Boletim Letras 360º #159

Edições raríssimas da obra de William Shakespeare vão a leilão


Um boletim tal e qual a semana: enxuto. Por isso, sem mais: essas foram as notícias partilhadas entre segunda e sexta-feira em nossa página no Facebook que já tem quase 24 mil amigos! Sim, estamos felizes demais por isso! Que sejam bons amigos, interessados em literatura, em artes, no lado bom da humanidade e já é um privilégio para todos.

Segunda-feira, 21/03

>>> Brasil: Chega às livrarias o novo romance de Salman Rushdie

Depois de uma tempestade em Nova York, fatos estranhos começam a ocorrer. Um jardineiro percebe que seus pés não tocam mais o chão. Um quadrinista acorda ao lado de uma personagem que parece um de seus desenhos. Ambos são descendentes dos djins, figuras mágicas que vivem num mundo apartado do nosso por um véu invisível. Séculos atrás, Bunia, princesa dos djins, apaixonou-se por um filósofo. Juntos, tiveram filhos que se espalharam pelo mundo humano. Quando o véu é rompido, tem início uma guerra que se estende por mil e uma noites — ou dois anos, oito meses e vinte e oito noites. Assim se descreve Dois anos, oito meses e 28 noites o novo livro em que, mais uma vez, Salman Rushdie traz os conflitos ancestrais que permanecem no mundo contemporâneo.

Terça-feira, 22/03

>>> Brasil: O que é arte, para Umberto Eco

A Editora Record traz aos leitores brasileiros o já conhecido modo de reflexão de um dos maiores intelectuais de seu tempo. A definição da arte, com tradução de Eliana Aguiar, reúne ensaios escritos por Eco entre 1955 e 1963, que ajuda a compreender a evolução temática de suas pesquisas – que o levaram, por exemplo, ao desenvolvimento da noção de “obra aberta” e às análises dos problemas da comunicação. Nesta obra, dividida em três partes, o autor coloca em questão o problema filosófico da possibilidade de uma definição da arte diante das estéticas contemporâneas.

Quarta-feira, 23/03

>>> Brasil: Toda a obra de Oswald de Andrade vai ser lançada pela Companhia das Letras

Pau Brasil, A escada vermelha, Memórias sentimentais de João Miramar, Um homem sem profissão são alguns dos títulos previsto para chegar aos leitores a partir do segundo semestre deste ano. O escritor é um dos mais importantes nomes da literatura modernista brasileira; junto com Mário de Andrade participou ativamente da Semana de Arte Moderna de 1922, da qual foi um dos organizadores e desencadeou dois movimentos, o Pau-Brasil (1924/25) e o da Antropofagia (1928).

>>> Portugal: A edição de março da Revista Blimunda já está na web

Com um editorial dedicado questionar o papel do jornalismo num momento de grande exigência para as sociedades democráticas na Europa e no Mundo, o n.46 do mensário da Fundação José Saramago apresenta ainda: uma entrevista com Ivo M. Ferreira, diretor do filme Cartas da Guerra a partir das correspondências de António Lobo Antunes quando esteve na Guerra Colonial em África. Outro destaque é um texto de Miguel Koleff sobre a peça de teatro A Noite, de José #‎Saramago, e o texto da peça de teatro Levantei-me do chão, de Carlos Marques e do coletivo Algures, que depois de percorrer os espaços do romance Levantado do chão no concelho de Montemor-o-Novo chegará no final do mês a Lisboa, primeiro ao Auditório da FJS e depois ao Teatro Meridional. Para baixar basta ir aqui.

>>> Brasil: Divulgada grande parte do programa anual dos encontros Fronteiras do Pensamento

A abertura acontece no dia 11 de maio no Complexo Ohtake Cultural com o Prêmio Nobel de Literatura Mario Vargas Llosa - foi o escritor que em participou em 2010 do mesmo evento em Porto Alegre. Atualmente o Fronteiras acontece na capital gaúcha, em São Paulo e em Salvador. Este ano a programação inclui outros retornos, como o do escritor Valter Hugo Mãe. Além desses nomes, da literatura, visita-nos ainda Ian McEwan e Michel Houellebecq. Todas as informações aqui.

Quinta-feira, 24/03

>>> Brasil: Futura estátua de Clarice Lispector depende da ajuda de leitores e fãs

Em julho de 2015 divulgamos a notícia de que uma escultura de Clarice Lispector será o novo cartão-postal do Leme, na zona sul do Rio de Janeiro, bairro onde a escritora viveu durante 12 anos. A construção do monumento - uma Clarice na pausa de leitura ao lado de seu cachorro de estimação Ulisses - dependerá dos leitores e fãs da escritora: Edgar Duvivier vende 40 réplicas da escultura para angariar fundos e realizar esse postal. O anúncio foi feito há um dia no Twitter do escultor @edgarduvivier.

Sexta-feira, 25/03

>>> Inglaterra: Quatro primeiras edições das peças de William Shakespeare serão leiloadas

Pela Christie's que chama essa coleção de ‘o Santo Graal' da impressão. Os quatro fólios serão exibidos em Nova York entre 1º e 8 de abril e em Londres entre 20 e 28 de abril antes do leilão em Londres, no dia 25 de maio. O Primeiro Fólio, publicado em 1623, reúne 36 peças, 18 das quais não foram anteriormente impressas e de outro modo estariam perdidas; trata-se de uma edição que consolida o status de Shakespeare como escritor sério, merecedor - o que não era usual para um dramaturgo da época - de um livro com capa de couro. Edições posteriores, publicadas em 1632, 1663 e 1685, ajudaram a preservar o trabalho do dramaturgo; o terceiro fólio inclui uma peça adicional: “Péricles, Príncipe de Tiro”. O Primeiro Fólio posto à venda pela Christie's, está avaliado entre £ 800 mil e £ 1,2 milhão (US$ 1,1 milhão e US$ 1,7 milhão). A Christie's informa que esse e dois dos outros fólios são de uma coleção particular "discreta e fora dos círculos" da Europa e não são vistos em público há 200 anos. Os demais fólios são menos valiosos que o Primeiro, mas a casa ressalva que se conta nos dedos de uma mão o número de colecionadores que possuam todos os quatro.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pablo Neruda: o que não dá mais para ocultar

Água viva, de Clarice Lispector

Quando Borges era Giorgie

Boletim Letras 360º #231

Salinger, um grupo de psicopatas e os do MKUltra

A filha perdida, de Elena Ferrante

Gostamos de causar danos (com o grande romance estadunidense)

Jane Austen: casamento e dinheiro

Boletim Letras 360º #232

Roberto Bolaño: "Escreve tu a poesia por mim"