Boletim Letras 360º #172

O humor de um mestre literatura brasileira. Livro traz textos de Machado de Assis e de outros escritores sobre a verve do riso em suas obras. Mais detalhes ao longo deste Boletim.


Oi, caro leitor, que acompanha diariamente ou vez-e-outra o blog! Aqui está mais uma edição do Boletim Letras 360º. Para quem ainda não conhece esta publicação, ela é editada todos os sábados e traz todas as notícias que circularam na página do Letras no Facebook. Existe há, como denuncia o título, 172 semanas. Aproveitamos essa ocasião para informar que entre os dias 18 e 19 de junho realizamos nosso primeiro sorteio no Twitter! Isso mesmo! (Siga-nos em @Letrasinverso) Saíram mais duas edições de Alabardas, Alabardas, de José Saramago. Os livros do escritor são os mais sorteados por nós! Só desse texto, que seria o último romance do escritor português, com as edições agora sorteadas, são cinco exemplares. Bom, outra novidade, é que em breve tem mais promoções.

Segunda-feira, 20/06

>>> Brasil: Descrita como uma novela de cunho satírico, obra de Dostoiévski ganha edição no segundo semestre

Trata-se de Uma história desagradável; o título sai pela Editora 34 e a primeira tradução direta do russo. Escrito em 1862, a novela foi uma vez publicada no Brasil nos anos 1960, pela José Olympio, nas traduções atravessadas. Uma história... narra a vida de funcionário público russo chamado Ivan Illitch Pralinski.

>>> Brasil: Ainda Literatura Russa: O processo do Tenente Ieláguin, é um livro de Ivan Búnin que sai também no segundo semestre

Pela Editora 34. A obra é uma das mais recentes traduções na qual trabalhava Boris Schnaiderman – deste livro, com um detalhe, o tradutor ainda chegou a revisá-lo. Trata-se de um romance breve, escrito no exílio Búnin, que, contrário aos bolcheviques, deixou a Rússia em 1918. É a trágica história de amor entre a bela dama Sosnóvskaia e seu assassino, o militar que dá nome ao livro, a partir do processo do crime. Muito recente a editora apresentou do mesmo autor, cf. lembramos uma vez aqui, O amor de Mítia.

Terça-feira, 21/06

>>> Inglaterra: Nova obra da escritora Agatha Christie ganha readaptação para a BBC

Depois do sucesso da série “And then there were none”, clássico adaptado em 2015 pela BBC, o canal encomendou mais uma obra da autora para a televisão: “Testemunha de acusação”, conto originalmente publicado em 1925 na revista Flynn’s Weekly, voltará às telas dividido em dois episódios e com uma parte da equipe que trabalhou em “And then there were none”, como a roteirista Sarah Phelps. A história trata do julgamento de um homem acusado de assassinato. O conto já foi peça de teatro e um clássico do cinema em 1957, com Marlene Dietrich, Tyrone Power e direção de Billy Wilder. Os episódios da BBC devem ter duração de duas horas cada e as gravações começam no final deste ano. Ainda não há data de lançamento.

>>> Brasil: Lembra de quando falamos sobre o desmonte da Cosac Naify que a Editora 34 iria publicar toda obra poética de Chacal? Então, aí está.

Um dos nomes da poesia contracultura nos dias de hoje no Brasil tem sua obra reunida em Tudo (e mais um pouco): desde seu primeiro livro, Muito prazer, Ricardo (1971), até os mais recentes Murundum (2012), Seu Madruga e eu (2015) e Alô poeta (2016), incluindo ainda a versão teatral da autobiografia Uma história à margem (2010). A edição é apresenta com quatro capas diferentes; dá uma olha no nosso Instagram @Letrasinverso

Quarta-feira, 22/06

>>> Brasil: Machado de Assis, um humorista brasileiro. Hã?!?

Um dia depois do aniversário do Bruxo, a Companhia das Letras divulga o lançamento para o início de julho de Flávio Moreira da Costa. O melhor do humor brasileiro é uma antologia que inclui textos da cultura popular indígena, de Lima Barreto, de Oswald de Andrade e de Millôr Fernandes; mas Costa escolhe como o maior humorista brasileiro e autor do maior número de textos selecionados para a obra. Dele, constam cinco contos ("Um apólogo", "História comum", "Ideias de canário", "O dicionário" e"Teoria do medalhão"), uma crônica ("Sou da polícia secreta!") e trechos de quatro romances na antologia (Esaú e Jacó, "O alienista", Memórias póstumas de Brás Cubas e Quincas Borba).

Quinta-feira, 23/06

>>> Japão: Os japoneses - nesses assuntos, sempre eles - estão em processo de criação de um robô de Natsume Soseki

O escritor é um dos mais queridos do Japão; famoso por obras como Eu sou um gato (1905) e Botchan (1906). O projeto da Universidade de Nishogakusha, onde o autor estudou literatura chinesa, para reviver Soseki em versão robótica é desenvolvido por equipe de estudantes em parceria com o Asahi Shimbun (jornal onde o autor trabalhou) inclui estudar a história de vida e toda a produção escrita do escritor, bem como análise de imagens de arquivo e até de sua máscara mortuária. A Universidade de Osaka é outra parceira no projeto junto com a empresa A-Lab (que criou a androide hiper-realista Asuna); ela cuidará da engenharia e da inteligência artificial. Hiroshi Ishiguro, um dos supervisores do projeto, garante que os dados advindos da pesquisa e a tecnologia serão usados para reproduzir a personalidade do autor “o mais fielmente quanto possível”. A voz de Soseki será recriada a partir de amostras da voz de seu neto Fusanosuke Natsume.

>>> Brasil: A obra de Graham Greene ganha reedição

É tarefa da Biblioteca Azul, selo da Globo Livros; até o próximo ano, 2017, os leitores terão acesso as obras do escritor inglês. Duas delas já estão disponíveis: O americano tranquilo e Os farsantes; o primeiro, já adaptado duas vezes para o cinema, é ambientado na Indochina às voltas com a guerra entre os anos 1946 e 1954. O segundo une o conhecimento histórico e as análises profundas de Greene no cenário político turbulento do Haiti da década de 1950, com personagens que parecem ser tirados de um filme - sim, este também ganhou as telas com Elizabeth Taylor no elenco.

Sexta-feira, 24/04

>>> Portugal: Quatro anos da Revista Blimunda, o mensário que surgiu numa tentativa de preencher um pouco o enorme vazio deixado pela ausência de José Saramago

As edições mensais editadas sob o zelo da Fundação José Saramago existem desde de junho de 2012. São 49 edições de uma revista que seria Lucerna, não fosse o relevo da personagem Blimunda, de Memorial do convento. No número apresentado no último 18 de junho, alguns dos destaques são uma entrevista, inédita em português, que Pilar del Río, companheira e tradutora de José Saramago, fez ao escritor no ano 2000, e também o artigo "José Saramago, editor de Raul Brandão?", de Vasco Rosa. Soma-se a isso a visibilidade sobre um dos movimentos de resistência ao Golpe no Brasil: Sama e outros artistas que se posicionam contra a atual conjuntura instalada no país. Além da entrevista com Marina Colasanti. Basta clicar aqui.

>>> Brasil: Nova tradução e edição para Romeu e Julieta

A história é conhecida de todos: a tragédia escrita entre 1591 e 1595, nos primórdios da carreira literária de William Shakespeare, é sobre dois adolescentes cuja morte acaba unindo suas famílias, outrora em pé de guerra. A peça ficou entre as mais populares na época de Shakespeare e, ao lado de Hamlet, é uma das suas obras mais levadas aos palcos do mundo inteiro. O relacionamento dos dois jovens considerado como o arquétipo do amor juvenil ganha nova edição e tradução; sai pelo selo Penguin / Companhia das Letras e foi realizada por José Francisco Botelho.

Bônus de beleza

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pablo Neruda: o que não dá mais para ocultar

Água viva, de Clarice Lispector

Quando Borges era Giorgie

Boletim Letras 360º #231

Salinger, um grupo de psicopatas e os do MKUltra

A filha perdida, de Elena Ferrante

Gostamos de causar danos (com o grande romance estadunidense)

Jane Austen: casamento e dinheiro

Boletim Letras 360º #232

Roberto Bolaño: "Escreve tu a poesia por mim"