Boletim Letras 360º #43



Anualmente fazemos nossas indicações de títulos bons para presentear os amigos neste fim de ano. Porque, afinal, não há presente melhor do que um livro. Este ano, a lista de dicas começará a ser publicada em nosso Instagram. Por falar em presentes, devemos ou não devemos fazer uma promoção de Natal? Responda a essa pergunta abaixo nos comentários, dizendo “sim” ou “não” e o porquê. A depender da demanda de respostas poderemos continuar numa brincadeira que dará alguns títulos interessantes aos leitores.

Segunda-feira, 09/12

>>> Brasil: Nélida Piñon é a vencedora do Prêmio Cátedra Enrique Iglesias, em Washington

É o primeiro ano do prêmio que passa a ser atribuído pelo Centro de Cultura do Banco Internacional de Desenvolvimento com o objetivo de afirmar a cultura como componente essencial para o desenvolvimento mundial. O prêmio passará a ser anual e distinguirá os melhores talentos da América Latina e Caribe cuja excepcional contribuição para a cultura e o desenvolvimento mudou vidas e aumentou conhecimento, cf. comunicado. Nélida Piñon, que foi a primeira mulher a presidir à Academia Brasileira de Letras, foi também a primeira contemplada com a honraria.

>>> Brasil: Livro raro de Erico Verissimo é encontrado por pesquisadora

Sequer seu filho, Luis Fernando, sabia da existência da obra. Revelou o jornal gaúcho Zero Hora. Trata-se de Meu ABC, cartilha que acabou sendo deixada de lado na extensa bibliografia de Erico. Na capa, nem a assinatura é do autor de O Tempo e o Vento, mas de Nanquinote, um boneco feito de nanquim que aparece em outras publicações infantis do escritor e servia como seu pseudônimo. Grandes estudiosos de Erico apenas ouviram falar do abecedário, que não está entre os mais de 10 mil documentos do autor abrigados no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro, nem no acervo em exposição no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, em Porto Alegre. Até que uma pesquisadora localizou a obra entre as raridades da Biblioteca Lucília Minssen, da Casa de Cultura Mario Quintana, na Capital. A notícia surpreendeu Luis Fernando, que nasceu no ano da publicação da cartilha, 1936. Na terça-feira, ele visitou a biblioteca para conhecer o livro perdido: com interesse, folheou as páginas, encantou-se com as ilustrações de Ernst Zeuner e reparou na ausência do nome de Erico. A obra desaparecida voltará em outro formato às prateleiras. A descobridora da cartilha, a pós-doutora em pedagogia Cristina Maria Rosa, lançará em 17 de dezembro, no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (CCCEV), um livro em que conta o resgate do abecedário e contextualiza sua importância. A descoberta se deu enquanto Cristina terminava de analisar a cartilha de outro autor. Pediu que uma das maiores especialistas em abecedário, a pesquisadora e doutora em literatura Regina Zilberman, fizesse uma introdução. Neste texto, havia a menção sobre uma cartilha feita por Erico. "O livro faz parte de 11 obras de Erico, escritas entre 1935 e 1939, direcionadas ao público que hoje chamamos de infantojuvenil. Foi uma grande sacada do Erico e da Editora Globo, porque naqueles tempos não existia literatura para esse público, as crianças eram deixadas de lado" – conta Cristina.

>>> Brasil: Inédito de J. R. R. Tolkien chega até o fim de dezembro

Já havíamos comentado sobre a descoberta da obra. Até o ano passado havia dúvidas se a autoria era mesmo do Tolkien. Mas as pistas que atestam ser esta uma obra do autor de Senhor dos anéis veio a partir de sua correspondência escrita na década de 1950; nelas, se mencionava a lenda do Rei Artur. Em 2012, Christopher Tolkien, filho do autor, apresentou A Queda de Artur à editora inglesa HarperCollins, que o publicou em maio deste ano. Trata-se de um poema de 40 páginas com outras 120 páginas de anotações. O tradutor da edição brasileira e o próprio Christopher Tolkien assinam prefácios nos quais avisam o leitor de que se trata de um trabalho hermético. A versão em inglês também está presente na edição em português. Em versos aliterantes, que não fazem uso de rimas, o poema fala sobre a última missão do Rei Artur.

>>> Brasil: Jorge de Lima em alta

Depois da chegada às livrarias da nova edição de Invenção de Orfeu (cf. anunciamos desde meados do ano), poema considerado sua obra-prima, a Cosac Naify anuncia que começará a reeditar todos os livros do escritor. Para 2014 sairá uma nova antologia poética de Jorge; a última foi feita por Paulo Mendes Campos ainda nos anos 1970. Também será lançado Calunga, romance do seu ciclo nordestino e uma edição de Poemas negros ilustrada por Lasar Segall. Não finda aí: no início de abril, o diretor de teatro João Fonseca apresenta o musical O grande circo místico, baseado no poema homônimo do autor, com as canções clássicas de Chico Buarque e Edu Lobo. E, no segundo semestre, Cacá Diegues realiza um grande sonho de sua carreira: filmar O grande circo.


Terça-feira, 10/12

>>> Brasil: Livro assinala a passagem do centenário de Dorival Caymmi

Dorival Caymmi — Acontece que ele é baiano (Repsol Sinopec/ 19 Design e Editora) nasce como homenagem ao centenário de Dorival a ser celebrado em abril de 2014. O livro faz parte de uma série de tributos que acontecerão no Brasil até 2014, todos voltados não para a equivocada noção de resgate da memória cultural, e sim para a necessária e urgente experiência de partilha da sensibilidade no presente. Os textos aí publicados são de nomes como Caetano Velloso, João Ubaldo Ribeiro e Stella Caymmi (neta e biógrafa de Dorival), além de entrevistas com Nana, Dori e Danilo, filhos do homenageado. A edição luxuosa, do tamanho de um disco de vinil, é bilíngue (português e inglês) e inclui centenas de imagens — entre fotos de diversos momentos da vida do compositor, capas de suas partituras, manuscritos, cartas, cartazes de filmes dos quais participou, suas pinturas e seus desenhos.

>>> Portugal: Mia Couto anuncia que está escrevendo novo romance

Terra, Guerras, Enterros e Desterros é o título que o escritor Mia Couto escolheu, provisoriamente, para o próximo livro, inspirado na situação histórica de Moçambique de 1890 a 1895. Em entrevista à Lusa, em Lisboa, no final da cerimônia de homenagem pelos seus 30 anos de vida literária, Mia Couto, Prêmio Camões 2013, disse que escreve um novo livro, em que vai procurar perceber as razões que conduzem as pessoas para uma guerra.

>>> Brasil: A Fundação Biblioteca Nacional apresenta o livro Mestres da Gravura

Organizado por Fernanda Terra e convidados o livro reúne 171 obras de 82 gravadores estrangeiros, do século XV ao XVIII.  Desde o século XIX que um conjunto tão abrangente de gravuras da coleção da Fundação Biblioteca Nacional não é mostrado ao público no Brasil. São gravuras originais, isto é, composições inéditas, criadas, gravadas e impressas por um mesmo artista, ou sob sua supervisão, e gravuras de reprodução, em que um gravador parte de uma composição de outro artista, seja pintura, escultura, afresco, iluminuras, com o objetivo de divulgar a obra daquele criador e fazer circular a imagem. As gravuras pertencem à Real Biblioteca de Portugal, trazida para o Brasil, em 1810, e que deu origem à Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, hoje, considerada pela UNESCO uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina. Atualmente, este acervo tem cerca de 30 mil gravuras. Parte das imagens esteve como parte da exposição de mesmo nome realizada no Museu Nacional dos Correios, em Brasília. São peças de Albrecht Dürer (Alemanha), Rembrandt Harmenszoon van Rijn (Holanda), Giovanni Battista Piranesi (Itália), Jacques Callot (França), William Hogarth (Inglaterra) e Francisco José de Goya y Lucientes (Espanha). 

>>> Inglaterra: Bancos em forma de livros trazem novidade à paisagem de Londres

Uma instituição de promoção literária na Inglaterra que tem o interesse de combater os baixos níveis de alfabetização e em parceria com a Wild in Art planejam adicionar entre 50 e 70 "BookBenches" à paisagem de Londres, bancos em forma de e com cenas de livros famosos. Isso a partir de julho próximo, se tudo correr como planejado.


