Boletim Letras 360º #171

Um caderno de inéditos de Van Gogh ganhará publicação em novembro. Mais detalhes ao longo deste Boletim.

Aqui estamos, caros leitores, em mais uma edição que copia as notícias que circularam durante a semana em nossa página no Facebook. Deliciem-se e recebam os nossos agradecimentos por nos acompanhar diariamente.

Segunda-feira, 13/06

>>> Espanha: Tudo sobre Cervantes online

Numa das celebrações passadas o Google Cultural Institute favoreceu a leitura em vídeo através do canal no Youtube de Dom Quixote; agora com o apoio do governo espanhol inaugura “As rotas de Cervantes”, uma das maiores mostras virtuais sobre o escritor espanhol. São 18 exposições organizadas em parceria com oito instituições que disponibiliza aos leitores 1 000 documentos sobre o autor.  O projeto pretende colocar à disposição dos leitores de qualquer parte do mundo materiais diversos em áudio, imagem e uma linha do tempo com a biografia de Cervantes. Entre as exposições já disponíveis destaca-se a que faz uma visita pela cidade natal do escritor; nela podemos encontrar lugares, objetos e vários originais do Dom Quixote. Basta acessar aqui.

>>> Brasil: Encontrada uma versão desconhecida para um poema de Fernando Pessoa

José Paulo Cavalcanti Filho havia comparado em 2015 um caderno de autógrafos contendo um manuscrito de Fernando Pessoa cujo poema começava com o verso “Cada palavra dita é a voz de um morto” – parte do poema já havia saído numa edição naquele ano em Portugal; o achado de agora, é uma versão na íntegra do poema.

Cada palavra dita é a voz de um morto.
Aniquilou-se quem se não velou
Quem na voz, não em si, viveu absorto.
Se ser Homem é pouco, e grande só
Em dar voz ao valor das nossas penas
E ao que de sonho e nosso fica em nós
Do universo que por nós roçou
Se é maior ser um Deus, que diz apenas
Com a vida o que o Homem com a voz:
Maior ainda é ser como o Destino
Que tem o silêncio por seu hino
E cuja face nunca se mostrou.

Terça-feira, 14/06

>>> Brasil: Antes do terceiro volume da série napolitana de Elena Ferrante, outro romance da escritora italiana

O anúncio vem da página da Biblioteca Azul no Facebook; chama-se Dias de abandono. Depois de quinze anos de casamento, Olga é abandonada por Mario. Presa ao cotidiano estilhaçado com dois filhos, um cachorro e nenhum emprego, ela se recusa a assumir o papel de poverella (a “pobre mulher abandonada”). Essa opção a projeta num turbilhão de obsessões, angústias e ímpetos violentos, capazes de afastar Olga do fato de que as derrotas precisam ser assumidas para que a vida possa enfim seguir adiante. A tradução é de Francesca Cricelli.

>>> Brasil: Uma antologia de contos que nasceu de um concurso na web

Há algum tempo divulgamos por aqui que o site LiteraturaBr buscava autores para fazer parte numa edição coletiva de contos. Aí está: A antologia de contos LiteraturaBr saiu do papel pela editora da casa, a Moinhos. Organizada por Nathan Matos, mentor do projeto, e Marcos Severo, a obra tem textos de autores de todo Brasil. "O que os une", lê-se no release para a imprensa, "é a capacidade de fazer do texto uma tentação, de suscitar ideias e fazer nascer no leitor o desejo para uma boa conversa ou reflexão. Ou ainda, simplesmente, seduzir, para que a página seguinte seja virada e o próximo conto se revele".

Quarta-feira, 15/06

>>> Brasil: Antologia reúne poemas de Mia Couto

Conforme anunciamos em 2015 por aqui, eis a tão chegada hora: um livro com poemas do escritor moçambicano, reconhecidamente o gênero em que melhor se destaca. A antologia publicada pela Companhia das Letras foi realizada pelo próprio Mia que selecionou poemas de seus livros Idades cidades divindades, Raiz de orvalho e outros poemas e Tradutor de chuvas. O livro tem prefácio de José Castello.

>>> Brasil: Reedição de Problemas da literatura infantil, de Cecília Meireles, uma referência fundamental sobre a visão crítica acerca das teorias e práticas que orbitam o universo do livro infantil

O livro ganha sua quarta edição. Foi publicado pela primeira vez em 1951 e nele a autora reuniu três conferências que realizou em Belo Horizonte (MG), a convite da Secretaria de Educação. Dividida em capítulos curtos, abrange a história da literatura voltada às crianças, justificando o sucesso das histórias atemporais que nos encantam até os dias de hoje. O título foi primeiro livro de teoria de literatura infantil escrito no Brasil. Educadora por vocação, desde que se diplomou, Cecília exerceu o magistério ao mesmo tempo em que se preocupava com tudo relacionado à infância. Com a revolução de 1930, nasceu no Brasil um movimento destinado a reformular a Educação. Empenhou-se ativamente nessa renovação ao editar, no Diário de Notícias, de junho de 1930 a janeiro de 1933, uma página diária dedicada à Educação. Em 1934, organizou a primeira biblioteca do Rio de Janeiro voltada para crianças.

Quinta-feira, 16/06

>>> Brasil: Edição reúne pela primeira vez em livro uma enorme quantidade de textos inéditos de Lima Barreto

Sátiras e outras subversões é publicado em julho pela Penguin /Companhia das Letras. Durante décadas após a morte de Lima Barreto, os estudiosos especularam sobre uma enorme quantidade de textos que poderiam ser atribuídos ao escritor. Foi um pesquisador brasileiro radicado na Inglaterra que conseguiu elucidar o mistério — e comprovar a copiosa produção do grande autor de Recordações do escrivão Isaías Caminha. A edição agora publicada reúne 164 textos, todos inéditos em livro, e foram originalmente publicados em periódicos. Esta coletânea é a revelação de uma parte da obra de Lima Barreto completamente desconhecida por mais de um século. Embora as razões para tal sejam várias, a que mais pesou certamente foi o fato de o autor ter utilizado pseudônimos em revistas até o fim de sua carreira, em 1922.

>>> Brasil: Romance histórico do escritor Arthur Japin recria a vida de Santos Dumont

Depois do suicídio, em 1932, o médico legista encarregado de embalsamar o corpo do aviador roubou-lhe o coração e o guardou consigo por mais de uma década; o órgão devolvido ao governo repousa no Museu Aeroespacial no Rio de Janeiro, distante, pois, dos restos mortais de Dumont. Esse é o ponto de partida para o romance de Arthur Japin - livro que apresentará agora em junho durante a Festa Literária Internacional de Paraty. O homem com asas sai pela Editora Planeta.

>>> França: Sairá para o público em novembro livro sobre um caderno com vários trabalhos inéditos de Van Gogh. A obra até o presente é segredo entre editor, pesquisador e detentor do caderno

Vincent Van Gogh. Le brouillard d'Arles, carnet retrouvé (VVG. O nevoeiro de Arles, caderno recuperado :: tradução livre) será publicada pela editorial Le Seuil na França e em vários outros países ao redor do mundo. A casa anunciou que a obra é "absolutamente excepcional"; nada mais foi dito sobre o lançamento que deve acontecer em novembro um dia depois de uma coletiva de imprensa oferecida pela editora.

Sexta-feira, 17/06

>>> Brasil: Obra de Gordon Lish ganha tradução e edição por aqui

Coleção de ficções 1 Numa Editora e traz as histórias que fazem parte do primeiro livro de Gordon Lish. Conhecido por seu trabalho como editor de alguns dos ícones da vanguarda literária dos EUA, como Raymond Carver e Barry Hannah, a publicação reúne seus quatro livros de contos, revistos por ele próprio. A coleção apresenta os textos de "What I know so far", publicado em 1984, do qual fazem parte os dois contos que envolveram Lish em polêmicas com o escritor J.D. Salinger. Entre eles, "Para Rupert – sem promessas", uma paródia do conto de "Para Esmé – com amor e sordidez", do próprio Salinger. O texto foi escrito em forma de uma carta na qual o pai de Salinger pede para ele manter contato. O estilo e a menção ao conto fizeram parecer que Salinger, que não publicava nada há dez anos, retornava com um novo texto. A polêmica fez as vendas da revista Esquire chegarem ao seu ápice na época e irritou o recluso autor de O apanhador no campo de centeio. A peça foi ganhadora do Henry Award de 1984. A tradução é de Ismar Tirelli Neto.

>>> Portugal: Em parceria com a editora Livros de Ontem, o escritor português Samuel F. Pimenta trabalha para publicar o volume 2 da antologia Emergente - Novos Poetas Lusófonos

Na imagem, o primeiro volume de uma publicação que pretende divulgar a poesia lusófona e dar novas oportunidades aos/às jovens poetas que se expressam em Língua Portuguesa, em todas as suas variantes. O novo convite é para poetas entre os 18 e os 30 anos e o prazo para o envio de textos é até 31 de Outubro de 2016. Serão selecionados até 12 poetas. O primeiro volume do projeto foi lançado em maio e reúne 12 autores, selecionados pela escritora Ana Paula Tavares, pelo editor João Batista (da Livros de Ontem) e por Samuel, de mais de 100 autores a concurso. Todos os detalhes no regulamento disponível aqui.

>>> Brasil: Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust os sete livros originais em três volumes

A edição mais conhecida, pela quantidade de nomes importantes que trabalharam na hérculea tarefa de tradução é a reimpressa não tem muito tempo pela Globo Livros. Mais tarde, a Ediouro publicou outra tradução: a do Fernando Py. É esta a versão que ganha agora nova roupagem - a terceira - e sai pela editora Nova Fronteira.

.........................
Sigam o Letras no FacebookTwitterTumblrGoogle+InstagramFlipboard


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Em teu ventre, de José Luís Peixoto

16 + 2 romances de formação que devemos ler

Milena Jesenská, muito além de namoradinha de Franz Kafka

Boletim Letras 360º #221

Cem anos de solidão cumpriu a profecia de Melquíades

Um romance com treze títulos

Uma farmácia literária que pode curar quase tudo

Como enfrentar Ulysses

J. R. R. Tolkien, o mito desconstruído

O homem sem doença, de Arnon Grunberg