Boletim Letras 360º #152



Sábado de Carnaval. E nós no bloco das notícias que fizeram a semana do Letras no Facebook. Por lá, começamos na sexta-feira e vamos até a Quarta-feira de Cinzas com poemas temáticos sobre a data. Uma folia com Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Cecília Meireles e muitos outros. E por falar em poesia, cadê o seu vídeo recitando um poema? Estamos aguardando inscrições para o 01:MIN DE POESIA. Na nossa página no Facebook, logo no início, você encontra todas as informações necessárias para participar. 

Segunda-feira, 01/02

>>> Brasil: Nova edição de O som e a fúria e a obra de William Faulkner

Entre os títulos que saíram da extinta Cosac Naify para a Companhia das Letras, estão os da obra de W. Faulkner. A nova edição de O som e a fúria sairá já no mês de outubro. E a partir de 2017, serão lançados dois por ano, na sequência: Absalão, Absalão!, Sartoris, A árvore dos desejos, Palmeiras selvagens e Luz em agosto.

Terça-feira, 02/02

>>> Brasil: Uma edição que sublinha a obra poética de Hilda Hilst

É o novo número do Caderno-revista 7faces. Através da contribuição de Mariana Payno e Luiza Helena Novaes (que zelam pela organização do arquivo da poeta na Casa do Sol / Instituto Hilda Hilst (IHH) e um ensaio da professora Luisa Destri - assim é apresentada a edição n.12 do periódico. O dossiê, além de várias incursões pelo acervo da Casa do Sol, traz dois cadernos com vários nomes da poesia de língua portuguesa contemporânea: Matheus José Mineiro, Ana Maria Rodrigues Oliveira, Valdeck Almeida de Jesus, Waleska Martins, Bruno Baker, Rafaela Nogueira, Léo Br, Guilherme Dearo, Luiz Walter Furtado, Jorge de Freitas, Leonardo Chioda, Yasser Jamil Fayad, João Grando, Ricardo Escudeiro, Maria Azenha, Carole B., Lucas Gross, Ludmila Barbosa, Cesar Carvalho, Marcos Mariani Casadore, Daniel Mahi e Andreï Ribas. Acesse aqui.

Quarta-feira, 03/02

>>> Brasil:  Filme sobre a amizade entre Murilo Mendes e Lúcio Cardoso 

O que seria deste mundo sem paixão? é o possível título de um filme do diretor carioca Luiz Carlos Lacerda sobre a amizade dos escritores Murilo e Lúcio ainda sem data para estrear. Esta é a quinta parte de um projeto de Lacerda dedicado a Lúcio Cardoso. Este ano será apresentado Introdução à música do sangue (de 2015) baseado em um argumento inédito que o próprio escritor entregou a Lacerda. O longa se passa no interior de Minas e retrata uma família numa atmosfera de desejo e repressão. A estreia de Lacerda na direção de um longa foi em 1971, com Mãos vazias, baseado em livro homônimo de Cardoso; em 2012, lançou um documentário sobre um projeto cinematográfico que Cardoso começou em 1949, mas nunca concluiu. No novo filme como Lúcio Cardoso e Murilo Mendes, são interpretados por Armando Babaioff e Saulo Arcoverde, respectivamente. Os dois mineiros ressurgem como fantasmas e são perseguidos pelos personagens de suas obras, vividos por Tonico Pereira, Paula Burlamaqui, Eriberto Leão, entre outros atores.

>>> Brasil: Biografia de Susan Sontag deve ser publicada em breve 

Em 2013 divulgamos por aqui que Benjamin Moser, autor da conhecida biografia Clarice, - publicada pela Cosac Naify -, havia começado a mergulhar no extenso universo da escritora e crítica de arte Susan Sontag. O trabalho ainda não concluído será trazido ao Brasil pela Companhia das Letras, casa escolhida pelo escritor depois do fim da editora que editou seu primeiro trabalho de fôlego por aqui. Sontag ficou conhecida mundialmente por seu trabalho de exímia defensora dos direitos humanos.

>>> Brasil: A União Brasileira de Escritores (UBE) encaminhou hoje à Academia Sueca a indicação de Lygia Fagundes Telles para o Prêmio Nobel de Literatura deste ano.

Para Durval de Noronha Goyos, presidente da instituição, “Lygia é a maior escritora brasileira viva e a qualidade de sua produção é inquestionável”. O nome da autora foi escolhido de forma unânime pelos diretores da UBE. Lygia Fagundes Telles está com 92 anos, vive em São Paulo e já venceu prêmios de grande importância no cenário literário, como o Camões de 2005 e os Jabutis de 1966, 1974 e 2001. Na sua obra, que já foi traduzida para o alemão, espanhol, francês, inglês, italiano, polonês, sueco e tcheco, destacam-se livros como os romances Ciranda de pedra e As meninas e a coletânea de contos Invenção e memória. Nunca nenhum brasileiro venceu o Nobel de Literatura, ainda que outros autores nacionais já tenham sido indicados à Academia Sueca ou tiveram seus nomes sondados para receber o prêmio, como Ariano Suassuna, Jorge Amado, João Cabral de Melo Neto e Ferreira Gullar. (Via Página Cinco)

Quinta-feira, 04/02

>>> Brasil: Mais literatura portuguesa nas livrarias brasileiras e mais literatura brasileira nas livrarias portuguesas

É o que anuncia as Edições tinta-da-china. Entre os títulos planejados para 2016 no Brasil estão: Breviário do Brasil, de Agustina Bessa-Luís; Réquiem para um império que nunca existiu, uma coletânea de ensaios políticos de Eduardo Lourenço; e Causas da decadência dos povos peninsulares, do poeta português Antero de Quental. Para Portugal, levarão Nelson Rodrigues.

>>> Chile: Um novo funeral para o poeta Pablo Neruda

Desde 2013 que os restos mortais de Neruda estava sob a custódia de laboratórios para busca de comprovações sobre a suspeita de ter sido o poeta assassinado, como creem alguns, pela Ditadura. Dois laudos foram elaborados desde então: um nega a tese e o outro reafirma. Por esta razão, mesmo depois do próximo funeral que se realizará em Isla Negra, região onde passou longa parte de seus últimos anos, a mesma decisão judicial que autoriza a cerimônia também reafirma a necessidade de preservação de algumas amostras para possibilitar novos estudos. O laudo oficial da morte, em 23 de setembro de 1973, acusa que o poeta faleceu em decorrência de complicações de um câncer de próstata. O laudo positivo, revelado recentemente, atestou que o corpo Neruda estava tomado pela presença massiva de bactérias possivelmente inoculadas por agentes militares.

Sexta-feira, 05/02

>>> Estados Unidos: O leitor encontra agora online um rico acervo com áudio de nomes Allen Ginsberg e William Burroughs, entre outros

Ginsberg e uma performance a partir da poesia de William Blake; Burroughs e sua leitura de textos; conferências sobre Jack Kerouac. E muito mais disponível à distância de um clique. A Naropa University tem trabalhado na digitalização de um rico acervo cultural de uma geração que marcou a literatura contemporânea. Basta acessar aqui. A NU é uma instituição particular de artes localizada em Boulder, no Colorado. Fundada em 1974 com o nome de Naropa Institute por Allen Ginsberg a instituição hoje oferece cursos de graduação e pós-graduação em artes, educação, liderança ambiental, psicologia e estudos religiosos.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dez mulheres da literatura brasileira contemporânea

Onze livros para ler na estrada

Dostoiévski, um romântico desgarrado entre a revolução e Deus

Onze obras do teatro moderno e contemporâneo fundamentais a todo leitor

Baudelaire & Poe, Ltda.

O manuscrito em que Virginia Woolf anuncia o seu suicídio

Escritores narcisistas

A arquitetura da cidade como mediadora de leitura

Obras-primas perdidas e felizmente recuperadas

Os melhores de 2016: poesia