibliografia composta por José Saramago é Viagem a Portugal - um guia literário, se formos reduzir em duas palavras o texto, por um Portugal muito próprio. Cada viajante tem dentro de si o lugar pelo qual viaja. E as viagens estiveram como centro da literatura desde sempre. Já no fim de sua vida, o escritor português redigiu um divertido romance, "A viagem do elefante", em que um presente dado à coroa portuguesa pelo império de Áustria, faz uma longa travessia em parte da Europa até chegar a seu destino.  Esse itinerário do elefante Salomão foi feito pelo próprio Saramago ainda em vida. Rota já mapeada, diversas vezes - além do escritor, recentemente uma companhia de teatro (cf. dissemos aqui) aventurou-se numa leitura teatral do romance no mesmo itinerário - sai agora em forma de um guia a fim de tornar mais fácil e mais interessante os lugares de viagem. Na Rota Portuguesa do Caminho de Salomão acaba de ser publicado pela Associação de Desenvolvimento Regional Territórios do Côa e contem dados sobre as localidades, a sua vivência, os seus protagonistas e a sua história, mas também sobre onde dormir e onde comer. Elaborado por Daniel Gil, o "Caminho de Salomão" evoca a viagem que José Saramago fez em 2009, precisamente um ano antes da morte. Belém, Constância, Castelo Novo, Belmonte Sortelha, Cidadelhe e Castelo Rodrigo mostrados por quem conhece bem o caminho e gosta de partilhar os segredos. Há um diário de viagem aqui.

>>> Brasil: Publicada na década de 1960, obra de Ricardo Ramos é reeditada pela Globo Livros

Os caminhantes de Santa Luzia recebeu em 1960 o prêmio Jabuti como melhor novela. Agora, a obra de Ricardo Ramos, relançada para uma revisão do seu estilo, então evocado como "econômico, sóbrio e seco", heranças do pai, Graciliano Ramos. A narrativa é a história de um grupo de romeiros que chega a uma cidade do sertão do Nordeste e os membros são usados para ganhar uma eleição. Luzia é assassinada e a culpa é logo lançada para um adversário político.

>>> Brasil: Um dramaturgo esquecido

Em vida Jorge Andrade teve sua popularidade, mas ela não sobreviveu ao tempo, mesmo sendo o autor reconhecido como renovador do teatro brasileiro moderno, a ponto de sua obra render, entre críticos e teóricos, comparações com a de Nelson Rodrigues, pelo aspecto universal dos enredos. Fazendo alguma coisa para reduzir esse esquecimento a editora Descaminhos colocará à venda para já a obra completa de Jorge em formato e-book na da Amazon. Além das reedições, estão previstas cinco peças inéditas, uma delas inacabada - Sesmaria do Rosário.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

L’amour, de Michael Haneke

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Sartre: a autenticidade e a violência

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay

Clara dos Anjos: a chaga dos anos 20

O progresso do amor, de Alice Munro