Boletim Letras 360º #61



Semana intensa e com um desfecho triste. As letras, mais uma vez, vestem-se de luto pela morte de Gabriel García Márquez, um dos grandes escritores do século passado. Pertencente ao seleto grupo dos seis nomes latino-americanos que já receberam o Prêmio Nobel da Literatura, a obra de García Márquez é um marco por ter reaberto os eixos do cânone e dado a conhecer para o mundo outros universos, igualmente ricos, da criação humana. Mas, depois do escritor, fica a obra – e nela pulsa sua existência toda vez que voltarmos à leitura. Neste BO, as notícias destaque da semana do Letras no Facebook, mais um apanhado de singelas homenagens que temos conduzido desde o último dia 17, quando ficamos sem o mestre Gabo.


Segunda-feira, 14/04

>>> Brasil: Mais inéditos de Dalton Trevisan

Pelo menos dois títulos do escritor foram anunciados para breve. Some a esses mais um. No segundo semestre de 2014 – é isto uma previsão – deve sair pela Editora Record, O beijo na nuca. É mais uma coleção de contos.

>>> Espanha: Ver José Saramago

Dentre os vários nomes importantes da fotografia que tiveram o privilégio de fotografar o escritor português, está João Francisco Vilhena que expõe, na ilha de Lanzarote, 29 imagens que ilustram a vida do Prêmio Nobel da Literatura. A exposição está patente até 14 de maio na sala de exposições Charco de San Ginés, em Arrecife. Parte da mesma exposição estará no LeV - Festival Literatura em Viagem, em Matosinhos, entre 9 e 11 de maio, um festival produzido pela Booktailors - Consultores Editoriais. No dia 10 de junho, a exposição é inaugurada em Barcelona. Resultado deste trabalho fotográfico, será apresentado ainda no mês de maio, em Portugal o livro Lanzarote, a Janela de Saramago.  A exposição de igual nome é constituída por imagens captadas em 1998, mesmo ano em que Saramago recebeu o Prêmio Nobel, e em 2013, quando João Francisco Vilhena volta a Lanzarote e percorre os lugares onde retratou o escritor. Nesta exposição, Vilhena junta fotografias preto e branco, expostas em Estocolmo na entrega do prêmio com fotografias inéditas do escritor em Lanzarote. E a estas, juntam-se algumas fotografias mais recentes, tiradas após a morte do escritor, que dialogam com excertos dos Cadernos de Lanzarote, diários de José Saramago escritos entre 1993 e 1997. Um trabalho primoroso, certamente.

>>> Brasil: Uma nova editora para fazer frente ao grande muro no mercado dos livros

Primeiro como revista literária. Substânsia. Agora, nome também de editora. Surge “com o intuito de publicar livros de autores contemporâneos, nos mais variados gêneros, e perspectivar novas condições de diálogo entre os criadores brasileiros das mais variadas artes; abrindo novas possibilidades no mercado editorial brasileiro” – esclarece a divulgação do novo empreendimento. “A exemplo de outras editoras independentes, o que nos move é a paixão pela literatura, o prazer de editar livros e criar elos que fortifiquem a intelectualidade dos novos escritores, reconhecendo a contribuição dos que buscam firmar conteúdos de qualidade, abertos para o debate colaborativo” – completa.  Idealizada por Nathan Matos, em parceria com Madjer de Souza Pontes e Talles Azigon, a Editora Substânsia tem sua filial em Fortaleza (CE) e pretende, a modo de outros editoras já firmadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, por exemplo, fortalecer e ampliar o cenário literário, na opinião dos editores, “ainda escasso” para os lados cá. No site, mais informações e o indicativo do primeiro lançamento.


Terça-feira, 15/04

>>> Canadá: Alice Munro face de uma nova moeda

Uma figura feminina etérea emerge de uma caneta. Assim, Alice Munro é homenageada por uma moeda da Royal Canadian Mint. A ideia nasce, seguindo outros exemplos do gênero utilizados para celebração de figuras importantes para o meio literário. No caso de Munro, é o reconhecimento pelo esforço com que tem se dedicado a literatura até a conquista do Prêmio Nobel da Literatura - recorda o presidente da casa da moeda, Ian Bennet. A figura na moeda é a materialização de uma das figuras mais representadas na contística de Munro: a mulher. Finda a imagem um livro aberto com uma passagem de The View from Castle Rock.

>>> Brasil: Confirmado mais alguns nomes para a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) 

Quatro convidados internacionais para o evento que este ano vai de 30 de julho a 3 de agosto: o chileno Jorge Edwards, a argentina Graciela Mochkofsky, o mexicano Juan Villoro e o peruano Daniel Alarcón. Destes, o que é praticamente desconhecido no país, Edwards, teve o romance A origem do mundo lançado em 2013 pela Cosac Naify; Graciela colabora com a revista Piauí e tem o livros Pecado original publicado por aqui. Villoro, apesar de ter mais de trinta livros publicados, também só tem um livro publicado no Brasil, O livro selvagem Companhia das Letras. A editora vai lançar durante o evento Arrecifes. O mesmo fato se dá com Alarcón, que tem publicado Rádio Cidade Perdida Editora Rocco. A Alfaguara Brasil publica até lá À noite andamos em círculos.


Quarta-feira, 16/04

>>> França: Manuscrito de As palavras, de Jean-Paul Sartre, vai a leilão

Um manuscrito até então desconhecido será leiloado este mês em Paris, segundo a casa de leilões Artcurial. O rascunho de 24 páginas, conservado até então numa coleção privada, tem um preço inicial avaliado entre 40 mil e 50 mil euros (algo em torno de 122.000 e 150.000 reais).  Poucos meses após ser publicado, em 1964, há 50 anos, As palavras foi título da vez de quando Sartre recebeu o Prêmio Nobel de Literatura, prêmio este que foi rejeitado pelo filósofo.

>>> Estados Unidos: O emoticon em 1648?

É já um dos símbolos mais característicos da internet; mas ele pode ser bem mais antigo do que pensávamos. Um rosto sorridente criado com dois pontos e parênteses foi encontrado num poema de Robert Herrick escrito em 1648. O crítico literário Levi Stahl, da Universidade de Chicago, primeiro achou que o uso da pontuação para criar um rosto sorridente em sua cópia de To fortune fosse apenas um erro de digitação. Mas ao checar a versão publicada ano passado pela Universidade de Oxford, encontrou a mesma marcação. Com isso, Stahl passou a considerar que a intervenção foi proposital. Até hoje, o exemplo mais antigo de uso de emoticons estava na edição da revista Puck, de 30 de março de 1881. O emoticon pode ser apenas um erro tipográfico, mas a hipótese da inclusão ser proposital ganha força graças ao contexto do verso "smiling yet" ("ainda sorrindo", em tradução literal). O professor de literatura inglesa Alan Jacobs, no entanto, acha pouco provável que Herrick tenha criado o emoticon. Ele argumenta que, para ter certeza das intenções do poeta, seria preciso encontrar os manuscritos originais, pois os responsáveis pela impressão não necessariamente seguiram as orientações dos autores. Como exemplo, ele cita uma versão do poema publicada no século XIX sem os parênteses. Jacobs imagina que a imagem tenha sido incluída em edições posteriores. "Os parênteses não eram usados em verso na época de Herrick de forma tão comum quanto hoje nem da forma como usamos hoje", argumenta o professor. "A pontuação no geral era incerta no século XVII, tão incerta quanto soletrar. Shakespeare escrevia seu nome de várias formas diferentes e não havia regras gerais. Herrick dificilmente tinha práticas de pontuação consistentes e, mesmo que tivesse, não poderia esperar que os editores ou seus leitores compartilhassem dessas práticas." Por enquanto a história oficial ainda aponta o cientista da computação Scott Fahlman como o criador dos emoticons. (Via O Globo)

>>> Portugal: Voar de Saramago

Há alguns anos, no Aeroporto da Portela, alguém disse a José Saramago que seria extraordinário se um avião recebesse o nome de Blimunda, personagem de Memorial do convento, que tem a misteriosa capacidade de ver por dentro das pessoas e a da recolha vontades para que a passarola chegasse a levantar voo. Agora, uma iniciativa da TAP, não será o nome de Blimunda a cruzar os céus, mas o do próprio escritor. Trata-se de um Airbus A320, que entra ao serviço da companhia neste verão e é um dos novos aviões que reforçam a frota empresa este ano. Assinalando a entrada da aeronave em serviço, nos meses de junho, julho e agosto, será exibido a bordo da frota de longo curso da companhia o filme José Saramago, o tempo de uma memória, da diretora Carmen Castillo, celebrando desta forma a atribuição do nome de José Saramago a este novo avião da TAP.


Quinta-feira, 17/04

>>> Estados Unidos: A arte a serviço do capital

Doutor Jivago, romance histórico do escritor russo Boris Pasternak, foi material de trabalho na luta contra o comunismo. Isso é o que revela os 130 documentos apresentados pela CIA a pedido dos jornalistas Peter Finn e Petra Couvée, autores de The Zhivago Affair, um livro que será publicado nos Estados Unidos no mês de junho.  Em 1958, a inteligência britânica enviou à CIA uma série de fotografias do romance de Pasternack que havia sido proibido na Rússia. Foi quando os americanos viram o potencial do livro para mobilizar os russos contra o comunismo, transformando-o pela crítica, num romance de retrato fidedigno da censura imposta por Moscou. O romance em questão ganhou, então, privilégio do governo estadunidense para imprimir e distribuir, a torto e a direito (clandestinamente), o que a própria crítica daquele país havia considerado um clássico da literatura universal.  Leia sobre o andamento dessa trama toda nesta matéria do Washington Post.

>>> O mar, de John Banville para os cinemas

O filme teve estreia durante o Festival de Cinema de Buenos Aires no início do mês de abril. O escritor irlandês não apenas deu aval para a produção como também participou na escrita do roteiro. Este é um dos romances seus mais reconhecidos. No Brasil, foi publicado desde 2007 pela Editora Nova Fronteira. Muito recentemente, a Globo Livros – que passou a ser a editora do escritor no país – publicou uma reedição.

Estamos sem Gabriel García Márquez

Sexta-feira, 18/04

>>> Brasil: Brasília recebe 26 esculturas de Salvador Dalí

Pertencentes à coleção de seu amigo e galerista Isidro Colt, desde o dia 15 é possível ver na galeria da Caixa Cultural Brasília a mostra inédita no Brasil que inclui desde pequenas peças até obras de grandes dimensões, de 3m de altura. Depois de Brasília, a mostra vem para Fortaleza, em agosto, e Recife, em janeiro de 2015. São obras que Dalí fez com cera entre 1970 e 1981. Entre as obras escolhidas para a exposição figuram algumas inspiradas na mitologia clássica, na iconografia cristã e também em temas característicos da obra de Dalí, como Dom Quixote.

>>> Estados Unidos: Uma nova estátua para Edgar Allan Poe

Será erguida em Boston. E tem ares que será um grande monumento ao autor de "O corvo" conforme mostra o modelo em argila proposto por Stefanie Rocknak. Poe com um corvo ao seu lado, uma coração cheio de nervuras saindo de seu "baú de ideias" e seu casaco ondulando ao sabor do vento.

Ligações a esta post:
>>> Gabriel García Márquez em imagens - visite nosso Tumblr (Alfredo Monte descreve cinco livros essenciais para conhecer a obra do escritor).

 ..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Alguns dos melhores começos de romances

Uma entrevista inédita com Liev Tolstói

Água viva, de Clarice Lispector

Potnia, de Leonardo Chioda

Avenida Niévski, de Nikolai Gógol

A lista de leituras de Liev Tolstói

De Mário Peixoto, é preciso virar a página

A ignorância, de Milan Kundera

O romance perdido de Sylvia Plath