Boletim Letras 360º #112


Terão descoberto quem foi Mr. Darcy, de Orgulho e preconceito (Jane Austen) na vida real? Mais detalhes ao longo deste boletim. 

Encerramos o mês de abril com muitos leitores recebendo livros do Letras. Ontem mesmo, realizamos o sorteio de mais um Kit: para marcar a abertura das celebrações pelos 20 anos da publicação de Ensaio sobre a cegueira, o célebre romance de José Saramago presenteamos um leitor com uma edição do romance e o filme de Fernando Meirelles. Todos sabem, Ensaio sobre a cegueira foi adaptado para a sétima arte pelas mãos do brasileiro. Até o dia 05 de maio, os leitores e fãs de Agatha Christie podem concorrer a um exemplar de “E não sobrou nenhum”, edição da Globo Livros. 2015 é o ano do 125º aniversário da Rainha do Crime. Para participar basta ir à nossa página no Facebook e responder qual a obra da escritora é sua preferida (simples, não?). E, logo, depois dessa promoção iremos colocar em prática a união que já havíamos anunciado por aqui com a página Dicas de Leitura. Essa semana, os feitores da página estiveram em nosso Facebook e já deixaram a dica explícita sobre qual será o próximo título que sortearemos em conjunto. Curioso? Faz um tour por nossa página e descubra. A conversa está animada, mas ficará ainda mais ao saber das notícias que circularam durante esta semana. Vamos lá?

Segunda-feira, 27/04

>>> Peru: O novo romance de Mario Vargas Llosa

O último título, O herói discreto (publicado no Brasil pela Alfaguara) foi lido pela crítica como a pior investida do escritor peruano. A pergunta é, terá se restabelecido? O que é um escritor depois do Prêmio Nobel? Depois de sair dos palcos, onde atuou como personagem numa das adaptações de sua obra para o teatro, Vargas Llosa anunciou no Fórum Internacional Espanhol 2.0 em Madri que já trabalha num novo romance cujo título é Cinco esquinas. A narrativa, disse, se passa em Lima, no bairro de mesmo nome e que há algum tempo foi um dos mais elegantes da cidade.

>>> Brasil: Quando Arthur Conan Doyle tirou férias de Sherlock Holmes

A editora Nova Fronteira publica Soco na cara, um romance de Doyle que não tem o detetive ícone da literatura. O escocês escreveu o livro em 1896 e trata-se de uma narrativa de mistério que tem como temática o mundo do boxe, esporte que era considerado de elite no século XIX.

>>> Portugal: O Prêmio Eduardo Lourenço 2015 é de Agustina Bessa-Luís

Há muito que a escritora não vem a público. Aos 92 anos Agustina Bessa-Luís recebe sempre homenagens. Agora, um prêmio que já foi para nomes como Mia Couto e Jerónimo Pizarro. Criado para marcar o nome de uma das personalidades mais célebres do pensamento português contemporâneo, a primeira edição do prêmio data de 2004, e distinguiu a autora de A sibila, considera pelo júri um dos expoentes máximos da Literatura Portuguesa e universal, do século XX.

Terça-feira, 28/04

>>> Inglaterra: Qual o livro de Agatha Christie é o seu preferido?

O site oficial da escritora quer saber. E até o dia 31 maio, a campanha batizada de “World’s Favourite Christie” terá a missão de encontrar uma resposta entre os leitores do mundo inteiro. A votação é uma das tantas ações que estão acontecendo no ano de celebração dos 125 de nascimento da Rainha do Crime. Pra votar entre um dos 25 livros indicados é bem simples e rápido.

