sábado, 14 de novembro de 2015

Boletim Letras 360º #140

Ana Cristina Cesar, a próxima homenageada da Festa Literária Internacional de Paraty.

Uma semana belíssima porque chegou muitas novidades interessantes. Basta ler o nosso boletim para saber o que falamos. Mas, antes disso, lembramos que já entramos no mês de nosso aniversário! Sim, entramos no 9º ano online. Quantos ainda teremos? Não temos resposta para essa pergunta. Só queremos, antecipadamente, dizer que fiquem atentos; estamos preparando surpresas! Com livros. Enquanto isso e por falar em livros, ainda está online o desafio: 1.5 mil partilhas em nome de dois exemplares da Nova reunião de poesia, de Carlos Drummond de Andrade. Mais informações aqui.

Segunda-feira, 09/11

>>> Brasil: Em 2015, o poema “Morte e vida severina”, de João Cabral de Melo Neto chega aos 60 anos de sua publicação

E para assinalar a data, uma equipe da GloboNews partiu rumo a Pernambuco para refazer o trajeto imaginado pelo poeta, inspirado nos milhões de Severinos que saíram de suas terras em busca de uma vida melhor. Ao longo de duas semanas, a equipe percorreu mais de 1,4 mil quilômetros,do Sertão, pela Zona da Mata até chegar ao Recife, ansiosa para encontrar os Severinos e saber o que mudou, depois de 60 anos. Com trilha sonora exclusiva e narração do ator pernambucano Jesuíta Barbosa, o resultado está no documentário ‘Morte e Vida Severina – 60 Anos Depois’; disponível no link aqui.

>>> Estados Unidos: Um manuscrito de Jorge Luis Borges e uma edição do primeiro livro publicado por Federico García Lorca vão a leilão

Pela casa Bonhams; trata-se do prólogo das célebres Crônicas marcianas, de Ray Bradbury, escrito a mão e assinado por Borges, um profundo admirador da literatura de ficção científica. O texto foi escrito em 1955 à pedido do editor e tradutor espanhol do livro de Bradbury, Francisco Porrúa. Já o primeiro libro publicado por García Lorca, Impresiones y paisajes vem acompanhado com uma das primeiras cartas do poeta a sua amiga Emilia Llanos.

Terça-feira, 10/11

>>> Brasil: Livro traz textos de Charles Bukowski e ilustrações originais de Robert Crumb

Há algum tempo a obra do escritor estadunidense tem se tornado febre entre os leitores brasileiros com contínua tradução e publicação dela em pelo menos três grandes casas editoriais. Agora, o selo Livros da raposa vermelha / WMF Martins Fontes publica Traz teu amor pra mim, título que reúne três contos: o que dá nome à obra e "Não tem negócio" e "Bop Bop contra aquela cortina". A edição traz as ilustrações de Robert Crumb, originalmente publicados na década de 1980 por Black Sparrow Press, Califórnia.

>>> Brasil: Um dos maiores poemas épicos da literatura ocidental - de uma tradição que inclui a Ilíada e a Odisseia de Homero, a Eneida de Virgílio e a Divina comédia de Dante, ganha edição caprichada

Paraíso perdido foi publicado originalmente em 1667, na Inglaterra, em um período especialmente turbulento daquela nação. Seu autor, John Milton (1608-1674), foi um dos grandes intelectuais de seu tempo e destemido apoiador da Revolução Puritana inglesa, que depôs e executou o rei Carlos I e proclamou a República em 1649. Com a restauração da Monarquia em 1660, Milton caiu em desgraça e, por um problema de saúde, gradualmente acabou perdendo a visão. Foi nessa condição que ele compôs este espantoso poema de 10.565 versos, inspirado no Gênesis, que narra a rebelião de Satã contra Deus, a Criação do Mundo e a Queda do Homem pela desobediência de Adão e Eva no Jardim do Éden. Dotado de uma imaginação prodigiosa, por vezes herética, Milton, que havia defendido o divórcio, a liberdade de imprensa e até a poligamia, criou aqui o clássico da literatura cristã do século XVII. A edição publicada pela Editora 34, bilíngue, traz a elogiada tradução do premiado poeta português Daniel Jonas, que segue de perto a versificação e a musicalidade do original. Completam o volume as notas e o posfácio do tradutor, uma apaixonada apresentação do crítico Harold Bloom, e a fantástica série de cinquenta ilustrações de Gustave Doré, publicadas em 1866.

Quarta-feira, 11/11

>>> Portugal: Crónica da Manhã será publicada em dezembro e tem o nome do programa da RDP que Agustina Bessa-Luís assinou no final da década de 1970

O livro reúne 23 crônicas que foram proferidas pela escritora portuguesa no programa da RDP Crónica da manhã, que ia ao ar diariamente às sexta-feiras, havendo ao domingo um compacto intitulado Sete Crónicas, com edição de Mário Figueiredo. São textos de entre 06 de outubro de 1978 a 23 de fevereiro de 1979. O livro integra uma série de publicações de inéditos como os já editados cinco manuscritos da década de 1960 que integram o volume Elogio inacabado, publicado em agosto de 2014 (cf. noticiamos por aqui), pela Fundação Calouste Gulbenkian.

>>> Brasil: Todo mundo tem direito a um segredo, de Lia Sanders é o primeiro romance no catálogo da jovem editora substânsia

"Os mistérios da vida são inúmeros, e a vida de uma moça órfã de pai e mãe acaba por ser feita de inúmeros “furos”, que apenas pouquíssimas pessoas têm conhecimento. Rebeca, a avó que tudo esconde, mas que, aos poucos, vai tecendo sua história por sua neta, acaba revelando os momentos esquecidos, transparecendo, aos poucos, como em uma fotografia que lentamente flui do invisível para o visível. É assim que Lia Sanders inaugura na literatura" - e é assim que se lê na divulgação da editora substânsia deste que é também o seu primeiro romance. Todo mundo tem direito a um segredo já nasceu premiado: em 2013 recebeu uma das três menções honrosas do Prêmio Sesc de Literatura.

>>> Brasil: Os cinquenta anos de uma obra precursora do ponto alto da literatura de Hermann Hesse no Brasil e uma edição comemorativa para a celebração

Publicado pela primeira vez no Brasil em 1965, o romance Demian (Tradução de Ivo Barroso) é tido como um divisor de águas na trajetória de Hermann Hesse, prêmio Nobel de Literatura em 1946. A partir dos questionamentos do jovem Emil Sinclair sobre a humanidade, com suas contradições e dualidades, Hesse descreve o processo de busca do indivíduo pela realização interior e pelo autoconhecimento. É com ele que o autor inicia o caminho que vai desaguar em sua obra-prima, O lobo da estepe, cujo protagonista, Harry Haller, é considerado o Sinclair na maturidade. Emil Sinclair é um menino que vê o mundo a partir da separação entre a sua casa (o paraíso) e a rua (o inferno). Dividido entre a luta contra os vícios e a manutenção das virtudes, ele conhece Max Demian, um colega de escola que parece bem mais velho. Com Demian, Sinclair começa a vislumbrar a complexidade e as múltiplas visões sobre a vida. O título sairá pelo Grupo Editorial Record.

Quinta-feira, 12/11

>>> Brasil: Edição comemorativa dos 150 anos de Iracema, de José de Alencar

É este um clássico da literatura brasileira e a edição especial sai pela Fortunella Casa Editrice (Conhecem? É uma editora aqui do Rio Grande do Norte). Iracema sairá com capa dura, tiragem limitada e numerada. São apenas 150 exemplares. A edição especial dá início a uma série de clássicos brasileiros editada pela casa. Os próximos serão "O cortiço", de Aluísio Azevedo, que completa agora 125 anos, e "Triste fim de Policarpo Quaresma", de Lima Barreto, que fará 100 anos em formato de livro em 2016. Feita com exclusividade para esta edição, a arte da capa de "Iracema" é uma aquarela de autoria do artista plástico e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte Vicente Vitoriano. O prefácio é assinado pelo jornalista e escritor Lira Neto. A edição especial não será comercializada em livrarias. Ela poderá ser adquirida diretamente pela loja virtual da editora.

>>> Brasil: Primeiro EP da ALira, "O poeta é um fingidor", será lançado durante a Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto)

Com a proeza de musicar poemas famosos de autores consagrados, a banda ALira lançará seu primeiro trabalho, um EP com sete faixas poéticas e musicais. O nome 'O poeta é um fingidor' é da canção em destaque do disco baseada nos poemas de Fernando Pessoa "Autopsicografia" e "Isto", e conta com a participação do rapper Fábio Brazza. Além de Pessoa, o disco apresenta "poemas musicados" de Carlos Drummond de Andrade, Mário Quintana, Casimiro de Abreu e Mário de Andrade, algumas já delas já divulgadas a algum tempo como videoclipe na web como, 'E agora, José?' 

>>> Brasil: Toda a poesia de Sebastião Uchoa Leite será publicada numa parceria entre a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) e a Cosac & Naify

O anúncio veio através do Suplemento Pernambuco, que publicou um texto sobre a obra do poeta. Na poesia de Uchoa Leite "não há a ansiedade que antecede o medo de enxergar o abismo que há em si: seus versos, de tão urgentes, são o próprio abismo. O poeta, que confessou jamais sentir a tal “angústia da influência” tarimbada por Harold Bloom, deixou um legado que navegou escolas e estéticas tão plurais, que se embaralharam num complexo quebra-cabeças de metáforas pulverizadas, autoironia profunda e um lirismo brutal em forma e conteúdo", diz o texto. Em 2015, o poeta completaria 80 anos. O volume Poesia completa, que ainda não tem data de lançamento, apresenta a produção de Uchoa Leite por ordem de feitura dos poemas.

Sexta-feira, 13/11

>>> Brasil: A Universidade Federal do Rio de Janeiro e a editoria de digitais e-galáxia se unem na criação do selo S/Z, que publicará, mensalmente, a partir de fevereiro de 2016, ensaios escritos por importantes pensadores contemporâneos

A curadoria é de Heloisa Buarque de Hollanda, quem assina "Ascensão e queda da noção de autoria"; o texto de estreia será "Por que amo Rosa", do crítico Silviano Santiago sobre a obra de Guimarães Rosa. Na lista de publicações seguintes estão ainda ensaios de, entre outros, Eucanaã Ferraz, sobre a relação de Carlos Drummond de Andrade com a caricatura; Ferreira Gullar, Roberto Schwarz e Francisco Alvim, cada um escreverá texto sobre a poesia; e George Yudice, quem tece um panorama acerca dos Estudos Culturais na América Latina.

>>> Portugal: A gênese e o processo criativo de Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago

Os leitores do Letras in.verso e re.verso sabem desde junho, quando iniciamos uma campanha sobre, dos 20 anos da publicação de um dos romances mais significativos da literatura. Para marcar a data, chega às livrarias portuguesas pela Porto Editora e a Fundação José Saramago, Ensaio sobre a cegueira: a arquitetura de um romance. O livro reúne uma compilação do dia a dia do escritor, desde os seus diários às intervenções públicas, sobre a escrita da obra. No anúncio realizado pela Fundação José Saramago, frisa-se que este livro será oferecido ao leitor na compra de um exemplar de Ensaio sobre a cegueira e estará nas livrarias nos próximos dias.

>>> Brasil: A Festa Literária Internacional de Paraty 2016 homenageará Ana Cristina Cesar

Uma mulher, poeta e expoente da literatura marginal brasileira nos anos 1970, eis um breve perfil da homenageada da próxima FLIP, um dos principais eventos literários do Brasil. Ana C., como gostava de ser reconhecida, é um ícone da literatura brasileira e tem sua obra dividida entre a poesia (gênero que mais praticou), a tradução e a crítica literária. A notícia chega numa hora em que a atenção se volta para literatura escrita por mulheres; Ana é a segunda escritora lembrada em 13 anos do evento: a outra foi Clarice Lispector em 2005. Além de endossar essa pauta sobre os movimentos de mulheres em prol de liberdades individuais e direitos coletivos que ganham, desde outubro, as ruas do país, põe em foco a Poesia Marginal, movimento do qual fez parte e que eclodiu com a antologia 26 poetas hoje, de Heloísa Buarque de Hollanda, em 1975. Também amplia o resgate da sua obra marcado em 2013 com a publicação de toda sua obra em poesia no volume Poética, organizado por Armando Freitas Filho.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard