sábado, 5 de outubro de 2013

Boletim Letras 360º #33

Tela precursora da Monalisa de Leonardo Da Vince é encontrada
mais de 500 anos depois de ser dada como perdida. Saiba mais no Boletim.


Marcamos a chegada de Vida, de Paulo Leminski com duas promoções: por um mês tivemos apelando leitores e não leitores do blog a participarem do sorteio de um exemplar; no último sábado num lance relâmpago com uma brincadeira armada num boletim com este demos o segundo exemplar. E pode ser que pinte um terceiro. Não queremos é entrar em detalhes, por enquanto. Por enquanto mesmo queremos lembrar a nova promoção colocada on-line na terça-feira, dia 1º: pela passagem do aniversário de 100 anos de Vinicius de Moraes daremos um exemplar de “Nova Antologia Poética” aos amigos do blog no Facebook e aos que nos acompanham simultaneamente via Twitter. Interessou-se em participar? Então, dá uma olhada no boletim a seguir.


Segunda-feira, 30/09

>>> Brasil: Obra revisita a poesia de W. H. Auden

A Companhia das Letras apresentou uma nova edição da poesia de W. H. Auden. Reúnem-se na nova antologia bilíngue cinquenta dos principais poemas desse que é reconhecido como um dos mais importantes autores ingleses do século XX, desde textos escritos em 1927, quando ele primeiro definiu publicamente suas posições estéticas no que ficou conhecido como “O Manifesto de Oxford Poetry”, até aqueles que datam de 1973, ano da morte do poeta. O volume procura “abarcar, na medida do possível, as várias fases da obra poética de Auden, que foi um poeta prolífico”, conforme declara João Moura Jr., o responsável pela seleção dos textos.  Partindo da experiência do modernismo, Auden soube aproveitar o melhor da contribuição de Ezra Pound e T. S. Eliot, mas afastando-se radicalmente do seu reacionarismo político, para expressar-se numa linguagem extremamente pessoal que nem por isso perde de vista - como Drummond - as grandes questões da época. Além de assinar a tradução de vários poemas, José Paulo Paes escreveu para esta antologia um estudo introdutório sobre a vida e a poética do autor, que conta também com um ensaio magistral a respeito de Auden escrito pelo poeta russo Joseph Brodsky, cujo contato com a obra do inglês foi fundamental. Falamos sobre o poeta inglês e sua obra aqui.

>>> Brasil: Revitalizar os contos eróticos de Dalton Trevisan

Se um livro novo de Dalton Trevisan nunca é coisa pouca, a antologia Novos Contos Eróticos (Record) que chega às livrarias neste mês, reúne 30 dos melhores textos do contista dentro do universo que ele domina à maestria e do qual trata de uma maneira tão escancarada e obscena que faz com que outros prosadores que se ocupam do tema pareçam escritores infantis. A antologia – que não tem nenhum prefácio ou notas de editor, apenas os textos com diagramação bruta e uma bela capa com ilustrações eróticas de Poty Lazzarotto – reúne textos famosos, como “Macho Não Ganha Flor”, “Maníaco do Olho Verde” e outros menos conhecidos.

>>> México: A igreja que se transformou em uma biblioteca

Tem sido comum na Europa a transformação de grandes igrejas antigas em bares e boates; em Pátzcuaro, Michoacán, no México, pelo menos uma delas tem servido mesmo é aos livros. O Convento de San Agustín é agora o Gertrudis Bocanegra Biblioteca Pública. A igreja, construída em 1576 pelos frades agostinhos, funcionou como um convento até por volta de 1850. Depois, o prédio foi passado ao comando dos maçons; por fim ao Governo do Estado de Michoacán, até ser abandonado, para se tornar biblioteca pública. Toda estrutura foi preservada, e um belo mural feito pelo arquiteto e pintor Juan O'Gorman ocupa o lugar que era o altar. O mural conta a história de Michoacán, das Purepechas e seu domínio, a Independência, através de Vasco de Quiroga e faz claras referências a Utopia, de Thomas More, ideia que inspirou a obra de Vasco de Quiroga, em Michoacán.

>>> Brasil: Um grande acervo com correspondências de Carlos Drummond de Andrade

Pertence a Eduardo Cicarelli morador de Lavras, Minas Gerais. O material contém não só correspondências escritas entre 1925 e 1948 mas fotografias e foi adquirido há mais de vinte anos quando visitou o Rio de Janeiro; tudo comprado de uma cunhada de Drummond, Ita, que herdou-as de Julieta Augusta, a mãe do poeta. O acervo contém mais de 200 correspondências, muitas destinadas à mãe, escritas nas tradicionais folhas com timbre do Ministério da Educação e Saúde, onde trabalhou por anos. Além do carinho pela mãe, Drummond trata de política e eventos casuais acontecidos quando estava em Brasília, reclama da mudança repentina do nome da cidade natal, Itabira para se chamar Getúlio Vargas - medida que durou pouco tempo. O material veio à tona porque agora é Cicarelli quem pretende vendê-lo para uma biblioteca, universidade ou instituição que tenha interesse em estudar o material e torná-lo público.

>>> Estados Unidos: Uma viagem para celebrar os 75 anos do romance As vinhas da ira

O grupo formado por três artistas farão o itinerário entre Oklahoma e Califórnia para refazer os passos da família Joad. Durante a viagem vão coletar depoimentos de pessoas sobre o que os ajudam a passar por tempos difíceis. Sairão de Oklahoma já no próximo dia 04 de outubro e farão paradas em Novo México, Arizona e Texas. A viagem terminará na Califórnia, 10 dias mais tarde. Octavio Solis, Patricia Wakida e P J Palmer irão utilizar as informações e histórias para criar novos trabalhos. Toda a viagem será documentada pelas redes sociais, blogs e outros canais e se tornarão públicos durante os 75 anos do romance a ser celebrado em 2014.


Terça-feira, 01/10

>>> Brasil: Walter Benjamin inédito on-line

Dentre os ensaios inéditos de Walter Benjamin selecionados por Michael Löwy para livro O capitalismo como religião, está um artigo, publicado em 1925 no Vossische Zeitung (29 jun., edição vespertina) intitulado “As armas do futuro”. O texto analisa as dinâmicas bélicas postas pelas armas químicas, apontando para uma futura guerra espectral, tão mais alarmante em sua colonização da dimensão do inconsciente. Benjamin inclusive voltou a este artigo na elaboração de Theorien des deutschen Faschismus [Teorias do fascismo alemão]. Assinalando a passagem dos 73 anos do suicídio de Benjamin na fronteira da França com a Espanha, durante uma tentativa de fuga dos nazistas, o Blog da Boitempo Editorial disponibilizou além do texto integral, traduzido por Nélio Schneider a partir dos Gesammelte Schriften IV (org. Hella Tiedemann-Bartels, Frankfurt, Suhrkamp, 1972, pp.473-6, 1033), um breve comentário de Michael Löwy sobre o documento também extraído de O capitalismo como religião. Para ler aqui.

>>> Brasil: Novo selo editorial já nas livrarias 

E um doce para quem adivinhar! Acertou quem pensou Curitiba - a cidade como já classificamos dada a leva de novidades do gênero que aportam para os lados de cá - mais literária do Brasil. Batizado por Encrenca, o novo selo editorial quer literaturas que apostem na singularidade e tratem de temáticas originais.  E apresenta o título Réquiem para Dóris, de Oneide Diedrich. O romance do escritor paranaense e o selo foram apresentados no último sábado, 28/09, na Livraria Arte & Letra. Encrenca é idealizado pelo editor Otavio Linhares - Revista Jandique - Literatura Curitibana e pelo escritor Luiz Felipe Leprevost, junto aos irmãos Thiago e Frede Tizzot Livraria e Editora Arte & Letra, e recupera características que estiveram presentes em Curitiba, em nomes como Jamil Snege, Valêncio Xavier, Dalton Trevisan, Wilson Bueno, Paulo Leminski e Manoel Carlos Karam, a quem o selo presta homenagem.

>>> Brasil: Antologia de textos lança novas visões para os leitores brasileiros de F. Scott Fitzgerald

Intitulada Pileques: drinks e outras bebedeiras e recém-lançada pela Companhia das Letras no selo Má Companhia, a obra se apresenta como “uma crônica angustiada” de um escritor em fim de carreira, entregue entre as crises de criatividade, as bebedeiras e um lance complexo de autodestruição física e psicológica.

>>> Canadá: Os livros de David Bowie

Com uma nova versão da exposição David Bowie Is que abre nesta semana na Galeria de Arte em Ontário, curadores revelaram uma lista 100 títulos preferidos do músico e que em conjunto dão uma visão fascinante sobre o ícone e seu estilo. A lista de leitura, com livros apresentados em ordem cronológica e não por ordem de preferência inclui clássicos estadunidenses dos anos 50 e 60 como Jack Kerouac, Truman Capote, entre nomes como Ian McEwan, Oscr Wao, Julian Barnes, Saul Below, Anthony Burgess, Nabokov, Bulgakov. E livros sobre história, política, HQs, música, artes em geral. Enfim, a lista está aqui.


Quarta-feira, 02/10

>>> Brasil: Uma revista virtual que vai para o impresso

Muitas têm feito o trajeto contrário. escamandro - poesia tradução crítica, também. Vai na contramão da novidade e salta do virtual para o impresso. Editada por Ade Scndlr (Adriano Scandolara), Bernardo Brandão, Guilherme Gontijo Flores e Vinicius Ferreira Barth, "escamandro" é uma revista literária com conteúdo digital e gratuito hospedada neste site  e que agora sairá em edição impressa pela Editora Patuá. A ilustração de capa, projeto gráfico e diagramação é conduzido pela leveza do artista Leonardo MAthias. Mais sobre a revista, os autores e a proposta e como adquiri-la, aqui.

>>> Brasil: Caderno-revista 7faces disponibiliza ensaio inédito de Cesar Kiraly

Trata-se de "metafísicas do olho", texto seguido da apresentação de Pedro Fernandes. O ensaio de Cesar Kiraly é produto de um encarte produzido pelos editores para a 7ª edição do periódico, publicada em início do mês de agosto. Acompanha o ensaio uma série de telas do italiano Emilio Scanavino.  Para Pedro Fernandes, "estando no lugar da filosofia Kiraly constrói uma paralaxe – no sentido proposto por pensadores contemporâneos como Slavoj Žižek (A visão em paralaxe) – em que se agrupam as várias dimensões ou ângulos de visão: entre eles, a política, a artística, a filosófica, a simbólica, a estética, todas, como maneiras de se chegar a um conjunto de dizeres ou uma conformação das potências do olho e do gesto da visão. O que quero dizer é que a construção do pensamento do ensaísta obedece ao longo de seu desenvolvimento, como notará o leitor, a uma mudança de posição proposital como se olhasse plano a plano o mesmo objeto e pudesse extrair dele, na diversidade dos ângulos gestados, uma visão mais global sobre aquilo que se propõe falar." Basta acessar aqui.

>>> Inglaterra: A Dickens o que é de Dickens

A antiga casa do escritor será aberta ao público pela primeira vez desde sua morte em 1870. Diz o anúncio da BBC Londres. Gad's Hill Place em Higham tem sido usada desde 1920 como sede para uma escola; a construção de novos prédios para recepção dos alunos tem dado essa permissão há tanto esperada pelos leitores e fãs da obra do escritor de Grande Esperanças, romance este que foi concebido nesses aposentos, assim como outras partes importantes de sua obra.


Quinta-feira, 03/10

>>> Inglaterra: Por dentro do sexo dos japoneses

A arte shunga cultivada pelos grandes mestres japoneses ao largo de três séculos (1600-1900), que tem como tema o sexo é motivo para uma exposição no Museu Britânico, patente desde quinta-feira. A mostra reúne mais de uma centena de pinturas e ilustrações publicadas em livros também conhecidos como "quadros de primavera" (estação utilizada como um eufemismo para o ato sexual), centradas em peças de erotismo colecionadas na Europa por nomes como Toulouse-Lautrec, Rodin ou Pablo Picasso, todos procedentes da pinacoteca londrina, de outros museus europeus e dos Estados Unidos.  No nosso Tumblr uma série com alguns desenhos que estão na mostra.

>>> Brasil: Livro resgata o papel das mulheres durante a Ditadura Militar

Laura Bordin - uma das organizadoras de Sem liberdade eu não vivo - conta que a centelha para a pesquisa surgiu quando viu pela televisão a então ministra-chefe da Casa Civil Dilma Rousseff rebatendo o senador Agripino Maia (DEM-RN), que questionava as atividades clandestinas nas quais a atual presidenta da República teria se envolvido.  A ideia do livro é mostrar uma versão feminina de um trecho da história do Brasil da qual elas também foram protagonistas, mas que, em geral, é contada por homens. A obra é composta por seis perfis de mulheres – Teresa Urban, Noemi Osna Carriconde, Judite Barboza Trindade, Elisabeth Fortes, Zélia Passos e Clair da Flora Martins – que militaram contra o regime autoritário.

>>> Portugal: Readaptar Os Maias, de Eça de Queirós para o cinema

A nova adaptação terá à frente diretor João Botelho. Se chamará Os Maias - (Alguns) episódios da vida romântica. Numa produção entre Brasil e Portugal, as filmagens devem começar ainda este ano. João Botelho tem uma longa ligação com a literatura portuguesa. O cineasta já adaptou textos Agustina Bessa-Luís (A corte do norte), Almeida Garrett (Quem és tu?) e mais recentemente, Fernando Pessoa (Filme do Desassossego). Os Maias - (Alguns) episódios da vida romântica, que deverá ter também uma versão em minissérie para TV.

>>> Brasil: Nova aposta no mercado dos romances policiais

Quem aposta é o Grupo Autêntica que lança o selo Vertigo. O selo pretende explorar três vertentes: romances de época, com autores como Guillaume Prévost, Claude Izner e Jean-François Parot; romances policiais Scandi Crime, em referência à literatura escandinava do gênero, representada por autores como a finlandesa Leena Lehtolainen, o norueguês Gunnar Staalesen e a dupla dinamarquesa Lotte Hammer e Søren Hammer; e romances policiais de atmosfera, os “thrillers”, de autores como Andrea H. Japp, Alexis Aubenque e Pierre Lemaitre.  O selo, dirigido por Arnaud Vin, francês radicado no Brasil há cerca de 20 anos, já teve os primeiros títulos lançados na Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro: Sete dias em River Falls, thriller policial do francês Alexis Aubenque; Os sete crimes de Roma, policial de época escrito por Guillaume Prévost, cujo detetive é Leonardo da Vinci; e Meu primeiro assassinato, da finlandesa Leena Lehtolainen. Outros quatro lançamentos estão programados ainda para este ano: Estava escrito, do norueguês Gunnar Staalesen; A fera interior, dos irmãos dinamarqueses Lotte e Søren Hammer; Na mente, o veneno, de Andrea H. Japp; e Mistério na rua de Saints-Pères, escrito por Claude Izner.

>>> Inglaterra: Objetos de George Orwell alcançam mais de R$19 mil

Isso considerando apenas o leilão de um conjunto de quatro lenços usados pelo escritor de A revolução dos bichos durante a Guerra Civil na Espanha. Os objetos datam da época em que Orwell foi atingido por uma bala no pescoço enquanto militava numa organização de origem trotskista em combate às forças do general Franco. Além dos lenços foram leiloados duas das primeiras edições de A revolução e a primeira edição de Orgulho e preconceito, de Jane Austen.


Sexta-feira, 04/10

>>> Brasil: Vinicius por Vinicius

No mês em que se celebra o centenário de Vinicius de Moraes, o "Literatura em voz alta" - programa da Rádio Batuta, do Instituto Moreira Salles reúne gravações que o poeta fez, na década de 1950, de poemas seus para o selo Festa, que se notabilizou pelos discos de poesia. Podemos ouvir a voz de Vinicius em poemas clássicos como “Soneto de fidelidade”, “Soneto de separação”, “Pátria minha” e “Poética”. Tudo num clique - aqui.

>>> Itália: Foi encontrado quadro perdido de Leonardo Da Vinci 

Esta é a imagem que abre o boletim é de um quadro de Leonardo Da Vinci, julgado perdido e que hoje foi descoberto. O suplemento semanal Sette, que integra o diário Corriere della Sera, assegura que se trata de um retrato, de 61 por 46,5 centímetros, do perfil de Isabelle d'Este, Marquesa de Mantoue, pintado com óleo sobre tela. A obra, que poderá ter cerca de 500 anos, foi encontrada numa caixa forte de um banco suíço e é propriedade de uma italiana que tem uma coleção de cerca de 400 pinturas, adquiridas pelos seus antepassados.

>>> Estados Unidos: Um novo lar para livros raros no Centro de História Judaica em Nova York

Obras de Albert Einstein, Franz Kafka e Emma Lazarus estão entre os tesouros literários que residem no Centro de História Judaica. A partir desta semana foi inaugurada a sala David Berg - um novo espaço de 1.000 metros quadrados no piso principal do centro, na West 16th Street - desenhado por Beyer Blinder Belle. Tudo apara abrigar exposições das coleções de livros raros do CHJ.  Mas o espaço não se restringe a essas coleções: dará vez ao material raro de todas as cinco instituições parceiras do centro - o American Jewish Historical Society, a American Sephardi Federation, a Baeck Instituto Leo, o Museu da Universidade Yeshiva e do Instituto YIVO para Pesquisa judaica. O espaço inclui recursos em que os visitantes serão capazes de praticamente virar as páginas dos livros em exposição.

>>> Brasil: 700 anos do nascimento de Giovanni Boccaccio será lembrado pela Cosac Naify com edição de Decameron

Raríssimas obras têm o privilégio de fundar uma tradição. O Decameron, de Giovanni Boccaccio, é certamente uma delas. Escrito em meados do século XIV, ele estabelece um padrão para o que viria a ser o conto ficcional. O livro reúne cem narrativas contadas por sete damas e três cavalheiros que, a fim de escapar da peste que assolava Florença, se recolhem numa vila senhoril e, para passar o tempo e celebrar a vida, narram histórias uns aos outros. Nos 700 anos do nascimento de seu autor, a Cosac Naify comemora a data com este volume de dez novelas selecionadas, traduzidas e prefaciadas por Maurício Santana Dias, todas ilustradas por Alex Cerveny. Além disso, reproduz páginas de manuscritos iluminados por Boccaccio, que também foi um exímio copista.

Já sobre nossa promoção, vá aqui.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+