Boletim Letras 360º #155



Antes de ler mais uma edição que copia as notícias que publicamos durante mais uma ativa semana em nossa página no Facebook, chamamos atenção para o projeto 01:MIN DE POESIA. Está é a última chamada para participação dos leitores. Todas as informações estão disponíveis no mural do Letras no Facebook

Segunda-feira, 22/02

>>> Brasil: "A morte da puta", um dos seis poemas inéditos Murilo Mendes encontrados pelo pesquisador Leandro Garcia

Ele trabalha na organização das cartas trocadas entre o poeta e crítico (e amigo) Alceu Amoroso Lima. No caso deste, publicado no sábado pelo jornal Folha de São Paulo, pode-se ler como uma linha fora da curva ou uma provocação de Murilo a Lima: um poema sobre a morte de uma prostituta para um influente crítico católico publicar em uma revista literária católica, Ordem, editada pelo intelectual. O texto escrito em 1930 foi rejeitado e é apenas um grupo dos seis inéditos já encontrados pelo pesquisador.

Terça-feira, 23/02

>>> Itália: Livro póstumo de Umberto Eco será publicado neste final de semana

O escritor italiano guardou sempre um afeto grandioso pelos livros. Uma de suas atividades antes de morrer foi a criação de uma nova editora para fazer frente ao conglomerado de Silvio Berlusconi que, através da Mondadori, comprou a Bompiani, casa pela qual Eco publicava seus livros. Assim, La Nave di Teseo é uma editora de resistência. O livro do seu fundador sairia só em maio, mas foi antecipado. Intitulado Pape Satan Aleppe — Crônicas de uma sociedade líquida, trata-se de uma coletânea de textos publicados pelo autor em sua coluna no jornal L'Espresso desde 2000.

>>> Portugal: A edição de fevereiro da revista Blimunda está online

E traz, entre as novidades uma nova seção, “Os livros do Desassossego”. A edição vai ao centro dos atividades independentes frente aos grandes grupos editoriais na HQ numa entrevista com "O Clube do Inferno", uma das mais conceituadas editoras underground de Portugal. Além dessas e outras novidades, a Blimunda #45 reproduz um texto de Helder Macedo sobre o feminino na obra de Saramago e prefácio no ensaio Aprende, Aprende o meu Corpo. Sobre o Amor na Obra de Saramago, livro de autoria de Óscar Aranda publicado pela Fundação José Saramago. O download é gratuito aqui. 

>>> Iraque: Ampliam a recompensa pelo assassinato de Salman Rushdie

A notícia foi publicada pela Fars, agência ligada ao regime e peça que doou perto de vinte mil dólares para um fundo do qual participam outros quarenta meios de comunicação estatais ou semi-estatais iranianos. No total a recompensa é de 600 mil para quem executar a fatwa contra o escritor lançada pelo ayatollah Khomeini em 1989, após a publicação do romance Os versos satânicos. Esta é a segunda vez que o prêmio pela cabeça do escritor é aumentado. Rushdie é radicado no Reino Unido e há muito viveu sob escolta policial só retomando suas aparições públicas muito recentemente. A sentença contra o escritor chegou a ser executada contra vários outros envolvidos no processo de publicação da obra.

Quarta-feira, 24/02

>>> Alemanha: Alemães redescobrem obra de Clarice Lispector

Do final da década de 1980 até 2013, Clarice Lispector ficou praticamente esquecida pelos leitores alemães. Foi daí que a Schöffling & Co publicou O lustre, obra que ganhou grande repercussão e foi eleita como uma dos melhores do ano por um programa de rádio. Em poucos dias, a editora viu a tiragem de três mil exemplares se esgotar nas livrarias alemãs. O sucesso levou-a a postar em mais outros dois títulos que saíram agora, em fevereiro: A hora da estrela, traduzida por Luis Rubi (que também traduziu O lustre), e Perto do coração selvagem, romance de estreia da autora, traduzido por Ray-Güde Mertin e Corinna Santa Cruz. A biografia Clarice, escrita por Benjamin Moser, também é publicada pela Schöffling e a editora está em negociações avançadas para publicar "Todos os contos", coletânea organizada por Moser apontada pelo New York Times como um dos melhores livros de 2015 e que ganhará sua versão brasileira pela Rocco.

>>> Brasil: As cartas de Charles Bukowski no Brasil

Escritas, ilustradas pelo poeta estadunidense e agora reunidas no volume Escrever para não enlouquecer, publicação da L&PM Editores. As missivas agora em português foram escritas entre 1945 e 1993 e organizadas por Abel Debritto. A obra é uma outra maneira de se aproximar do poeta que fez da vida a matéria explícita de sua literatura.

Quinta-feira, 25/02

>>> Brasil: Uma nova edição e tradução de Os mortos, de James Joyce

Esse texto já apontado pelos leitores da obra de Joyce como uma boa introdução ao universo que criou textos irreparáveis como Ulysses. Até então a tradução mais encontrada nas livrarias é do que também traduziu a obra-prima do irlandês, Caetano Galindo (Penguin / Companhia das Letras). Mas, "a história de Natal, de música, dança e mesa farta, sobre os laços de família e de amizade, suas bênçãos e suas danações, suas alegrias e seus estorvos, seus prazeres e suas desgraças. É também uma história de amor: uma história de amores" como descreve a apresentação da Autêntica Editora ganhou nova e caprichada roupagem e nova tradução por Tomaz Tadeu.

Sexta-feira, 26/02

>>> Brasil: Há muito fora de circulação, obra de Albertina Bertha volta a ser publicada

O romance Exaltação sai pela Gradiva Editorial com coedição pela Fundação Biblioteca Nacional. Na década de 1920, a escritora era exaltada pela crítica como um dos grandes nomes literários do país. Escreveu cinco livros relevantes, todos de teor realista, que expressavam o debate sobre questões morais, direitos humanos, o lugar da mulher na sociedade brasileira, debates sobre as diferentes etnias brasileiras, questões de ordem políticas. Apesar do grande sucesso de crítica, com o passar dos anos os seus escritos acabaram caindo no esquecimento por um longo período.

>>> Portugal: Uma nova edição de Os Lusíadas com o rosto da edição mais antiga conhecida

A primeira edição da obra-prima de Camões data de 1572 e a editora Almedina apresenta agora um livro que segue o padrão gráfico e linguístico de então. O projeto é organizado pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra com coordenação de António Olaio e Rita Marnoto. A equipe do projeto editorial elaborou uma tipografia baseada e inspirada na “leitura de fontes renascentistas e a grafia da primeira edição.

>>> Em celebração ao centenário de nascimento do poeta Manoel de Barros, a Alfaguara Brasil, selo da Companhia das Letras, prepara uma série de reedições ao longo do ano, incluindo material inédito

Em março, sai Poemas concebidos sem pecado e Face imóvel; os dois livros chegam às livrarias numa única edição e com prefácio de Italo Moriconi, curador da reedição da obra do poeta. No mesmo mês, será lançada também nova versão de Arranjos para assobio , com prefácio de Luiz Ruffato. Em maio reedita-se O livro das ignorãnças em nova roupagem — na introdução, por exemplo, estará um texto de Valter Hugo Mãe. As reedições incluem fotos, manuscritos e cartas inéditas entre o poeta e nomes como Mário de Andrade, Carlos Drummond de Andrade e Millôr Fernandes.

>>> Inglaterra: Um título só com a primeira página de Grandes esperanças, de Charles Dickens

A primeira página de uma obra pode ser a que prende, desafia ou afasta o leitor. A partir dessa compreensão a editora londrina GraphicDesign& editou Page 1: Great Expectations, que traz 70 releituras da primeira página de um dos livros mais conhecidos de Dickens. Não é a reprodução de 70 primeiras páginas de 70 edições diferentes da obra. E bem poderia. Mas, o trabalho gráfico de como 70 designers reconstruiriam a primeira página de "Grandes esperanças. Cada um deixou-se foi guiar pelo conteúdo da narrativa: nas primeiras linhas do livro, o jovem Pip procura informações sobre a sua família observando inscrições em lápides, fazendo referências diretas às letras e formas. Veja mais aqui

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dez mulheres da literatura brasileira contemporânea

Onze livros para ler na estrada

Dostoiévski, um romântico desgarrado entre a revolução e Deus

Onze obras do teatro moderno e contemporâneo fundamentais a todo leitor

Baudelaire & Poe, Ltda.

O manuscrito em que Virginia Woolf anuncia o seu suicídio

Escritores narcisistas

A arquitetura da cidade como mediadora de leitura

Obras-primas perdidas e felizmente recuperadas

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo