Boletim Letras 360º #78

Capa da esperada edição brasileira do esperado
romance inacabado de José Saramago. Mais informações
sobre, ao longo deste boletim. 


Uma semana fabulosa a que atravessamos! Duas grandes homenagens - uma para o Paulo Leminski, quem chegou aos 70 anos e outra para Julio Cortázar no ano em que chegamos ao seu primeiro centenário. Do poeta brasileiro realizamos uma movimentação relâmpago no Facebook: um sarau que se tornou serão. 70 poemas, um para cada ano do poeta. Com participação dos leitores enviando poemas e concorrendo a edições do Toda poesia. Ao todo, desse livro, já demos 10 exemplares entre o ano de publicação - meados de 2013 - e 2014. Ficamos satisfeitos em saber que a obra de um brasileiro e do gênero poesia tenha alcançado a marca de mais de 100 mil exemplares num país dito desacostumado com a leitura. E fechamos, desse modo, nossa contribuição com esse sucesso. Já sobre o autor de O jogo da amarelinha quase duas semanas nos desdobramos para apresentar leituras que consideramos decentes da sua obra. Conseguimos. Tudo está por aqui, aos olhos dos leitores. Muito ainda falaremos sobre Julio no decorrer desse ano certamente. Agora, vamos ao que foi novidade durante a semana na rede social mais movimentada do blog, o Facebook. 

Segunda-feira, 25/08

>>> Brasil: Leminskanções, um CD que revela a faceta musical do poeta Paulo Leminski

Já havíamos publicado aqui sobre a produção desse trabalho conduzido pela filha Estrela Leminski. Agora, é para confirmar que o CD está disponível on-line (ontem postamos no nosso serão virtual para o poeta). Trata-se de um álbum duplo com 13 composições assinadas por Leminski. Os interessados em ter esse material, devem esperar até meados de setembro quando chega às lojas.

>>> Brasil: Novas edições da obra de Julio Cortázar

Falamos por aqui tem seu tempo que O jogo da amarelinha receberá uma nova tradução em 2015 e que grande parte da obra do mestre ganha reedição. Lembramos que a editora responsável pela obra de Cortázar no Brasil, a Civilização Brasileira, relança em breve também Os reis, O exame e Divertimento. Este mês, chega às livrarias pela mesma editora A fascinação das palavras, livro de diálogos entre Cortázar e o uruguaio Omar Prego, há décadas fora de catálogo. Em uma série de conversas realizadas nos últimos meses de vida do escritor, em 1983 e 1984, ele revisita suas principais obras e fala sobre literatura, música e política.


Terça-feira, 26/08

>>> Brasil: Chega às livrarias o novo livro do escritor português José Luís Peixoto 

Pela Companhia das Letras. Em 2012, o governo norte-coreano realizou grandes celebrações pelo centenário do falecido ditador Kim Il-sung, pai do regime comunista que controla o país desde 1948. Nessa ocasião excepcional, um grupo de turistas ocidentais obteve autorização para viajar durante duas semanas num roteiro que incluiu a capital, Pyongyang, e diversos lugares raramente visitados por estrangeiros. A possibilidade de conhecer a vida cotidiana dos norte-coreanos estimulou uma antiga curiosidade do escritor português José Luís Peixoto. Radicalmente contrário a qualquer governo ditatorial, Peixoto mesmo assim embarcou na excursão, pomposamente batizada The Kim Il-sung 100th Birthday Ultimate Mega Tour. O resultado de suas experiências como turista na Coreia do Norte é este Dentro do segredo, um híbrido de relato de viagem e realismo mágico. Imerso no alucinatório culto à personalidade que domina todos os aspectos da cultura norte-coreana, Peixoto viajou pelo país sob a vigilância sorridente dos guias e dos retratos oficiais. Um clima de pesadelo orwelliano, que contrasta com o discurso triunfalista das autoridades, é o pano de fundo deste percurso fantástico por uma distopia.

>>> Irlanda: Um novo nome para poesia ou especulação

Tem 29 anos e ganhou um dos prêmios mais 'gordos' dado para a poesia britânica, o Edwin Morgan, durante o Festival do Livro de Edimburgo. O prêmio homenageia poetas escoceses com idades entre 30 anos ou menos. Niall Campbell publicou até o presente apenas uma antologia que evoca a ilha onde ele cresceu com "uma sensação recorrente de admiração."


Quarta-feira, 27/08

>>> Portugal: Cinco inéditos de Agustina Bessa-Luís, concluídos na segunda metade da década de 60, acabam de ser editados

Saem num único volume pela Fundação Calouste Gulbenkian. Elogio do Inacabado reúne os manuscritos "Homens e Mulheres", "As Grandes Mudanças", "Coração-de-Água", "O Caçador Nemrod" e "Os Meninos Flutuantes", todos esboços de romances que Agustina escreveu durante um interregno editorial que só terminou em 1970 (com a publicação de "As Categorias"). Segundo Mónica Baldaque, filha da escritora os cinco romances agora publicados estão todos incompletos por decisão da autora, à exceção de um. “A minha mãe sempre defendeu o inacabado".

>>> Portugal: Novo romance de José Saramago já circula em algumas livrarias do mundo

Trata-se do aguardado romance inacabado Alabardas, Alabardas. No Brasil a obra chega no próximo dia 30 de setembro. Esta semana a Fundação José Saramago nos presenteou com as capas das edições. A obra já está em circulação nas livrarias da Itália. O romance vem seguido de um texto do escritor italiano Roberto Saviano, outro do espanhol Fernando Gómez Aguilera e na edição brasileira, mais um assinado antropólogo Luiz Eduardo Soares. A capa é um desenho de Günter Grass. Veja mais detalhes acessando o site de FSJ.

>>> Moçambique: Morreu Eduardo White

No domingo noticiamos o acontecimento em nosso Twitter - o dia em que ficamos sem o poeta de Moçambique tido como um dos nomes mais significativos da atual literatura daquele país. White tinha 50 anos e deixou uma extensa bibliografia, inaugurada há 30 anos com Amar sobre o Índico (1984). Quase totalmente desconhecido do público brasileiro, o poeta vinha construindo uma carreira que lhe valeu recentemente prêmios como o BCI de Literatura em 2012. White preparava o lançamento do seu novo livro, Bom Dia, Dia a sair pela editora portuguesa Edições Esgotadas.


Quinta-feira, 28/08

>>> Argentina: Uma página exclusiva em homenagem a Julio Cortázar

É sabido que O jogo da amarelinha significou o grande salto literário na carreira do escritor argentino, mas foi também pela contística que ele ficou conhecido como um dos mais inventivos da literatura latino-americana. Autor de uma obra inesgotável e chegando à casa do primeiro centenário. Por essas duas razões e somando-se a inventividade cortazariana vem da Argentina um portal interativo em sua homenagem: "Julio Cortázar, Interactivo para armar".

>>> Reino Unido: Numa atitude belíssima, três mil livros de Doris Lessing vão para comunidade carente no Zimbabwe

São livros que pertenceram a coleção pessoal da autora e estarão disponíveis na biblioteca de Harare, localidade onde ela cresceu. A doação foi acordada pelos vários beneficiários do testamento da Prêmio Nobel da Literatura 2007. São livros que não são necessários a nenhuma coleção da Universidade de East Anglia, no Reino Unido – instituição que por testamento recebe os livros de Lessing. A doação é feita não apenas porque Doris Lessing viveu em Harare durante alguns anos, mas porque ela se preocupava muito com este país e com o seu acesso aos livros, diz um jornal local.


Sexta-feira, 29/08

>>> Brasil: Peça inspirada em Oscar Wilde 

Em 1895, Oscar Wilde foi preso e obrigado a realizar trabalhos forçados, acusado de sodomia e outros “crimes sexuais”, pelo marquês de Queensberry, pai de Lord Alfred Douglas Bosie, na época namorado do escritor. A partir do dia 29 de agosto, a prisão de Wilde – descrita em detalhes no livro De Profundis – volta como pano de fundo de uma peça estrelada por Marco Nanini. “Beije minha lápide” é o nome do espetáculo que inicia sua temporada no Centro Cultural Correios no Rio de Janeiro. O roteiro da peça é de Jô Bilac, a direção de Bel Garcia e a cenografia de Daniela Thomas. No elenco, estão também Carolina Pismel, Júlia Marini e Paulo Verling que vivem as únicas pessoas com quem Bala tem contato: sua filha, o carcereiro e uma advogada. O texto traz diversas passagens das obras de Wilde.

>>> Brasil: Feira do Livro de Mossoró divulga programação

Entre os destaques da edição que acontece entre os dias 3 e 7 de setembro estão o escritor e compositor Bráulio Tavares e o jornalista Lira Neto que estará lançando o terceiro volume da biografia Getúlio. Todas as informações estão neste site.

>>> Brasil: Os originais perdidos de Paul Valéry

"Os tais originais foram encontrados logo após a morte de Valéry, reunidos em uma pasta de arquivos entre seus pertences íntimos, e não no escritório, como todos os outros manuscritos. Estavam separados em envelopes pardos (à exceção do poema-carta, solto entre os envelopes) que levavam estampado o nome do conjunto que cada um continha. Os poemas, por sua vez, não possuíam datas, comentários, rasuras a mão, nem nada que desse mais alguma pista sobre eles. A natureza dos textos era bastante heterogênea em termos estéticos e de proposta de escrita, indo de experimentos tipográficos a versos narrativos ou mesmo de verve mais lírica. Assim como os seus famosos 'Cahiers', que foram também encontrados após sua morte e fomentaram lendas e especulações por décadas antes de terem sido finalmente organizados e publicados, supõe-se que este conjunto misterioso tenha sido escrito no decorrer de muitos anos. Entretanto, diferente dos cadernos, com longas pausas entre cada obra. [...] Diante disso, me pergunto se Valéry não teria planejado tudo; se não teria, como uma grande piada, eliminado os rascunhos escritos a mão e guardado a pasta com os textos longe de seu escritório, junto de suas cuecas e meias, prevendo que, após sua morte, isso gerasse toda uma especulação autoral maior do que deveria." Márcio-André escreve sobre os manuscritos de Paul Valéry agora tornado livro (cf. noticiamos por aqui). Na Revista Pessoa.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Alguns dos melhores começos de romances

Uma entrevista inédita com Liev Tolstói

Água viva, de Clarice Lispector

Potnia, de Leonardo Chioda

Avenida Niévski, de Nikolai Gógol

A lista de leituras de Liev Tolstói

De Mário Peixoto, é preciso virar a página

A ignorância, de Milan Kundera

O romance perdido de Sylvia Plath