Boletim Letras 360º #108

Nesta edição do Boletim Letras 360º vimos lembrar duas novidades interessantes aos leitores: finalizamos o mês da poesia com oito leitores recebendo livros de poesia (!). Pode parecer muito pouco para o universo de leitores que nos acompanha, pode, mas para um espaço mantido a duras penas por dois braços e sem quaisquer vínculos financeiros é muito. É um esforço de quem acredita ser possível transformar a realidade tão escassa e mesquinha pelo poder encantatório da palavra. A outra novidade é que abriremos, em breve, em parceria com a página sobre livros “Dicas de leitura” mais uma promoção.

Herberto Helder deixou um inédito. Mais detalhes ao longo deste boletim. Foto: Alfredo Cunha/Expresso


Segunda-feira, 30/03

>>> Portugal: Herberto Helder deixou um livro inédito

Poemas canhotos será lançado pela Porto Editora por alturas da Feira do Livro. São os últimos poemas poeta. Depois da morte do poeta, a editora não tinha a certeza de que tudo tinha sido revisto e passado a limpo pelo autor. Mas já agora os textos foram verificados e todos estão mesmo passados a limpo por Herberto Helder.

>>> Brasil: Todas as homenagens a Donizete Galvão

Comentamos aqui que o poeta receberá a antologia Outras ruminações com a voz de 75 poetas brasileiros dedicados à sua obra. Mas, além desse feito, há duas outras publicações que assinalam o nome do brasileiro: outra antologia - Ofícios do tempo, que é uma espécie de panorama poético organizado por Lindsey Rocha Lagni, e uma edição especial do poema Escoiceados. Esse título é publicado pela Casa de Virgínia, novo selo da editora Musa com ilustrações de Carlos Clémen. É um trabalho que ainda tem um toque do próprio Donizete que soube da edição que estava sendo construída.

Terça-feira, 31/03

>>> Brasil: Obra de Virgilio Piñera será reeditada por aqui

"O tema central de sua obra, bastante coerente, é o da vida encarada com uma sucessão de golpes terríveis, que levam o ser humano a uma existência de miséria e de dor. Convém lembrar que o humor negro está quase sempre presente em seus escritos e cria certo distanciamento próprio dos textos absurdos" - assim comenta Dirce Waltrick sobre a obra de Piñera.O escritor que foi lido e admirado por nomes como Jorge Luis Borges há muito que padece de um ostracismo; parte de sua obra, por exemplo, ainda inédita, tem destino escuso. No Brasil, em 1989, a Editora Iluminuras publicou Contos frios. Agora, é essa a obra que será reeditada.

>>> Brasil: Escritores brasileiros e portugueses se reúnem em torno do tema "Minha Língua, Minha Pátria"

O extenso programa que cobre todo o mês de abril tem início no dia 10. Este é o segundo projeto realizado pela Livraria Cultura e pelo jornal português PÚBLICO, que desde novembro de 2014 publica uma versão mensal do suplemento Ípsilon, por aqui. O Ípsilon Brasil é distribuído gratuitamente junto a Revista da Cultura. O evento tem ainda como parceiro o Instituto Camões e apoio da Embaixada de Portugal no Brasil e da Universidade de Coimbra. No dia 10 o professor Carlos Reis, abrirá o acontecimento numa conversa sobre Eça de Queirós; no dia 11, Gonçalo M. Tavares; dia 12, Adriana Calcanhotto entrevista Jerónimo Pizarro, sobre Fernando Pessoa; no mesmo dia Afonso Reis Cabral, vencedor do Prêmio LeYa 2014; dia 13, Alexandra Lucas Coelho; dia 14, Norberto Morais;e dia 15 Matilde Campilho e Gregorio Duvivier.

>>> Brasil: Manuel Bandeira e 20 poemas sobre o amor

Teadorar é editado pela Global Editora e com ilustrações de Orlando Pedroso. Todos impulsos entre a paixão e o amor - das pernas trêmulas, passando pelos calafrios na barriga, à ardência de viver intensamente sorrindo e chorando - cabem nessa antologia. Teadorar é somente um neologismo desgarrado de amor criado pelo poeta para demonstrar esse arroubo quase sem fim.

Quarta-feira, 01/04

>>> Portugal: Mais inéditos de Fernando Pessoa

Já noticiamos aqui a publicação de uma antologia de contos com inéditos de Fernando Pessoa. O projeto conduzido por Ana Maria Freitas vem a luz agora pela Assírio & Alvim. A edição, de certo modo, é uma continuidade do já se publicou como O mendigo e outros contos (2012). A obra dá a conhecer 18 contos inéditos, como “A Estrada do esquecimento”, “O caso do sargento falso”, “A trincheira”, “Uma tarde clerical”, “A caçada” e “Um conto”, entre outros.

>>> Brasil: Edição reúne a música de Vinicius de Moraes e traz textos ainda não publicados na antologia

Livro de letras reúne algumas das pérolas da moderna canção brasileira: são as letras que Vinicius produziu sozinho ou com parceiros como Antonio Carlos Jobim, Edu Lobo e Chico Buarque. Vinícius esteve na Bossa Nova como o poeta que foi além dos rótulos. A obra reúne, além das músicas conhecidas, duas letras que anteriormente não tinham sido publicadas, fruto da parceria do poeta com os compositores Francis Hime e Edu Lobo. Acompanha um ensaio de Paulo da Costa e Silva, encomendado especialmente para esta edição, com uma análise detida e esclarecedora da canção em Vinicius de Moraes, além de textos de Eucanaã Ferraz (curador da coleção), José Castello (sobre o percurso do Vinicius letrista) e uma divertida crônica do autor português Alexandre O’Neill sobre um concerto de Vinicius e Baden a alegrar uma noitada e espantar o cinza em plena Lisboa salazarista

Quinta-feira, 02/04

>>> Brasil: Samuel Beckett e Textos para nada

Todo hermetismo do qual é acusada a obra do escritor irlandês parece não servir de empecilho para a edição sua no Brasil. Duas editoras têm obras de Beckett no catálogo. E agora uma delas, a Cosac Naify, que na coleção Prosa do Mundo publicou os já-esgotados Esperando Godot, Fim de partida e Dias felizes, começou a retrabalhar essas edições com um novo projeto gráfico. Depois desse segundo momento, outros títulos vieram fazer parte do catálogo como “Murphy” e agora Textos para nada. A obra publicada em 1955 radicaliza os experimentos já feitos por Beckett na trilogia formada por Molloy, Malone Morre, O inominável, recém-editada por aqui pela Globo Livros.

>>> Portugal: Morreu Manoel Oliveira

O cineasta português foi autor de trinta e dois longas-metragens e, aos 106 anos, ainda trabalhava ativamente em algumas peças: em 2014, por exemplo, apresentou uma adaptação de Os lusíadas, sob o título O velho do restelo.

>>> Israel: Anne Frank como nunca se viu no cinema

Dissemos há algumas semanas sobre o trabalho de um novo longa preparado na Alemanha sobre a história de Anne Frank. O seu diário já serviu várias vezes aos cineastas e tem agora outra experiência inédita. Ari Folman (de Valsa com Bashir) prepara uma animação com técnicas stop-motion. No filme, a protagonista não é Anne Frank mas Kitty, a amiga imaginária a quem Frank escreve no seu diário. Ari Folman imagina Kitty a descobrir o diário. À medida que o vai lendo a história de Frank é contada. Para fazer o filme, o israelita teve acesso integral e ilimitado aos arquivos do Fundo Anne Frank, criados em 1963 pelo único sobrevivente da família da menina.

Sexta-feira, 03/04

>>> Brasil: Aos estudiosos da literatura, edição de Mikhail Bakhtin, recupera originalidade de seus estudos sobre o romance

Teoria do romance I é o primeiro de três volumes traduzidos por Paulo Bezerra a partir da edição de 2012 que reúne o texto integral publicado parcialmente em 1975 no volume "Questões de literatura e estética". A edição é acompanhada de um glossário que discute e esclarece diversos conceitos do teórico russo.

>>> Brasil: Reedição da obra contística de Ernest Hemingway

Já noticiamos diversas vezes aqui sobre o refação gráfica da obra do autor de O velho e o mar. Pois bem, além dos romances, as narrativas curtas ganham espaço nessa proposta. Prova disso é chegada às livrarias de Contos - volume 1, que teve tradução de José J. Veiga. A edição é composta por 28 textos e circula desde o fim de 2014. Os outros dois volumes, já anunciados, devem chegar as livrarias em breve.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+Instagram 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pablo Neruda: o que não dá mais para ocultar

Água viva, de Clarice Lispector

Apontamentos sobre alguns textos curtos de Tolstói

Boletim Letras 360º #231

Quando Borges era Giorgie

Salinger, um grupo de psicopatas e os do MKUltra

A filha perdida, de Elena Ferrante

Gostamos de causar danos (com o grande romance estadunidense)

Jane Austen: casamento e dinheiro

A religiosidade clandestina de Hermann Hesse