Boletim Letras 360º #46

Já vão 75 anos do clássico tantas vezes adaptado para o cinema. Uma exposição nos Estados Unidos relembra a primeira montagem de O mágico de Oz.


Só mais uma semana e já acaba esse jejum. Para a próxima semana ainda teremos algumas postagens – remanescentes de 2013. Vê este boletim, com perna no antigo ano e a outra no novo? E a pergunta volta: quanto tempo leva para a morte definitiva de um ano? Talvez não haja tempo e seja todo o tempo do mundo; que os anos não se entregam uns aos outros de mão beijada, mas se entrelaçam e formam um só tempo comum. Para a semana de estreia, prever-se promoções já novas – só para por os ânimos à espreita. Que ainda seguimos com nossa retrospectiva e tudo o que foi o melhor de 2013. Aí segue mais uma edição do nosso BO 360º:


Segunda-feira, 30/12/13

>>> Inglaterra: Filme que narra a relação extraconjugal do escritor britânico Charles Dickens com uma mulher mais jovem estreia em fevereiro

É o primeiro título sob direção de Ralph Fiennes que aparece também na pelo próprio Dickens. Baseado da biografia da amante do escritor feita por Claire Tomalin, A mulher invisível apresenta Dickens já no auge de sua fama e com uma fortuna considerável, casado com Catherine e criando filhos até quando ele encontra Nelly Ternan e os dois iniciam um caso amoroso que acontece mesmo debaixo do frenesi de publicidade que rodeia o autor popular por onde passa. Escondendo o caso de todos, menos de seus amigos mais próximos – incluindo Wilkie Collins e sua mãe, Dickens e Ternan tentam lidar o melhor possível nessa complicada situação. O filme tem estreia marcada para o dia 7 de fevereiro na Inglaterra e é um dos títulos favoritos na corrida pelo Oscar em 2014.

>>> Brasil: 60 anos de Romanceiro da Inconfidência, um dos títulos mais significativos na literatura de Cecília Meireles

A Global aproveita a ocasião e coloca no mercado uma nova edição do livro que teve sua primeira edição publicada em 1953. Em Romanceiro da Inconfidência, Cecília associa a verdade histórica com tradições e lendas. Utilizando a técnica ibérica dos romances populares, atenta para os autos do processo, às cartas, aos testamentos, à pintura, às modinhas, às estátuas de profetas de Aleijadinho. A poeta recria com intensa beleza o cotidiano, os conflitos e os anseios daquele grupo de sonhadores. A edição comemorativa traz ensaios críticos de Alfredo Bosi, Miguel Sanches Neto, Hélio Pólvora, Paulo Rónai, Darcy Damasceno, Walmir Ayala, Maria da Glória Bordini e Flávio Loureiro Chaves, além de um caderno de fotos de Cecília Meireles em viagem pelas cidades históricas mineiras.



Terça-feira, 31/12/13

>>> Estados Unidos: Exposição lembra os 75 anos de O mágico de Oz

Para comemorar os 75 anos do lançamento do filme O mágico de Oz, de 1939, o Maine’s Farnsworth Museum vai inaugurar a exposição “O maravilhoso mundo de Oz – Willard Carroll/Tom Wilhite Collection”. Algumas roupas usadas nas gravações, ilustrações para a história original, cartazes vintage das outras versões da história para o cinema e até a ampulheta vermelha usada pela Bruxa Malvada para ameaçar Dorothy. Os sapatos usados por Judy Garland no filme não estão na exposição, mas as razões são compreensíveis: dos 4 pares usados nas filmagens, um está em exposição permanente no Smithsonian Institution, outro foi vendido num leilão por 666 mil dólares, o terceiro foi arrematado por 510 mil dólares e o último foi roubado do Minnesota’s Judy Garland Museum (provavelmente por alguma Bruxa Malvada). A exposição, que vai até 30 de março de 2014, também homenageia a atriz Margaret Pellegrini, a última sobrevivente do elenco, que morreu recentemente, aos 89 anos, em agosto de 2013.


Quarta-feira, 01/01/14

>>> Brasil: As cartas de James Joyce 

Dirce Waltrick do Amarante e Sergio Medeiros vêm traduzindo nos últimos anos a obra de James Joyce para a Iluminuras. Neste ano, está previsto um volume com cartas do escritor irlandês à sua mecenas Harriet Shaw Weaver. Nas correspondências, o autor expõe projetos literários e mazelas familiares à amiga, responsável pela publicação de obras como Retrato do artista quando jovem e Ulysses


Quinta-feira, 02/01/14

>>> Brasil: Mais títulos no rol da Editora Patuá

A editora que demonstrado seu crescimento tanto nos nomes revelados quanto na qualidade das revelações anuncia que em 2014 ampliará seu catálogo de 100 para 150 títulos, entre eles, de imediato saem 70 poemas, de Ana Peluso, Diário da vertigem, de Marília Hubota; Sumi-ê, de Nydia Bonetti, mais dois títulos de Micheliny Verunschk, o romance Nossa Teresa e de poemas Outra arte.  

>>> Estados Unidos: “The Iceberg", o conto recém-descoberto de Zelda Fitzgerald

Em 1918, Zelda Sayre, depois Zelda Fitzgerald, ganhou um prêmio por essa história que ela publicou no Sidney Lanier High School Literary Journal. Ela tinha dezessete ou dezoito anos quando o escreveu, logo depois de conhecer F. Scott Fitzgerald, sua válvula de escape para o mundo que não o Alabama. A história foi recentemente descoberta. A heroína de "The Iceberg" é Cornelia, uma jovem corajosa de uma família aristocrática do Sul, sem perspectivas de casamento, que decide procurar o seu destino na faculdade de negócios. Ela impressiona um homem rico com sua digitação hábil, e, sem dizer a sua família, se casa com ele. Pode ler o texto (em inglês) aqui.


Sexta-feira, 03/01/14

>>> Estados Unidos: Cristovão Tezza em alta

O romance O filho eterno do escritor brasileiro foi eleito um dos oito melhores livros estrangeiros de ficção em 2013 segundo o jornal Financial Times; isso ao lado de títulos como Pow!, do Prêmio Nobel Mo Yan, e Se vivêssemos em um lugar normal, de Juan Pablo Villalobos. O livro de Tezza, que foi traduzido em agosto, foi descrito como "obra de honestidade inabalável e humanidade lancinante".

>>> Brasil: Poetizando todo dia

"Tem poesia escondida no cotidiano, tem verso na rotina. Rimas que só quem procura consegue achar. Natura foi atrás de olhos capazes de enxergar as pequenas sutilezas do dia a dia. E convidou cinco mulheres, cinco poetas, para um exercício de encantamento e descoberta num lugar pouco usual: o noticiário diário. Poesia na rotina, impressa em preto e branco. Que você não vê. Mas vai começar a enxergar." Com este mote a empresa de cosméticos Natura apresenta sua nova campanha - "Poetizando". A primeira peça publicitária, "Encontrar poesia na rotina é possível" traz 05 poetas - Bruna Beber, Lilian Aquino, Elisa Buzzo, Ana Guadalupe e Marina Wisnik. O primeiro vídeo pode ser assistido aqui. E há um espaço da campanha de onde é possível acompanhar imagens e os poemas produzidos pelas poetas aqui.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

L’amour, de Michael Haneke

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay

Clara dos Anjos: a chaga dos anos 20

O progresso do amor, de Alice Munro

Apontamentos sobre alguns textos curtos de Tolstói