Boletim Letras 360º #75

cena de Como na canção dos Beatles, filme inspirado no romance de Haruki Murakami que tem estreia no Brasil

Muitas novidades esta semana; mas, deixamos aqui, na abertura deste boletim, apenas uma: estamos sorteando entre os leitores do Letras que acompanham o blog na página do Facebook os Kits que restaram da Promoção Gol de Letra. Imperdível! E, por falar em Facebook, abaixo o que foi notícia por lá.

Segunda-feira, 04/08

>>> Japão: Filme baseado em romance de Haruki Murakami 

Como na canção dos Beatles - Norwegian Wood baseia-se no romance que transformou o escritor japonês em fenômeno mundial. Considerado o livro mais romântico do autor, ele próprio dize ser a obra uma produção à parte em sua literatura, o filme é uma produção do diretor Tran Anh Hung. Em cena, Toru, um homem dividido entre o amor e o sexo: pelo olhar do colega de quarto que trai constantemente a namorada e trata as mulheres como objetos e pelo de sua própria concepção sobre os relacionamentos, o de ser tomado pela sensibilidade ao envolver-se com as mulheres.

>>> Brasil: Nova edição da Revista de História da Biblioteca Nacional traz uma tradução inédita do discurso de Octavio Paz de quando da recepção do Prêmio Nobel

O poeta e ensaísta recebeu a honraria em 1990. No centenário de seu nascimento, a RHBN traduz pela primeira vez o discurso lido naquela ocasião. Em pauta os efeitos da modernidade, o descompasso da civilização humana e a necessidade de reaprender a vida nesse torvelinho de situações. Em tempo, a obra de Paz vem recebendo uma caprichada reedição pela Cosac Naify que já apresentou até o presente três títulos: O arco e a lira, Os filhos do barro e O labirinto da solidão. A editora prepara uma antologia com poemas do poeta.


Terça-feira, 05/08

>>> Argentina: Ditos de Borges

Primavera de 1971. Na Universidade de Columbia, Nova York, três sessões de diálogo com estudantes de escritura criativa entre Norman Di Giovanni, tradutor de Jorge Luis Borges para o inglês e o próprio autor em pessoa lendo de uma linha a outra seus próprios textos. Isso agora está reunido em El aprendizaje del escritor, editado originalmente em inglês em 1973 e agora, enfim, em espanhol. O livro se soma a outros textos recobrados de Borges; na última Feira do Livro de Buenos Aires, dois outros títulos foram apresentados: um comum breve conto Los Rivero e outro com uma conferência ditada na Universidade do Texas, em Austin.

>>> Brasil: Thiago Gonzaga em plena atividade

O colunista do blog Letras in.verso e re.verso apresentou mais dois títulos de sua já considerável bibliografia: o primeiro, Afonso Bezerra – No Rancho dos Bentinhos e outros contos. Trata-se de uma compilação inédita de contos escritos por Afonso Bezerra (1907-1930) publicados nos anos 1920 em jornais daqui do Rio Grande do Norte e do Rio de Janeiro. O livro sai pela Sebo Vermelho Edições. “Bezerra morreu muito novo (aos 22 anos, de tuberculose) e não chegou a lançar nenhum livro. Essa é a primeira vez que seus contos são reunidos”, destaca Thiago. O segundo é Impressões Digitais – Escritores potiguares Contemporâneos Volume 2,uma compilação de entrevistas de vários autores da velha e da nova guarda que seguem em plena atividade.Editado pela CJA Edições o livro é peça de uma série prevista para ter três números. Gonzaga oferece entrevistas que revelam pensamentos, convicções e detalhes da intimidade de escritores contemporâneos. A obra é dedicado a memória de Moacy Cirne (1943-2014), que faleceu antes de concluir a entrevista encaminhada por Thiago.


Quarta-feira, 06/08

>>> Brasil: Um dos últimos trabalhos de Oscar Wilde durante sua estada na prisão publicado aqui

De profundis sai pela Tordesilhas com Tradução de Cássio de Arantes Leite. Este é um de títulos de Oscar Wilde menos conhecidos. A edição que acaba de chegar às livrarias quer preencher esse espaço e trazer de volta à luz o episódio que culminou no ostracismo do autor irlandês. O livro foi publicado originalmente cinco anos após a sua morte e traz uma extensa carta escrita por Wilde durante sua estadia na prisão. Na Londres de 1895, ele viu sua fama e seu prestígio desmoronarem ao ser condenado a dois anos de prisão sob a acusação de indecência grave, considerado crime na época, em decorrência de seu escandaloso relacionamento homossexual com o jovem estudante de Oxford, Lord Alfred Douglas.

>>> Brasil: Câmara Cascudo e Prelúdio e fuga do real

Há algum tempo a Editora Global tem preparado uma extensa coleção com a obra de Câmara Cascudo - um dos nomes mais significativos das letras potiguares. Alguns desses títulos, dado o alcance, começam a ganhar reedição. É o caso de Prelúdio e fuga do real (reeditado agora com parceira da EdUFRN), uma dentre as mais de duzentas obras que deixou. Aqui, o autor lança-se num desafio instigante ao construir diálogos imaginários com figuras bíblicas e mitológicas. Nesta projeção de trocas de impressões sobre os dilemas humanos com personalidades como Maria Madalena, Caim, Montaigne, Erasmo, rei Midas, Dom Quixote, doutor Pangloss e outros, Câmara Cascudo revela suas aproximações e seus distanciamentos com a personalidade e o pensamento de muitos deles. E, ao estabelecer estas pontes em 35 capítulos, o autor aponta ao leitor um caminho precioso para conhecer e apreender sua rica visão do mundo.

>>> Estados Unidos: Drácula antes de Drácula

Drácula, de Bram Stoker terá servido de mote para toda sorte de produções sobre vampiros. Há filmes clássicos e outros o cúmulo do bestial. Entre efeitos especiais e numa sede contemporânea de saber o que veio antes de personagens dessa natureza é que em outubro chega aos cinemas Drácula – A história nunca contada. A produção confere uma boa dose de fantasia ao original: Vlad é um habilidoso guerreiro que lidera impetuosamente a região da Transilvânia. Conhecido como “Vlad, o Empalador”, por causa da técnica de tortura que aplicava a seus inimigos, tem uma vida menos violenta, ao lado de sua esposa e de seu filho. Mas, uma rivalidade que remonta aos tempos de sua infância faz com que Vlad seja o alvo da fúria de Mehmet II, sultão que lidera o Império Otomano e deseja governar a Transilvânia com mão de ferro. Mehmet II ordena que Vlad envie seu filho para lutar pelo exército otomano para que se transforme num assassino treinado. Decidido a apelar para as forças do mundo oculto para proteger a sua família e a Transilvânia, Vlad escala a sombria montanha onde vive Calígula, que o oferece um cálice de sangue. Após tomar o sangue, Vlad adquire poderes e se torna o lendário Conde Drácula. A estreia no Brasil é em 16 de outubro. Veja o trailer.


Quinta-feira, 07/08

>>> Brasil: Nova edição de Os Contos de Canterbury

Escritos entre 1386 e 1400, é o primeiro grande clássico da literatura em língua inglesa. Nesta obra, permeada de lirismo e humor, trinta peregrinos - entre os quais se inclui o próprio autor, Geoffrey Chaucer - partem em romaria para a catedral de Canterbury e durante a viagem contam, cada um à sua maneira, uma história para entreter o grupo, iluminando de maneira fascinante as diversas facetas da vida medieval. A editora 34 apresenta uma edição bilíngue com tradução de Paulo Vizioli, realizada diretamente a partir do original em inglês médio, além de notas adicionais e um posfácio redigidos por José Roberto O'Shea, professor-titular de literatura inglesa da UFSC. Além disso a obra vem com as xilogravuras realizadas para a primeira edição ilustrada do livro, impressa por William Caxton em 1483.

