sábado, 24 de agosto de 2013

Boletim Letras 360º #27

Que tal um livro com 2cm². O achado da Biblioteca da Universidade de Iowa, Estados Unidos.


Mais uma semana vencida e semana vencida com muito gosto: fizemos o nosso tão esperado sorteio – dois contemplados com romances de José Saramago; estamos de parceiro novo, e parceiro ilustre – a Companhia das Letras; e, deixamos de cumprir um anúncio (cof cof foi necessário) – o de apresentar nosso novo colunista. Sem pressa que tudo tem seu tempo o colunista estreia na semana vindoura. Por enquanto queremos alertar: estamos já preparando o próximo sorteio que deve sai em breve. E, no mais, vamos aos destaques de nossa página no Facebook? Por lá, também muitas novidades!


Segunda-feira, 19/08

>>> Inglaterra: Últimos inéditos de Virginia Woolf foram publicados

Já havíamos comentado por aqui sobre este achado. The Charleston Bulletin Supplements, era o nome de um jornal doméstico produzido entre 1923 e 1927 pela escritora e seu sobrinho Quentin Bell, que mais tarde se tornaria seu biógrafo. O teor humorístico e nonsense dos textos em que a dupla satirizava familiares, como Clive Bell, pai de Quentin, traz à luz um lado cômico quase desconhecido da autora de Mrs. Dalloway. A British Library fez uma edição fac-símile do material. Comentamos sobre isso, mais detalhadamente, aqui.

>>> Portugal: Está on-line a 15ª edição de Blimunda

Em mês de férias por excelência, a Blimunda viajou até à vila de Sines e apresenta no seu dossiê central, assinado por Sara Figueiredo Costa, um retrato do que por lá se passou. Reconhecido em todo o mundo como um dos melhores festivais da chamada world music, o FMM apresentou este ano um cartaz que se pautou pelo regresso de alguns dos que protagonizaram os melhores momentos das 14 edições anteriores. Mas por estes dias, nem só de música se faz o Festival. Conversas com escritores, programação para os mais novos, exposições, entre outras iniciativas completam uma programação que, como a Blimunda pode confirmar, ganhou definitivamente o seu espaço no panorama cultural português. No infantil e juvenil, sob o título De regresso à aldeia, Andreia Brites revisita a obra do candidato português ao Prêmio Alma na edição de 2013, o escritor António Mota. Autor de mais de 40 títulos, a voz de António Mota é reconhecida como uma das mais importantes na literatura infantil e juvenil portuguesa, fruto da sua qualidade e do trabalho que o autor desenvolve desde há vários anos junto do público leitor. A fechar este número, a Saramaguiana aborda a faceta de cronista de José Saramago, traçando pontes com o trabalho de Rubem Braga, um dos maiores cronistas brasileiros, de quem se assinala o centenário do nascimento neste ano de 2013. Por fim, a Lisboa vista por José Saramago, na segunda parte de um texto retirado das páginas de Viagem a Portugal, que terá a sua conclusão no número de setembro. Porque como escreveu José Saramago "É preciso voltar aos passos que foram dados, para os repetir, e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre. O viajante volta já." Para baixar a edição, basta ir aqui.

>>> França: Escritores brasileiros em Paris

Criado em 1995 e dedicado a reconhecer e incentivar a produção de artistas brasileiros, o Prêmio Icatu de Artes já levou fotógrafos, artistas plásticos, músicos, bailarinos e curadores para temporadas em Paris. Este ano, pela primeira vez, a empresa vai premiar escritores. Um conselho indicou alguns nomes, suas obras foram lidas e saiu agora o veredicto. Os felizardos, que passarão entre três e nove meses em Paris, flanando pela cidade, vivendo num ateliê na Cité des Arts, no bairro de Marais, com uma bolsa mensal e nenhuma obrigação final para com o patrocinador são: Julián Fuks, Adriana Lunardi, Marília Garcia, Pedro Lago e Luís Maffei. Vinicius Jatobá, um dos escolhidos da Granta Melhores Jovens Autores Brasileiros e que só publicará seu primeiro livro, Apenas o Vento, em 2014, completa a lista. Vale comentar que não houve nenhum processo classificatório e o período da estadia foi decidido em comum acordo entre comissão e contemplados. Julián Fuks, também na Granta e autor de Procura do Romance, entre outros, vai primeiro: em setembro. Jatobá só vai em 2015. O ciclo de viagens deve durar quatro anos.

>>> Brasil: O livro dos rodapés

Um livro inteiro só com notas de rodapés, criação de Bruno Moreschi, e outro com poemas de Carlito Azevedo escritos numa pedra e datilografados em papel de pão. Estão aí dois dos primeiros lançamentos da Caixa Preta, projeto da escritora Daniela Lima e da curadora Laríssa Duarte Amorim. A editora voltada a livros-objeto quer diluir os limites entre literatura e artes visuais, sempre em edições assinadas pelos autores. O Manual da Pedra (o com versos de Carlito) e O Livro dos rodapés” saem em setembro, na semana da ArteRio, e serão vendidos em galerias, no site da editora e nas livrarias Cultura e Travessa. (Por Raquel Cozer)

>>> Brasil: Hotsite em homenagem a Ferreira Gullar

A Saraiva Online em parceria com o Grupo Editorial Record, lançou um hotsite especial sobre Ferreira Gullar. Lá estão fotografias, poemas, vídeos e uma leva de informações sobre a vida e a obra do autor. Para ver, basta acessar aqui.


Terça-feira, 20/08

>>> Brasil: A educação dos cinco sentidos, de Haroldo de Campos

Trinta anos depois de seu lançamento original, chega novamente as livrarias A educação dos cinco sentidos, obra poética central na produção de Haroldo de Campos, organizada por Ivan de Campos. A nova edição tem acréscimos importantes para uma melhor fruição do livro: textos de Kenneth David Jackson, Andrés Sánches Robaina ajudam a compreender melhor a recepção da obra, tanto no Brasil como no exterior. Encerrando o volume, o relato de João Ubaldo Ribeiro sobre um encontro com Haroldo. Como bônus, acompanha o volume uma gravação inédita com leituras de poemas por Christopher Middleton e Haroldo de Campos.

>>> Brasil: Nova edição do Livro do desassossego, de Bernardo Soares (Fernando Pessoa)

No Brasil, a edição mais conhecida é ainda a editada pela Companhia das Letras, que, além de uma edição comum, editou também uma edição de bolso do livro que é um dos mais enigmáticos da Literatura Universal. Agora, o especialista na obra de Fernando Pessoa refaz a obra para a Tinta da China e, logo no próximo mês, chegará uma nova edição do Livro do desassossego. O mesmo livro será editado em Portugal, em outubro.

>>> Inglaterra: Primeira edição de The Waste Land, de T. S. Eliot vai a leilão

E a Universidade de St Andrews arrematou a obra. Em 1923, Virginia Woolf lançou 460 cópias do poema por meio da Hogarth Press, uma editora que ela e seu marido Leonard, criaram para publicação de seus escritos.  Eliot fez parte do círculo de Bloomsbury - ele e Woolf eram amigos e Woolf tinha dificuldade com a tipografia por causa da maneira de escrever, por isso a editora. Eliot também: o ritmo e o espaço utilizado em seus poemas foram empecilhos na hora da edição, mas mesmo com todas as dificuldades, a singular publicação ocorreu e foi um marco, diga-se, na carreira do poeta.


Quarta-feira, 21/08

>>> Brasil: Tipógrafos ousados

Vice-cônsul do Brasil em Barcelona em 1947, o poeta João Cabral de Melo Neto foi a um médico por causa de sua crônica dor de cabeça. Ele lhe receitou exercícios físicos, para “canalizar a tensão”. João Cabral seguiu o conselho. Comprou uma prensa manual e passou a produzir à mão, domesticamente, os próprios livros e os dos amigos. E, com tal “ginástica poética”, como a chamava, tornou-se essa ave rara e fascinante: um editor artesanal. Um livro recém-lançado, Editores Artesanais Brasileiros (Autêntica-FBN), de Gisela Creni, conta a história de João Cabral e de outros sonhadores que, desde os anos 50, enriqueceram a cultura brasileira a partir de seu quarto dos fundos ou de um galpão no quintal: Manuel Segalá, no Rio; Geir Campos e Thiago de Mello, em Niterói; Pedro Moacir Maia, em Salvador; Gastão de Holanda, no Recife; e Cleber Teixeira, em Florianópolis. O editor artesanal dispõe de uma minitipografia e faz tudo: escolhe a tipologia, compõe o texto, diagrama-o, produz as ilustrações, tira provas, revisa, compra o papel e imprime – em folhas soltas, não costuradas– 100 ou 200 lindos exemplares de um livrinho que, se não fosse por ele, nunca seria publicado. Daí, distribui-os aos subscritores (amigos que se comprometeram a comprar um exemplar). O resto, dá ao autor. Os livreiros não querem nem saber. Foi assim que nasceram, em pequenos livros, poemas de –acredite ou não– João Cabral, Manuel Bandeira, Drummond, Cecília Meireles, Joaquim Cardozo, Vinicius de Moraes, Lêdo Ivo, Paulo Mendes Campos, Jorge de Lima e até o conto Com o Vaqueiro Mariano (1952), de Guimarães Rosa. E de Donne, Baudelaire, Lautréamont, Rimbaud, Mallarmé, Keats, Rilke, Eliot, Lorca, Cummings e outros, traduzidos por amor. João Cabral não se curou da dor de cabeça, mas valeu. (Por Ruy Castro)

>>> Estados Unidos: Morreu Elmore Leonard

Em novembro de 2012, o escritor de romances policiais Elmore Leonard recebeu uma medalha da National Book Foundation por sua contribuição à literatura americana. Tinha, então, 86 anos e 45 livros escritos. E motivação para trabalhar em mais alguns. “Provavelmente não vou desistir (de escrever) enquanto eu não desistir de tudo, na minha vida, porque isso é tudo o que eu sei fazer. E me divirto escrevendo. Eu disse a mim mesmo: Você tem que se divertir fazendo isso, ou isso te enlouquecerá”, comentou em entrevista à época da homenagem, quando escrevia seu 46.º romance, Blue Dreams, que estava previsto para 2013, e pensava nas histórias que viriam depois. No Brasil, há cerca de 20 títulos disponíveis nas livrarias, quase todos publicados pela Editora Rocco e há dois volumes no prelo da Companhia das Letras; em outubro, ela lança Raylan, o 45.º romance de Leonard, e em 2014, sai Djibouti, que mistura piratas somalis e terroristas da Al Qaeda.

>>> Brasil: L&PM Editores apostam em edições luxuosas com antologias

Chama-se "Série Ouro" e chegaram às livrarias mais três títulos que reúne luxuosas edições com antologias e obras de grandes autores da literatura universal: Jane Austen tem 768 páginas e traz os romances A abadia de Northanger, Razão e sentimento e Orgulho e preconceito; Franz Kafka, em suas 520 páginas, oferece os principais livros do escritor tcheco, entre eles A metamorfose e Cartas ao pai. Para completar, Memória do fogo oferece a monumental trilogia em que Eduardo Galeano conta a história da América Latina em 856 páginas. Entre os próximos lançamentos da Série Ouro estão obras reunidas de Nietzsche, Oscar Wilde e Fernando Pessoa, além da Odisseia em edição bilíngue (português/grego) com tradução de Donaldo Schüler e mais um volume com histórias de Sherlock Holmes.


Quinta-feira, 22/08

>>> Brasil: Pauliceia Literária divulga programação completa

Lembram quando falamos aqui sobre o Festival Internacional de Literatura de São Paulo, o Pauliceia Literária, no início deste ano? Então foi divulgada a programação completa do evento, que ocorrerá entre os dias 19 e 22 de setembro. Pelo evento, organizado pela Associação dos Advogados de São Paulo (AASP) e que tem como principal mote a literatura policial, passarão 34 autores brasileiros e estrangeiros. Toda edição terá um "Autor em foco", cuja obra será tema de mesas e oficinas. A escolhida deste ano foi a escritora Patrícia Melo, que participará da mesa de abertura, no dia 19. Além de Patrícia, são convidados Ignácio de Loyola Brandão, Juan Pablo Villalobos, Valter Hugo Mãe, Marcelino Freire, Beatriz Bracher, Luiza Nagib Eluf, Edney Silvestre, Jerónimo Pizarro, José Paulo Cavalcante Filho, Inês Pedrosa, Michel Laub, Marçal Aquino, entre outros. O site com as informações está aqui.

>>> Brasil: A rosa branca, de Inge Scholl ganha tradução inédita no Brasil

Publicado pela primeira vez em 1952, revisto e ampliado em 1972, 1982 e 1993 por sua autora, Inge Scholl, A rosa branca vendeu até hoje, na Alemanha, mais de um milhão de cópias e foi traduzido para vários idiomas. O livro apresenta a história de um grupo de estudantes universitários de Munique que escreveram e distribuíram panfletos contra o nacional-socialismo, e foi uma peça importante no processo de superação do passado por parte dos alemães. A tradução inédita em português do livro é organizada pelas professoras Juliana P. Perez e Tinka Reichmann e o livro é editado pela Editora 34.

>>> Alemanha: Uma nova plataforma eletrônica para a poesia

Chama-se Lyrikline. E é um projeto da Literaturwerkstatt de Berlim em cooperação com os parceiros da rede internacional do Lyrikline. Um desses parceiros de língua portuguesa é a instituição portuguesa Casa Fernando Pessoa. O Lyrikline.org surgiu em novembro de 1999 como uma plataforma de poesia de língua alemã. A partir do dia 21 de Março de 2000, passou a ser uma plataforma multilíngue de poesia. Assim, desde essa altura, o lyrikline.org tem vindo a desenvolver um trabalho no sentido de construir uma rede mundial de parceiros e ampliar o leque de línguas disponíveis, procurando dessa forma estimular e aumentar o diálogo entre poetas, e incentivar a tradução de poemas. Até ao momento, o Lyrikline disponibiliza 862 poetas, 7844 poemas, 58 línguas nativas e 10660 traduções em 55 línguas. À distância de um clique é possível ouvir poemas lidos pelos próprios autores na sua língua nativa. A pesquisa dos poetas é feita por ordem alfabética. É já no dia 1 de Setembro que teremos oportunidade de conhecer este site com uma nova "cara". Terá uma versão em língua portuguesa, com novas funcionalidades, como pesquisa por gêneros e características, temas, formas poéticas e conceitos. Para acessar, basta ir aqui.

>>> Estados Unidos: Saiu o primeiro trailer de A menina que roubava livros

A história de Liesel Meminger, uma jovem que passa a viver em um bairro operário da Alemanha Nazista após ser adotada por um casal e que encontra na literatura uma forma de lidar com a dura realidade da época e que ganhará as telas do cinema em janeiro de 2014 já tem seu primeiro trailer. A adaptação do romance homônimo de Markus Zusak é de Michael Petroni Dirigido pelo britânico Brian Percival o drama tem no papel de Liesel, Sophie Nélisse e os veteranos Geoffrey Rush e Emily Watson que fazem acompanhamento da menina na trama. Veja aqui.


Sexta-feira, 23/08

>>> Portugal: Em setembro chega o novo romance de Pepetela

Chama-se O Tímido e as Mulheres, e é publicado em Portugal pela Editora Dom Quixote, que projeta lançar igualmente uma antologia de Natália Correia e a integral dos contos de António Tabucchi que serão publicados em dois tomos. O tímido e as mulheres sucede a A Sul. O Sombreiro, romance de Pepetela editado em 2011 e publicado em 2012 no Brasil pela Leya Brasil. Recentemente foram editados também Mayombe e A geração da utopia.

>>> Argentina: V Filba Internacional rende homenagens a Gabriel García Márquez

Chile país de poetas e Argentina país de narradores? Essa pergunta será um dos temas para a 5ª edição da Filba Interncional que este ano acontecerá entre os dias 25 de setembro e 2 de outubro e em duas sedes simultaneamente: Buenos Aires (Argentina) Santiago de Chile (Chile). O país homenageado será Colômbia e o escritor centro das discussões Gabriel García Márquez. São mais de 60 atrações entre mesas, debates, conferências e apresentações culturais. Entre os destaques do festival está a conferência de Tobías Wolff que abre as atividades no dia 25/09. Do Brasil, o convidado foi o escritor Sérgio Sant'Anna.

>>> Inglaterra: Exposição relembra a genialidade de Leonardo Da Vinci

Peter Abrahams, depois de cinquenta anos, revive o dia em que descobriu os estudos anatômicos de Leonardo Da Vinci. É ele o responsável por quatro meses de trabalho para a realização daexposição The Mechanics of Man, (A mecânica do homem), que está aberta ao público inglês até o dia 10 de novembro.  A mostra exibe trinta desenhos originais de um lote de 600 desenhos do artista e que pertencem à coroa britânica desde 1690. Os desenhos já foram expostos em várias outras ocasiões; ano passado mesmo, o Palácio de Buckingham realizou uma exposição. A novidade desta é o enfoque escolhido: contrapor os desenhos de Da Vinci aos modernos modelos anatômicos. Scanners, radiografias, ressonâncias magnéticas e modelos em 3D aparecem em contraponto aos originais revelando muito mais aparências do que o imaginado.

>>> Brasil: Novo romance Ohan Pamuk

Do escritor, a Companhia das Letras já editou títulos como Neve, Meu nome é vermelho, entre outros. O mais recente foi O romancista ingênuo e o sentimental. Agora, a editora publica aquele que é o segundo romance na tábua bibliográfica de Pamuk, A casa do silêncio. Numa mansão decadente de uma vila de pescadores na costa da Turquia, a viúva Fatma espera pela visita anual de seus netos: Faruk, um historiador disperso; sua irmã sensível e esquerdista, Nilgün; e Metin, um colegial deslumbrado que sonha conquistar o mesmo padrão de consumo de seus colegas abastados e ir morar nos Estados Unidos. Acamada, Fatma é assistida pelo sempre solícito Recep, um anão — e filho ilegítimo de seu falecido marido. Ambos dividem memórias — e dores — do passado. Mas a chegada do sobrinho de Recep, Hasan, um inveterado nacionalista de direita, ameaça jogar a família no cataclismo político que emerge da longa batalha da Turquia em busca da modernidade. Publicado pela primeira vez no início dos anos 1980, o romance reflete a turbulência política do país, governado entre 1980 e 1983 pelas Forças Armadas, e naquele momento peça decisiva no tabuleiro da Guerra Fria, tema que atravessa a narrativa de ponta a ponta.

>>> Estados Unidos: Uma pequena joia: livro com apenas 2cm² achado nos Estados Unidos (imagem)

Um livro de apenas 2 cm² e 1 mm de espessura foi encontrado na Universidade de Iowa (Estados Unidos). O livro estava entre as mais de 4.000 obras em miniatura da biblioteca. Visto pelo microscópio uma bibliotecária conseguiu chegar ao nome da editora Toppan Printing. Bom, depois disso, foi hora de rastrear e cruzar informações até descobrir que o livro foi lançado na Feira Mundial de Nova York de 1965. E mais: ele não é uma obra, mas fazia parte de um conjunto com uma versão maior do mesmo texto: o primeiro capítulo do Gênesis (livro da Bíblia) escrito pelo Rei James para a igreja Anglicana.

>>> Brasil: Nova edição do caderno-revista 7faces on-line

Os editores do caderno-revista 7faces já disponibilizaram a 7ª edição do periódico. Em cena a poesia de Lúcio Cardoso, escritor homenageado e sobre a obra do qual se publicam três ensaios que, ao invés de cobrir apenas o lugar do poeta, que expor uma cartografia da sua escrita: assim, Marília Rothier Cardoso pensa, em linhas gerais sobre esse lugar da escrita cardosiana, Ordieli Costa dos Santos pensa sobre determinados temas recorrentes na produção novelística do escritor, gênero pelo qual ficou mais conhecido com textos como Crônica da casa assassinada, e Ésio Macedo Ribeiro, pensa sobre o trabalho poético de Lúcio.  Além disso, texto de doze poetas: Rosana Banharoli, Leonardo Chioda, Lara Amaral, Grabriel Resende Santos, Alexandra Vieira de Almeida, Jairo Macedo, Homero Gomes, Thiago Souza, Mariano Tavares, Mario Filipe Cavalcanti, Casé Lontra Marques e Ana Romano. Outra novidade dessa edição, segundo nota divulgada no blog do periódico, é que ela terá uma pitada do work in progress: adiante sairá um encarte com um ensaio de Cesar Kiraly. Para ver a edição, basta ir aqui.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+