>>> Brasil: Livro traz quatro trabalhos não concluídos de Jane Austen

O amor por Jane Austin tem arrebatado muitos leitores ao redor do mundo e feito a escritora uma das mais lidas da literatura inglesa. As livrarias brasileiras recebem agora dois fragmentos de romances inacabados: Os Watsons, que a autora deliberadamente não quis acabar, e Sanditon, que teve apenas os primeiros capítulos escritos pouco antes de sua morte; um esboço para um novo romance: Projeto de um Romance é um trabalho curto, de cunho satírico, escrito em 1816, mas publicado em forma completa pela primeira vez por R. W. Chapman em 1926; e os capítulos originais de um dos seus romances mais conhecidos: Persuasão. Obras inacabadas: Unfinished Works é publicado pela Landmark em edição de luxo e bilíngue que assinala os 240 anos de nascimento da autora.

Quarta-feira, 29/04

>>> Colômbia: Todas as formas de Macondo

A cidade eternizada por Gabriel García Márquez tem servido de um dos motivos para as celebrações em torno da obra do escritor na Feira do Livro de Bogatá em 2015. O evento homenageia o autor. E, entre as homenagens, alguns projetos inusitados. Um, quer pegar o leitor pelo estômago. Chefes de cozinha preparam os pratos citados em "Cem anos de solidão" ou inspirados em trechos e personagens do livro. Aí estão a massa de inhame com feijão guajiro, gelo dourado com folha de coca, a sopa de camarões de Nigromanta ou os peixinhos dourados. Outro projeto é de levar as crianças a criar novos objetos. A ideia é baseada no episódio de Cem anos de solidão quando os Buendía perdem a memória, depois de serem contaminados com a insônia, e para poder combater a praga do esquecimento, a família começa a dar novos nomes aos objetos. A FILBO é um dos primeiros eventos dessa natureza que, ao invés de homenagear uma localidade existente, homenageia um lugar fictício. 

>>> Brasil: Mais uma edição dos clássicos Ilíada e Odisseia

Ninguém poderá se queixar de que o Brasil não está bem servido de edições dos clássicos de Homero. É fácil encontrar, ao menos da Odisseia, quatro diferentes traduções: a do Donaldo Schuler (L&PM Editores); a de Carlos Alberto Nunes (Editora Hedra); a de Trajano Vieira (Editora 34); a de Christian Werner (Cosac Naify); e a de Frederico Lourenço (Penguin Companhia). E agora, a tradução de Carlos Alberto Nunes ganha uma versão repaginada pela Nova Fronteira que, não satisfeita apenas em apresentar a "Odisseia", preparou uma caixa de luxo com o livro mais a Ilíada.

>>> Portugal: Filme póstumo de Manuel de Oliveira tem por base texto de Agustina Bessa-Luís

O Rivoli Teatro Municipal, no Porto, e a Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, vão mostrar pela primeira vez o filme que Manoel de Oliveira realizou para ser exibido após a sua morte. Dirigido em 1982, o filme autobiográfico foi guardado pelo diretor com a indicação explícita de apenas ser apresentado após a sua morte, e só foi visto num círculo restrito, a convite do cineasta, mantendo-se inédita para o público em geral. Chama-se Visita ou memórias e confissões e tem por base um texto de Agustina Bessa-Luís. O cineasta morreu na madrugada de 2 de abril, aos 106 anos.

Quinta-feira, 30/04

>>> Inglaterra: Mr. Darcy da vida real

Fãs de Jane Austen há muito tempo especularam sobre quem poderia ter inspirado o personagem Mr. Darcy em Orgulho e preconceito, mas tudo só terá chegado ao limite dos rumores. Agora, o historiador britânico Susan C. Law volta a questão para respondê-la.Em seu livro, Through the Keyhole ele afirma que o belo de Austen foi baseado em John Parker, primeiro conde de Morley (imagem ao lado da personagem interpretada por Colin Firth). Morley foi um aristocrata britânico que serviu na Câmara dos Lordes, e que estava "envolvido num escândalo sexual sórdido que o levou ao divórcio" em 1809. A amante Morley era amiga de Jane Austen, e seu irmão Henry sabia do caso. Apesar da afirmativa, Law diz que não pode provar conclusivamente sua tese e muito que fez foi juntar as peças de um quebra-cabeças a fim de apresentar uma resposta à questão e concorda que Orgulho e preconceito pode não ter sido o único romance de Jane Austen inspirado em Morley uma vez que o escândalo foi assunto nas principais pautas da mídia durante muito tempo.

>>> Brasil: Um desafio literário com o tema "O poder das palavras"

Há algum tempo divulgamos por aqui sobre a rede Scribe designada como a primeira plataforma do Brasil de criação e descobrimento de conteúdos com o foco em literatura. Para agora, Scribe propõe um desafio literário cujo interesse é "usar o poder das palavras para mudar o mundo, tentando criar uma sociedade mais igualitária através da literatura". Por isso lançaram uma campanha com o desafio literário cujo tema é a luta contra a homofobia, lesbofobia e a transfobia. Para saber como participar basta acessar aqui.

Sexta-feira, 01/05

>>> Espanha: Uma biografia sobre Wislawa Szymborska

Prêmio Nobel da Literatura em 1996, ocasião em que poeta foi descoberta pelo mundo, porque pouquíssimos a conheciam fora da Polônia, Wislawa não gostava de entrevistas; dizia que "confessar-se publicamente" equivalia a perder a alma. A resistência "em aparecer", qualidade rara em tempos de mídia em alguns escritores contemporâneos, e a forte presença da vida na obra, fez as autoras Anna Bikont e Joanna Szczesna, escrever a biografia Restos, memórias (em tradução livre para o português). As autoras investigam a peripécia vital que havia em poemas, resenhas, conferências e recitais; falaram com amigos da poeta, recuperaram textos inéditos e organizaram um relato tão coerente que, na época, provocou curiosidade na própria Szymborska que nunca contribuiu em nada para a escrita do texto. Sem data de quando chegue ao Brasil, os leitores de língua espanhola têm já nas livrarias uma tradução desse texto que, antes de servir para revelar alguma coisa, organiza a partir da obra, a vida da poeta.

>>> Brasil: Mário Quintana essencial

Há alguns anos a Alfaguara tem reeditado a obra do poeta. No interior desse trabalho, reapresenta aos leitores um raro momento da poesia de Quintana: o de quando ele debruçou-se sobre sua obra e "elegeu" os poemas preferidos. Publicada originalmente em 1981, Antologia poética apresenta uma seleção temática dos poemas. Estão presentes os motivos mais emblemáticos do poeta: o humor, o despojamento, o devaneio, o sobrenatural, a infância, o cotidiano. O conjunto forma um curso prático não só da poesia de Quintana, mas da poesia moderna como um todo, naquilo que ela tem de mais característico: o lirismo intimista e o verso livre. A edição vem com prefácio de Eucanaã Ferraz, que discute em profundidade não só a coletânea, mas também faz um balanço preciso da obra de Quintana.

>>> Portugal: Nova edição da Obra poética de Sophia de Mello Breyner Andresen traz poemas inéditos

A editora portuguesa Assírio & Alvim prepara uma nova edição que reúne toda a poesia da poeta. Trata-se de uma obra que passou pelo atento crivo Maria Andresen Sousa Tavares e Carlos Mendes de Sousa. O novo volume inclui ainda uma parte com vários poemas inéditos que integram o espólio da autora, em depósito na Biblioteca Nacional de Portugal.


..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cinco livros para conhecer a obra de William Faulkner

Essa estranha instituição chamada literatura: uma conversa com Jacques Derrida

Os melhores diários de escritores

Lolita, amor e perversão

O conto da aia, o pesadelo de ser mulher numa teocracia

Os ventos (e outros contos), de Eudora Welty

O primeiro conto de Ernest Hemingway

Há muitos Faulkner

Kazuo Ishiguro, Prêmio Nobel de Literatura 2017

Boletim Letras 360º #239