Boletim Letras 360º #82


Jack Keroauc e os textos da adolescência. Leilão recupera inéditos do escritor.


Chegamos ao fim de mais uma semana e estamos já a mil para a semana vindoura! Sim, a gente não para. Mas, tenhamos calma. Hoje, sábado, é a vez de voltarmos ao que foi notícia durante a semana lá em nossa página no Facebook, sempre cheia de novidades e que aguarda sua visita. Basta um clique ao lado direito da tela. Vamos lá?

Segunda-feira, 22/09

>>> Estados Unidos: Inéditos de Jack Kerouac antes de ser Jack Kerouac

O material apresentado por esses dias vai a leilão em novembro pela Casa Skinner. São 17 cartas, dois cartões postais e sete fragmentos de texto. Entre os aquivos estão correspondências particulares trocadas entre Kerouac e o amigo da juventude Apóstolos no final dos anos 1930 e começo de 1940. Nelas, Kerouac faz menção a velhas aventuras colegiais, a saudades de sua casa em Lowell e descreve suas descobertas sociais, bebedeiras, festas e experiências com garotas. A amizade entre Kerouac e Apóstolos nunca foi mencionada por biógrafos, uma vez que os textos nunca estiveram disponíveis para pesquisadores e para o público.

>>> Brasil: Uma exposição para Gregório de Matos

O Boca do Inferno deve ser o próximo escritor a ganhar uma exposição no Museu da Língua Portuguesa. Para o título da mostra prevista para 2015, que ficará em cartaz por quatro meses, os organizadores escolheram o apelido menos conhecido e menos impactante do poeta: 'Gregório de Matos, o Boca de Brasa'. Entre os desafios estão reproduzir o clima da época e, sobretudo, mostrar imagens do homenageado nascido há 378 anos. Este ano, cf. dissemos aqui, a obra do poeta é integralmente reedita pela editora Autêntica.

Terça-feira, 23/09

>>> Portugal: Novo livro de António Lobo Antunes

Desde meados de 2013 que anunciamos por aqui a chegada do que pode ser o último romance de António Lobo Antunes. A obra deve ser publicada em meados de outubro próximo. "Caminho como uma casa em chamas" sai pela Editora Dom Quixote. Trata-se de uma narrativa que se passa dentro de um edifício onde os moradores são narradores solitários de si mesmos, incapazes de compreender e de ser compreendidos.

>>> Portugal: Uma edição sobre outra edição

Trata-se da 28ª leva da Revista Blimunda. E grande parte dela é dedicada ao que seria o último romance de José Saramago. Pilar del Río redige um comovente e incisivo editorial - sinalizando ora o gesto de fechamento de uma obra e a responsabilidade dada aos leitores de levá-la adiante ora reafirmando o compromisso de Saramago com o homem. Alabardas, alabardas é o grito de quem nunca se cansou de debater questões caras à comunidade humana. Além de um texto sobre o romance inacabado e de uma entrevista com Luiz Eduardo Soares, antropólogo e especialista em segurança pública que assina o prefácio da edição brasileira do livro, a revista traz as palavras de quatro editores envolvidos no processo de publicação do romance. João Pina registra pela fotografia a Operação Condor, aliança forjada entre os regimes militares e ditatoriais de vários países do Cone Sul da América e a CIA, nos anos 70 do século passado. O texto sobre o livro do fotógrafo português é assinado por Sara Figueiredo Costa. Na seção Cinema, João Monteiro apresenta a segunda parte do seu artigo sobre literatura negra e cinema negro. Para fechar a revista, a Saramaguiana recupera o manifesto de José Saramago contra a Guerra no Iraque, apresentado publicamente na Porta do Sol – Madrid, em 2003, diante de centenas de milhares de pessoas que se manifestavam contra mais um episódio de uma história feita de guerra e de barbárie. Para download aqui.


Quarta-feira, 24/09

>>> Brasil: Pagu, vida e obra

Em 1982, quando Pagu: vida-obra foi lançado pela editora Brasiliense, quase nada se sabia sobre essa importante personagem do modernismo no Brasil. Além das fotografias que documentavam sua estonteante beleza e da aura de escândalo proporcionada pela participação na ruidosa “segunda dentição” do movimento antropofágico (amplificada por seu tumultuado relacionamento com Oswald de Andrade), pouca coisa restava de Pagu. Seus artigos na imprensa estavam dispersos em jornais extintos; seus livros, ainda inéditos ou já esgotados; a história de sua militância política, apagada. No entanto, o poeta e estudioso da história do modernismo Augusto de Campos surpreendeu os meios literários ao realizar nesta antologia sui generis o mais completo e ambicioso resgate da produção artística, literária e jornalística da autora de Parque industrial. Há muito esgotado, o livro ressurge pela Companhia das Letras em edição revista e ampliada, que inclui novos textos, dezenas de ilustrações e fotografias.

>>> Brasil: As aventuras do Barão de Munchausen

A Editora Cosac Naify expande seu catálogo com clássicos. Depois de anunciar uma tradução inédita para a 'disseia, de Homero, anuncia para novembro a chegada de As surpreendentes aventuras do Barão de Munchausen. A obra de Rudolf Erich Raspe sai com 17 capítulos inéditos e ilustrações de Rafael Coutinho.


Quinta-feira, 25/09

>>> Brasil: Vem aí mais um dia de homenagens a Carlos Drummond de Andrade, o Dia D

O Instituto Moreira Salles organiza a 4ª edição do Dia D – Dia Drummond. A ideia foi lançada em 2011 com o objetivo de fazer com que o dia 31 de outubro, data do nascimento do poeta brasileiro, seja comemorado e faça parte do calendário cultural do país. A grande novidade deste ano é o longa-metragem Vida e verso de Carlos Drummond de Andrade, produzido pelo IMS, com roteiro e direção de Eucanaã Ferraz e fotografia de Walter Carvalho. Baseado na leitura criada para o palco do IMS/Rio em 2013, o filme reúne quatro importantes escritores contemporâneos: Joca Reiners Terron, Antonio Cicero, Alberto Martins e Afonso Henriques Neto. Joca faz as vezes de narrador, contando fatos marcantes da vida de Drummond, enquanto os outros pontuam a cronologia com leituras de poemas, trechos de cartas, diários, crônicas e ensaios críticos. Do nascimento à morte, Drummond aparece no filme de corpo e alma, com humor, ironia, emoção. Enfim, um gênio de muitas faces — mineiro, brasileiro, universal, moderno, eterno. O filme estará disponível em DVD para exibição e venda já no dia 31 de outubro. O trailer pode ser visto em aqui.

>>> Brasil: Tornar público Wander Piroli

O nome é ainda um dos desconhecidos da literatura brasileira. Em breve esse silêncio em torno de Wander Piroli pode ter fim depois da aquisição dos direitos de publicação de sua obra completa por uma grande editora. A Cosac Naify inicia ainda em 2014 a edição do João Antônio mineiro, como fora apelidado o escritor e jornalista cuja escrita ficou conhecida como ácida, realista, cortante e alinhavada por um lirismo. Sua obra de maior destaque é o infanto-juvenil O menino e o pinto do menino (a obra será reeditada em 2015). Desse núcleo de produção, a editora publicará nove títulos, alguns deles inéditos. Todo material é ilustrado por Odilon Moraes (O matador, este sai em 2014, Nem filho educa pai, Os dois irmãos e Os peixes saem andando) e as noveletas por Lelis (Três menos um é igual a sete, ainda em 2014, Os rios morrem de sede, Macacos me mordam!, Se não tem pra nós, não tem pra ninguém). Foi disponibilizado um site para o escritor aqui.

>>> Brasil: Conversas com Graciliano Ramos

Uma obra-prima para leitores e estudiosos da obra do escritor de Vidas secas. Mais de dez anos de pesquisa por Ieda Lebensztayn e Thiago Mio Salla aparecem numa edição impressa que antes passou pelo intenso contato com jornais e documentos oficiais. Conversas será apresentado em dois volumes: um a sair este mês e outro ainda por concluir. Este reunirá depoimentos de amigos e familiares, também publicados na imprensa – gente como José Lins do Rêgo, Jorge Amado, Rubem Braga -, assim como uma entrevista inédita com Luiza Ramos Amado, filha de Graciliano. O volume apresenta mais de 400 páginas mais um encarte.

>>> França: Uma exposição para Antonio Tabucchi 

Os arquivos pessoais de Antonio Tabucchi foram doados pela sua mulher, Maria José de Lancastre, à Biblioteca Nacional Francesa. A partir deles abre-se uma exposição na Galeria dos Doadores, em Paris, e que estará patente até dia 9 de novembro. Nela, os seus manuscritos de trabalho, redigidos a maior parte das vezes em cadernos escolares, constituem o fio condutor. Seguindo um percurso que levará o visitante entre a Itália e Portugal, viagens e contos, sonhos e história, esses textos vão permitir a aproximação à intimidade de uma escrita aventurosa e evocar o diálogo que ela mantém com a arte, o cinema, o compromisso político, sem esquecer a literatura, representada pela figura de Fernando Pessoa - motivador da paixão de Tabucchi pela literatura e língua portuguesa. A estes cadernos manuscritos vêm juntar-se algumas das cartas recebidas dos seus amigos escritores e artistas do mundo inteiro, mas também edições, traduções e numerosos documentos relativos aos filmes e peças de teatro tirados dos seus livros ou reveladores da sua ação pública e militante. Fotografias, imagens, cartazes, e extratos de vídeos integram esta ilustração do imaginário e da vida de um dos grandes escritores do nosso tempo.


Sexta-feira, 26/09

>>> Portugal: João Cabral de Melo Neto, Machado de Assis e Euclides da Cunha além-mar

A Editora Glaciar apresenta uma invejável coleção aos leitores de língua portuguesa. Em parceria coma Fundação Calouste Gulbenkian e Academia Brasileira de Letras, 'Biblioteca da academia' reúne, já no seu laçamento a apresentação de três autores brasileiros: em 'Os romances de Machado de Assis', obras como Ressurreição, A mão e a luva, Iaiá Garcia, Memórias póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Dom Casmurro, Esaú e Jacó e Memorial de Aires; de Euclides da Cunha, Os sertões e a poesia completa de João Cabral de Melo Neto. Além desses títulos, ganha edição portuguesa Dialética da colonização, do crítico Alfredo Bosi.

>>> Brasil: Os contos de e. e. cummings

Publicado pela primeira vez em 1965, 4 contos reúne histórias marcantes que o poeta construtivista escreveu para a filha e para o neto, neste que foi seu único livro para crianças. Os contos tocam em temas familiares como o amor e o nascimento, e transportam o leitor a um universo fantástico: um elfo examina os problemas de todos os habitantes do céu até que um homem que só sabe perguntar “por que” atrapalha a paz de todo mundo; um elefante nutre um carinho por uma borboleta; uma casa solitária se apaixona por um pássaro; e, finalmente, uma menina chamada Eu encontra uma menina idêntica chamada Você durante uma brincadeira de faz de contas. A edição contém ainda posfácio do editor George James Firmage e ilustrações de Guazzelli, que imprime ao livro uma narrativa visual própria, unindo os quatro contos num universo ficcional coeso.

>>> Argentina: Um museu para Ernesto Sabato

Assinalando a passagem dos 103 anos do escritor feitos agora em 2014, sua casa em Santos Lugares, província de Buenos Aires, é um museu dedicado à sua vida e obra. O projeto foi realizado pela família do escritor, liderado pelo filho, o cineasta Mario Sabato. Sabato viveu na casa durante 65 anos. Antes de sua chegada, em 1945, o local havia sido residência de Jorge Amado (1912-2001). O escritor baiano se exilou no Uruguai e na Argentina em 1941 e 1942. A residência, construída em 1927 pelo pioneiro do cinema argentino Federico Valle, oferece ao visitante textos inéditos do autor de Sobre heróis e tumbas, como manuscritos, anotações, fotos, cartas, além da produção de Matilde Sabato (1916-1998), contista, poeta e mulher do autor por mais de 60 anos. Em cada espaço da casa um vídeo de Sabato, transformado em guia espectral de seu museu.
..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alguns dos melhores começos de romances

Uma entrevista inédita com Liev Tolstói

Água viva, de Clarice Lispector

Potnia, de Leonardo Chioda

Avenida Niévski, de Nikolai Gógol

A lista de leituras de Liev Tolstói

De Mário Peixoto, é preciso virar a página

A ignorância, de Milan Kundera

O romance perdido de Sylvia Plath

Boletim Letras 360º #236