Boletim Letras 360º #136

Machado de Assis inédito. Pesquisadores localizam novas cartas e esta fotografia inéditas do escritor.
Leia mais ao longo desde boletim.


Dois avisos aos queridos leitores: (1) partilhem nossa imagem para que alcancemos a meta para o sorteio dos 20 mil (please!); (2) nosso aniversário bate na porta e já adiantamos muito serviço na revisão do blog (já notaram algumas alterações no visual?), mas não estaremos prontos até lá. Ainda faltam pelo menos 200 textos para rever! É muita coisa para duas mãos apenas (sorry!

Segunda-feira, 12/10

>>> Brasil: Augusto de Campos e o trabalho de reflexão sobre a literatura

Guimarães Rosa, Mario Faustino, João Cabral de Melo Neto, Ferreira Gullar, Wlademir Dias-Pino, Gregorio de Matos e Oswald de Andrade. A primeira edição de "Poesia, antipoesia e antropofagia", de 1978, reunia as “incursões errático-críticas” de Augusto de Campos sobre poetas que, como ele, revolucionaram a poesia brasileira vigente. Passados mais de 35 anos, esta edição revista e ampliada pelo autor volta às livrarias, com a seção & cia., incluindo textos publicados desde então. Os objetos de análise são Ernani Rosas, Oswald de Andrade (novos textos), Sousândrade, Décio Pignatari, Cyro Pimentel, Erthos Albino de Souza e Waldemar Cordeiro, além de reflexões sobre as perspectivas oferecidas à poesia concreta pelas novas tecnologias. A edição é da Companhia das Letras.

>>> Inglaterra: Obra reúne as cartas de Ian Fleming, o criador de James Bond

O livro chega às livrarias estrangeiras na ocasião em que estreia mais um filme da franquia. São correspondências que assinalam o tom irônico e suscetível à revisão. Um exemplo? Em 1956, Fleming já havia escrito pelo menos quatro romances com seu protagonista famoso quando recebeu uma carta de um especialista em armas chamado Geoffrey Boothroyd: "Sou um grande apaixonado por James Bond. Me encanta todo o que lhe rodeia menos o seu deplorável gosto na hora de escolher pistolas. Concretamente, não gusto como um homem que está em contato com todo tipo de pessoas formidáveis vai armado com uma Beretta 0,25. Posso sugerir que o Sr. Bond vá armado com um revólver?". Fleming não só atendeu ao pedido do leitor como ainda invento uma personagem em sua homenagem: Major Boothroyd. As cartas também revelam que estava ciente de que havia entrado num território de valor comercial quando se propôs a tornar os livros numa saga: "Haverá una perda de frescura com o aparecimento de cada no volume". Talvez não; já são 20 filmes e com vigor.

Terça-feira, 13/10

>>> Paris: O leilão do ano reúne peças únicas de Stéphane Mallarmé

São documentos da biblioteca do poeta que é um dos patriarcas da poesia contemporânea. Dentre os arquivos estão 89 poemas autógrafos que Mallarmé escreveu no “álbum” íntimo de uma senhora que teve vários envolvimentos afetivos e foi inspiração de muitos artistas da envergadura do poeta, Méry Laurent; uma coleção com todas as peças que ele escreveu como jornalista de moda com pseudônimos diversos; uma coleção de originais de primeiras edições de algumas das obras mais importantes dos grandes mestres do fim do século XIX, como Poe e Baudelaire; e, por último, os originais de vários poemas que mudaram o rumo da história da poesia de nossa civilização, começando pela obra última de Mallarmé, Un coup de dés jamais n’abolira le hasard (1897). Realizado no dia 16, todos os arquivos alcançaram a cifra de mais 4,4 milhões de Euros. O manuscrito de Un coup foi o mais valorizado.

>>> Portugal: O Prêmio LeYa 2015 foi para o português António Tavares, pelo romance O coro dos defuntos

O júri escolheu esta obra, que começa em 1968 e termina no dia 25 de Abril de 1974, por unanimidade. Em 2013, o escritor já havia sido finalista do prêmio com o seu primeiro romance, As palavras que me deverão guiar um dia. O romance premiado, explica, recebeu este título, segundo o autor, porque "fala como um coro. E esse coro, essas pessoas, já estão moribundas. Quase defuntos, porque logo a seguir vem o 25 de Abril, vem a liberdade, o varrer de novas ideias, o abalar das crenças e convicções do mundo rural. É a última geração que vive esse momento".

>>> Inglaterra: Além do LeYa saiu hoje o resultado sobre o Man Booker Prize

E Marlon James tornou-se o primeiro jamaicano a vencer a honraria; eleito por todos os membros do júri, A Brief History of Seven Killings ('Breve história de sete assassinatos, em tradução livre') foi, segundo a comissão avaliadora, o livro "mais entusiasmante"; "Um dos prazeres dessa leitura é que, quando você vira a página, não tem certeza de quem será o próximo narrador", afirmou James Wood, da Universidade de Princeton, presidente do júri.

Quarta-feira, 14/10

>>> Brasil: Um dicionário sobre Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust

A leitura dos sete volumes que compõem a obra do escritor francês é um projeto acalentado, e às vezes adiado, por muitos leitores. Uma ferramenta de acesso à imersão em uma obra de quase três mil páginas, pode ser o 'Dicionário de nomes & lugares', de Michel Erman. Entre as marcações oferecidas pelo pesquisador está a distinção personagens reais ou fictícios (uma vez que a extensa galeria deles se mistura com figuras que existiram e figuras da imaginação do escritor); a marcação espacial, visto que na trajetória do herói proustiano não há uma indicação geográfica precisa. Para os que já enfrentaram o desafio de lê-lo, o Dicionário é um complemento, espécie de apêndice sobre a obra universal. A publicação é da Biblioteca Azul / Globo Livros.

>>> Estados Unidos: Que tal um jogo de videogame a partir do universo fantástico de Haruki Murakami? Alguém propôs a empreitada e arrecada fundos para torná-la realidade

Memoranda, este é o nome do projeto. A base do jogo gira em torno de uma mulher numa pequena cidade da Europa que precisa descobrir, antes da perda total da memória, por que ela está esquecendo aos poucos seu próprio nome. As situações para dar forma ao jogo são inspiradas em contos de Haruki Murakami.

>>> Brasil: Mudou, o Dia Nacional da Poesia não é mais o 14 de março

E sim 31 de outubro. O projeto de lei foi do senador Álvaro Dias (PSDB-Paraná) e foi sancionado em junho passado. A data é a do nascimento do poeta Carlos Drummond de Andrade. Desde 1977, o data era comemorada em 14 de março, em homenagem ao poeta Castro Alves; a data era uma sugestão do então deputado federal João Alves, mas, como não foi oficializada, o Projeto de Lei foi arquivado e o senador Dias ressuscitou a proposta em novo formato.

Quinta-feira, 15/10

>>> A Academia Brasileira de Letras localizou, nos arquivos do jornalista, crítico e historiador literário José Veríssimo, 11 cartas e uma foto inédita de Machado de Assis

Os documentos, parte do acervo de Veríssimo, foram doados à instituição há dois meses. A descoberta surge no momento em que a Academia acaba de lançar o quinto e último volume com a correspondência completa de Machado de Assis - fruto de uma pesquisa de sete anos, que reuniu Sérgio Paulo Rouanet e as pesquisadoras Irene Moutinho e Silvia Eleutério. A ABL estuda incluir as missivas numa próxima edição de correspondências.



>>> Portugal: Estas são duas das páginas dos "mais bonitos e originais" livros "produzidos pela Civilização Medieval Ocidental"; assim, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) amplia sua lista de títulos raros

São os manuscritos medievais portugueses Apocalipse de Lorvão, de Egas e Comentário ao Apocalipse do Beato de Liébana. O primeiro foi feito no Mosteiro do Lorvão, em Penacova (distrito de Coimbra), mas em 1853 o escritor e historiador Alexandre Herculano levou-o para a Torre do Tombo, em Lisboa. Já o "Comentário ao Apocalipse" foi criado no Mosteiro de Alcobaça e aí permaneceu até à extinção das Ordens Monásticas, em 1834, integrando atualmente a coleção da Biblioteca Nacional de Portugal.

Sexta-feira, 16/10

>>> Portugal: Uma edição de luxo que celebra o feminino na obra de Fernando Pessoa

O título Minha mulher, a solidão é da Guerra e Paz é um livro único, no qual se reúnem os textos de Pessoa e dos seus heterônimos sobre as mulheres, o casamento, o amor e o desejo. A edição portuguesa é caprichada: capa dura e lombada solta, com costura à vista, abre com uma surpresa: uma pintura original de Ana Vidigal, a que se segue um texto-poema de Eugénia de Vasconcellos. A par dos textos sobre as mulheres, impressos em papéis de luxo irrompe um segundo livro, em papel de jornal, revelador de outras sexualidades, da pulsão homoerótica à perversão masoquista. A organização é de Manuel S. Fonseca. A edição tem uma tiragem limitada e numerada de 1.850 exemplares.

>>> Alemanha: Irmãos Grimm ganham museu

Foram os dois irmãos, ambos acadêmicos, linguistas, poetas e escritores, nascidos no então Condado de Hesse-Darmstadt, atual Alemanha que se dedicaram ao registro de várias fábulas infantis, como "Cinderela" e "Branca de neve". Também deram grandes contribuições à língua alemã, tendo os dois trabalhado na criação e divulgação, a partir de 1838, do Dicionário Definitivo da Língua Alemã (o Deutsches Wörterbuch), que não chegaram a completar, devido a morte de ambos entre as décadas de 1850 e 1860. Os dois ganharam um espaço dedicado à sua vida e obra na Alemanha. O museu Grimmwelt tem, além de materiais de trabalho dos irmãos, documentos originais, instalações que permitem ao visitante mergulhar na vida e obra de Jacob e Wilhelm Grimm. O espaço espera receber cerca de 400 pessoas por dia.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Essa estranha instituição chamada literatura: uma conversa com Jacques Derrida

Os melhores diários de escritores

Lolita, amor e perversão

O conto da aia, o pesadelo de ser mulher numa teocracia

Os ventos (e outros contos), de Eudora Welty

O primeiro conto de Ernest Hemingway

Há muitos Faulkner

Kazuo Ishiguro, Prêmio Nobel de Literatura 2017

Boletim Letras 360º #239