Boletim Letras 360º #130

Cartas inéditas revelam paixão secreta de Clarice Lispector. Saiba mais ao longo deste boletim.


Num final de semana prolongado com este (no Brasil, o 7 de setembro é feriado nacional) ganhamos um dia a mais para descanso e, claro, atualizar as leituras. Ressaltamos que temos algumas novidades quentinhas, mas só iremos dizê-las depois desse largo tempo de descanso. São novidades boas! Além das novidades que deixamos apenas a curiosidade aguçada, há nossa meta: estão lembrados? Vinte mil amigos no Facebook e uma promoção supimpa! Está longe, mas quem disse que desistimos? Bom, enquanto isso, relaxem e revejam outras novidades, estas a que fizeram a semana (onde?) em nossa página no Facebook. 

Segunda-feira, 31/08

>>> Portugal: Inéditos da geração de Orpheu, inclusive um de Fernando Pessoa

Em 2015, cf. já lembramos várias vezes por aqui, alcançamos os cem anos da publicação do primeiro número da revista Orpheu. Ainda por ocasião da data as Edições tinta-da-china publicam no próximo mês Os caminhos de Orpheu, obra que resulta da exposição patente na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa, e que revela "fatos pouco conhecidos e estabelece elos que ajudam a compreender o que foi e oque é a Orpheu", segundo comunicado do grupo editorial. Esta obra inclui "material inédito" de Amadeo de Sousa-Cardoso, Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro e Eduardo Lourenço, e conta ainda com textos de nomes como Richard Zenith, Arnaldo Saraiva, Ana Rita Palmeirim, Claudia J.Fischer, Nuno Júdice, Fernando Cabral Martins, Santa-Rita Pintor, Ruy Coelho, Marta Soares e Anabela Almeida.

>>> Brasil: O novo romance de Jonathan Franzen deve ser publicado no Brasil em abril de 2016 pela Companhia das Letras

Até lá vale ir preparando uma reserva de tempo para dedicar-se à leitura de mais um catatau (mais de 500 páginas no original). Colm Tóibín e outros leem Purity (Pureza, tradução livre), que chega às livrarias de língua inglesa nesta semana, como um dos melhores livros do escritor estadunidense. No centro do novo romance a personagem Purity (carinhosamente chamada pela mãe de Pip), uma jovem envolvida numa série de problemas e em busca de sua verdadeira identidade: a ausência do pai, dívidas na faculdade, o trabalho como caixa de um supermercado, a obsessão por um homem casado, o envolvimento com um rapaz de índole agradável e que parece gostar dela, a obscura família da mãe e o envolvimento com um assassinato.

Terça-feira, 01/09

>>> Brasil: Uma das obras mais icônicas de Clarice Lispector foi transformada em item de decoração. Poético e valioso. A Vista Alegre, marca referência na produção de porcelanas, acaba de apresentar a 6ª edição da linha 1+1=1, que presta homenagem a artistas reconhecidos mundo afora

Desta vez, foi o livro A paixão segundo G.H., publicado por Clarice em 1964, a inspiração para as porcelanas, com desenhos feitos pela artista plástica Mariana Valente, neta da escritora. As ilustrações são representações gráficas da história da obra, inspiradas em três momentos reveladores da personagem principal. “O primeiro momento, preto e branco, é representado por elementos do maquinário urbano que caracterizam uma vida esquematizada e organizada. O segundo, quando a colagem começa a ganhar cor, mostra uma transição; é quando a personagem, assustada, perde a sua identidade. E o terceiro momento ilustra quando G.H. acolhe corajosamente o que há de mais primitivo e possível em sua existência”, explica Mariana. A ‘1+1=1 Clarice Lispector’ vem em uma caixa especial acompanhada do livro. São apenas mil unidades numeradas e assinadas por Mariana Valente. No interior de cada peça, a artista pintou a frase citada na obra “Desamparada, te entrego tudo – para que faças disso uma coisa alegre”, e colou um espelho que permite a quem usar a peça ter um encontro com seu reflexo.

>>> Brasil: Rubem Braga, a poesia, o cinema e a artes

Um dos nomes mais importantes da crônica brasileira criou, em 1953, um seção na Revista 'Manchete' responsável pela publicação semanal de poesia; periódico a coluna durou até 1956. Em 1979, Rubem Braga retomou a ideia na Revista Nacional e levou-a até 1990. Todo esse inventário poético estava previso para ser reunido numa edição no do seu centenário. O ano passou e o livro não veio, mas agora, neste mês a Global Editora lança A poesia é necessária. Não são todos os poemas que entraram na edição, mas uma seleção feita por André Seffrin cujo foco foi o nome de poetas brasileiros; os outros poderão integrar um futuro segundo volume. Enquanto isso, no início de 2016, a Autêntica Editora prevê a publicação de uma caixa com três volumes com crônicas sobre cinema, artes visuais e política/cidadania.

>>> Brasil: A Fundação Biblioteca Nacional apresenta três livros de João do Rio nunca reeditados

Os dias passam..., Psicologia urbana e No tempo de Wenceslau..., publicados originalmente na primeira década do século XX. As reedições ganharam nova apresentação, notas e ilustrações. O primeiro título reproduz crônicas publicadas originalmente entre 1907 e 1912 nos jornais da época; a nova edição do livro é apresentada pelo historiador Antônio Edmilson Martins Rodrigues. No tempo de Wenceslau... foi apresentado pelo cientista político Renato Lessa, presidente da BN; e Psicologia urbana, pelos pesquisadores da Biblioteca Nacional Iuri Lapa e Lia Jordão.

Quarta-feira, 02/09

>>> Estados Unidos: Mistério resolvido: os papéis que poderiam ser uma terceira obra de Harper Lee são, na verdade, rascunhos de O sol é para todos e de Vá, e coloque um vigia

Tão logo publicado o que seria O sol é para todos, o manuscrito de Vá, e coloque um vigia, descoberto em 2014 pela advogada da escritora estadunidense, saiu a possibilidade, revelada pela própria Tonja Carter, de haver um terceiro romance. Mas, não é. Carter contratou um perito em livros raros e ele afirma não se tratar de um terceiro romance, mas de um rascunho anotado da primeira parte do primeiro romance, assim como de um datiloscrito original da primeira versão de O sol é para todos. O Wall Street Journal trouxe o balde de água fria ao mercado editorial. Vá, e coloque um vigia sai em outubro pela José Olympio / Grupo Editorial Record.

>>> Brasil: O romancista e o poeta Ben Lerner

Sua obra não é mais inédita no Brasil. A Editora Rádio Londres publica, entre a leva de títulos estrangeiros no país (alguns citados por aqui e já até resenhados no blog), o romance Estação atocha, que é o primeiro título de Ben Lerner, publicado originalmente em 2011. Até o final deste mês, os leitores terão acesso a outra face do escritor; a editora e-galáxia publica Ângulo de guinada, uma antologia que chegou a ser finalista do National Book Award em 2006.

Quinta-feira, 03/09

>>> Brasil: Nove cartas inéditas de Clarice Lispector revelam paixão da escritora por José Luís Mora Fuentes

Os dois foram protagonistas de um breve romance nunca concretizado; a brasileira e o escritor espanhol trocaram correspondências entre 1974 e 1975, pouco mais de dois anos antes da morte dela. A descoberta revelada pelo Instituto Hilda Hilst (IHH) / Casa do Sol revelam uma Clarice tomada pelo tom platônico e ansiosa por um encontro que parece adiado repetidas vezes; as cartas sempre terminam com um pedido e o número de telefone no rodapé: "me ligue quando vier ao Rio". Numa, vem a hesitação: "teu amor por mim não me pesa, pelo contrário: me deixa toda leve. Não me curta muito, faz mal". É quando ela passa meses sem escrever; outras missivas têm o tom desesperado, procuram por notícias de Mora Fuentes, sua saúde, ficções, pinturas. "Coração vazio é horrível." Para ler mais informações sobre essa descoberta basta acessar aqui.

>> Brasil: Nova tradução de uma obra do Prêmio Nobel de Literatura de 2012 chega às livrarias brasileiras

Até então só tínhamos Mudança, editado pela Cosac Naify. Mas, até o final de setembro terá chegado também As rãs (cf. divulgamos noutra ocasião por aqui). Mo Yan se apropria do contexto de contenção populacional na China e escreve um romance único na literatura. No centro da narrativa, a personagem Corre-corre, um aspirante a escritor que vê a tia como heroína e quer transformar sua vida em livro. Primeira parteira da aldeia a estudar obstetrícia, trata-se de uma mulher extraordinária, que se torna oficial do Partido e tem de levar o planejamento familiar do Estado às últimas consequências. A riqueza da atmosfera, do imaginário, e a forma bem-humorada de tratar cenários dramáticos caracterizam a prosa de um autor que, não raras vezes foi comparado a Gabriel García Márquez. A edição é da Companhia das Letras.

>>> Brasil: Cervantes além do Dom Quixote

Antes da publicação da segunda parte do romance que o eternizou, Cervantes publicou uma outra aventura: "Novelas exemplares". Como gênero literário, a novela já existia, mas, como nota o próprio Cervantes, ele é o primeiro a tentá-la na Espanha. Ele experimenta a forma textual em todas as direções possíveis, com relatos bizantinos, cortesãos ou picarescos. E mais: busca estabelecer um padrão realista, fala do cotidiano das pessoas, de uma Espanha que podia ser vista da janela de casa. A Cosac Naify publica essas novelas com um rico aparato crítico fornecido por estudiosos do autor (há textos do tradutor Ernani Ssó, mais Maria Augusta da Costa Vieira, Silvia Massimini Félix), notas, poemas em sua versão original e ilustrações de Vânia Mignone.

Sexta-feira, 04/09

>>> Portugal: Toda correspondência entre Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro em nova edição

Sai em novembro pelas Edições tinta-da-china. Organizam a edição Jerónimo Pizarro e Ricardo Vasconcelos e se intitula Em ouro e alma: correspondência com Fernando Pessoa e Mário Sá-Carneiro. Este volume, apresenta-se como o mais completo em relação às edições anteriores porque toda epistolografia dos escritores passou por uma acurada revisão e reorganização quanto a data e temática recorrente.

>>> Inglaterra: E não sobrou nenhum' é o livro de Agatha Christie preferido dos seus leitores

A resposta veio depois de uma enquete promovida pelo site responsável em publicizar a obra da autora. Como divulgamos por aqui, na passagem do 125º aniversário da Rainha do Crime, a enquete buscava saber qual seu livro era o melhor. Cerca de 15 mil pessoas responderam; e demonstrando que Christie possui uma legião de fãs no Brasil, os leitores daqui foram responsáveis por boa parte dos votos: ficamos no terceiro lugar em relação aos Estados Unidos e Inglaterra. O livro não traz os detetives emblemáticos de Christie, Hercule Poirot e Miss Marple, (E não sobrou nenhum conta a história de dez pessoas que não se conhecem e estão presas em uma ilha; conforme parte do grupo começa a morrer, os sobreviventes percebem que abrigam um assassino entre eles), mas ainda assim já vendeu mais de 100 milhões de cópias mundialmente. Assassinato no Expresso do Oriente e O assassinato de Roger Ackroyd ficaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.

>>> Brasil: Obra inédita de António Lobo Antunes ganha edição até o final do ano

São mais de vinte romances. O mais recente que a Alfaguara Brasil​, responsável pela edição do escritor português por aqui, foi Comissão das lágrimas. Depois desse título, António Lobo Antunes terá publicado outros dois romances. E um deles, Não é meia-noite quem quer, deve chegar às livrarias brasileiras até o final do ano. A editora estuda ainda a reedição de títulos já há muito fora de catálogo; a obra de ALA começou a ser publicada por aqui pela editora Rocco.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em teu ventre, de José Luís Peixoto

16 + 2 romances de formação que devemos ler

Milena Jesenská, muito além de namoradinha de Franz Kafka

Boletim Letras 360º #221

Cem anos de solidão cumpriu a profecia de Melquíades

Um romance com treze títulos

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo

Como enfrentar Ulysses

J. R. R. Tolkien, o mito desconstruído

O homem sem doença, de Arnon Grunberg