Boletim Letras 360º #81

Escrever o nome de José Saramago no Guiness Book. Como? Veja a imagem e leia a notícia ao longo deste boletim.


Esta semana realizamos dois sorteios para os amigos que acompanham o Letras in.verso e re.verso. No Twitter, uma edição de Amor em jogo, da Simone Elkeles. Esse foi coisa rápida e o brinde está em vias de ser encaminhado à ganhadora. Mas, no Facebook, iniciamos outra: daremos aos leitores dois exemplares do romance inacabado de José Saramago a ser publicado nesse final de mês. Quer notícia melhor que essas para iniciar o final de semana? Pois, só em contato com a 81ª edição do BO Letras 360º, a seguir:


Segunda-feira,15/09

>>> Brasil: Homenagens a Rodrigo de Souza Leão

O autor ganha um documentário e site especial. Tudo vai ficar da cor que você quiser tem estreia no Festival do Rio. Com direção de Letícia Simões (autora de Bruta aventura em versos, sobre Ana Cristina Cesar), produção de Pedro Cezar (de Só dez por cento é mentira, sobre Manoel de Barros) - e roteiro de Letícia e do poeta Ramon Nunes Mello, curador da obra de Rodrigo. Além de depoimentos de amigos e pessoas que conviveram com o escritor, o filme apresenta áudio inédito de entrevista feita por Nunes Mello com Rodrigo em 2009. Nos bastidores editoriais Nunes organiza uma antologia poética do autor Me roubaram uns dias contados; foi anunciado também um site com o material que não coube no filme.

>>> Brasil: Reviver Graciliano Ramos

A proposta é de Selma Caetano, curadora da mostra Conversas com Graciliano Ramos que tem abertura amanhã, 16/09, no Museu da Imagem e do Som - MIS SP Ela pesquisou entrevistas, documentos e cartas do escritor e montou um calhamaço de 800 páginas e depois foi improvisando-se perguntas que chegariam às respostas aí preparadas. Depois, o ator Marat Descartes incorpora o autor de Vidas secas. Tudo foi gravado numa só tomada. Para compor a personagem o ator foi às fotos de Graciliano; a caracterização inclui terno e óculos iguais aos que o escritor usava e, claro, não podia faltar o inseparável cigarro. Como não existe registro da voz de Graciliano a saída foi conversar com parentes que indicou a fala do escritor como próxima à do ministro do Esporte Aldo Rebelo. O vídeo vai para a mostra, mas o Globo News Literatura apresenta na sexta-feira às 20h.


Terça-feira, 16/09

>>> Brasil: Reedição da obra de Adolfo Bioy Casares 

As vésperas de Fausto foi publicado por financiamento do próprio autor em 1949; depois de muitas modificações, Bioy incluiu o material em História prodigiosa em 1956. Os dois livros ganham reedição no Brasil e saem no primeiro tomo da obra completa de Adolfo Bioy Casares, no próximo mês de novembro pelo Selo Biblioteca Azul, da Globo Livros. Pelo mesmo selo e editora saem ainda Crônicas de Bustos Domecq / Novos contos de Bustos Domecq, Um modelo para a morte/ Os suburbanos/ O paraíso dos crentes e Seis problemas para Dom Isidro Parodi & Duas fantasias, livros escritos por Bioy e Jorge Luis Borges.

>>> Brasil: Antologia com textos de Górki

Mais uma edição preparada pela Editora 34. De Maksim Górki, autor de romances, peças teatrais e livros de memórias, e um dos grandes nomes da literatura russa que teve seus contos admirados por escritores do porte de Tolstói e Tchekhov, chega ao Brasil Meu companheiro de estrada. A obra apresenta um conjunto de dezesseis narrativas curtas redigidas entre 1894 e 1923, cuidadosamente selecionadas e traduzidas por Boris Schnaiderman. A coletânea é uma excelente introdução à obra deste autor que, vindo de uma família pobre, foi um revolucionário de primeira hora e soube retratar como ninguém as classes populares e os indivíduos marginalizados de seu país.

>>> Brasil: Espalhar livros país afora

Largar livros por onde passa para que outra pessoa leve e leia. Não é uma proposta inédita, tampouco inusitada. É uma proposta de quem sabe que doar leitura é também uma forma de salvar vidas. Felipe Brandão, jornalista de Pindamonhangaba, no interior São Paulo levou adiante esse gosto e “Esqueça um Livro”, tornou-se um projeto de intervenção daqueles bacanas. A iniciativa foi inspirada no conceito BookCrossing, que surgiu nos Estados Unidos, motivando as pessoas a passarem adiante seus livros para fomentar a leitura. As intervenções já saíram do raio onde vive Felipe e chega a lugares como Juazeiro do Norte, no Ceará, e ganha adeptos fora do país. Felipe mantém a página Esqueça um livro onde alimenta com pistas de onde pode ter livros esquecidos e como os interessados em aderir ao projeto podem participar.


Quarta-feira, 17/09

>>> Brasil: Mostra sobre Moacyr Scliar

Acompanhamos por aqui desde a ideia; agora, eis a materialização dela: Moacyr Scliar, o Centauro do Bom Fim é o nome de uma exposição já aberta ao público no Santander Cultural de Porto Alegre (RS). A curadoria é de Carlos Gerbase com a ajuda das professoras Regina Zilberman e Marie Hélène Passos, do jornalista Gabriel Oliven, da cineasta Cláudia Dreyer e da produtora Luciana Tomasi. A obra autobiográfica O texto, ou: a vida, de Scliar, foi mola para o roteiro que conta a vida do escritor por meio de objetos pessoais, como manuscritos e obras originais.

>>> Brasil: Não teremos mais a poesia do Caio Fernando Abreu (ao menos por enquanto)

Temos acompanhado por aqui a querela de publicação ou não da poesia de Caio Fernando Abreu. A nova, agora, é que, não, não teremos mais Poesias nunca publicadas de Caio Fernando Abreu. O livro fora anunciado em 2012; chegou a ser distribuído, mas a editora cancelou a exposição do material - 3 mil exemplares - alegando erro editorial; agora sai a decisão de que não publicará mais os tais poemas. O motivo é ainda o erro crasso das organizadoras. Letícia da Costa Chaplin e Márcia Ivana de Lima e Silva incluíram uma letra da canção 'Barato total', de Gilberto Gil como se fosse um poema de Caio. "O erro impôs uma grande insegurança e inviabilizou a parceria com as organizadoras", diz a editora Record (que publicaria a obra) ao jornal Folha de S Paulo. A família de Caio mantém a decisão de publicar os poemas; agora, por outra editora.


Quinta-feira, 18/09

>>> Portugal: Escrever o nome de José Saramago no Livro dos Recordes

Compor o rosto de José Saramago com 300 mil rolhas de cortiça. O acontecimento faz parte do Festival Sete Sóis Sete Luas e trata-se do trabalho do artista plástico Saimir Strati. A intenção é incluir o feito no Guiness como o maior mosaico do mundo elaborado com rolhas de cortiça, sendo que já do artista o recorde do gênero: o trabalho de antes teve 91 metros quadrados, elaborado com 229.764 rolhas de cortiça, intitulado "Romeu com uma coroa de uvas, tocando guitarra enquanto dança com o sol e o mar". Saimir Strati é conhecido pelos mosaicos gigantes. As obras de Leonardo da Vinci são uma das fontes de inspiração do artista albanês, que reproduziu o autorretrato do pintor e escultor italiano com pregos colocados em diferentes alturas e ângulos, o que lhe confere uma diferenciação de tonalidades. É ele também o autor de um mosaico com um milhão e meio de palitos de dentes que representa um cavalo, que foi retratado em muitos desenhos de Leonardo da Vinci.

>>> Inglaterra: Assim morreu Ricardo III

Tão logo saiu a reconstrução de como era o rosto de Ricardo III comentamos por aqui; agora, ampliamos a notícia da época com as informações sobre o desfecho das investigações em torno dos restos mortais do monarca morto na Batalha de Bosworth em 1485. As informações agora dadas por definitivas dizem que o rei retratado por William Shakespeare como um vilão ambicioso e cruel sofreu ao menos onze feridas, das quais duas no crânio foram fatais; a terceira na região da pélvis também se apresenta como potencial de causa para a morte rápida, cf. Sarah Hainsworth, autora do estudo publicado na edição digital da revista The Lancet. Mas os pesquisadores dizem que grande parte dos ferimentos foram provocados por um punhal com o corpo já inerte do monarca. “Um cavalo, um cavalo. Meu reino por um cavalo!”, clama Ricardo III na obra homônima de Shakespeare que parece adaptar-se como guia à tese dos pesquisadores da Universidade de Leicester. As descobertas apontam ainda que o rei sofria de escoliose.

>>> Brasil: Mais um livro de crônicas de Moacyr Scliar

Agora com os textos publicados no jornal Folha de S. Paulo entre 2008 e 2010. "A banda na garagem" sai pela Editora Edelbra nesta semana, quando em Porto Alegre se consolida uma série de atividades em homenagem ao escritor.E uma vez mais falarmos sobre o escritor gaúcho, veja no Tumblr do Letras galerias com fotos de Scliar. 


Sexta-feira, 19/09

>>> Brasil: Uma obra sobre a obra de João Cabral de Melo Neto

A Cosac Naify apresenta uma reunião de leituras de Antonio Carlos Secchin sobre a obra de João Cabral de Melo Neto. 'Uma fala só lâmina' é organizado em duas seções: em A poesia do menos, o crítico analisa em vinte textos os vinte livros de João Cabral, cronologicamente. Essa parte é uma reedição do livro João Cabral: a poesia do menos, publicado em 1999, porém ampliada em seis capítulos: “O poeta aponta” (sobre Primeiros poemas), “Frei Caneca: a voz silenciada” (sobre Auto do frade), “Outras paisagens” (sobre Agrestes), “Ouvindo dizer” (sobre Crime na calle Relator) e “Ponta final” (sobre o derradeiro Sevilha andando). Na segunda parte, intitulada “Outros ensaios”, estão reunidos textos e comunicações de Secchin antes esparsos, fundamentais para uma leitura aprofundada da obra de João Cabral. O livro conta ainda com uma seleção iconográfica feita pelo autor, com as capas das primeiras edições dos livros do poeta pernambucano.

>>> Brasil: Romance de Lídia Jorge chega às livrarias do país

Ela é um dos principais nomes da atual literatura portuguesa; depois de um largo verão sem edições da escritora publicadas no Brasil, a editora LeYa apresenta o romance Combateremos a sombra, que foi lançado em Portugal há sete anos. A obra chega às livrarias até o final de outubro.

>>> Brasil: Levaram a caneta de Graciliano Ramos

Ocorre a exposição Conversas com Graciliano Ramos  no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, sobre a vida e a obra do escritor brasileiro (cf. dissemos acima). O evento está suspenso temporariamente; passará por ajustes depois que desapareceu uma das canetas do escritor aí expostas. Enquanto isso, uma campanha tenta reaver o objeto sem a intenção de criminalizar ninguém. A caneta fazia parte de um ambiente que retrata o local de trabalho do escritor. Para a curadoria do evento a pessoa que retirou o objeto do lugar não tem a noção exata da importância da caneta no contexto da exposição, além do valor histórico da peça. A exposição tem data para reabrir no próximo dia 22 de setembro sem objetos como a carta escrita por Graciliano a Getúlio Vargas, exemplares de livros autografados pelo escritor, as duas canetas tinteiros que restaram e um porta-retrato original.

>>> Brasil: Está on-line Manoel de Barros: Língua de Brincar

Um filme lindo! E recomendamos a todos! Uma carta traça o caminho de uma viagem ao encontro do poeta Manoel de Barros, percorrendo sobretudo a paisagem da palavra. Tal paisagem será recortada por outra, dos leitores de Barros, focalizados aqui sob o prisma do afeto e da amizade. Filmado em 2006, é o primeiro filme da trilogia "Absolutamente Sós", cujo segundo filme, foi sobre Maria Gabriela Llansol. No elenco Júlia Branco, Rafael Fares, João Rocha, Mia Couto, Maria Bethânia, Ondjaki, Paulo de Andrade, Berta Waldman, Betty Mindlin, José Mindlin, Maria Inês de Almeida, Stella e o próprio poeta Manoel de Barros. A direção é Lucia Castello Branco e Gabriel Sanna. Pode ser assistido indo aqui.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Onze livros sobre escravidão e racismo na literatura estadunidense

Boletim Letras 360º #241

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

O túmulo de Oscar Wilde

Angela Carter, a primazia de subverter

Ivan Búnin