Boletim Letras 360º #76

Assinatura de Guimarães Rosa. Arquivos raros do escritor foram a leilão esta semana. Mais detalhes ao longo deste boletim.


Quantas vezes você foi ao mural do Letras no Facebook essa semana? Pergunta de curioso. Mas, quem foi (ou vai com frequência) terá percebido que sempre rola uma novidade relacionada ao universo literário pelo menos duas vezes ao dia. Sim, esse universo é agitado e olha que estamos longe (muito longe de dar conta!) O que acompanhamos são  os nomes que já circulam aqui pelo blog, de um modo ou de outro (nunca perceberam?). Enfim, quem não foi tem a oportunidade de rever aquilo que foi notícia por lá, lendo este boletim editado todos os sábados por aqui. Vamos lá?

Segunda-feira, 11/08

>>> Portugal: Na web, documentário sobre o poeta Mário Cesariny 

Poeta, surrealista e tudo – eis um possível retrato para Mário Cesariny, o português que de forma mais plena assumiu o surrealismo: não como método ou escola, mas como forma de insurreição permanente, na arte e na vida. Em 2004, Miguel Gonçalves Mendes produziu um documentário – Autografia sobre o multiartista que, agora, pode ser visto aqui.

>>> Brasil: Novo livro de Socorro Acioli – biografar a Emília, do Sítio do Pica-Pau

"Emília era muda e começou a falar. Ela não tem coração — literalmente — e se casou por interesse, só porque queria ser marquesa. Torce pelo Palmeiras, pesa cinco quilos, só teve um emprego na vida e pratica bullying contra os moradores do Sítio do Picapau Amarelo. Sua dona, Narizinho, a define assim: algodão por fora, asneira por dentro. Dona Benta, mais doce, diz que ela é “uma fadinha” que anda pelo mundo fantasiada de boneca de pano. Espevitada, tagarela, atrevida — politicamente incorreta, por vezes —, a personagem de Monteiro Lobato (1882-1948) entrou para o imaginário brasileiro a ponto de parecer ter vida própria" (O Globo). A vida da boneca de pano acaba de ser radiografada em um livro, Emília — Uma biografia não autorizada da Marquesa de Rabicó (Casa da Palavra), por Socorro Acioli que, aproveita a ocasião e revê toda a obra de Lobato.

>>> Brasil: Artigos de Guimarães Rosa vão a leilão

O Letra Viva, sebo de raridades no Rio de Janeiro, realizou leilão com itens do escritor mineiro: uma carta manuscrita, datada de 1958 e a primeira edição de Grande Sertão: Veredas, de 1956. Ver os arquivos ampliados no nossoTumblr.

>>> Estados Unidos: Atores que acabaram com personagens literários

Olhem só para isso: o jornal Huffington Post decidiu revelar seus desafetos no quesito “livros adaptados para o cinema”. E o alvo aqui são os atores escolhidos para dar vida aos personagens literários. Keira Knightley como Elizabeth Bennet em Orgulho e preconceito; Tobey Maguire como Nick Carraway em O grande Gatsby; Kristen Stewart como Marylou em On the toad; e Josh Hutcherson como Peeta Mellark em Jogos Vorazes.


Terça-feira, 12/08

>>> Brasil: Vladimir Nabokov lê os russos

Durante as décadas de 1940 e 1950, o escritor russo Vladimir Nabokov realizou em universidades americanas uma série de cursos sobre alguns dos pilares da literatura de seu país: Gógol, Turguêniev, Dostoiévski, Tolstói, Tchekhov e Górki. Apenas em 1981 as aulas foram reunidas em livro nos Estados Unidos, graças ao editor Fredson Bowers, que organizou as anotações deixadas pelo autor de Lolita. Essas lições preciosas são agora publicadas pela primeira vez no Brasil. Nabokov analisa os principais livros e temas dos expoentes da literatura russa do século XIX, bem como seus métodos de criação. O escritor não se furta a revelar sua admiração por Tolstói e demais predileções. Além de desfazer equívocos e chavões sobre a Rússia e seus autores, Nabokov transforma essas lições em exercícios de liberdade, opondo-se de maneira implacável e irônica aos dogmas da crítica literária e às ideologias políticas.

>>> Estados Unidos: Quais outros títulos Ernest Hemingway pensou para O sol também se levanta?

A respostas está na nova edição apresentada por esses dias nos Estados Unidos que traz uma versão fac-símile dos manuscritos que deram origem ao livro. Antes do título original, foi pensado: Fiesta: A Novel (como o livro foi posteriormente conhecido na Inglaterra); Two Lie Together e até mesmo o gigantesco For in much wisdom is much grief and he that increases knowledge increases sorrow, uma linha que vem de Eclesiastes. Há sinais de outras indecisões: The real-life socialite Lady Duff e Isn’t it pretty to think so? Os primeiros rascunhos do livro são bem conhecidos estudiosos, e estão disponíveis na coleção Hemingway, na Biblioteca F. Kennedy e no Museu Presidencial John, em Boston. Mas esta nova edição coloca em apêndices úteis, dando aos leitores leigos um sentido de processo de escrita de Hemingway, e, mais importante, de como diferente um romance como The Sun Also Rises poderia ter sido.


Quarta-feira, 13/08

>>> Brasil: Voltar a Mallarmé 

O famoso poema "Um lance de dados" adquire uma nova tradução no Brasil. Dessa vez, Álvaro Faleiros se debruça na obra do poeta francês. A edição bilíngue sai pela Ateliê Editorial e propõe diferentes interpretações, resumos, excertos, críticas, que culminam com uma nova tradução do texto. A edição traz leitura crítica seguida por uma apresentação de proposta tradutória, na qual se discutem aspectos da tradução de Haroldo de Campos. O percurso proposto nesse livro concentra-se no aspecto tipográfico do poema, o que desconsidera, em parte, áreas das subdivisões prismáticas que permeiam o texto. O poema "Um lance de dados" foi, desde sua primeira edição, acompanhado de um prefácio paradoxalmente introduzido por Mallarmé com um pedido para que fosse, logo após sua “inútil leitura”, esquecido. Nesse prefácio, Mallarmé atenta para o fato de que a: “Diferença de caracteres de impressão entre o motivo preponderante, um secundário e outros adjacentes, dita a importância de sua emissão oral”.

>>> Brasil: Uma repaginada na obra de Dias Gomes

A Editora Bertrand Brasil apresenta uma renovação da identidade visual das obras de Dias Gomes, o autor responsável por retumbantes êxitos teatrais e cuja obra tem por denominador comum a contestação política e social. Entre os títulos já apresentados aos leitores estão O bem amado e O pagador de promessas. Outros títulos estão na lista como Odorico na cabeça e O santo inquérito.

>>> ESTAMOS SEM NICOLAU SEVCENKO

Uma das obras mais conhecidas entre os estudos literários – Literatura como missão (Companhia das Letras) – na qual o historiador elege Euclides da Cunha, Machado de Assis e Lima Barreto como referência para se pensar história, ciência e cultura no Brasil do século XIX à entrada do país na modernidade, no século XX. Nascido em 1952, Sevcenko se formou em história na Universidade de São Paulo; foi professor na PUC-SP, na Unicamp e na USP. Foi membro honorário do Instituto de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Londres e membro do conselho editorial da revista 'Travessia', publicada pelo Centro de Estudos de Cultura Latino-Americana do King's College de Londres. Publicou entre outras obras A corrida para o século XXI, A revolta da vacina, mentes insanas em corpos rebeldes e Orfeu extático na metrópole; entre as traduções, lembramos logo de Alice no país das maravilhas, de Lewis Carroll.


Quinta-feira, 14/08

>>> Brasil: Outros ensaios e outras obras de Virginia Woolf

Recentemente a Cosac Naify apresentou O valor do riso (cf. noticiamos aqui). Para até o fim de 2014, a editora Autêntica planeja lançar O sol e o peixe, outro volume com textos do gênero e crônicas. A tradução vendo sendo feita por Tomaz Tadeu, responsável pela tradução de Ao farol e Mrs. Dolloway. Já a Novo Século editará um box especial com as seis obras da autora presentes em seu catálogo: Noite e dia, As ondas, A viagem, Entre os atos, Os anos e O quarto de Jacob farão parte do combo com novas capas e identidade visual.

>>> Brasil: Caderno-revista 7faces prepara nova edição

Em nota publicada no blog do periódico, chega on-line no próximo dia 22 de agosto a edição n.9 do caderno-revista 7faces. A edição homenageia Allen Ginsberg. Traz ensaios de Claudio Willer, Sandra Erickson e Paulo Rafael sobre a obra do Beat-Poeta. Além disso, apresenta uma entrevista inédita em português com Ginsberg mais poemas de Vivian de Moraes, Noemi Jaffe, Ricardo Domeneck, Pedro Sevylla de Juana, Mariana Laje, Cleyson Gomes, Davi Kinski, Francisco Hutz, Danilo Augusto, Rebeca Rasel, Luiz Felipe Marinheiro.


Sexta-feira,15/08

>>> Brasil: Os desenhos proibidos de Francis Bacon

As carcaças destorcidas e solitárias que compõem a obra de Francis Bacon (1909-1992), considerado por Deleuze um dos maiores pintores contemporâneos, nos oferecerem quantidades excessivas de tais ingredientes e forçam nosso olhar a enxergar, além de qualquer representação figurativa, as intempéries que afetam a condição humana. A exposição Francis Bacon – Italian Drawings apresenta uma perspectiva de sua produção artística que durante vinte anos se manteve no mais absoluto sigilo. Trata-se de uma série de quarenta e três desenhos feitos a lápis, em cores fortes e em preto e branco, que o artista produziu nas últimas décadas de vida e que, desde os anos 1980, estavam em posse do jornalista italiano Cristiano Lovatelli Ravarino, companheiro de Bacon durante quinze anos. Os desenhos só se tornaram públicos em 2000, e imediatamente tiveram sua autenticidade questionada pela Galeria Marlborough, de Nova York, com quem Bacon mantinha um contrato de exclusividade. Publicamente, o artista sempre rejeitou a técnica do desenho, o que deixava dúvidas se aquelas obras eram, de fato, verdadeiras. Depois de oito anos de disputas, com peritos examinando cada detalhe – da assinatura ao papel –, os desenhos foram reconhecidos. Desde então, as 750 peças que fazem parte do acervo de Ravarino já foram temas de exposições em países como Itália, Argentina, Chile, Inglaterra e Alemanha. A exposição está no Brasil até 07/09 no Paço das Artes, Cidade Universitária, São Paulo – SP.

>>> Brasil: Biografia sobre Neil Geiman chega em dezembro

A escritora australiana Hayley Campbell tinha 7 anos quando foi apresentada a um dos quadrinistas mais premiados, Neil Gaiman. Antes do sucesso de livros como Deuses americanos e Coraline, o autor visitou a Austrália em 1993 para divulgar a história Sandman, protagonizada pelo herói Sonho. Lá, ele ficou hospedado na casa de Hayley, filha do ilustrador Eddie Campbell, seu amigo e desenhista da graphic novel Do inferno. Vinte e um ano depois, Hayley escreveu a primeira biografia sobre a vida e os trabalhos de Gaiman. O livro A arte de Neil Gaiman foi lançado no mês passado no Reino Unido. Produzido ao longo de três anos, é repleto de artes originais, roteiros inacabados e fotos em preto e branco de várias fases da vida de Gaiman, de 53 anos. No Brasil, a obra sai pela Mythos Editora.

>>> Inglaterra: O método espinhoso de escrita de Jane Austen

Muito, muito antes de qualquer processador de textos havia alfinetes para fazer edições em manuscritos. Assim, preferiu Jane Austen em no romance abandonado The Watsons cf. revelou em 2011, a Biblioteca Bodleian que adquiriu o manuscrito. O arquivo é um dos sete manuscritos da escritora sobreviveram ao tempo. O texto agora foi disponibilizado on-line no site que organiza sua obra (janeausten.ac.uk). É um dos manuscritos que mais passaram pelo crivo da revisão e talvez, justo por isso, Austen tenha requerido a forma inusual de fazer os acréscimos que iam surgindo sem a necessidade da reescrita do material, mas da justaposição das partes novas com as partes antigas por alfinetes.

>>> Brasil: Lançado Reflexos do sol-posto, o primeiro dos livros póstumos do Acadêmico Ivan Junqueira programados para este ano

Sai pela Editora Rocco e trata-se de uma coletânea de ensaios; cf. temos acompanhado a editora planeja ainda até o fim do ano o lançamento de seu último livro de poemas: Essa música. Também em 2014, a Nova Fronteira publica a edição de bolso da premiada tradução dos poemas de T. S. Eliot, feita pelo Acadêmico, enquanto outras de suas obras, como O outro lado (poesia, Record) e Testamento de Pasárgada (Global), antologia crítica sobre Manuel Bandeira, estão no prelo para ganhar novas edições. Em Reflexos, o poeta reúne críticas e análises feitas depois do ano 2000 sobre a obra de Machado de Assis, Augusto dos Anjos, João Cabral de Melo Neto, entre outros.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Uma pedra no caminho para a modernidade: o projeto drummondiano de humanizar o Brasil

Os melhores diários de escritores

A partir de quando alguém que escreve se converte num escritor?

Onze livros sobre escravidão e racismo na literatura estadunidense

Boletim Letras 360º #241

Escritos nas margens

A relevância atual de Memórias do cárcere, de Graciliano Ramos

O túmulo de Oscar Wilde

Angela Carter, a primazia de subverter

Ivan Búnin