>>> Brasil: Paul Valéry apócrifo

O nome integra a seleta lista das maiores referências literárias do século XX; mas, poucos ouviram falar sobre dez obras fantasmas supostamente escritas e rechaçadas por Valéry. Pela primeira vez em livro, os poemas apócrifos são publicados em exclusivo para os leitores brasileiros. O trabalho é do poeta Márcio-André que se aventura numa estranha coletânea, tão improvável na bibliografia do escritor, a ponto de autor e tradutor se confundirem. Poemas Apócrifos de Paul Valéry, sai pela Confraria Editora. No Youtube foi disponibilizado um book trailer. Mas, atenção, há um jogo ficcional nesse trabalho. Estará ao alcance do leitor?

>>> Portugal: Carta aos meus avós - a partir de José Saramago

É sabida da relação cultivada por José Saramago pela figura de seus avós (imagem); citados no discurso pela recepção do Prêmio Nobel da Literatura em 1998 e figuras recobradas nos perfis de algumas de suas personagens mais significativas, eles também chegaram a ser personas, de fato, no universo de suas crônicas. Uma delas, inédita para os lados de cá do Atlântico, "Carta para Josefa, minha avó" publicada depois na antologia de crônicas "Deste mundo e do outro", recebeu a tradução para um vídeo. No link, leia e veja o texto.


Sexta-feira, 08/08

>>> Rússia: Maratona para a leitura de Anna Kariênina

Cerca de 700 pessoas vão participar de uma maratona de leitura on-line dedicado ao romance "Anna Kariênina". Esta ideia foi apresentada pelo Google e o Museu Liev Tolstói em Yasnaya Polyana. A maratona de 30 horas será transmitida ao vivo pelo Google+ e Youtube entre os dias 3 e 4 de outubro. Na lista de leitores estão atores, jornalistas, músicos, artistas, cientistas, blogueiros, usuários anônimos da internet e mesmo descendentes diretos de Tolstói. No ano passado (cf. divulgamos aqui) todos os 90 volumes de sua obra juntamente com os materiais biográficos completos foram publicado on-line num exercício hercúleo de mais de 3.000 voluntários de 49 países. Anna Kariênina foi publicado em 1878 e continua no topo listas dos maiores romances de todos os tempos junto com outro dos épicos de Tolstói, como Guerra e Paz

>>> Brasil: Revisitar a obra possível de Gregório de Matos 

Conforme comunicamos por aqui, a obra do poeta está sendo revisitada. A notícia que sai agora é que os livros estão prontos e saem pela Editora Autêntica. São cinco volumes dessa empreitada. A edição organizada por João Adolfo Hansen e Marcello Moreira é, até o presente, a mais completa já editada por aqui. Os volumes apresentam poemas coletados no Códice Asensio-Cunha que circularam em Salvador nas últimas décadas do século XVII e na primeira metade do século XVIII sob o nome “Gregório de Matos e Guerra”

>>> Casa Das Rosas será palco para peça teatral inédita de Haroldo de Campos

Graal - Legenda de um cálice é, ao que se sabe, a única peça teatral escrita por Haroldo de Campos, jamais lida ou levada ao palco. Logo abaixo do título, em algum momento, Haroldo acrescentou, à mão, as expressões "bufotragédia mefistofáustica" e "mefistofarsa bufotrágica", numa tentativa de classificar seu texto. O texto virá a lume durante a programação do evento HORA H. realizado desde 2003 por Ivan de Campos e Cid Campos com a colaboração de inúmeros amigos. O evento é em homenagem à obra e à memória de Haroldo e começou com o nome “Galáxia Haroldo”. "Hora H" veio a partir de 2006 quando as atividades passaram a ser abrigadas na Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. A programação completa pode ser lida aqui.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

L’amour, de Michael Haneke

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Sartre: a autenticidade e a violência

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay

Clara dos Anjos: a chaga dos anos 20

O progresso do amor, de Alice Munro