Boletim Letras 360º #80

Dedicatória de Carlos Drummond de Andrade a José Mindlin. A EDUSP apresentou uma edição que recolhe as mais significativas dedicatórias oferecidas ao bibliófilo. Saiba mais ao longo deste Boletim. 


Alcançamos mais uma semana: a novidade é que despachamos os últimos livros que faltavam ser entregues e no domingo cumpriremos mais uma dívida: faremos o tão esperado sorteio entre os seguidores do blog no Twitter (@Letrasinverso) Enquanto não chega o domingo, fiquemos com o que foi notícia durante a semana em nosso mural do Facebook.


Segunda-feira, 08/09

>>> Brasil: Nova edição de David Copperfield

Aos 164 anos da primeira edição, a Cosac Naify apresenta uma nova edição com tradução também nova para uma das obras máximas da literatura de Charles Dickens. Além do romance o livro traz textos de Sandra Vasconcellos, Jerome Buckley e Virginia Woolf, mais reprodução de manuscritos.

>>> Brasil: Mais ficção científica na biblioteca dos brasileiros

Tem algum tempo que vimos acompanhando os lançamentos da Editora Aelph que, apesar de não ter sido criada para a publicação de livros de ficção científica tem enveredado por este gênero com bastante sucesso. Ao todo, soma-se 37 títulos e para 2015 prepara a chegada de mais 40, entre eles, Flowers to Algernon, de Daniel Keyes, Planeta dos macacos, de Pierre Boulle, Ancillary Justice, de An Leckie e Tropas estelares, de Robert Heinlein.


Terça-feira, 09/09

>>> Brasil: A reedição de uma coleção histórica: a sermonística de Padre António Vieira

Os sermões de Padre António Vieira representam a mais alta prosa já escrita em língua portuguesa. Na síntese de Fernando Pessoa, eles compõem 'uma grande certeza sinfônica'. É essa grande sinfonia da língua e seus sentidos que o leitor encontra na reedição pela Editora Hedra dos cinquenta principais sermões divididos em dois volumes (cotejados com a primeira edição, organizada pelo próprio Vieira). Além de um alentado estudo do gênero em seu auge, de autoria do organizador destes volumes, Alcir Pécora (professor de Teoria Literária da Unicamp), e 2500 notas de identificação e tradução das citações e referências presentes nos sermões.

>>> Brasil: A literatura holandesa vem para este lado do Atlântico

No primeiro semestre de 2015 - noticia o Painel das Letras - a Editora Hedra vai publicar Antologia do conto holandês (título ainda provisório) com 16 textos inéditos em português de autores clássicos do país. Organizados cronologicamente, há peças de entre 1839, ano considerado marco inicial da literatura holandesa moderna e 1939. Estão na antologia nomes como Hildebrand, Multatuli, Simon Vestdijk (imagem). A seleção e tradução é de Daniel Dago.


Quarta-feira, 10/09

>>> Estados Unidos: Edição comemorativa de A fantástica fábrica de chocolate traz capítulo perdido

Livro de Roald Dahl, que completa 50 anos, teve conteúdos descartados pelo autor à época por serem 'subversivos'; eram trechos como "Charlie bucket" ("O balde do Charlie"), originalmente o quinto capítulo do romance. Na passagem, o pequeno Charlie é acompanhado pela mãe (e não o avô, como é conhecido) à fábrica que dá nome ao livro. Dois personagens, que nunca chegaram a aparecer no romance, quase são esmagados e retalhados ao tentarem roubar caramelo de vagões que se dirigiam à sala de prensagem e corte dos doces. A obra já teve duas versões para o cinema: a de 1971, com Gene Wilder no papel de Willy Wonka não foi sucesso de bilheteria, mas se tornou um clássico do cinema; a de 2003, de Tim Burton, com o velho colega Johnny Depp, arrecadou valores estratosféricos. A obra sai nos Estados Unidos pela Penguin.

>>> Brasil: Prêmio chileno reconhece a obra do brasileiro Silviano Santiago

Os estudantes de literatura já são conhecedores da obra ensaística de Santiago. Mas, também romancista e poeta, o brasileiro recebe um dos mais importantes prêmios na América Latina. Pela Universidade de Talca, do Chile, Silviano leva o Prêmio José Donoso. Criado em 2001, o prêmio já reconheceu grandes nomes de língua espanhola ou portuguesa: José Emilio Pacheco (México), Beatriz Sarlo (Argentina), Isabel Allende (Chile), Antonio Cisneros (Peru), Ricardo Piglia (Argentina), António Lobo Antunes (Portugal), Miguel Barnet (Cuba), Javier Marías (Espanha), Jorge Volpi (México), Diamela Eltit (Chile), Sergio Ramírez (Nicarágua), Juan Villorro (México) e Pedro Lemebel (Chile).


Quinta-feira, 11/09

>>> Brasil: A lista de afetos de José Mindlin

Antonio Candido, Câmara Cascudo, Rachel de Queiroz, João Cabral de Melo Neto, Pedro Nava, Gilberto Freyre, Fernando Sabino, Adélia Prado, Manoel de Barros, Jean-Claude Carrière, Ana Miranda,Carlos Drummond de Andrade, são nomes da extensa biblioteca do bibliófilo José Mindlin. Todos eles ofereceram livros a ele com dedicatórias singelas. Parte delas está agora reunida num livro. Para a tão falada Biblioteca José e Guita Mindlin, foi publicado recentemente pela Editora da USP e reúne 124 das melhores dedicatórias da “tão falada” coleção. Organizada pela neta do casal, a designer gráfica e fotógrafa Lúcia Mindlin Loeb, a edição compila pormenores deliciosos da vasta lista de amizades do casal: como a escrita no Natal de 1951, por Drummond oferecendo-lhe um exemplar de seu livro Claro enigma com os versos: “Poesia, não perdida/ achada, lume geral, mas quinta-essente,/ rosa (teu livro) na orvalhada,/ já no futuro está presente”. Ou, do poeta a dedicatória do livro A visita: “A José Mindlin, que, em sensibilidade de esteta e devoção à poesia, idealizou, projetou e executou o corpo gráfico — perfeito — deste livro. O abraço agradecido, contente e afetuoso de Carlos Drummond de Andrade, 17 de dezembro de 1977”; ainda, no exemplar de Alguma poesia, escreveu: “Caro José Mindlin, você me trouxe este testemunho da minha mocidade. Mas por que não me trouxe a própria mocidade?”; e, na folha de rosto de “Contos de aprendiz”, em 23 de julho de 1981: “Falta luz? Que importa. A amizade de José Mindlin me ilumina”.

>>> Portugal: Os 8O anos de Mensagem, de Fernando Pessoa

Foi a única obra que o poeta português viu publicada em vida. Lançado em 1º de dezembro de 1934, a obra alcança, agora em 2014, 8O anos. Para assinalar a data, a Casa Fernando Pessoa em Portugal, Lisboa, se beneficia das exposições periódicas com acervo da biblioteca daquela instituição (biblioteca especializada em poesia, diga-se) e prepara uma mostra alusiva a Mensagem. Até ao final do ano estão em exposição várias edições da obra, desde as edições recentes à raríssima edição editada em 1934.

>>> Rússia: Ver Liev Tolstói

Sempre teremos pensado no autor de 'Guerra e paz' preso na zona rural e sem contato com os efeitos da mídia. Não foi bem assim: tão logo chegou o vídeo na Rússia, logo correram para captar particularidades do dia-a-dia doescritor já popular pelos grandes romances até então escritos. O resultado é essemaravilhoso vídeo de pouco mais de 10min com filmes de 1910. Pena é que os recursos de som só se desenvolveria muito depois de sua morte.


Sexta-feira, 12/09

>>> Escócia: Romances para serem lidos só daqui a 100 anos

No todo a ideia irá reunir 100 nomes da literatura. O primeiro deles já assumiu compromisso: Margaret Atwood prepara um romance que nunca será lido pelos dessa geração. O projeto Biblioteca do Futuro, concebido pela jovem artista escocesa Katie Paterson,começou, em silêncio com o plantio de uma floresta de 1.000 árvores em Nordmarka nos arredores de Oslo e vai se desdobrar lentamente ao longo do próximo século: todos os anos, até 2114, um escritor será convidado a contribuir com um novo texto para a coleção, e, em 2114, as árvores serão cortadas para fornecer o papel para os textos a serem impressos - e, finalmente, serem lidos.

>>> Portugal: Nova adaptação de Os Maias para o cinema tem estreia

Há algum tempo tínhamos comentado por aqui acerca dessa empreitada do cineasta João Botelho. Os Mais - cenas da vida romântica é uma leitura do romance de Eça de Queirós que narra a vida de três gerações de uma família da burguesa. A produção deve chegar ao Brasil em breve, visto que, a coprodução partiu daqui. O filme decorre num ambiente muito operático, porque os interiores foram filmados em palacetes, sobretudo em Lisboa, e os exteriores são todos filmados em estúdio, usando telas de grandes dimensões, pintadas pelo artista plástico João Queiroz.

>>> Brasil: Chega às livrarias duas traduções do extenso romance Paradiso

Mesmo a obra de José Lezama Lima não estando em domínio público para que novas traduções saiam assim à vontade, graças a um desacerto editorial, o leitor brasileiro tem acesso a duas traduções publicadas por duas editoras diferentes: a Estação Liberdade traduzida por Josely Vianna Baptista e da Martins Fontes traduzida por Olga Savary. Verter Paradiso não é tarefa simples simples. No romance barroco – e quase autobiográfico –, o poeta experimenta com a linguagem para contar a história do também poeta José Cemí – da infância asmática à descoberta da vocação.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

L’amour, de Michael Haneke

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Sartre: a autenticidade e a violência

Como enfrentar Ulysses

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay