Boletim Letras 360º #185

Ursula K. Le Guin. A escritora estadunidense entra para o seleto grupo dos que ainda em vida tiveram sua obra incluída em The Library of America

Durante esta semana, foram essas as notícias que recolhemos em nossa página no Facebook, casa que chegou aos 45 mil amigos (isso é já uma cidade artístico-literária!). Até o final de setembro, publicaremos nossa próxima promoção em dupla celebração: aos amigos que nos chegam e ao início da passagem dos 10 anos do blog Letras.

Segunda-feira, 19/09

>>> Brasil: Depois de sabermos da chegada de O homem sem doença, eis outras novidades sobre o holandês Arnon Grunberg

A editora Rádio Londres torna um dos nomes mais conhecidos da literatura holandesa contemporânea mais acessível aos brasileiros. Adquiriu os direitos de outros dois livros do escritor: O refugiado (2003) e Moedervlekken (Marca de nascença), lançado na Holanda em maio deste ano. São livros que saem até o final de 2017.

Terça-feira, 20/09

>>> Brasil: As aventuras de Tintim, de Hergé, em edição fac-similar

Três edições são publicadas agora em setembro pela Globo Livros: Tintim no congo, Tintim na América e Os charutos do faraó. No primeiro, o jornalista e seu cão Milu desembarcam no antigo Congo Belga, na África, para realizar uma série de reportagens. Além de enfrentarem os perigos da selva, os dois encaram um perigoso bandido que está tentando expandir seus negócios de diamantes na região. No volume seguinte a dupla desembarca em Chicago para deter os homens de Al Capone. Após descobrir o paradeiro dos bandidos, Tintim e Milu vão parar em uma tribo de peles-vermelhas, e o encontro com os nativos americanos não será nada amigável. Por fim, no terceiro volume Tintim e Milu vão em busca da tumba perdida do faraó Kih-Oskh. Logo após a descoberta, percebem que ela na verdade é uma fachada para uma sociedade secreta de traficantes internacionais que escondem misteriosos charutos em sua base. Para mandá-los para trás das grades, Tintim e seu companheiro precisarão de uma boa dose de coragem e sorte. As edições fac-similares copiam as primeiras edições das aventuras publicadas pela primeira vez em 1931 e 1932.

Quarta-feira, 21/09

>>> Estados Unidos: Ursula K. Le Guin já figura na lista mais seleta da literatura estadunidense

Um grandes escritor sempre espera receber algumas notícias consagradoras de sua carreira: por exemplo, descobrir numa linda manhã de outubro que esperam sua presença na Suécia. No caso de um escritor estadunidense, além o almejado Prêmio Nobel, também se espera, para sua consagração, entrar para o cânone "The Library of America", o mais próximo da imortalidade entre capas duras. A coleção que se limita a Melville, Twain, Hawthorne e outros mortos destacados poucas vezes esteve segura de acrescentar entre eles um romancista ainda vivo; Eudora Welty, Saul Bellow e Philip Roth formam parte desse pouco. Agora também Ursula K. Le Guin. A ideia original da biblioteca era começar com alguns de sues clássicos de ficção científica. Mas ela insistiu que começasse pelas obras menos conhecidas. "Não quero que me reduzam em ser uma escritora de ficção científica", disse a escritora. "The Complete Orsinia de Le Guin" foi publicado agora em setembro; é o volume 281 da coleção. E inclui um romance pouco conhecido, Malafrena cuja narrativa é ambientada num país centro-europeu imaginário e se compõe de treze histórias relacionadas. O material inclui a primeira metade da carreira da escritora - desde o primeiro conto publicado em 1961 até 1990. Le Guin tem 86 anos.

Quinta-feira, 22/09

>>> Brasil: Até o fim de setembro, a primeira incursão de Luis Fernando Verissimo na literatura infantil

As gêmeas de Moscou, editado pelo selo infantil da Companhia das Letras, fala sobre solidariedade e rivalidade entre duas irmãs. A obra foi escrita sob encomenda da editora, mas Veríssimo diz que o convívio com a neta Lucinda, ajudou a desenvolver a história. O livro sai com ilustrações de Rogério Coelho, que já desenhou para infantis de Ferreira Gullar e Ruth Rocha.

>>> Brasil: Palmeirim de Inglaterra, uma novela portuguesa sobre a cavalaria escrita por Francisco de Moraes em 1544, ganha edição no Brasil

Para a edição publicada pela Ateliê Editorial, os pesquisadores Lênia Márcia Mongelli, Raúl Cesar Gouveia Fernandes e Fernando Maués realizaram um minucioso e primoroso trabalho, transcrevendo a partir de várias fontes para poder chegar a um resultado fidedigno, que interferisse minimamente no estilo original – um dos pontos altos da obra. O enredo está dividido em duas partes: a primeira trata do nascimento e as primeiras aventuras dos irmãos gêmeos, Palmeirim e Floriano, filhos de D. Duardos e Flérida. A segunda mostra os dois irmãos que saem pelo mundo, realizando façanhas ao lado de companheiros e damas, até culminar na grande batalha final entre “turcos” e “cristãos”, na qual sucumbem muitos dos heróis cuja trajetória acompanhamos nas páginas iniciais. Feitos de guerra e feitos de amor dão um colorido especial ao objetivo maior: a defesa da cristandade.

Sexta-feira, 23/09

>>> Portugal: A edição n.52 da Revista Blimunda, mensário da Fundação José Saramago, já está online

A edição traz conversa com os diretores do Freedom Theatre, companhia que esteve em turnê por Portugal neste mês de setembro e que aposta que o teatro pode ser uma alternativa para os jovens de regiões castigadas pela violência; a reportagem assinada por Ricardo Viel investiga o milagre de haver teatro entre os refugiados de Jenin, na Palestina. Outro destaque é sobre a Festa do Avante! que agora em 2016 marca os 40 anos da sua primeira edição; na revista uma crônica assinada por Sara Figueiredo Costa sobre a festa organizada pelo Partido Comunista Português. Na seção Saramaguiana uma das primeiras críticas ao romance O ano da morte de Ricardo Reis, livro de José Saramago que este mês de setembro regressa às livrarias portuguesas na nova edição da Porto Editora. Escrito por Leonor Xavier e publicado em novembro de 1984, poucas semanas depois da chegada do romance às livrarias, o texto destaca o caráter inovador do romance ao propor um “jogo entre o real imaginário e o imaginário real”, tendo o leitor como parceiro. Isso e mais pode ser lido aqui.

>>> Brasil: Dos livros para as telas do digital, uma versão pós-moderna de Iracema

Um dos clássicos da literatura brasileira, o livro de José de Alencar, ganhou uma versão digital para fazer parte da coleção Clássicos da literatura brasileira em e-books. Apresentado pela Primavera Editorial, além do texto original, o leitor tem acesso a um conjunto de perguntas de múltipla escolha e dissertativas sobre a obra, além de link para assistir videoaulas com explicações e comentários feitos por professores convidados. Tudo como um recurso para melhor facilitar o acesso dos leitores à linguagem poética de "Iracema" que sempre é tida como rebuscada e difícil. A publicação traz recursos para tornar o entendimento mais claro por meio de uma abordagem mais leve.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

Como enfrentar Ulysses

L’amour, de Michael Haneke

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Sartre: a autenticidade e a violência

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay

Clara dos Anjos: a chaga dos anos 20