domingo, 11 de agosto de 2013

Boletim Letras 360º #25


Anel de Jane Austen. Adquirido pela cantora Kelly Clarkson que agora briga para conseguir leva para casa o produto. Saiba mais ao longo do boletim.
Estivemos lentos durante a semana que findou ontem. Nada demais: o editor do blog também tem vida social e acadêmica; e foi por essa última que as coisas não seguiram o ritmo de sempre. É esta uma das razões que deram o atraso de um dia a esse boletim que geralmente se publica aos sábados logo pela manhã ao lado do Boletim no Facebook. Os atrasos por aqui, entretanto, não desfazem as responsabilidades. É hora de saber o que foi notícia entre Arte, Literatura e Comportamento.

Segunda-feira, 05/08

>>> Turquia: Dostoiévski é processado 131 anos após morte

Cento e trinta e um anos após sua morte, o escritor russo Fiódor Dostoiévski, um dos maiores nomes da história da literatura mundial, foi processado por incitar o desrespeito a um tribunal. As informações são de reportagem da agência de notícias estatal russa Ria Novasti publicada na quinta-feira, 01/08. O processo começou após um morador da longínqua região de Kamchatka, no nordeste da Rússia, usar a palavra "idiota" para se referir a um oponente durante um julgamento, em 2011. Processado criminalmente por desrespeito ao tribunal, o homem alegou em sua defesa que a "perniciosa influência" da leitura de O Idiota, uma das obras-primas de Dostoiévski, publicada em 1869, o havia levado a ofender o adversário, e que o escritor deveria ser investigado por incitá-lo a desrespeitar o tribunal. Após nove meses de supostas investigações sobre a alegação do homem, o processo foi finalmente arquivado no início deste ano pelo fato de o escritor estar morto desde 1881. Autoridades judiciais russas são obrigadas a processar todos os requerimentos feitos ao Judiciário, independentemente de parecerem absurdos, segundo uma porta-voz. O crime de desrespeito a tribunal prevê pena de até seis meses de detenção ou multa de 200 mil rublos (cerca de R$ 14 mil) na Rússia. Inocentado neste processo, Dostoiévski passou grande parte da vida tendo problemas com a Justiça. Em 1849, o escritor foi condenado à morte junto com outras 19 pessoas por distribuir panfletos contra o governo, mas a sentença foi cancelada na última hora. Caso tivesse morrido na ocasião, ele não teria escrito seus principais romances, como Crime e Castigo, Irmãos Karamazov e o livro que teria incitado o desrespeito a tribunal praticado pelo morador de Kamchatka.

>>> Brasil: Poemas aos homens do nosso tempo - Hilda Hilst em diálogo on-line

O projeto "Poemas aos homens do nosso tempo" de curadoria de Ana Luisa Lima, Ateliê Aberto e Jurandy Valença, partiu de um programa de residência na Casa do Sol, no qual os artistas Adir Sodré, Divino Sobral, Nazareno, Paulo Meira e Thiago Martins de Melo, mergulharam na obra de Hilda Hilst e desenvolveram obras inéditas para a exposição e a publicação.  O livro, criado pela designer pernambucana Daniela Brilhante, conta também com a participação dos curadores do projeto Ana Luisa Lima, Henrique Lukas, Jurandy Valença, Maíra Endo e Samantha Moreira. Selecionado pelo Programa Rede Nacional Funarte 9ª edição, Poemas aos Homens de Nosso Tempo – Hilda Hilst em Diálogo é uma evocação à série de poemas reunidos no livro Júbilo, Memória e Noviciado da Paixão (1974). Foram editados apenas mil exemplares, numerados um a um.  Esse material encontra-se agora on-line, aqui.

>>> Brasil: Série inspirada em romance de Tolstói ganha versão em DVD

Exibida em duas partes na TV europeia, a minissérie Ressurreição é o primeiro trabalho dos irmãos Paolo e Vittorio Taviani nos anos 2000, e mais uma prova da longevidade da dupla, premiada com o Urso de Ouro no Festival de Berlim em 2012 por César Deve Morrer. Especializados em levar para o cinema grandes clássicos da literatura, os cineastas italianos adaptaram antes obras de Luigi Pirandello Kaos, Leon Tolstói Noites com Sol, Um Grito de Revolta e Johann Wolfgang Goethe As Afinidades Eletivas. Em Ressurreição, resgatam o último romance escrito por Tolstói, ambientado na Rússia do final do século 19. O enredo gira em torno do julgamento de Katiucha Máslova (a italiana Stefania Rocca, de Maria), prostituta acusada de roubar um cliente e depois levá-lo à morte por envenenamento. No júri, o príncipe Dmítri Ivánovitch Nekhliúdov (Timothy Peach, de Lutero) fica transtornado ao reconhecer a bela e fragilizada ré, que conhecera dez anos antes. Toda a produção - dois episódios com cerca de 90min cada - está agora em DVD.


Terça-feira, 06/08

>>> Brasil: Livro de entrevistas com Ferreira Gullar deve sair até 2014

Comentamos por aqui do trabalho de reedição da obra de Ferreira Gullar pela José Olympio. Até 2014 quanto completa 60 anos de A luta corporal, seu segundo livro, todos os títulos mais inéditos aparecerão. Uma das novidades para o próximo ano além das reedições é a publicação de um livro com entrevistas do poeta.

>>> Brasil: Niemeyer on-line

A parte mais valiosa do acervo de Oscar Niemeyer (1907-2012), que inclui croquis e desenhos originais de 342 projetos do arquiteto brasileiro, começará a ser digitalizada neste mês e ficará acessível ao público na internet. O projeto é uma parceria da Fundação Oscar Niemeyer, entidade sem fins lucrativos criada em 1988 para preservar e divulgar a obra do arquiteto, e do Itaú Cultural.  Serão digitalizados 8.927 documentos produzidos entre 1938 e 2005, que ficarão disponíveis no site dedicado ao arquiteto, aqui. O acervo de Niemeyer também servirá de base para uma exposição, que será aberta em junho de 2014, no Itaú Cultural, em São Paulo.

>>> Brasil: Tarsila para todos

A Editora Melhoramentos lança na Bienal do Rio no próximo mês dois livros sobre o universo da modernista Tarsila do Amaral escritos por Patrícia Secco e Tarsilinha, sobrinha-neta da pintora: o juvenil Um dia para não esquecer, com ilustrações de Fabio Sgroi, e o infantil Tarsilinha, com traço de Edu Engel. O último resgata a infância da pintora de Abaporu.

>>> Brasil: Dostoiévski e o cinema

Já tivemos oportunidade de falar sobre o cinema a partir da obra de Dostoievski. Cineastas como Robert Bresson, Woody Allen e Luchino Visconti, Akira Kurosawa, Bernardo Bertolucci, Robert Siodmak, Richard Brooks, Heitor Dhalia e Robert Wienne, entre outros, já se aventuraram em adaptar alguma obra do escritor russo para as telas. Também já comentamos aqui sobre a mostra "Noites brancas: Dostoiévski ilustrado" com ilustrações de diversos artistas. Pois, paralela a essa mostra acontece "Dostoiévski e o cinema" que apresenta para os visitantes alguns dos principais textos do escritor russo na grande tela. (Aqui está o post que fizemos sobre o cinema e a obra de Dostoiévski). Na programação estão títulos como Os irmãos Karamazov, Crimes e pecados, O idiota, Noites brancas, Partner, Nina, O grande pecador, entre outros. A mostra vai até o dia 25 de agosto de 2013 no Museu Lasar Segall – IBRAM – MinC (Rua Berta, 111 – Vila Mariana – SP/SP). Informações: 11-2159-0400 


Quarta-feira, 07/08

>>> Inglaterra: Comprou, mas não pode levar para casa

Kelly Clarkson comprou num leilão um anel de Jane Austen, mas o ministro da Cultura britânico impôs uma proibição temporária à saída da peça e agora a joia não pode deixar o país. O Governo apela a potenciais compradores britânicos para que adquiram o anel. A proibição colocada pelo Governo impede que o anel deixe o Reino Unido até 30 Setembro. A ideia é que até lá algum comprador britânico consiga reunir o valor de 150 mil libras, preço que Kelly Clarkson pagou pela peça. Se até lá se provar que alguma entidade tem a intenção de angariar fundos para adquirir a joia, a interdição pode estender-se até 30 de Dezembro.  Simples, de ouro e com uma pedra azul turquesa, o verdadeiro valor do anel está em ser uma das três peças de joalharia que pertenceram à autora do século XIX (imagem de abertura).

>>> Brasil: Clarice Lispector e a pintura - catálogo do Letras in.verso e re.verso é uma das publicações em destaque na Plataforma ISSUU

Publicado há cerca de oito meses como parte integrante de uma matéria que fizemos sobre a relação de Clarice com as artes plásticas, o catálogo "Clarice, e a pintura" obteve, esta semana, o destaque entre publicações do mundo inteiro, na plataforma digital ISSUU. Aproveitem, para além de conhecer esse catálogo, a matéria que fizemos, aqui.

>>> Estados Unidos: Clube da luta ganhará continuação

A garantia foi dada pelo próprio autor, Chuck Palahniuk: essa continuação será em formato de HQ. O romance foi originalmente publicado nos EUA, em 1996, e adaptado ao cinema em 1999, por David Fincher. “O mais provável é que se trate de uma série de livros onde a ação se passa dez anos depois do presumível desaparecimento do protagonista Tyler Durden”, revelou o autor à agência Reuters. Embora a agenda de Palahniuk esteja agora preenchida, uma vez que possui projetos tanto para 2014 como para 2015, o autor afirma que vai tentar publicar a obra no início de 2015, logo após a aprovação editorial. Palahniuk já tem se reunido com artistas e criadores da DC Comics, da Marvel e também da Dark Horse.

>>> Brasil: Zila Mamede em inglês

Estamos preparando uma matéria sobre, mas resolvemos antecipar a notícia para os amigos aqui do Facebook. Será apresentado durante a IX Feira do Livro de Mossoró, evento que começa amanhã, uma edição em inglês do famoso livro Rosa de Pedra, de Zila Mamede. O trabalho é do estudioso na obra da poeta e já autor de alguns títulos a respeito, Alexandre Alves. Este é o primeiro título de uma poeta potiguar em língua estrangeira; e está entre os destaques para o estande do Brasil durante a Feira do Livro de Frankfurt, na Alemanha. Rosa de Pedra teve apenas uma edição autônoma em 1953; depois de então, o livro reapareceu sempre em coletâneas da poeta: Navegos, de 1978 e Navegos / A Herança, de 2003. 


Quinta-feira, 08/08

>>> Brasil: Leitura pública de Memorial do convento e Levantado do chão

Os dois romances de José Saramago são agora reeditados, conforme já dissemos por aqui, e integrados à conhecida coleção da Companhia das Letras - cumprindo, segundo nota da Fundação José Saramago, um desejo antigo do escritor português em ver toda sua obra editada numa só casa aqui no Brasil. Para sublinhar este momento a editora e o SESC São Paulo realizam no próximo dia 13 de agosto, às19h30, uma apresentação dos livros com leituras de excertos da obra. Participam desse encontro a presidenta da FJS, Pilar del Río, e os escritores Mia Couto e Andrea del Fuego.

>>> Turquia: Apollinaire impróprio

O Supremo Tribunal da Turquia declarou que o clássico da literatura erótica As aventuras de Don Juan, do escritor francês Guillaume Apollinaire não é arte. Esta decisão pode significar a prisão do tradutor e editor do livro na Turquia, se a próxima sentença considerar o livro pornografia. Na Turquia, a circulação de pornografia fora dos circuitos autorizados é proibida por lei, exceto se estiver em contexto científico ou artístico. Depois de quatro anos de processos em tribunal, o Supremo Tribunal anulou as decisões de tribunais anteriores e confirmou que o livro, publicado pela primeira vez de 1911, não é literatura devido à sua “linguagem simples e vulgar”. O livro que conta experiências sexuais de um jovem de 15 anos, contém segundo o tribunal turco “perversão para com mães, tias, irmãs, pessoas do mesmo sexo e animais”. Esta decisão faz com que o processo volte ao tribunal anterior que fica encarregado de decidir se o livro é pornografia. Se for, o editor Irfan San, premiado em 2010 (pouco tempo depois do início do processo) pela Associação Internacional de Editores com o prémio Freedom to Publish, pode ser condenado a até nove anos de prisão, e o tradutor Resit Imrahor, até seis anos. A decisão de lançar este e outros livros foi, para Irfan Sanci, manter viva a tradição de literatura erótica otomana dos séculos XVII e XVIII. “Se publicássemos esses textos hoje, poderíamos esperar ataques muito mais violentos, porque são bastante mais explícitos que estes livros que publicamos”, disse o editor e noticiou o jornal espanhol ABC. No início deste ano, o governo turco acabou com a lista de livros proibidos que mantinha há décadas, mas a literatura continua a ir a tribunal. Este processo iniciado em 2009 foi aberto também contra o clássico da literatura indiana Kama Sutra, um texto otomano e Conos, do escritor espanhol Juan Manuel de Prada. Ainda no início deste ano, o Ministério da Educação turco tentou eliminar das escolas as obras Ratos e Homens, do Nobel da Literatura John Steinbeck, e Meu pé de laranja lima, do brasileiro José Mauro de Vasconcelos. Não é a primeira vez que obras de Guillaume Apollinaire levam editores a tribunal na Turquia. Rahmi Akdas foi condenado por publicar As onze mil vergas, que foi declarado “material obsceno ou imoral susceptível de despertar e explorar o desejo sexual entre a população”. Akdas recorreu para o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem que decidiu a seu favor acrescentando que a decisão turca impedia o acesso ao patrimônio europeu e violava a liberdade de expressão.

>>> Brasil: Lélia Coelho Frota quase reunida

Como Frederico Barbosa, a antologia Poesia Reunida, publicada em belíssima edição de capa dura, com prefácio de Heloísa Buarque de Hollanda e posfácio de Armando Freitas Filho, reúne parte significativa da produção poética de Lélia: a dos anos 1956 a 2006.


Sexta-feira, 09/08

>>> Brasil: Frederico Barbosa quase completo

O poeta vê reunido em Na Lata seus 35 anos de sua produção literária. Composto por leva de publicações em diversas mídias -livros, jornais, revistas, sites, redes sociais- o título da antologia faz menção ao ato de "jogar na lata os textos e ir misturando tudo, como forma de inspiração para colocá-los sob novas perspectivas, de acordo com a estruturação da antologia".

>>> Itália: Nem tudo está perdido, primeiro filme de Orson Welles dado como perdido foi encontrado

O título Too much Johnson, a primeira experiência real do cineasta como autor de um filme para ser visto por um público pagante, e feito com a ajuda de equipe e elenco profissionais, esteve por mais de 50 anos como um trabalho perdido.  Agora uma cópia do filme foi encontrada em Pordenone, no norte da Itália. A película será exibida na cidade italiana pela ocasião do Festival de Cinema, que começa dia 5 de outubro. O filme também será exibido no Eastman House no dia 16 daquele mês. Caso consigam levantar fundos suficientes para tal, a fundação disponibilizará o filme na internet até o final do ano.

>>> Suécia: Inédito de Stieg Larsson

Um conto do autor dos best-sellers da trilogia Millenium, Stieg Larsson, vai ser publicado pela primeira vez em inglês em 2014 como parte de uma antologia deste gênero literário dedicada a autores suecos. A Darker Shade of Sweden é o título da edição que incluirá Brain Power, que o autor de Os Homens que odeiam as mulheres escreveu aos 17 anos. A compilação incluirá também um conto de Eva Gabrielsson, a companheira de Larsson.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+