Boletim Letras 360º #86


Detalhe de uma correspondência de Van Gogh. Pesquisadores preparam-se para apresentar uma edição com cartas do pintor. Mais informações a respeito ao longo deste boletim. 

Uma semana dedicada às leituras e para preparar as celebrações que faremos em louvor de nosso aniversário de sete anos on-line. Aguardem só quando entrar novembro. Enquanto o mês seguinte não chega, relembremos aquilo que publicamos de notícia esta semana em nossa página no Facebook que caminha para os 12 mil seguidores. 

Segunda-feira, 20/10

>>> Estados Unidos: Um conjunto de materiais inéditos de Flannery O'Connor

Os estudiosos ou simplesmente leitores da obra de Flannery O'Connor estão prestes a ampliar suas informações sobre a escritora. Através de um acordo assinado entre os parentes detentores dos direitos autorias de O’Connor e pesquisadores da Universidade Emory, trinta caixas de cartas inéditas e outros materiais, incluindo cerca de 600 correspondências que ela escreveu para sua mãe, enquanto estava exilada no Norte, breve estarão ao alcance de todos.

>>> Portugal: Peixinho também é: o novo vencedor do Prêmio LeYa é trineto de Eça de Queirós

Afonso Reis Cabral foi premiado por O meu irmão, romance eleito entre os 361 títulos de língua portuguesa vindos de 14 países diferentes. A obra será publicada pela LeYa. No júri Manuel Alegre, Nuno Júdice, Pepetela, José Castello e José Carlos Seabra Pereira, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Lourenço do Rosário, reitor do Instituto Superior Politécnico e Universitário de Maputo, e Rita Chaves, professora da Universidade de São Paulo, elegeram a obra em questão. No ano passado, a distinção foi, pela primeira vez, para uma mulher: Gabriela Ruivo Trindade, de 43 anos, portuguesa residente no Reino Unido, pelo romance "Uma outra Voz". Do Brasil, Murilo de Carvalho ganhou o prêmio em 2008.

>>> Holanda: As cartas de Van Gogh reunidas pela primeira vez em livro acessível ao público

Além de suas muitas pinturas e desenhos notáveis, Vincent van Gogh deixou para trás um volume fascinante de correspondências. Pela primeira vez Leo Jansen, Hans Luijten e Nienke Bakker, estudiosos desse material reúnem em livro altamente uma ampla seleção de 265 cartas, de um total de 820 existentes. São correspondências que se concentram na busca incessante de como Van Gogh encontrou o seu destino nas artes ou o que o levou a se tornar um artista; o vínculo estreito com seu irmão Theo; o seu relacionamento com o pai; seu desejo inato de reconhecimento; e seu grande amor pela arte e pela literatura. A correspondência não só oferece um panorama detalhado da vida interior e complexa de Van Gogh, mas também recria o mundo em que vivia e do avant-garde artística que estava tomando conta de Paris. As cartas são acompanhadas de uma introdução geral, fotografias históricas da família Gogh e reproduções de 87 páginas reais de cartas que contêm esboços do artista. O material foi selecionado a partir do aclamado conjunto de 6 volumes de cartas publicadas pelo Museu Van Gogh em 2009, mas publicado com tiragem limitadíssima.

Terça-feira, 21/10

>>> Inglaterra: Os diamantes perdidos de Agatha Christie

Uma fã descobriu um conjunto de diamantes da escritora de romances policiais mais quista desde sempre. As joias há muito que estavam esquecidas num cofre de metal aparafusado e no fundo de um porta-malas que pertenceu a Agatha e comprado por Grant em 2006. Depois de abrir a caixa com um pé de cabra, ela encontrou uma bolsa de moedas de ouro, um broche e um anel de diamante de três pedras, itens que são mencionados na biografia da escritora como peças que seriam dadas de presente para sua irmã Madge. As peças vão a leilão

>>> Estados Unidos: Um romance inédito de Pearl S. Buck

Ela é um dos nomes mais popular da literatura estadunidense. Ganhadora do Prêmio Nobel de 1938, 41 anos depois de sua morte está de regresso às livrarias. Esse é o último livro de Buck. O manuscrito inacabado desapareceu logo depois de sua morte e ninguém soube precisar seu paradeiro; seus sete filhos não tiveram, naquela ocasião, acesso aos bens de Buck e alguém surrupiou o manuscrito, quando em 2012 o material apareceu em mãos de uma mulher que o havia comprado em Fort Worth, no Texas. Eram 300 páginas que voltavam às mãos dos verdadeiros donos. O obra foi agora publicada e passa a compor os 43 romances, 242 contos, 37 contos infantis, 28 obras de não-ficção, 18 roteiros para o cinema e a televisão e mais de 600 artigos. O eterno assombro, em tradução livre, é seu romance de n.44. Inacabado. Mas a publicação, diz Edgar Walsh, "é uma oportunidade única para conhecê-la de verdade e compreender seus sentimentos e convicções".

>>> Brasil: Victor Hugo, O homem que ri

Tido como um romance de leitura difícil O homem que ri foi escrito no final da carreira de Victor Hugo, quando ele estava vivendo no exílio em Guernsey. Na ocasião em que foi publicado seus contemporâneos admitiram que este era um dos seus piores trabalhos. O romance narra, em linhas gerais, a história de um jovem homem que é sequestrado, mutilado e vendido, mas que mantém a sua integridade e sua dignidade através do amor de sua família adotiva: o excêntrico filósofo Ursus e a bela garota cega, Dea. A obra ganha edição no Brasil pela Estação Liberdade na mesma ocasião em que já circulam Os miseráveis e Os trabalhadores do mar pela Cosac Naify.

Quarta-feira, 22/10

>>> Brasil: Toda a força da literatura de Sylvia Plath

Anunciamos por aqui a nova edição de A redoma de vidro já disponível aos leitores. Para este mês o selo Biblioteca Azul, da Globo Livros, prepara um catálogo com Desenhos; Os diários de Sylvia Plath (1950-1962) organizados por Karen V. Kukil também estão entre as novidades já disponibilizadas aos leitores. Plath começou a escrever diários aos onze anos e manteve a prática até a morte, aos trinta. Os diários ora publicados compreendem os registros de sua vida adulta, a partir de 1950, ano em que se preparava para deixar a casa da mãe em Wellesley para ir à faculdade em Northampton, Massachusetts, até 1962, quando exercia as profissões de professora e escritora na Nova Inglaterra. O diário lhe serviu como instrumento de treino para sua escrita aguçada e pulsante. Para 2015 será publicada Poesia completa e uma seleção de histórias infantis.

>>> Portugal: A 29ª da Revista Blimunda, da Fundação José Saramago, já está disponível

Levar a literatura até às pessoas, seja através do Teatro, das Feiras do Livro, Festivais Literários ou de Bibliotecas Itinerantes. Boa parte da Blimunda de outubro é dedicada a este assunto – que também é abordado por Pilar del Río no editorial: Ricardo Viel esteve na encantadora Segóvia, no Hay Festival, e voltou com histórias do encontro entre grandes nomes da literatura, do jornalismo e do mundo dos livros com um animado e cúmplice público; Sara Figueiredo Costa conta como foi “fugir com o circo” por quatro meses e acompanhar a digressão do Trigo Limpo/Teatro Acert pelas terras de Viseu Dão Lafões com o espetáculo A viagem do elefante”, adaptação teatral do livro homônimo de José Saramago; e Andreia Brites revela os bastidores das fichas de leitura que a Fundação Calouste Gulbenkian manteve secretas durante décadas. Mais textos de Dulce Maria Zúñiga, diretora da Cátedra Latino-Americana Julio Cortázar, que nos explica por que vale a pena ler o autor de O jogo da amarelinha; e o ensaísta Eduardo Lourenço, que recupera um texto escrito em 2003 e até agora inédito sobre a América Latina. Na seção Saramaguiana publica-se um excerto do prólogo de A espiritualidade clandestina de José Saramago, livro de Manuel Frias Martins a ser publicado em breve pela Fundação José Saramago. Para ter acesso a edição basta clicar aqui.

Quinta-feira, 23/10

>>> Argentina: Um novo museu para Jorge Luis Borges

Diagonal Brown 301, aí está a casa de veraneio ou de fim de semana do escritor argentino será um espaço para visitas, exposições, eventos em torno da sua obra. María Kodama, companheira do escritor, conta ao Clarín: “A Diagonal Brown era a casa de fim de semana da família, e Borges recordava o lugar com alegria; nunca esqueceu o cheiro dos eucaliptos”. Tanta foi a influência que este lugar foi citado em vários de seus textos. São 150m de área mais 100m de parque. Ficará permanente aos visitantes uma mostra com poemas inspirados em vários lugares de sua vida e retratos da infância e da vida adulta do escritor, muito deles, feitos nesse espaço. Os visitantes também desfrutarão de uma sala onde pode ver e escutar entrevistas de Borges, ver uma coleção de livros do escritor, entre eles a antologia Adrogué, publicada em 1977.

>>> Brasil: As cartas de Truman Capote

Truman Capote, além de autor e roteirista, também era um inveterado escritor de cartas, e as compunha de uma maneira bastante peculiar, como se estivesse conversando pessoalmente com seus destinatários: sem inibições, censuras ou floreios verbais. Uma coletânea dessa escrita tão extravagante foi organizada pelo seu biógrafo, Gerald Clarke, e abrange mais de 40 décadas da vida de Capote, sendo o mais próximo possível de uma autobiografia dele. Em Um prazer fugaz: as cartas de Truman Capote está toda a trajetória de vida do escritor: um jovem ainda ingênuo e bem-humorado conhecendo a cena literária de Nova York; um Capote mais maduro nos anos 1950; o Capote dos anos 1960, imerso em pesquisas e na escrita de seu célebre livro A sangue frio; e o Capote dos anos 1970 e início dos 1980, já no final da vida e com problemas para lidar com sua exposição pública e seus vícios. Revelando a relação entre o autor e grandes ícones do início do século XX, como Tennessee Williams, Jacqueline Kennedy, Richard Avedon e Katharine Hepburn.

Sexta-feira, 24/10

>>> Brasil: O Dia D – Dia Drummond 2014

Desde que foi criado, não perdemos de divulgar uma só vez o evento já patente no calendário dos leitores brasileiros. Organizado pelo Instituto Moreira Salles para celebrar o aniversário do poeta Carlos Drummond de Andrade, o dia 31 deste ano reúne uma extensa programação em universidades, escolas, editoras, bibliotecas, livrarias e outras instituições e expande-se para fora do país. O objetivo do evento é exclusivamente promover e difundir a obra do escritor. A grande novidade deste ano é o longa-metragem Vida e verso de Carlos Drummond de Andrade, produzido pelo IMS, com roteiro e direção de Eucanaã Ferraz e fotografia de Walter Carvalho. Baseado na leitura criada para o palco do IMS/Rio em 2013, o filme reúne quatro importantes escritores contemporâneos: Joca Reiners Terron, Antonio Cicero, Alberto Martins e Afonso Henriques Neto. O primeiro faz as vezes de narrador, contando fatos marcantes da vida de Drummond, enquanto os outros pontuam a cronologia com leituras de poemas, trechos de cartas, diários, crônicas e ensaios críticos. Do nascimento à morte, Drummond aparece no filme de corpo e alma, com humour, ironia, emoção. Enfim, um gênio de muitas faces — mineiro, brasileiro, universal, moderno, eterno. O filme estará disponível em DVD para exibição e venda já no dia 31 de outubro.

>>> Brasil: Uma antologia de contos de Lídia Jorge

Depois de publicar no Brasil Combateremos a sombra (título mais recente) e A noite das mulheres cantoras a Editora LeYa prepara uma antologia com contos de Lídia Jorge. Selecionados por Marlise Vaz Bridi, professora de Literatura Portuguesa da Universidade de São Paulo, os textos apresentados são ainda inéditos no Brasil. Selecionados entre os volumes Marido e outros contos (1997), O belo adormecido (2004) e Praça de Londres (2008), os contos de Lídia Jorge são uma oportunidade de contato com uma nova vertente da obra desta escritora que, através de uma escrita por diversos aspectos tão bem arquitetada, resultará certamente numa visão mais complexa e reveladora da própria humanidade.

>>> Inglaterra: Uma amostra dedicada a Sherlock Holmes depois de 60 anos

Sherlock Holmes: o homem que nunca viveu e nunca morrerá é o nome da exposição aberta no Museu de Londres. A personagem de Conan Doyle que segue despertando paixões e adaptações é apresentada aos visitantes em peças como a primeira edição de Um estudo em vermelho, peças antigas que pertenceram ao escritor, souvenirs usados por Holmes, pinturas, ilustrações, cartazes de filmes e artigos modernos como o emblemático casaco Belstaff e o sobretudo Derek Rose usado pelo ator Benedict Cumberbatch no seriado de TV exibido pela BBC.

>>> Brasil: O caderno-revista 7faces faz última chamada para envio de materiais para a próxima edição

Entre os periódicos nacionais dedicados à literatura, o caderno-revista 7faces já tem galgado largo espaço. Dedicado exclusivamente à poesia, o espaço já apresentou o trabalho de mais de 100 poetas de língua portuguesa de várias partes do mundo em nove edições já publicadas. Agora, os editores trabalham na próxima edição, a sair em janeiro de 2015, enquanto estudam um número comemorativo a vir impresso - até agora todas as edições são publicadas on-line. E reforça o convite para publicação: os trabalhos podem ser enviados para o correio eletrônico do periódico até o dia 30 de outubro seguindo à risca as normas ditadas na seção regulamento, disponível através aqui.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

L’amour, de Michael Haneke

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Sartre: a autenticidade e a violência

Como enfrentar Ulysses

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay