Boletim Letras 360º #175

Desde 2011, o Brasil só dispunha de uma edição com uma antologia de poemas de Wislawa Szymborska. O verão passou: chega novo título da poeta polonesa. Mais detalhes ao longo deste Boletim.


Esta edição coroa o fechamento de mais uma semana do blog Letras in.verso e re.verso. Não é desde que este espaço existe que existe esta postagem, mas há 175 semanas, quando decidimos usar o Facebook para divulgar notícias referente ao universo de interesse do blog, que ela é nosso contador virtual. Todas as matérias que circulam na rede social mais movimentada (e partilhadas no Twitter @Letrasinverso) ficam reunidas num só lugar ao alcance de um só clique; ideal para quem não tem todo o tempo para acompanhar o vai-e-vem nas redes e para quem gostaria de rever alguma novidade que viu e perdeu de vista.  

Segunda-feira, 11/07

>>> Brasil: Uma revista para quem ama os livros e, ainda mais, ama ler sobre eles está no quinto número

A Revista do Núcleo de Estudos do Livro e da Edição (NELE) une textos de vários professores e pesquisadores que, em várias seções, apresentam o livro como objeto de estudo. Acervo e Arquivo, por exemplo, trazem ao conhecimento o que antes estava guardado. Na primeira João Carlos de Oliveira e Álvaro Costa de Matos mostram ao público brasileiro alguns aspectos da composição da Hemeroteca de Lisboa. Na segunda, Felipe P. Rissatto e Leopoldo Bernucci apresentam novidades fresquinhas sobre Machado de Assis e Euclides da Cunha, mostrando que é possível (re)descobri-los. Já Almanaque exibe peças curiosas do que há de melhor na seara brasileira. O leitor verá uma série de pequenas publicações destinadas a resgatar os vínculos de Mário de Andrade com os livros e uma faceta pouco conhecida do “poetinha” Vinícius de Moraes: sua atuação como editor. A seção Letra & Arte dedica-se à tradução de poesias, em trabalhos inéditos, de autores gregos, latinos e modernos. Vale a pena destacar a colaboração de Augusto de Campos, no bloco dos Latinos. José de Paula Ramos Jr. explica que Augusto de Campos resgata do esquecimento os poetas Sousândrade e Pedro Kilkerry, e contribuiu de modo decisivo para a revalorização da obra de Oswald de Andrade e para o reconhecimento de Pagu (Patrícia Galvão), tanto como escritora quanto como militante política e cultural. Além disso, Augusto de Campos oferece dez poemas latinos de autores célebres, recriados por ele em língua portuguesa. E há mais. A edição n.5 é editada pela Ateliê Editorial.

>>> Brasil: Uma caixa traz material inédito do mais importante cronista literário brasileiro, Rubem Braga

Há muito esperada, eis que a curiosidade em torno da edição com textos inéditos de Rubem Braga chega ao fim: a Autêntica Editora, responsável pela publicação anunciou a chegada da obra de um escritor que deixou nos 62 anos de atividade profissional mais de 15 mil textos. Selecionadas por André Seffrin, Bernardo Buarque de Hollanda e Carlos Didier as crônicas até agora inéditas em livro saem em três volumes reunidos numa caixa. Cada um traz cerca de 100 crônicas, além de posfácios escritos pelos organizadores, com comentários sobre a vida e a obra do escritor capixaba, e textos de orelhas de Miguel Sanches Neto (artes plásticas), Milton Hatoum (política) e Aldir Blanc (música).

Terça-feira, 12/07

>>> Brasil: Um livro reúne textos de vários nomes da literatura brasileira contemporânea sobre os bastidores da escrita

É o segundo volume. Ficcionais 2: o ato de forjar seus mundos reúne mais de trinta escritos que narram o que sempre os leitores mais curiosos quiseram saber: como o escritor lidou com a confecção de uma determinada obra? Entre os destaques, Raimundo Carrero fala sobre O senhor agora vai mudar de corpo, romance em que trata do AVC que sofreu em 2010; há ainda textos de Maria Valéria Rezende sobre as histórias que compõem Quarenta dias, Silviano Santiago e o processo de composição de Mil rosas roubadas, entre outros. O fruto deste e do primeiro volume (publicado há três anos) foi a coluna "Bastidores", criada em 2010 e publicada no Suplemento Literário de Pernambuco; a obra é organizada pelo jornalista Schneider Carpeggiani e publicada pela Cepe Editora.

>>> Portugal: Crônica de José Saramago ganha ilustrações e edição independente; livro será apresentado em Portugal durante o Festival de Óbidos

Processo semelhante aconteceu com o infantil “O silêncio da água”, que recebeu ilustrações de Manuel Estrada e foi publicado em 2011. O texto de #‎Saramago “O lagarto” integra o livro A bagagem do viajante, de 1972, e é de fácil acesso ao leitor brasileiro através da edição em circulação publicada pela Companhia das Letras. Situado entre o universo dos contos de fadas e o da literatura fantástica, “O lagarto” recebeu ilustrações do brasileiro José Francisco Borges. A ideia nasceu de um editor argentino, que vive há muitos anos em Barcelona, Alejandro García Schnetzer, o mesmo que fez vingar a ideia para “O silêncio da água”. Em Portugal, durante o lançamento em setembro será aberta uma exposição com as xilogravuras de Borges.

Quarta-feira, 13/07

>>> Brasil: Novo livro com poemas de Wislawa Szymborska

Um amor feliz é o segundo título da poeta polonesa no Brasil. Em 2011, a editora que publica sua obra por aqui, a Companhia das Letras lançou Poemas, volume com a lírica da poeta Prêmio Nobel de literatura em 1996, e responsável por uma verdadeira febre Szymborska no Brasil. A obra de Szymborska equilibra-se entre o rigor e a observação dos fatos, sempre num tom levemente informal a despeito da cuidadosa construção dos versos. Falando de amores e da vida cotidiana, a escritora ergueu uma obra que toca os leitores e influencia novas gerações. A tradução de Regina Przybycien.

>>> Brasil: Edição especial para celebração dos 60 anos da publicação de Morte e vida severina, de João Cabral de Melo Neto

Não é só Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa que atravessa a barreira das seis décadas. Um dos poemas mais populares de João Cabral que dá voz aos retirantes nordestinos e ao rio Capibaripe, em cenas fortes e contundentes também. Clara crítica social, o autor descreve a viagem de um sertanejo chamado Severino, que sai de sua terra natal em busca de melhores condições de vida. Durante a jornada, Severino se encontra tantas vezes com a Morte que, desiludido e impotente, percebe que a luta é inútil como ele, tantos outros severinos padecem com a miséria e o abandono. Apenas o nascimento de um bebê, uma criança-severina, renova as esperanças e o espírito cansado daquele que já não tinha motivos para continuar a viver. A edição em capa dura é da Alfaguara Brasil.

Quinta-feira, 14/07

>>> Brasil: Chega em agosto às livrarias brasileiras livro de poemas de Emily Brontë

A edição é da Civilização Brasileira. O vento da noite, único volume de poemas de Emily Brontë – autora do clássico O morro dos ventos uivantes – disponível no Brasil, ganha reedição. A edição bilíngue reúne 33 poemas da inglesa traduzidos por Lúcio Cardoso e é organizada por Ésio Macedo Ribeiro. O livro, que estava fora de catálogo há muitos anos, teve sua primeira e única edição no Brasil feita em 1944, pela José Olympio, na prestigiosa e histórica Coleção Rubáiyát. Na apresentação da obra, Lúcio Cardoso afirma ter feito uma “tradução livre” dos poemas de Brontë, mas, como diz Denise Bottmann na orelha do livro, o que há de fato “é um diálogo e um irmanamento” entre os dois, escritora e tradutor. Emily Brontë publicou poucos poemas em seus 30 anos de vida. Sua obra poética completa veio a público somente em 1941, com a colaboração da irmã, Charlotte, e de dois pesquisadores, que tiveram acesso aos cadernos da inglesa.

>>> Brasil: Nova tradução de um romance centenário de James Joyce

A variante na tradução proposta por Caetano Galindo está desde o título: de Retrato do artista quando jovem a Um retrato do artista quando jovem. A obra que chega aos 100 anos de sua primeira edição agora em 2016 é considerada um dos romances de formação mais importantes da literatura universal. Narra a infância e a juventude de Stephen Dedalus, alter ego literário de James Joyce. O personagem, que teria lugar de destaque no Ulysses, romance seguinte do autor, aparece aqui como um jovem em busca de identidade, seja ela artística, política ou pessoal. A experiência num internato jesuíta, onde conhece a teoria estética de São Tomás de Aquino, transformará Dedalus de forma irremediável e o colocará em contato com uma das mais belas epifanias artísticas já registradas num romance. A nova edição sai pelo selo Penguin / Companhia e trará texto de Karl Ove Knausgård.

>>> Hungria: Morreu o escritor Péter Esterházy

O comunicado é da editora Magvetö. "A família e a editora informam com grande dor que Péter Esterházy faleceu na tarde de 14 de julho de 2016", reza a nota publicada na web e no Facebook. Nascido em Budapeste em 14 de abril de 1950 numa das famílias aristocratas mais importantes de seu país, Esterházy se dedicou à literatura desde 1978, depois de estudar Matemática na Universidade Elte, de Budapeste, e se converteu num dos escritores mais conhecidos de seu país. Sua obra, caracterizada pelo humor ("que serve para proteger-se da feiura do mundo") e pela ironia, tem sido traduzida para mais de 20 idiomas e reconhecida com numerosos prêmios e distinções, como o da Paz dos Livreiros Alemães, a Ordem das Artes e das Letras da França e o Prêmio Herder alemão. No Brasil, entre suas obras, foram publicadas Os verbos auxiliares do coração e Uma mulher, ambos pela extinta Cosac Naify.

Sexta-feira, 15/07

>>> Brasil: Há muito fora de circulação entre as livrarias, a biografia de Charles Bukowski ganha uma reedição

A primeira edição foi publicada há dezesseis anos e só agora recebe nova roupagem para preencher a lacuna deixada entre os leitores e curiosos sobre a biografia do velho Buk. Vadio, alcoólatra, mulherengo, imprevisível, o homem transformou todos os seus pecados, angústias e trapaças em matéria-prima de clássicos como Cartas na rua, Factotum e Mulheres foi biografado por Howard Sounes (trabalho que é ainda o mais completo e levou o autor a anos de exaustiva pesquisa). O livro inclui entrevistas com praticamente todos os amigos, familiares e amantes do escritor. Sounes também teve um acesso sem precedentes à correspondência íntima de Bukowski e a seu trabalho inédito. Ilustrado com mais sessenta fotografias, Charles Bukowski. vida e loucuras de um velho safado também traz ainda desenhos originais do escritor e contribuições especiais de amigos, como Norman Mailer, Allen Ginsberg, Sean Penn, Mickey Rourke, Lawrence Ferlinghetti, R. Crumb e Harry Dean Staton, citações de trechos de sua obra em prosa e poesia, incluindo trabalhos nunca antes publicados. A edição é da Veneta.

>>> Brasil: Conto de F. Scott Fitzgerald ganha ilustrações e edição independente

"Bernice corta o cabelo" é publicado pela Lote 42. A partir de uma frase atribuída a Oscar Wilde ("Tudo que podemos fazer pelas pessoas é alimentá-las, diverti-las ou chocá-las") o escritor estadunidense compõe uma trama em que a personagem-título da obra mantém com sua prima Marjorie uma disputa por popularidade, pertencimento social, status e atenção de garotos; um texto que mergulha o leitor nas peculiaridades e sutilezas do universo adolescente em seu máximo estado de tensão, com suas descobertas e frustrações. Traduzido por Juliana Cunha, com ilustrações de Mika Takahashi, o conto nos transporta a um momento da história marcado pelo jazz, pelos bailes e pelo dinheiro; escancara aí o jogo das relações sociais de um grupo de adolescentes ricos: o ambiente em que cada um se encontra, onde são vistos, notados, e avaliados. Roupas, festas, cortes de cabelo e, enfim, palavras.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Essa estranha instituição chamada literatura: uma conversa com Jacques Derrida

Os melhores diários de escritores

Lolita, amor e perversão

O conto da aia, o pesadelo de ser mulher numa teocracia

Os ventos (e outros contos), de Eudora Welty

O primeiro conto de Ernest Hemingway

Há muitos Faulkner

Kazuo Ishiguro, Prêmio Nobel de Literatura 2017

Boletim Letras 360º #239