Boletim Letras 360º #118

Findamos mais uma semana. E temos o privilégio de dizer que já enviamos mais dois livros aos nossos leitores; desta vez, dois exemplares da nova edição preparada pela Alfaguara Brasil para a Antologia poética de Mário Quintana. E, deixamos dois convites aos leitores: (1) pense na pessoa amada, inspire-se e escreva a uma mensagem nos comentários de uma postagem que estará no topo do nosso mural no Facebook até domingo (dia 14/06) - a mensagem que tiver mais curtidas levará um Kit com livros. (2) ainda está aberto o desafio, 1000 seguidores no Twitter, uma edição de Alice no país das maravilhas (Cosac Naify). Tá difícil, mas...

Moacyr Scliar. Manuscritos e datiloscritos do escritor estão on-line. Mais informações ao longo deste boletim.


Segunda-feira, 08/06

>>> Brasil: Reedição da obra poética de Max Martins

Para grande parte dos brasileiros é um desconhecido; mas é, na literatura brasileira, um dos nomes fundamentais. De Belém, chega-nos a notícia de que a poesia do paraense ganhará reedição. Pela Editora da Universidade Federal do Pará, instituição que adquiriu e alberga o espólio do poeta desde 2010. Os três primeiros volumes, O estranho, Caminho de Marahu e Colmando a lacuna já estão prontos. É a primeira vez que os livros de Max ganham reedições em volumes independentes, graças, a ideia do também poeta Age de Carvalho, quem organiza a coleção que terá onze volumes.

>>> França: Dora Bruder, jovem judia cujo desaparecimento inspirou romance homônimo de Patrick Modiano, ganhou uma promenade com seu nome em Paris

Assim como Anne Frank se tornou símbolo dos sofrimentos infligidos pelos nazistas na Alemanha, Dora veio representar o mesmo para os franceses. Na cerimônia, o Prêmio Nobel de Literatura 2014 declarou: “Dora Bruder se tornou um símbolo. É a primeira vez que uma adolescente anônima foi inscrita para sempre na geografia parisiense". Em 1941, os pais da jovem solicitavam a quem pudesse ajudá-los com notícias sobre a filha desaparecida. Ao se deparar 4 décadas depois com essa notícia, Modiano ficou profundamente comovido e resolveu investigar por conta própria o destino da menina judia de apenas 15 anos desaparecida durante a Ocupação de Paris. Em seu trabalho, acabou descobrindo que tanto ela quanto seu pai haviam sido presos, com alguns meses de intervalo, e internados no Campo de Drancy, antes de serem conjuntamente deportados para Auschwitz em setembro de 1942. Desta pesquisa, resultou Dora Bruder, romance que ganhou reedição no Brasil em 2014.

Terça-feira, 09/06

>>> Brasil: Planos de estátua de Clarice Lispector no Leme (Rio de Janeiro)

A escritora aparece sentada num banco, ao lado de seu amado cachorro Ulisses. Assim finaliza o idealizador da maquete para o que poderá ser uma segunda estátua de Clarice no Brasil. Antes da versão apresentada outra maquete já fora confeccionada e apresentava a escritora caminhando ao lado de Ulisses. Mas, o filho Paulo não gostou - não tinha a cara de Clarice. O desenho é do escultor Edgar Duvivier e a estátua ficará na Praça Julio de Noronha, no final do Leme, no extremo oposto à estátua de Drummond, no Posto Seis. O outro monumento do gênero está em Recife.

>>> Brasil: Depois de um silêncio de 12 anos, Augusto de Campos vai lançar um volume inédito de poesia

Outro, com texto, capa, projeto e execução gráfica dele mesmo, está no prelo e sai pela Perspectiva. São 120 páginas de poemas visuais e indicações de clip-poemas para serem vistos na internet.

>>> Brasil: O Portugal Telecom já não existe. Existe o Prêmio Oceanos

Quem está à frente da iniciativa é o Itaú Cultural como correalizador e patrocinador do prêmio. As mudanças não são apenas de nome; são de valores e de premiação. Não premiará mais por categorias, mas terá quatro ganhadores independente do gênero literário que pratiquem. O Portugal Telecom veio abaixo depois da venda da Portugal Telecom para a Altice que disse não ter mais interesse em manter a premiação.

Quarta-feira, 10/06

>>> Cuba: O escritor Leonardo Padura é o ganhador do Prêmio Princesa de Astúrias

Trata-se de uma das premiações mais importantes sobre o universo literário em língua espanhola. A obra foi distinguida por se constituir "uma aventura soberba entre o diálogo e a liberdade". A literatura de Padura percorre todos os gêneros e é um dos escritores mais profícuos de Cuba. No Brasil, seu título mais divulgado recentemente é O homem que amava os cachorros (Editora Boitempo), um romance em que um aspirante a escritor, depois de um encontro enigmático com um homem que passeava com seus cães, retoma aos últimos anos da vida do revolucionário russo Leon Trótski. Além desse livro, circulam ainda, entre outros, A neblina do passado, O rabo da serpente (Benvirá), Passado Perfeito e Ventos de quaresma (Companhia das Letras).

>>> Brasil: Novas traduções da obra de Maurice Sendak 

Além de Onde vivem os monstros, edição das mais vendidas no país e que ganha nova tiragem, a Cosac Naify publicou A bicicleta epiplética e anuncia a chegada de mais dois títulos do escritor, Na cozinha noturna e O aviso na porte de Rosie. Na lista de traduções por vir estão Outside over there", The Nutshell Library, Brumble-Ardy, We are all the Dumps with Jack and Guy e Little bear collection.

>>> Brasil: As cartas trocadas entre Mário de Andrade e Carlos Drummond de Andrade

Os dois Andrade se conheceram em Belo Horizonte (Minas Gerais) em abril de 1924, durante a expedição dos modernistas que Mário, junto com Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, Blaise Cendrars e outros, empreendeu pelas cidades históricas do estado. Àquela altura o poeta paulistano era uma figura de proa da cultura brasileira, enquanto o tímido mineiro de Itabira ainda não havia publicado seu primeiro livro. A correspondência entre os dois poetas tomaria corpo pelos 20 anos seguintes, até as vésperas da morte de Mário, em 1945. Agora, essas cartas foram reunidas em A lição do amigo – cartas de Mário de Andrade a Carlos Drummond de Andrade e publicadas pela Companhia das Letras.

Quinta-feira, 11/06

>>> Brasil: Está on-line os manuscritos de Moacyr Scliar

Um achado para pesquisadores e leitores da obra do escritor gaúcho. Falamos que esse material ia vir a lume tão logo soubemos da ideia. E eis ela pronta: o site do Delfos – Espaço de Documentação e Memória Cultural da PUCRS (aqui) apresenta cerca de 800 documentos digitalizados pertencentes ao acervo de Scliar. O processo teve início em 2013, numa iniciativa que contou com o envolvimento de Judith Scliar, companheira do escritor e doadora de boa parte do material. No começo dos anos 2000, o próprio Scliar já tratava com a PUCRS para que o Centro de Memória Literária da Faculdade de Letras da universidade fosse depositário de seus documentos. No total, mais de 8,6 mil páginas de manuscritos e datiloscritos do escritor estão sob os cuidados da instituição. Entre os textos mais antigos digitalizados, estão o conto datilografado Pedacinhos de infância, datado de 1952 e outros destaques são as diferentes versões de A Guerra no Bom Fim, o manuscrito original de O exército de um homem só e o datiloscrito original de O Centauro no jardim.

>>> Brasil: Volta às livrarias livro que Manuel Bandeira escreveu e distribuiu para amigos

Mafuá do malungo foi publicado em 1948. Na época o poeta fez apenas 110 exemplares para presentear os amigos. No trabalho de reedição da obra de Bandeira conduzido pela Global Editora, os leitores têm acesso ao conteúdo desse livro. Na edição, além dos poemas, um caderno com fotografias, reprodução de manuscritos e datiloscritos da época.

>>> Cuba: Depois de 15 anos de tentativas fracassadas obra de Leonardo Padura chega ao cinema

O projeto com produção de Gerardo Herrero e do estúdio alemão Nadcom é bastante ambicioso: quatro filmes de 90 minutos e só um deles vai para o cinema (Vientos de cuaresma); os outros serão parte de um seriado (Passado perfecto, Máscaras e Paisaje de otoño). Os títulos são os quatro primeiros romances de Padura e integram uma tetralogia sobre Mario Conde. As rodagens já começaram em Havana depois que a companheira de Padura trabalhou arduamente na tradução dos longos monólogos interiores em diálogos para o roteiro de cinema. Não há previsões de estreia, ainda.

Sexta-feira, 12/06

>>> Portugal: Editora  faz um repaginamento na obra de Valter Hugo Mãe

A obra do escritor português já editada no Brasil foi quase integralmente comentada pelo blog Letras in.verso e re.verso. Destaque nas produções literárias em língua portuguesa na contemporaneidade, em Portugal, a obra de Mãe passou aos desígnios da Porto Editora. E é ela a autora de trazer a lume as novas edições de todos os romances do escritor. E todos saem com prefácios de grandes autores: o nosso reino (Ferreira Gullar); o remorso de baltazar serapião (José Saramago); e O filho de mil homens (Alberto Manguel). Numa segunda fase, está prevista a publicação de novas edições de "o apocalipse dos trabalhadores" e de "a máquina de fazer espanhóis", também com prefácios de outros nomes.

>>> Brasil: Para assinalar os 5 anos sobre a morte de José Saramago, periódico brasileiro edita texto-homenagem

Em 18 de junho de 2015 cumprem-se 5 anos da morte do escritor português; e no mês seguinte o mesmo tempo da publicação da edição especial do caderno-revista 7faces Variações de um mesmo tom: diálogos sobre a poesia de José Saramago; o especial que reuniu pesquisadores da obra do escritor de todo mundo e para o qual o Letras deu contribuições significativas à época com a realização de um concurso de textos em sua homenagem. As datas são marcas para a apresentação da edição Espuma das palavras, texto do português Rui Santos acompanhado das artes plásticas de Diane Sbardelotto e prefácio de Pedro Fernandes. O trabalho vem a lume no dia 18 de junho e foi definido em nota no blog do caderno-revista como um texto que "traz a relevo o exercício da força imaginativa do escritor como produto da relação com os acontecimentos de sua própria vida, das leituras e da aproximação que mantém com os principais temas de seu tempo”.

..........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dez mulheres da literatura brasileira contemporânea

Onze livros para ler na estrada

Dostoiévski, um romântico desgarrado entre a revolução e Deus

Onze obras do teatro moderno e contemporâneo fundamentais a todo leitor

Baudelaire & Poe, Ltda.

O manuscrito em que Virginia Woolf anuncia o seu suicídio

Escritores narcisistas

A arquitetura da cidade como mediadora de leitura

Obras-primas perdidas e felizmente recuperadas

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo