Boletim Letras 360º #11



O quarto, Van Gogh. Uma nova exposição em torno da sua obra revela novas facetas sobre o artista.

Semana intensa. Findada a leitura de nosso reino iniciamos já o remorso de baltazar serapião, de Valter Hugo Mãe. Isso porque vamos escrever um conjunto de notas críticas para cada um dos romances do escritor português mais a coletânea de poemas mil e setenta e um poemas, editado pela Thesaurus Editora, compondo um itinerário em torno da sua literatura. Essa revelação tem o tom do convite. Quão bacana seria que nossos leitores também fossem na mesma rota compondo esse itinerário conosco! Teríamos coisas de sobra para sublinhar e conversarmos juntos, não acham? A proposta está feita. Agora, deixem que contemos o que foi matéria na nossa fan page e o tempo não permitiu acompanhar.

Segunda-feira, 29/04

>>> Estados Unidos: Charles Bukowski – documentário on-line

Os amantes da poesia de Charles Bukowski estão convidados a conhecer o documentário Bukowski - Born Into This, dirigido por John Dullaghan. Neste trabalho, o diretor nos leva a momentos decisivos na vida do escritor. O vídeo tem legendas em espanhol. Para visualizar aqui.

>>> Portugal: Sophia de Mello Breyner Andresen on-line

"A coisa mais antiga de que me lembro é de um quarto em frente do mar dentro do qual estava poisada em cima de uma mesa uma maçã enorme e vermelha. Do brilho do mar e do vermelho da maçã ergui a sua felicidade irrecusável, nua e inteira. Não era nada de fantástico, não era nada de imaginário. Era a própria presença do real que eu descobria. Mais tarde a obra de outros artistas veio confirmar a objectividade do meu próprio olhar. Em Homero reconheci que essa felicidade nua e inteira, esse esplendor da presença das coisas. A obra de arte faz parte do real e é destino, realização, salvação e vida."  Assim relembra a poeta portuguesa. Encontramos no Youtube um curta (pouco mais de 15min) com a Sophia de Mello Breyner Andresen. Filmado em 1970, sob direção de J. César Monteiro. O filme está em duas partes (aqui e aqui). 

>>> Brasil: Biografias escritas por Paulo Leminski serão reeditadas

Anunciou a Companhia das Letras. Sairá em novembro. Ao longo dos anos 80, Paulo Leminski escreveu algumas biografias que foram publicadas pela Editora Brasiliense na sua coleção de livros de bolso Encanto Radical. Na época, os livros tiveram uma ótima acolhida por parte dos leitores e foram reeditadas logo após a morte dele pela editora gaúcha Sulina, reunidos sob o título Vidas. As biografias reunidas são "Cruz e Souza: O Negro Branco", "Bashô: A Lágrima do Peixe", "Jesus a.C." e "Trótski: A Paixão Segundo a Revolução".

>>> Chile: Bolaño no cinema

Deve estrear em 2014 o filme El futuro, primeira adaptação de um texto do escritor chileno Roberto Bolaño. Dirigido pela cineasta também chilena Alicia Scherson, o filme é baseado em Una Novelita Lumpen; na narrativa acompanhamos dois jovens chilenos que ficam órfãos depois de os seus pais exilados morrerem num acidente de viação em Itália. Tentando sobreviver nas ruas, Bianca e Tómas rapidamente caem na prostituição e nos pequenos roubos. Porém, tudo isto é contado a partir do futuro por uma narradora que relembra as suas experiências. As filmagens começaram em 2012 e passeia três países, Alemanha, Itália e Chile, onde se passa a trama. Ainda não existe qualquer data de estreia para filme, mas sonda-se que talvez esteja no Festival de Veneza em 2014.

>>> Brasil: Repaginar Graciliano Ramos

Uma nova edição para as correspondências de Graciliano Ramos busca desfazer a imagem do homem fechado, tímido e de raros amigos. Entre 1909 e 1952, o escritor recebeu ou enviou cartas para 106 correspondentes, diz o levantamento feito pela pesquisadora da Universidade de São Paulo Ieda Lebensztayn. Ela é a autora do novo livro a sair ainda em 2013. Mapeou 160 cartas inéditas, entre a correspondência ativa e passiva; são os interlocutores de Graciliano, Jorge Amado, José Lins do Rego, Cândido Portinari, Nelson Werneck Sodré, Cyro dos Anjos, Luis Carlos Prestes, entre outros.


Terça-feira, 30/04

>>> Brasil: Colóquio Um dia de Camões 2

O evento será no dia 10 de junho de 2013, no Instituto de Letras da UFF. O objetivo do encontro anual é ler Camões o poeta como poeta, confirmando sua aguda contemporaneidade e contornando um discurso, por assim dizer, oficial, que muito prejudica a compreensão da obra camoniana. Os organizadores estão recebendo propostas de comunicação (vagas limitadas) que contemplem a obra camoniana em quaisquer de suas facetas. Para informações pode se escrever a luismaffei@id.uff.br. O colóquio já tem confirmado em sua programação a presença da professora Cleonice Berardinelli que fará uma conferência, além de mesas redondas e lançamento de livros.

>>> Brasil: Mais detalhes acerca da Flip 2013 – Milton Hatoum fará a abertura 

O autor de Dois irmãos foi escolhido para abrir a Festa Literária Internacional de Paraty, que ocorre entre os dias 3 e 7 de julho. Ele apresentará uma palestra sobre a obra de Graciliano Ramos, autor homenageado pelo evento neste ano. A programação em torno do alagoano inclui ainda um debate em que o americano Randal Johnson, da Universidade da Califórnia, abordará a relação que Graciliano Ramos estabeleceu com o Estado Novo. O pesquisador vai analisar a construção de Ramos como um escritor de esquerda a partir dos livros Caetés e São Bernardo. Foi divulgada ainda a presença de mais um convidado: o egípcio Tamim Al-Barghouti. O poeta, de 35 anos, está exilado desde 2003 – atualmente, é professor convidado da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos. Seu nome ganhou projeção internacional em 2011 depois de que um de seus poemas, “Oh Egypt, it’s close”, foi declamado durante os protestos contra o Hosni Mubarak, na Primavera Árabe. Além de escrever poesia, ele é autor de dois livros sobre história e política. Até agora, estão confirmados (conforme temos acompanhado) o irlandês John Banville, o bósnio Aleksandar Hemon e a americana Lydia Davis, além de Cleonice Berardinelli e Maria Bethânia que, juntas, farão uma homenagem a Fernando Pessoa.

>>> Brasil: Daniel Galera vem a Natal/RN

Em evento promovido pela Editora Jovens Escribas, Daniel Galera volta a Natal (a primeira vez de sua vinda foi numa das edições do Festival Literário da Pipa) para o lançamento de seu mais recente livro “Barba ensopada de sangue” – Companhia das Letras. O evento será dia 17 de maio, pelas 19h na Livraria Nobel da Salgado. A livraria está localizada logo depois do Shopping Midway Mall e em frente ao Hospital Walfredo Gurgel.

>>> Brasil: O Instituto Moreira Salles terá sua estrutura ampliada

Atualmente o IMS conta um acervo monumental de 800 mil imagens, 100 mil fonogramas, 1.200 obras de iconografia e 400 mil cartas e documentos. Agora, prepara um dos passos mais ambiciosos de sua trajetória: a construção de um museu vertical na avenida Paulista, em São Paulo, entre as ruas Bela Cintra e Consolação. Com inauguração prevista para 2016, o novo espaço foi definido a partir de um concurso que reuniu seis importantes escritórios do país - Arquitetos Associados, Angelo Bucci (Spbr), Marcio Kogan (Studio Mk27), Una, Bernardes&Jacobsen e Andrade Morettin - este último, autor da proposta vencedora. Com um térreo elevado a 15 metros, o novo prédio orçado em aproximadamente R$ 30 milhões deve abrigar grandes exposições, bem como mostras de cinema, palestras, cursos e shows de música. Uma biblioteca de fotografia e um café fazem parte do projeto.


Quarta-feira, 01/05

>>> Alemanha: Revisitar Van Gogh

O quarto (imagem de abertura), pintado por Van Gogh em 1888, é facilmente identificável por sua cama amarela posicionada no canto de um aconchegante quarto pintado de azul-celeste. Porém, um estudo sobre a obra do pintor holandês prova que Van Gogh concebeu de maneira diferente as cores que marcaram seu trabalho. Uma nova análise de centenas de telas do pintor, bem como de sua paleta, pigmentos, cartas e cadernos vem sendo elaborada nos últimos oito anos pelo museu do artista em parceria com a Agência Holandesa do Patrimônio Cultural e com a multinacional Shell. Segundo Axel Rüger, diretor do Museu Van Gogh, em Amsterdã, a pesquisa não reescreve a história do pintor, mas pode mudar a compreensão sobre sua personalidade. Até agora a pesquisa identificou que ele não teria apenas lutado contra seus demônios na hora de criar e sim seria um artista com objetivos definidos. Os resultados deste estudo serão revelados na exposição Van Gogh at work, que abre nesta quarta-feira com 200 pinturas, entre obras de Van Gogh e de seus contemporâneos como Paul Gauguin e Émile Bernard.  (Jornal O Globo).

>>> Portugal: A dimensão oculta de Fernando Pessoa

Um dos pesquisadores mais atuantes na obra de Fernando Pessoa, o colombiano Jerónimo Pizarro, atual vencedor do Prêmio Eduardo Lourenço, faz para a edição de abril da revista portuguesa LER alguns cálculos: 70% da poesia escrita em língua inglesa por FP ainda está inédita; em português falta toda a poesia não datada - em torno de 500 poemas ou mais. "Para mim, há quase uma década que é incompreensível termos tanto material por tratar e termos a consciência, mesmo que seja uma consciência de poucas pessoas, de ainda termos trabalho para 40 ou 50 anos, ou muito mais." – diz Pizarro em entrevista a Carlos Vaz Marques.

>>> Brasil: Cerca de 6 mil manuscritos de José de Alencar agora digitalizados

Autor de alguns dos maiores clássicos da literatura nacional, como O Guarani e Iracema, José de Alencar foi jornalista, dramaturgo, deputado, ministro da Justiça, crítico literário e um estudioso da língua portuguesa. Desde ontem, quando foi celebrado os 184 anos de nascimento do autor, a Casa de José de Alencar deixou ao dispor da curiosidade de pesquisadores e interessados em geral cerca de seis mil manuscritos – a maioria inédita – que estão no Museu Histórico Nacional (MHN), no Rio de Janeiro, através da digitalização. Agora, em vez de ir até a capital carioca para consultar o material, quem quiser descobrir essas várias (e pouco conhecidas) facetas de Alencar só precisa agendar uma visita e ir ao sítio que o abrigou durante a infância. A Casa de José de Alencar está na Avenida Washington Soares, 6055 – Alagadiço Novo, Fortaleza (CE).


Quinta-feira, 02/05


>>> Brasil: Lídia Jorge, Rui Zink, Patrícia Reis e Inês Pedrosa vêm ao Brasil

"Vozes da Literatura Portuguesa" é um programa da Casa Fernando Pessoa, realizado em parceria com a Biblioteca Mario de Andrade e o SESC São Paulo, com apoio cultural da Câmara Portuguesa de São Paulo e do Conselho de Comunidade Luso-Brasileira. O programa apresenta seis escritores portugueses publicados no Brasil: Ana Luiza Amaral, Gastão Cruz, José Luis Peixoto, Lídia Jorge, Patrícia Reis e Rui Zink, apresentando diferentes gerações e gêneros literários. A Biblioteca Mario de Andrade receberá três dos escritores - Lídia Jorge, Rui Zink, Patrícia Reis com mediação de Inês Pedrosa - para uma conversa sobre o que o inspira na escrita de seus romances, com leituras de trechos de suas obras.  O encontro ocorre às 16h do dia 21 de maio no Auditório da Biblioteca Mario de Andrade em São Paulo.

>>> Brasil: Um dia para homenagens a Augusto dos Anjos

Em 2012, a Universidade Federal da Paraíba sediou o I Colóquio Nacional de Estudos Literários. O homenageado do evento foi o poeta Augusto dos Anjos pela passagem dos 100 anos da primeira edição do seu único livro – Eu. Do colóquio, organizou-se um livro – Augusto dos Anjos: a heterogeneidade do Eu singular. Este livro teve lançamento numa sessão realizada ontem, 3 de maio, no Centro Cultural Joacil de Brito Pereira (Praça D. Adauto, n.13. Centro - João Pessoa/PB). O evento teve um conferência com o Prof. Dr. Chico Viana, autor de um dos ensaios publicados no livro. Organizado pelas professoras Maria do Socorro Silva de Aragão, Neide Medeiros Santos e Ana Isabel de Souza Leão Andrade, a obra reúne 35 ensaios de vários estudiosos de diversas universidades brasileiras, entre eles um do editor deste blog, Pedro Fernandes, que na ocasião, em 2012, participou do colóquio com a fala “Visualidades do espaço na poesia de Augusto dos Anjos.”

>>> Chile: Causa mortis de Pablo Neruda pode ter ser mesmo câncer de próstata

É o que demonstra os primeiros exames feitos a partir dos restos mortais do poeta: Neruda sofria de um câncer de próstata avançado e metastático - confirmaram hoje fontes ligadas ao processo. O relatório dos exames radiológicos e histológicos foi fornecido pelo Serviço Médico Legal do Chile e entregue hoje ao juiz Mario Carroza, que instrui a causa para determinar o verdadeiro motivo da morte de Neruda. A exumação começou dia 8 de abril. O poeta chileno morreu 12 dias após o golpe de Estado que colocou o general Augusto Pinochet no poder. Na época de sua morte já haviam atribuído a um câncer de próstata, mas um assessor do poeta tem defendido que ele recebeu uma injeção letal por ordem do regime militar de Pinochet. O advogado Rodolfo Reyes, sobrinho de Neruda que participou da exumação de seu corpo junto com um grupo especialistas internacionais, disse a uma rádio local que os restos mortais de seu tio serão minuciosamente examinados. Leia mais sobre o caso em matéria feita por nós aqui.


Sexta-feira, 03/05

>>> Brasil: Academia Brasileira de Letras quer comercializar obras com correspondências de Machado de Assis

Já são 4 tomos publicados e o 5º está em preparação. Toda a troca de correspondência entre o escritor brasileiro Machado de Assis e os outros grandes nomes como Capistrano de Abreu, Eça de Queirós, Joaquim Nabuco etc. está sendo reunida pela Academia Brasileira de Letras (ABL), do zero, a partir de fontes originais. Mas você não encontrará essa obra de importância incalculável nas livrarias. As obras não podem ser comercializadas por questões jurídicas de isenção de impostos da academia. “Estamos trabalhando para resolver essa questão, já está na hora de resolvê-la”, afirmou Sérgio Paulo Rouanet na sua apresentação ontem, 1/5, na Flipoços. O Imortal falou sobre o conteúdo das cartas – que englobam tudo menos política –, reunidas a partir de fontes como o acervo da ABL, CPDOC da FGV e Biblioteca Nacional, entre outros, inclusive particulares, como a carta de Machado de Assis a Euclides da Cunha, de José Mindlim. O mercado certamente aguarda ansiosamente.

>>> Estados Unidos: Os deslimites da hipocrisia: o famoso Diário de Anne Frank está sendo censurado nos Estados Unidos por ser (adivinhem?) pornográfico

O famoso Diário de Anne Frank tem criado polêmica por nada nos Estados Unidos. Da mesma maneira sem fundamento que, por exemplo, Caçadas de Pedrinho, de Monteiro Lobato, aqui no Brasil foi levado aos tribunais pela acusação de racista, alguns pais do lado norte da América acreditam que o livro de Anne é "pornográfico" e perturbador para crianças do ensino básico. A trágica história de Anne Frank, uma menina judia que se viu obrigada a esconder, juntamente com a família, durante o holocausto nazi e que acabaria por morrer, em 1945, no campo de concentração de Bergen-Belsen, foi eternizada em livro por ela própria. Durante os anos em que permaneceu escondida, Anne foi relatando as suas aventuras no esconderijo, a guerra e as suas angústias pessoais. Desde que foi publicado, em 1947, o diário da adolescente é leitura recomendada a partir do ensino básico nos Estados Unidos. As partes do livro acusada pelos politicamente corretos são os capítulos em que Anne Frank começa a descobrir o seu corpo. Estes capítulos tinham sido excluídos, nas primeiras edições do livro, pelo pai da menina, por serem demasiado explícitos, mas foram, novamente, acrescentados, na nova edição do diário, por ocasião do 50.º falecimento da autora.

>>> Brasil: Ir em busca de Hilda Hilst para inspiração

No começo só havia capim e uma figueira. E foi ao lado dessa poderosa árvore que, em 1965, a escritora Hilda Hilst construiu sua residência, em um lugar afastado no interior de São Paulo. Batizada de Casa do Sol, a chácara próxima de Campinas foi moradia da autora durante quase 40 anos e o local onde produziu a maior parte da sua obra. A casa logo se tornou um ponto de encontro de amigos de Hilda, muitos deles escritores que por ali viveram alguns dias e também escreveram, como Caio Fernando Abreu, Lygia Fagundes Telles, o poeta Bruno Tolentino e o espanhol José Mora Fuentes. Depois que Hilda morreu, em 2004, a chácara foi tombada e tornou-se a sede do Instituto Hilda Hilst (IHH), criado para preservar sua memória. A decoração do local traz móveis e objetos originais, como fotos, quadros e esculturas. Um dos xodós dos visitantes é a biblioteca, com obras que fizeram parte do acervo da escritora. Desde 2012, a organização recebe hóspedes para residências artísticas. Em busca de tranquilidade e inspiração, pessoas de todo o país pagam para morar em algum dos quartos a fim de realizar um projeto artístico. A estadia pode variar de uma semana a um mês. Para obter informações sobre, basta acessar o site do IHH, aqui. Para findar a leitura da matéria publicada no Portal Saraiva, vá aqui.

>>> Estados Unidos: Uma nova adaptação para Macbeth pelo cinema

Já havia sido anunciado pelo próprio diretor Justin Kurzel (Snotown Murders) uma adaptação do clássico de W. Shakespeare. Também já Michael Fassbender aceitara o convite para o papel principal no filme. Agora, de acordo com a revista New York e o site Screedn Daily, junta-se ao elenco, a atriz Natalie Portman, que ficou animada em renovar a parceria com Fassbender. Os atores trabalharam juntos no novo filme de Terrence Mallick, Texas. A produção de Macbeth começa ainda em 2013.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inferno provisório, de Luiz Ruffato

L’amour, de Michael Haneke

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse

O Bovarismo como pedra de toque na obra de Lima Barreto

Rupi Kaur: poeta reconcilia o passado das mulheres indianas e transforma sua dor em tema universal

Como alguém se transforma num escritor? Dez notas sobre o primeiro livro

Entre a interdição e a plenitude: treze livros para o Orgulho Gay

Clara dos Anjos: a chaga dos anos 20

O progresso do amor, de Alice Munro

Apontamentos sobre alguns textos curtos de Tolstói