Boletim Letras 360º #162



Na primeira semana de maio, segundo anunciou a Editora Rocco, as livrarias brasileiras receberão a edição de Todos os contos, da Clarice Lispector. Organizada por Benjamin Moser, biógrafo da escritora, e sucesso de crítica e público no mundo estadunidense desde quando publicada em 2015, a antologia traz, pela primeira vez, os 85 contos - dos escritos no início da carreira aos últimos rabiscos. O blog colocou um exemplar à disposição dos leitores e sorteia no próximo dia 1º de maio. Para participar, basta acessar aqui. Contada a novidade, abaixo você tem as notícias da semana publicadas em nosso Facebook.

Segunda-feira, 11/04

>>> Brasil: A coleção Otra Língua, revela a prosa breve e reflexiva do escritor peruano Julio Ramón Ribeyro

Prosas apátridas, com tradução de Gustavo Pacheco, integra a coleção criada pela Editora Rocco para publicar autores da América Latina que são pouco ou não conhecidos dos leitores brasileiros. Findada em 1982, depois de sucessivas revisões, o livro ora publicado reúne 200 fragmentos curtos, a maioria não ocupando mais de uma página. Muitas das notas nascem da observação de vizinhos (estranhamente, quase todos calvos) e de viagens no metrô parisiense. Leitor de Balzac e Montaigne, fumante inveterado, apreciador do vinho francês, o peruano morreu em 1994, dias depois de receber o Prêmio Juan Rulfo pelo conjunto da obra. Em seu túmulo, em Lima, está reproduzida a última destas Prosas apátridas: “A única maneira de continuar vivendo é manter serena a corda de nosso espírito, tenso o arco, apontando em direção ao futuro”.

>>> Brasil: Os poemas traduzidos por Manuel Bandeira ganham uma nova edição

No âmbito das renovações do catálogo da Global Editora. Poemas traduzidos reúne peças de Rilke, Baudelaire, Hölderlin, Goethe, García Lorca, Emily Dickinson, Elizabeth Bishop, entre tantos outros poetas. O livro tem seleção e apresentação de Paulo Henriques Britto e reúne fotografias raras de Manuel Bandeira, Hölderlin e Paul Verlaine.

Terça-feira, 12/04

>>> Brasil: Chega às livrarias no final de abril de 2016 a edição de Cidade em chamas, de Garth Risk Hallberg

Nova York, 1976. O sonho hippie acabou, e dos escombros surge uma nova cultura urbana, com guitarras desafinadas, coturnos caindo aos pedaços, galerias de arte e casas de show esfumaçadas. Regan e William são herdeiros de uma grande fortuna. Ela, uma legítima Hamilton-Sweeney, vê seu casamento desmoronar em meio às infidelidades do marido. Ele, a ovelha negra, fundador de uma mitológica banda punk e figura lendária das artes de Nova York. Ao redor dos dois gira uma constelação de personagens e acasos: uma jovem fotógrafa, um professor negro e gay, um grupo de ativistas, um garoto careta e asmático e um jornalista que sonha ser o novo nome do jornalismo literário americano. E, em meio a tudo isso, um crime que vai cruzar essas vidas de forma imprevisível e irremediável. A obra marca a estreia do autor e foi contratada pela editora Alfred A. Knopf por US$ 2 milhões em 2013, valor sem precedentes para um estreante. A tradução é de Caetano Galindo e sai pela Companhia das Letras.

>>> Brasil: Temos já uma nova editora prestes a inaugurar com riquíssimo catálogo

Uns vão, outros vêm. A editora Âyiné nasceu como uma revista interessada pelo mundo árabe e agora aposta no mercado livreiro. Mesmo com os digitais em baixa, decidiu que começará por eles. E tem na lista obras de Pasolini, Joseph Brodsky, Emil Cioran, Jonathan Swift, Paul Valéry, Gertrude Stein, Robert Musil, Joseph Roth e Zbigniew Herbert, Danilo Kiš; para tanto reúne um grupo de tradutores de extenso currículo - muitos com passagem pela extinta Cosac Naify.

Quarta-feira, 13/04

>>> Brasil: Publica-se  de 24 horas na vida de uma mulher, de Stefan Zweig.

Aos poucos a obra desse escritor - espalhada em diversas casas editoriais - ganha edição ou reedição no país. O livro ora apresentado pela Martins Fontes é descrito como a história de um golpe de mestre. A narrativa se passa nos anos 1920, no seleto cenário da Côte D'Azur, onde o plácido ritmo dos hóspedes internacionais de um respeitável hotel sofre uma rápida reviravolta devido a um evento tão dramático quanto escandaloso. À noite, Madame Henriette, esposa e mãe irrepreensível, foge com um jovem francês, recém chegado ao hotel. O acontecimento é o suficiente para instalar o tumulto num unido grupo de turistas, com muitas discussões acaloradas e tomadas de partido contra e a favor da fugitiva. No entanto, não é esta última a protagonista da história de Zweig. E as 24 horas que o título anuncia não são da vida de Madame Henriette, mas de uma fidalga inglesa, que só depois do escândalo cederá ao desejo e à necessidade de deixar a própria discrição de lado para contar ao narrador, por sua vez hóspede do hotel, o acontecimento bem mais imprevisível e desconcertante que cerca de 30 anos antes revolucionou a sua vida. O livro traz ilustrações de Federico Maggioni.

>>> Brasil: Uma antologia com textos precursores da chamada Literatura Fantástica

A publicação sai pela Ateliê Editorial e é organizada por Marcelo Cid. A obra inclui uma extensa variedade de textos - de nomes como Platão, Tácito, Horácio, Ovídio, Plínio, e muitos outros. Leitor frequente dos antigos e entusiasta do gênero fantástico, Cid há muito que destacava das leituras o que chama de "passagens espontaneamente borgianas”. São estes textos que foram juntados na Antologia Fantástica da Literatura Antiga.

Quinta-feira, 14/04

>>> Brasil: Butcher's crossing, de John Williams chega às livrarias

Depois do sucesso com a publicação de Stoner, a editora Rádio Londres traz mais um título do escritor estadunidense. A narrativa de Butcher's se passa em 1870 com a chegada de Will Andrews ao lugar-título da obra. É um jovem farto de Harvard que quer descobrir na natureza o seu “eu inalterado”. E naquele vilarejo, num Oeste prestes a ser domado, encontra o seu mentor: Miller, um caçador de poucas falas, que conhece o refúgio da última grande manada de búfalos. Seduzido pela promessa de aventura, o protagonista junta-se à expedição. Serão quatro homens em marcha, por terra bravia, numa luta épica contra o tempo e as intempéries. Até que chegam ao vale, um paraíso perdido povoado por milhares de búfalos. O que se segue é uma carnificina, o batismo de sangue de Will, a sua viagem iniciática ao coração das trevas. O romance publicado em 1960, é considerada a primeira das três grandes obras de John Williams.

Sexta-feira, 15/04

>>> Inglaterra: Restou um. O escritor angolano José Eduardo Agualusa está na lista de finalistas para o Man Booker Internacional, prêmio literário britânico que consagra o que de melhor se faz na ficção a nível mundial.

Depois de ter sido incluído entre os treze semifinalistas de 13 divulgados em março, o brasileiro Raduan Nassar caiu. Restou Agualusa como representante da língua portuguesa. O fato ainda assim é inédito: em apenas dois anos, os leitores de língua inglesa passaram a olhar com outros olhos a literatura no nosso idioma - em 2015, Mia Couto concorreu e perdeu o Man Book. Agualusa concorre com Teoria geral do esquecimento, mesmo título que já lhe valeu em Portugal o Prêmio Fernando Namora. Ainda estão na corrida nomes como o de Elena Ferrante (provável vencedora, segundo apostadores) e o do Prêmio Nobel Orhan Pamuk.

>>> Brasil: Repaginar a obra de Monteiro Lobato 

Monteiro Lobato sempre esteve ciente da importância de renovar o imaginário atrelado às suas histórias. Por isso, o autor-editor escolhia a dedo os ilustradores da época, fazendo de cada um deles um novo parceiro a cada reedição de suas obras que empreendeu durante sua vida. A partir dessa compreensão, a Globinho (selo infanto-juvenil da Globo Livros) renova agora as principais obras do autor. Aposta para isso num novo projeto gráfico. O premiado ilustrador Eloar Guazzelli é quem dá os traços e as cores da vez. Com o texto integral, prefácio de Ruth Rocha, e nota biográfica de Luciana Sandroni, Reinações de Narizinho abre essa nova empreitada que apresenta uma nova cara para personagens conhecidíssimas do público, como Narizinho, Emília, Pedrinho, Dona Benta, Marquês de Rabicó e Visconde de Sabugosa. O clássico reúne onze histórias nas quais Lobato apresenta as primeiras aventuras no Sítio do Picapau Amarelo. Há mais no prelo: em maio, serão lançados Caçadas de Pedrinho e O Saci. Para junho, estão previstos A reforma da natureza e Memórias da EmíliaA chave do Tamanhosai em julho, quando também serão lançados Picapau amarelo e Viagem ao céu.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em teu ventre, de José Luís Peixoto

16 + 2 romances de formação que devemos ler

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo

Milena Jesenská, muito além de namoradinha de Franz Kafka

Boletim Letras 360º #221

Cem anos de solidão cumpriu a profecia de Melquíades

Um romance com treze títulos

Como enfrentar Ulysses

J. R. R. Tolkien, o mito desconstruído

O homem sem doença, de Arnon Grunberg