Quarta-feira, 11/12

>>> Estados Unidos: Perfazer a trajetória de Ulisses da Odisseia 

Pegue sua edição da Odisseia e parta numa aventura virtual. Aos de boa memória pode tentar o itinerário do herói grego sem ajuda do livro de Homero. Este é um mapa interativo muito bacana!Traça a épica viagem de dez anos de Ulisses entre Troia e Ítaca. The Odyssey perfaz a trajetória num globo comum, colocando os leitores diante das sereias, dos ciclopes, dos comedores de lótus, tudo num contexto geográfico reconhecível.

>>> Noruega: Toda Biblioteca Nacional da Noruega on-line até 2020

Semana passada falamos do trabalho de digitalização da Biblioteca do Vaticano; o anúncio agora vem da Noruega. Todos os títulos deverão está on-line até 2020. Tal esforço irá cobrir todos os livros já publicados no país, já que, de acordo com a lei norueguesa, todo o material publicado em todos os meios devem ser depositados com a Biblioteca Nacional da Noruega. Isso irá garantir que todos na Noruega tenham acesso aos livros em todos os momentos, o que também inclui aqueles que estão sob a alçada das leis de direitos autorais. Os usuários serão capazes de baixar os livros, embora isso se aplica somente àqueles que não têm direitos de autor. A Biblioteca Nacional afirmou que vai continuar a manter o seu acervo físico, apesar dos esforços de digitalização. A biblioteca possui algumas coleções raras de manuscritos, mapas, cartazes, livros especiais, fotografias.

>>> Brasil: Todorov terá toda sua obra reeditada

Um dos títulos mais recentes do teórico é A literatura em perigo, mas toda a sua obra ganhará pela editora Unesp, a mesma que publicou este trabalho, uma reedição compondo uma coleção que prevê já num primeiro momento 10 títulos. Teoria da Literatura será o primeiro e fica pronto até janeiro. Para março, está previsto A Vida em Comum.  "A lógica da sequência pretende dar conta da multiplicidade de sua produção e não se concentrar tematicamente. Pensamos em dar conta tanto das produções mais voltadas à crítica literária quanto daquelas que se concentram na antropologia e linguística”, explica o editor Jézio Gutierre.  Ainda em 2014, serão publicados Simbolismo e Interpretação, Teorias do Símbolo e Crítica da Crítica – todos com tradução de especialistas nas diversas áreas de atuação do autor.

>>> França: O pequeno príncipe ganhará parque temático

Isso já em 2014 como informa o Le Figaro. Será uma das atrações na região de Alsacia, ao noroeste de França. Globos gigantes a evocar os planetas visitados pelo protagonista, um aerobar onde os clientes poderão comer a 35m de altura, salas de cinema, zoológico, espaço para espetáculos, tudo para trazer a magia do livro de Saint-Exupéry para os visitantes.


Quinta-feira, 12/12

>>> Estados Unidos: Contra a espionagem, nós nos pronunciamos

Mais de 560 escritores de 81 países, cinco deles ganhadores do Prêmio Nobel de Literatura, condenaram a espionagem em massa na internet e pediram à ONU a adoção de uma convenção para a proteção dos direitos digitais, num manifesto publicado esta semana. "Alertamos para uma nova forma de repressão que não consiste em baterem-nos à porta e nos levarem algemados, mas na espionagem da nossa esfera mais privada", afirmou o escritor germano-russo Iliya Troyanov, iniciador do manifesto «Writers Against Mass Surveillance» (Escritores contra a vigilância em massa). O texto é subscrito por 562 autores, entre os quais os Nobel Orhan Pamuk, J.M. Coetzee, Elfriede Jelinek, Günter Grass e Thomas Transtroemer.

>>> Brasil: 2014 será o ano de Millôr Fernandes 

Além de ser o homenageado da Festa Literária Internacional de Paraty, a obra de Millôr Fernandes começa a ser editada também pela Companhia das Letras, ao lado da L&PM e da Ediouro. De acordo com o blog da Raquel Cozer, pela Cia. sairão quatro títulos no próximo ano: Esta é a verdadeira história do paraíso, de 1972, a ser ilustrada por quadrinistas como Angeli e Cobiaco; "The cow went to the swamp" (A vaca foi pro brejo), de 1988, com expressões vertidas ao pé da letra para o inglês; Papâverum, de 1967, com poemas bem humorados; e Emmanuel Vão Gôgo, edição fac-símile com frases, poemas e outros textos inéditos em livro.

>>> Brasil: Dalton Trevisan plural

Ele é conhecido como o Vampiro de Curitiba, nome de um de seus livros. Recluso, o premiado escritor Dalton Trevisan evita ser visto em público, não recebe a visita de estranhos e não aceita dar entrevista. Mas gosta de reciclar ideias e lançar novos livros. Depois de um verão, o escritor reaparece com Até você, Capitu?, editado pela L&PM Editores. O lançamento reúne ensaios, crônicas, cartas e textos diversos sobre o autores mais caros a Dalton Trevisan, dentre eles, Machado de Assis, Pedro Nava, Rubem Braga e Tchékhov. Seu interlocutor nas cartas é o escritor Otto Lara Resende.

>>> Brasil: O destino de O Pequeno Príncipe

Em 2014, o título de Saint-Exupéry cai em domínio público. Para a ocasião, a editora Agir, uma das que têm editado o livro cá no Brasil prepara duas edições: uma normal e uma de luxo, ambas com tradução de Ferreira Gullar, em substituição à de D. Marcos Barbosa, versão conhecida dos mais de 4 milhões de leitores que, desde 1952, compraram a obra no país.


Sexta-feira, 13/12

>>> Estados Unidos: Lolita de Nabokov em suspeita ou só coincidências?
Três semanas antes de o romance chegar às livrarias, Dorothy Parker havia escrito para a New Yorker uma história com o mesmo título e uma narrativa semelhante à do livro. O que dizer disso? Uma teoria da conspiração? Leia mais aqui e tire suas conclusões.

>>> Inglaterra: O Diário de Anne Frank vai ser adaptado para o cinema

Pelas mãos do diretor israelense Ari Folman, indicado ao Oscar por Valsa com Bashir; será um filme de animação a recontar sobre uma das vítimas do Holocausto, morta em 1945. Segundo o The Guardian a produção começa no fim de 2014. Na última semana, Folman ganhou o troféu de melhor animação no European Film Awards por The congress, uma sátira futurista sobre Hollywood.

>>> Brasil: Um up ao gênero policial brasileiro

Está já em fase de produção a coletânea Rio Noir, que vai compilar contos policias que têm como cenário o Rio de Janeiro, organizados pelo músico Tony Bellotto. O lançamento está previsto para 2015 e tem já confirmado os autores Luis Fernando Verissimo, Luiz Alfredo Garcia Roza, Nelson Mota, Arthur Dapieve, MV Bill e Guilherme Fiuza.

>>> Brasil: Chega a coletânea de ensaios inéditos da escritora Herta Müller

O rei se inclina e mata sai pela Globo Livros e é uma coletânea de ensaios “totalmente autobiográfica”, na definição da própria autora. O livro inicia-se com suas memórias de infância em Nitzkdorf, uma pequena aldeia na região do Banat romeno. Nela, a menina Herta começa a construir a relação muito própria com as palavras que manteria na maturidade. Já adulta, depois de estudar literatura germânica na capital histórica do Banat, a cidade de Timisoara, essa percepção de Herta se comprova e se acirra no mundo citadino. Ela se espanta com a verborragia dos moradores da cidade, sempre falando de si mesmos em tom de lamúria, tendo um eu irreal, histérico, como centro de seus discursos.

>>> Estados Unidos: O bem bolado (e estrelado) booktrailer para novo livro de Gary Shteyngart 


O novo livro de memórias de Gary Shteyngart estará nas livrarias em 07 de janeiro, mas quem se importa, porque James Franco está lançando uma "jornada erótica" sobre Gary Shteyngart? Este é o mote para um booktrailer que tem Rashida Jones, Jonathan Franzen, David Ebershoff, Alex Karpovsky, e Sloane Crosley para o novo livro de Gary Shteyngart. Aqui.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram


Comentários

Gilberto Fernandes disse…
Quero sim; para descontar minhas perdas em todas as mil e uma promoções que vocês já fizeram e eu não ganhei nenhuma.

Postagens mais visitadas deste blog

Em teu ventre, de José Luís Peixoto

16 + 2 romances de formação que devemos ler

Milena Jesenská, muito além de namoradinha de Franz Kafka

Boletim Letras 360º #221

Cem anos de solidão cumpriu a profecia de Melquíades

Um romance com treze títulos

J. R. R. Tolkien, o mito desconstruído

O homem sem doença, de Arnon Grunberg

George Orwell e a podridão dos livros

Juan Goytisolo em seu amargo final