Boletim Letras 360º #87


Esta pode ser a versão original de Maria Madalena em êxtase, de Caravaggio. Depois de anos à procura pela tela, o mistério pode, enfim, ter sido desvendado. Mais informações ao longo desta postagem. 


Celebramos duplamente o Dia Nacional do Livro; caiu de coincidir a data, o 29 de outubro, com um texto de Alfredo Monte sobre o cinquentenário de duas obras de Clarice Lispector, o romance A paixão segundo G.H e o livro de contos e crônicas A legião estrangeira. Não deu em outra: lançamos uma promoção relâmpago porque já temos elaborados outros planos de promoções para o mês que começamos hoje. Como já vimos antecipando, novembro é o mês de aniversário do blog Letras in.verso e re.verso e estamos preparando novidades para os amigos. Aguardem só. Passemos às notícias que enfeitaram mais uma semana no Facebook do blog.

Segunda-feira, 27/10

>>> Brasil: Um site que reúne informações sobre o exercício da escrita

Trata-se de um projeto criado há dois meses por André Timm. O Tumblr "2 Mil Toques" busca reunir informações sobre o dia-a-dia dos escritores e sua rotina de produção. Desde a apresentação da ideia, já foram publicados textos de mais de 50 autores sobre suas rotinas de trabalho; entre eles estão nomes como o da Carol Bensimon, Alice Sant'Anna, Rafael Gallo, Antônio Xerxenesky, Luisa Geisler e Maria Valéria Rezende. Aqui.

>>> Espanha: Homenagens a Salvador Dalí 

A velha ferida aberta entre Barcelona e Salvador Dalí parece que começa a fechar-se. A 25 anos de sua morte, a cidade que seguia sem reconhecer publicamente o gênio surrealista, prepara-se para receber algumas novidades em torno do pintor, mesmo depois de perder a última grande exposição sobre o artista que arrastou milhões de pessoas em 2013 em Paris e em Madrid. Agora, colocam em prática iniciativas que não chegaram a tempo para comemorar os 110 anos de seu nascimento nem os 25 de seu falecimento. Primeiro o historiador e crítico Ricard Mas apresenta uma obra inédita sobre a amizade entre Dalí e Pablo Picasso (imagem); depois, uma praça receberá o nome do artista catalão. Junto ao livro de Mas uma exposição integra a terceira iniciativa: "Picasso/Dalí. Dalí/Picasso" será aberta em 2015 no Museu Picasso de Barcelona e centra-se na fértil relação entre os dois pintores.

>>> Portugal: Chega às livrarias novo livro de Mia Couto

Quando esteve no Brasil para o evento "Fronteiras do pensamento", o escritor moçambicano confessou que trabalha num novo romance (cf. anunciamos aqui); confessou também que findava um livro de poemas. E, eis o livro pronto: chama-se Vagas e Lumes. A obra com mais de 200 páginas divide-se em duas partes: na primeira o autor escreve sobre o mundo e na segunda sobre aspectos do seu íntimo, mais precisamente os amores e as paixões. Apresentado em Portugal pela Editorial Caminho, há rumores de que o livro venha ser editado também no Brasil.

Terça-feira, 28/10

>>> Itália: Esta pode ser a verdadeira Maria Madalena em Êxtase de Caravaggio (imagem)


Aluna do famoso historiador de arte Roberto Longhi, especialista na obra do pintor italiano, a pesquisadora de 91 anos diz ter encontrado a verdadeira “Maria Madalena em Êxtase” (1606) que Caravaggio transportava consigo no barco onde fez a sua última viagem, em Julho de 1610, e cujo rastro se perdeu com sua morte misteriosa. Gregori foi contactada no início deste ano sobre a tela da qual são conhecidas pelo menos oito versões. Quando se viu na presença da tela de 103,5 por 91,5 centímetros que a família conserva em sua casa, deu o mistério por resolvido: "Finalmente, é ela." Considerada perdida – juntamente com um “São João”, a segunda das três telas que o pintor teria consigo quando morreu, à chegada a Porto Ercole, em circunstâncias até hoje por esclarecer –, a obra, que Caravaggio pretendia entregar ao seu grande protetor, o cardeal Scipione Borghese, terá sido inicialmente ficado à guarda da marquesa Costanza Colonna na sua residência do bairro de Chiaia, em Nápoles. Caravaggio confiou-lhe a missão de fazer chegar as três pinturas ao cardeal Borghese, mas apenas uma chegou ao seu destino final: o “São João” que hoje pode ser visitado na Galleria Borghese, em Roma. De acordo com a pesquisa conduzida pela especialista, o original da obra terá permanecido em Nápoles pelo menos até 1612, ano em que foi copiada pelo pintor flamengo Louis Finson, que assinou e datou a versão atualmente exposta no Musée des Beaux-Arts de Marselha. Depois, ainda antes da viragem do século, terá passado por Roma, tal como indicia um selo de lacre da alfândega da cidade que Mina Gregori encontrou aposto na tela; o percurso que o levou daí até às mãos da família com quem a tela foi encontrada ainda não foi cartografado.

>>> Inglaterra: Como seria a leitura de "Beowulf" no inglês de início do séc. XI

“Beowulf” é, certamente, o mais antigo poema épico em Inglês, escrito em algum momento do início do século XI. Inspira-se, no entanto, não a partir de fontes britânicas, mas do mito dinamarquês. Os estudantes, leitores ou curiosos têm acesso on-line pela primeira vez o poema narrado numa antiga forma da língua inglesa. Não tem nada do inglês de Shakespeare, e nem mesmo Chaucer. O Inglês de “Beowulf” é quase uma língua estrangeira, parente próxima do alemão, do latim, do norueguês e da influência celta. Para assinalar a tradução da obra feita por J. R. R. Tolkien, o jornal "The Telegraph", apresenta um vídeo de alguns minutos de como seria o poema no original. Ouça aqui.

>>> Brasil: Maria Bethânia canta/lê Clarice Lispector

“Ao cair de todas as tardes, a Yara, que mora no fundo das águas, surge de dentro delas, magnífica.” Assim Clarice Lispector abre o conto dedicado à lendária sereia indígena em Doze lendas brasileiras, livro que chega às livrarias este mês em nova edição pela Editora Rocco. Assim também Maria Bethânia conta/canta, com sua voz repleta de força e emoção, a história da “Flor das Águas” na bela “Uma Iara/Uma Perigosa Iara”, que faz parte do último disco da cantora, Meus quintais. Leitora apaixonada de Clarice, Bethânia se encantou com o texto da escritora sobre a fascinante personagem que atrai os moços com sua beleza morena, de cabelos negros e olhos pretos faiscantes, e seu cantarolar suave. Nada mais natural do que incluir aquela que dorme na vitória-régia em seu mais recente disco, em que rememora os quintais de sua infância e canta os índios brasileiros. O trabalho foi feito a seis mãos: “Uma Iara/Uma perigosa Iara” é resultado da junção de uma música inédita de Adriana Calcanhotto e do texto de Clarice editado por Fauzi Arap e Bethânia. Impossível não se deixar seduzir pelo seu canto, tal qual acontece na linda história contada por Clarice.

Quarta-feira, 29/10

>>> Brasil: Reedição de obra de Raul Bopp


A obra do poeta gaúcho Raul Bopp reaparece resgatada em Poesia Completa, ora apresentada pela editora José Olympio, organizada por Augusto Massi. A antologia recupera textos dispersos, notas e fortuna crítica produzida por alguns dos grandes nomes literários do chamado modernismo brasileiro, como Oswald de Andrade, Murilo Mendes, Augusto Meyer, Sérgio Buarque de Holanda, Carlos Drummond de Andrade e José Paulo Paes. Textos já desconhecidos do Bopp iniciante e mesmo após a publicação de Cobra Norato, livro-poema emblemático, em 1931, aparecem catalogados e analisados, abrindo aos leitores a possibilidade de conhecer a trajetória de um poeta que se queixava da pouca repercussão de seus livros.

>>> Brasil: Uma antologia para celebrar a obra do poeta José Inácio Vieira de Melo

O galope de Ulisses sai pela Editora Patuá. O livro percorre toda a obra de José Inácio, numa leitura do também poeta Igor Fagundes. A seleção de poemas privilegia a mitologia pessoal do poeta nascido em Alagoas e habitante do sertão baiano. Uma tessitura de referentes que dão pulso a sua obra com destaque para o tema do sertão que se torna algo além da sequidão e da aridez tornado um ambiente onde homem enfrenta cada dia como se fosse uma nova saga, uma odisseia inaugural; "sertão que abriga todos os sentidos, do amor ao ódio, transforma homens em centauros, dores na leveza da água, que brota do nada, e tudo o mais em leveza e encanto" (cf. lembra Maurício Melo Júnior)

>>> Argentina: Inédito de Fogwill 33 anos depois

Nuestro modo de vida é publicado pela Alfaguara espanhola. Trata-se de um título inédito perdido durante 33 anos anos, recuperado quatro anos depois de sua morte em 2010, e o primeiro romance de um dos escritores argentinos de referência nas últimas décadas. A narrativa acompanha os interstícios da intimidade de um casal e da gestação de um escritor prestes a se tornar um romancista antes de entrar para o catálogo dos provocadores e malditos, isto é, um texto que muito se confunde com a própria vida do escritor.

Quinta-feira, 30/10

>>> Brasil: Novos títulos do Prêmio Nobel Mo Yan chegam por aqui

Não é só a obra de Patrick Modiano, galardoado com honraria em 2014, que receberá reedição e inserção de novos títulos nos catálogos nacionais; depois de Mudança, publicado pela Cosac Naify com tradução de Amilton Reis. A Companhia das Letras lançará outros dois romances do escritor chinês - Rãs e Sorgo vermelho também traduzidos por Amilton Reis.

>>> Estados Unidos: O último filme dirigido por Orson Welles, The other side of the wind, deve chegar aos cinemas em maio de 2015

Gravado entre 1970 e 1976, o longa é um dos que o cineasta deixou inacabado. Ironicamente, o filme traz a história de um diretor de cinema, definido por Welles como “um sacana realizador que cria as pessoas e as destrói”, que, tentando terminar uma obra, sempre esbarra no burocrático sistema de Hollywood. Welles trabalhou no projeto por, pelo menos, 15 anos de sua vida, deixando cerca de 45 minutos editados até sua morte, em 1985. A partir das anotações de Orson Welles, as cenas serão finalizadas e acrescida trilha sonora.

>>> Brasil: Homenagem para Donizete Galvão

O poeta Donizete Galvão recebe uma homenagem a ser publicada em dezembro próximo. Pela Dobra Editorial será publicada uma antologia de poesia com 15 poemas de Donizete, que foram escolhidos por alguns de seus leitores-amigos e deram origem, cada um deles, a outros 5 poemas inéditos; ao todo são 90 poemas de poetas como Alexandre Bonafim, Alexandre Guarnieri, André Luiz Pinto, André Vallias, Antonio Carlos Secchin, Carlos Felipe Moisés, Eduardo Lacerda, Fabiano Calixto, Guilherme Gontijo Flores, Italo Moriconi, Júlio Castañon Guimarães, Nina Rizzi, Rodrigo Petronio, Ruy Espinheira Filho,Tarso de Melo, entre outros.

Sexta-feira, 31/10

>>> Brasil: Tradução de romance da alemã Christa Wolf

O último título, "Augusto" é publicada pelo selo digital Jaguatirica com tradução de Fernando Miranda. Escrito poucos meses antes de sua morte, o livro retrata os primórdios da ocupação soviética na Alemanha Oriental, período que Christa também conheceu na própria infância e juventude. No romance, o menino Augusto, que perdeu seus pais na guerra, passa três estações de um ano em um hospital na zona de ocupação soviética, no estado de Mecklemburgo, nordeste da Alemanha.

>>> Brasil: As canções de Belchior a partir da poesia de Carlos Drummond de Andrade

Belchior deu tratamento musical a 31 poemas do poeta mineiro e pintou 31 gravuras com o rosto do poeta. O projeto em parceria com revista Caras foi assim composto: um CD duplo e as lâminas contendo as gravuras, do tamanho de um LP; 10.000 exemplares apresentados em janeiro de 2004. "As várias caras de Drummond" pode ser ouvido diretamente on-line.

>>> Brasil: O novo romance de Chico Buarque será publicado no próximo dia 14 de novembro

A informação é da Companhia das Letras. A editora, entretanto, faz suspense em torno da obra. O tema, por exemplo, não será divulgado até a data da chegada às livrarias. Breve será disponibilizado um vídeo que incluirá a capa e o título e que o compositor e escritor lê um trecho, mas pelo qual, segundo a editora, não será possível identificar o assunto.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

L’amour, de Michael Haneke

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Sartre: a autenticidade e a violência

Como enfrentar Ulysses

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay